Translator

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

ENSINAR CROCODILOS A NADAR



Havia na Tailândia um crocodilo chamado Thaksin, que nasceu, abandonado de um ovo, junto à propriedade de um agricultor chamado Chamlong.
Um santo homem que além de amigo de seus vizinhos, tinha um especial carinho pelos animais e répteis onde se incluiam os crocodilos. Chamlong um dia foi dar com o "crocodilozito, saído da casca, aos trambolhões junto a um pequeno lago.
Condoeu-se do bicho, pegou nele e levou-o para junto de sua casa.
O crocodilozito, de quando em quando tomava banho num pequeno tanque debaixo de um telheiro.
Foi-o alimentando, primeiro, com umas moelas de galinha e mais tarde com frangos inteiros.
O crocodilo Thaksin e o homem Chamlong tiveram um relacionamento salutar até que o réptil chegou à altura de ir governar a sua vida no seu natural habitate.
Porém o crocodilo Thaksin, já domesticado deveria começar a aprender a nadar.
Levou o crocodilo Thaksin para o lago e lançou-o à água.
Num barco, puxado a motor, Chamlong foi dando umas voltas ao redor e o crocodilo Thaksin foi-o acompanhando...
Espécie de um golfinho domesticado.
Mas um dia e de quando ainda a amizade era salutar, pensava Chamlong, o seu amigo crocodilo Thaksin saiu com a cabeça, fora da água, e tentou atacá-lo.
Chamlong não ligou importância ao jovem crocodilo Thaksin, pois o que ele queria era divertir-se.
Agora o crocodilo já adulto e a saber nadar ficou pelo lago, alimentando-se de peixe gato.
Porém um dia o Chamlong, a pé, dirigiu-se á margem do lago para visitar o crocodilo, seu amigo, Thaksin que tinha criado pelo amor aos animais e aos répteis.
Sem usar as cautelas devidas e pela confiança que tinha pelo crocodilo Thaksin, o malandro esperava por êle, escondido entre o capim.
Deu uma chicotada, com a cauda, ao pobre Chamlong que iria parar á água.
Ali, o crocodilo Thaksin atacou-o e cortou-lhe um braço.
Porém, Chamlong, mesmo sem o braço, conseguiu fugir, daquele inferno e mais tarde "maneta", voltou ao lago, e liquidou o malandro do crocodilo ingrato.
Moral da história: "Ensinar crocodilo a nadar, depois de nadar, corta o braço ao treinador".
José Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário