Translator

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

A PURA REALIDADE DOS "CHULOS" DA "MERDA" DA POLÍTICA

Quem ler a "merdice" que os Comediantes insere neste blogue não estranhem que apareça de quando em quando a frase "merda"!
É que a palavra "merda" está designada nos dicionários de português.
Ora acabamos de ler uma peça escrita por Paula Teixeira e publicada no "Correio da Manhã" com o título:
"Da Tasca ao Salão".
Principia: " Há que acabar com a necessidade de dar ´emprego político´a quem apenas precisa da política para sobreviver".
É isso mesmo o que a senhora escreve!
Não nos vamos adiantar ou transcrever o que a prosadora afirma e com carradas de razão.
Mas claro que temos que afirmar que nos meandros da sociedade portuguesa se movimentam muitos "chulos/chulas" em procura favores dos senhores/as da política; pelos seus bons ofícios durante as campanhas eleitorais a oferecer, hipócritamente graxa, ou mesmo aquele gajo que anda com uma escada às costas a colar cartazes nas paredes.
Todos, depois, se o partido para quem até não fizeram nada, ganhar as eleições arranjarem um "tachito" qualquer e sobreviverem como "chulos" à conta do outro o contribuinte.
Enquanto houver "chulos/as" e políticos, pouco honestos, a servirem-se dos esquemas "chulecos", Portugal não vai a parte nenhuma... e cada vez mais se afunda no abismo!
Não julguem por aí, quem me ler, que estamos à procura de um "tacho"...
Um gajo com 73 anos, a minha idade, não procura tacho nenhum, mas revolta-se contra a "chulice" dos que se movimenta por aí e suportada por outros "chulos", mas estes de botões de punho, camisa de colarinho e luva branca.
José Martins/Comediantes