Translator

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

OS COISOS E AS COISAS DE SEXTA-FEIRA



OS AMERICANOS EM ESTADO DE CHOQUE!

Os americanos em estado de choque! Mau começo para o Presidente Obama.

Fotos: "Chicago Tribune"

MINHA HOMENAGEM A MINISTRO DOS ESTRANGEIROS ALI ALATAS

Minha homenagem ao Ministro Ali Alatas



Morreu hoje, dia 11.12.3008, num hospital em Singapura o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ali Alatas.
Um diplomata, fino, inteligente e capaz de enfrentar, airosamente, todas as situações que se lhe depararam durante sua longa carreira diplomática ao serviço da Indonésia,
Foi amado, odiado e teve muitos inimigos.
Tive a oportunidade durante a ASEM96 (2 e 3 de Março de 1996 - Grande Cimeira da União Europeia e Países da Ásia), realizada em Banguecoque, em conjunto com o jornalista, Paulo Nogueira da Lusa, fazer parte da cobertura (exteriores) do mais importante evento que antes nunca se tinha realizado em Banguecoque.
A baixa da cidade parou por dois dias!
Não houve segurança "megalómana"; nem as ruas do centro estiveram sem a circulação automóvel pelo facto de haver suspeitas de atentados.
Mas para que o Sultão, Presidentes e Primeiros-Ministros, as delegações e jornalistas se movimentassem, livremente, entre os hoteis e o "Queen Sirikit National Convention Center", onde tiveram lugar as sessões. Portugal esteve representado por uma significativa delegação, chefiada pelo então Primeiro-Ministro Eng. António Guterres, Ministro dos Estrangeiros Prof. Jaime Gama; na parte diplomática o Embaixador António Monteiro.
Timor era um dos temas principais para tratar (fora da Cimeira) entre Portugal e a Indonésia.
O primeiro aperto de mão entre o Eng. Guterres e o Presidente Suharto, teve lugar antes da sessão inaugural da Cimeira.
Porém nunca se chegou a saber quem teria sido o elo de ligação se partido do Embaixador António Monteiro, dado o seu bem conhecido perfil de diplomata, ou de uma personalidade de alto nível da Europa.
Mais tarde, o Embaixador António Monteiro, viria ter as honras de sua fotografia ter sido inserida na capa da revista "Newsweek" onde num texto era dado como o heroi e o arquitecto da independência de Timor-Leste; cujo esta ainda demoraria, para a concretização 6 anos depois do famoso aperto de mão.
Estive presente à conferência de imprensa dada pelo Ministro Al Alatas, num hotel e tirei-lhe dezenas de fotografias com diversas expressões. Algumas até as considerei ridículas.
Porém à frente das lentes da minha Nikon F3 (que conservo como peça de museu e de minhas memórias quando eu tinha alguma importância na Embaixada de Portugal em Banguecoque), estava um Ministro dos Estrangeiros da Indonésia que desempoeiradamente e sabiamente soube responder a todos os jornalistas, por vezes com macieza e outras com agressividade.
Ele Ali Alatas não estava ali para defender o Presidente Suharto nem membro nenhum do seu exccutivo, mas sim a representar diplomáticamente, o seu pais, a Indonésia.
O regime de Suharto caiu e membros de sua família e do governo foram presos, para prestar contas de seus actos.
O Ministro Ali Alatas não foi detido nem qualquer acusação lhe foi feita. Um grande homem/diplomata que bem soube cumprir a sua missão.
Por tal a minha a homenagem à memória de um Grnade Homem.
José Martins