Translator

sábado, 24 de janeiro de 2009

SANTOS,PECADORES E MENTIROSOS!


O caso do "Free Port" (Porto Livre) está atingir o rubro dentro dos meandros da governação de José Sócrates.

É de facto um assunto melindroso e de quando o primeiro-ministro, uns dias antes, solicitava a maioria nas eleições para governar mais quatro anos.

Afirma, José Sócrates, não conhecer quem era quem o Charles Smith, ou certamente outro inglês de nome Bob etc.etc. que levou a bom porto o negócio com o tio materno para a concretização do negócio, em Alcochete, que certamente teria dado uns bons cabedais debaixo da mesa.

Não me acredito nem ninguém como eu, com dois olhos de ver, enfiará o gorro!

Quando há bons projectos e negócios do Governo a concretizar (muitos são inventados) por norma os nomes de membros do governo nunca estão envolvidos, mas pessoas de sua família onde os seus interesses são preservados.

Estranho que o tio de José Sócrates seja o homem chave da negociata e não saiba que o irmão de sua mãe (por quem tem muita consideração) não lhe tenha dado conhecimento da negociata e não tenha usado a sua influência como membro do governo de então (parece que era Ministro do Ambiente) para levar a "porto bonançoso" o tão enorme negócio com gradas comissões.

Lembro-e que há uns anos largos a primeira ministra de Inglaterra Margareth Thacher efectuou uma viagem, oficial, ao sultanato de Oman e desde logo, durante a sua permanência, ficou concretizado a construção de oleaduto para o transporte de ramas de petróleo.

Foi constituída uma companhia, inglesa, em que o seu filho, o "play boy" , Mark foi nomeado o presidente da referia empresa.

Tal facto viria a surgir um escândalo politico na Inglaterra.

E para terminar o "play boy" Mark , hoje de cabelos branco, reside na Africa do Sul e ainda não há muito tempo envolvido em negócios de venda de armas para derrubar um governo de África.

Portugal também tem os seus Marks que servem de escudo aos governantes para as grandes negociatas como o foi a do "Free Port" e certamente a construção do TGV e outros grandes empreendimentos que não tarda a ser firmados, antes das eleições, etc,etc, etc-tará
José Martins

COISAS AMBIENTAIS!

O nosso Zé nunca teve relações nenhumas com os negócios do tio.
O Zé tratou, apenas, do ambiente e do bem estar dos "portugas" que vivem em redor do tal "Porto Livre".
E para balancear o sistema ambiental da área ficou alinhavado um projecto para uma plantação de espinafres!
A comunicação social é uma má língua!

O Zé é um gajo "porreiro" e fixe!