Translator

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

NOTÍCIAS MUITO MÁS!

MAFIA SICILIANA

DESENHOS PERIGOSOS
O cartonista, siciliano, Nino teve a pouca vergonha de publicar desenhos em cima do "terror" e do silêncio das vítimas (abatidas como o caçador abate coelhos no monte), na paradisíaca (se abres o bico vais para o inferno), ilha siciliana.
Aqui vai uma recomendação para o Nino...
Antes do teu corpo ser feito numa peneira, encomenda a tua a alma ao cura do teu bairro!
Olha não te te esqueças de já encomendares (pagá-lo se tens dinheiro) o teu funeral ao cangalheiro, mais próximo, da casa da tua viúva.
Um funeral porreirinho com o acompanhamento dos meninos do coro, o cura sob o pálio (para não se queimar dos raios do sol); uma banda de música a tocar o "riquien", para a salvação da tua alma!
O Nino deve já encomendar as "carpideiras", essas almas danadas (abutres) que se vão governando, a chorar, com a morte dos outros.
José Martins

OS ARGENTINOS NÃO ESTÃO A GOSTAR DA BRINCADEIRA...

POLÍTICA DE MÁ LÍNGUA INTERNACIONAL

CADA PAÍS TEM A GENTE QUE MERECE!

Orgulho nacional!
O Zé na primeira página de um jornal "bife". Esses horrorosos, "bifes", racistas até que em fim que dão algum valor aos nossos homens de estado. Parabéns ao nosso Zé.



EFEMÉRIDE DO DIA


Em 3 de Fevereiro de 1488, Bartolomeu Dias passa o Cabo das Tormentos e abre o caminho a uma nova era para o Mundo. Passados 10 anos (1498) Vasco da Gama, chegou à Índia pela rota do oceano Atlântico e o Índico e para a consequente queda dos mercados das especiarias, italianos; Veneza, Pisa e Genova.
Com a conquista do mercados das especiarias e mais o que havia na Ásia e no extremo-Oriente, pelos portugueses, viria a contribuir para a ligação dos povos da Europa e da Europa.
Além desta ligação aconteceu a movimentação das plantas e das sementes de uns continentes para outros, pelos mareantes portugueses, que viria a ser benéfica para a população da Europa, já velho e degradado continente a braços com guerras, a fome, doenças e as pestes medievais.



Interessante inserir aqui um poema de Fernando Pessoa em honra da abnegação e o espírito de coragem,predestinação do homem português que nada o fazia recuar perante todos os riscos que corria:

O Mostrengo, o Homem-povo e el-Rei D. João II

O Mostrengo que está no fim do mar
Na noite de breu ergue-se a voar;
À roda da nau voou três vezes,
Voou três vezes a chiar,
E disse: "Quem é que usou entrar
Nas minhas cavernas que não desvendo,
Meus tectos negros do fim do mundo?"
E o homem do leme disse, tremendo:
"El-Rei D.João Segundo!"
.
«De quem são as velas onde me roço?
De quem são as quilhas que vejo e ouço?»
Disse o mostrengo e rodou três vezes,
Três vezes rodou imundo e grosso,
.
«Quem vem poder o que só eu posso,
Que novo onde nunca ninguém me visse
E escorro os medos do mar sem fundo?»
E o homem do leme tremeu, e disse:
«El-Rei D.João Segundo!»
.
Três vezs do leme as mãos ergueu,
Três vezes ao leme as reprendeu,
E disse ao fim de tremer três vezes:
«Aqui ao leme sou mais do que eu:
Sou um Povo que quer o mar que é teu;
E mais que o mostrengo, que me a alma teme
E roda nas trevas do fim do mundo,
Manda a vontade, que ata ao leme
De El-Rei D.João Segundo!"

SIRESP - COM CHEIRINHO A PSD

SIRESP E FREEPORT

Dizem para aí as boas ou más linguas que o SIRESP (Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal) foi uma negociata do tempo do Governo de Santana Lopes (já na situação de dar o badagaio), pelo Ministro da Administração Interna, Daniel Sanches.
Ora esta brincadeira custou, ao contribuinte, 500 milhões de euros.
Na negociata esteve envolvida a tal Sociedade Lusa de Negócios e o José Oliveira Costa, do BPN.
O SIRESP nunca foi montado, na totalidade e muito menos ter funcionado.
Este blogue é apolítico porque o autor não acredita nem confia em político nenhum da praça Portugal.
Mas por mais estranho que possa parecer, na proximidade das eleições, surgiu nas primeiras páginas do jornais o caso "Freeport". Portugal está cheio até ao gargalo de "Freeports", praticados, pela conveniência de uns "encanadinhos", perfumados, ligados a "palermas" iguais ao José Oliveira Costa, guardado a "bom recato", para não piar...
Não piou mesmo de quando foi chamado a desvendar o mistério do "gamanço" perantes os deputados, na AR, cuja investigação, era chefiada pela Mariazinha Belém do PS.
Ora,ora 500 milhões de euros, para o SIRESP é de facto muito papel!
Montante que é muito mais gordo que as tais, anunciadas, luvas do "Freeport".
O processo SIRESP (dizem) estar já arquivado na PGR, mas que lhe vai ser dada mais uma vista de olhos.
Bem o que me parece isto é um jogo de pedrada...
O mesmo: tu mandas-me a pedrada, eu apanho a pedra e mando-te de volta!
Cães e lobos comem todos...
Já eu ouvia isto ao meu avô Joaquim Gomes um filósofo, daqueles analfabetos que não conhecia uma letra do tamanho da "Cabeça do Vellho" da Serra da Estrela, a minha serra.
Áh cacetes de pau de lódão por onde andais!
Há casos em que a justiça, escrita nos livros, é como a enguia que se esgueira das mãos...
Mas umas valentes lambadas no lombo dos encanadinhos, tenho a certeza que era remédio, radical, que os curava do vicio, interceiro da corrupção e de enfiarem as luvas debaixo da mesa!
José Martins

SERÁ A "MORTE ANUNCIADA" ?

Coisa rara nos anais do jornalismo