Translator

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

OVELHA NEGRA E O ZÉ ESTÁ DOENTE!

O Zé está mal dos "pirolitos"




PRÓXIMO PORTO E BENFICA

Estes gajos continuam de costas voltadas! O Vieira segue prevenido para o Porto... A guarda costas não é das "Carolinas" do "Calor da Noite"... Nada meiga e da pesada!


Grafismo~: José Martins

ORGULHO NOSSO (NÃO GAY ENTENDA-SE!)

O ORGULHO NOSSO (NÃO GAY ENTENDA-SE),
de ser este blogue (venenoso) o primeiro a iniciar a propaganda eleitoral em favor do Zé Sócrates para a próxima votação que se avizinha. A opção é vossa" As eleições são livres no Portugal democrático.







Grafismo e composição: José Martins

POLITIQUICES



EFEMÉRIDE DO DIA 6 DE FEVEREIRO DE 2009

Padre António Vieira
Nasceu em Lisboa a 18 de Julho de 1608 e Faleceu a 6 de Fevereiro de 1697 na Bahia - Brasil.
Religioso, escritor, diplomata e orador da Companhia de Jesus.
Uma personagem das mais influentes do século XVII, no aspecto da política e destacou-se como missionário no Brasil.
Foi um defensor e infatigável na defesa dos direitos humanos dos povos indígenas, combatendo a sua exploração e escravização.
As classes menos favorecidas e por quem lutava conheciam-no pelo nome de "Paiçu" (Grande Padre/Pai, no dialecto tupi).
Defendeu os judeus, insurge-se contra a segregação dos cristãos-novos (judeus convertidos ao catolicismo) perseguidos pela Inquisição) e a distinção a que estavam sujeitos em relação aos cristãos velhos (católicos tradicionais).
Foi um defensor para a abolição da escravatura e criticou severamente os sacerdotes da sua época e a própria Inquisição.
Depois da Restauração da Independência (1640), regressou a Lisboa iniciando uma carreira diplomática, chefiava a missão que do Brasil ia a Portugal prestar obediência ao novo monarca.
Sua vivacidade de espírito e como orador, viria a conquistar a amizade de D.João IV de Portugal, tendo sido nomeado pelo monarca o pregador régio.
Como diplomata, foi enviado em 1646 aos Países Baixos para negociar a devolução do Nordeste do Brasil, e, no ano seguinte, a França.
Caloroso adepto de obter para a Coroa a ajuda financeira dos cristãos-novos, a sua acção viria a entrar em conflito com o Santo Ofício, mas viu fundada a Companhia Geral do Comércio do Brasil
Para mais conhecimento recomeda-se: