Translator

terça-feira, 10 de março de 2009

ESTE PINTO DA COSTA...!!!


DE JOELHOS,PROSTADOS, AO SR.SANTOS DE ANGOLA

PARA ANGOLA E EM FORÇA!
Afinal o "slogan" do tempo de Salazar e de quando eclodiu a guerra (a chamada colonial e para outros do ultramar) mantém-se!
-
Para Angola e em força!
-
Há lugar para todos em Angola!
-
Assim berrava, aos microfones, o jornalista Ferreira da Costa, de Luanda, em correspondências radiofónicas, que seriam transmitdas pela extinta Emissora Nacional.
-
Em 1962 a vida dos portugueses não corria, económicamente, pelo melhor.
-
Partiam do Tejo paquetes portugueses, com destino a Angola, cheios de pobres que chegavam a encher as tampas dos porões com camas dado que não havia lugar para todos nas camaratas.
-
Eu embarquei no paquete Pátria, em 1962, com destino a Luanda e bem dei conta do drama daquela gente.
-
Chegados a Luanda eram recebidos, quase como "gado" no porto e, muitos deles acabavam por dormir nos bancos do jardim de Luanda.
-
Gente sem futuro, sem dinheiro e por lá se foram acomodando, espalhando-se, pelo mato, nas províncias angolanas.
-
O Ferreira da Costa, bajulava, aos microfones: "venham,venham para Angola!". Os "desgraçados", pediam o dinheiro emprestado, a amigos e familiares para a viagem e pensavam que chegados a Luanda tinham trabalho à espera.
-
Apoio das autoridades não havia nenhum.
-
Por lá se foram aguentando, uns poucos fizeram vida no mato e passados 12 anos fugiram para Portugal, como retornados, com a roupa no corpo.
-
Uns pobres de espírito e de bens!
-
Chegaram a Lisboa deram-lhe uma esmola de uns 5 contos de reis de uma instituição, governamental, de nome IARN.
-
Penso que o Presidente da República Cavaco Silva está bem dentro desse drama, porque me parece, que na altura (1962) era oficial miliciano em Moçambique.
-
Está a existir demasiada demagogia em cima de Angola, quando este país, absolutamente atrasado não é, o "Eldorado" nem oferece, aquilo que os portugueses necessitam de trabalho e dinheiro.
.
Poderá redondar em outra tragédia, das muitas que reza a história, lusa, depois da era dos descobrimentos.
-
Porém continua não haver coragem política que se faça alguma coisa para que os bens retirados aos portugueses de quando a independência sejam pagos aos desalojados, portugueses, porque muitos deles, nasceram lá e da 5ª geração.

José Martins




O TONECAS VAI SER HOMENAGEADO


O Tonecas Guterres vai ser homenagedo pelos brasileiros. Para saber mais clique: http://paginalusofona.blogspot.com