Translator

terça-feira, 12 de maio de 2009

ÁH POIS O TOMAR DECISÕE É QUE É UMA GAITA...ESPALHAR MERDA E CORTAR CABEÇAS É FÁCIL!


Ah, pois ...
A fábula do Executivo
-
Esta é a fábula de um alto executivo que, "stressado", foi um dia ao psiquiatra.
-
Relatou ao médico o seu caso. O psiquiatra, experiente, logo diagnosticou:- O Sr. precisa de se afastar, por duas semanas, da sua actividade profissional.
-
O conveniente é que vá para o interior, isole-se do dia-a-dia e procure algumas actividades que o relaxem.
-
Então, o nosso executivo procurou seguir as orientações recebidas.Munido de vários livros, CDs e "laptop", mas sem o telemóvel, partiupara a quinta de um amigo.
-
Passados os dois primeiros dias, o nosso executivo já havia lido dois livros e ouvido quase todos os CDs.Porém, continuava inquieto. Pensou, então, que alguma atividade físicaseria um bom antídoto para a ansiedade que ainda o dominava.
-
Procurouo capataz da quinta e pediu-lhe trabalho para fazer.O capataz ficou pensativo e, vendo um monte de esterco que haviaa cabado de chegar, disse ao nosso executivo:- O Senhor Doutor pode ir espalhando aquele esterco em toda aquela área que será preparada para o cultivo.
-
Pensou o capataz para consigo próprio:"Ele deverá demorar uma semana com esta tarefa".Puro engano !
-
No dia seguinte já o nosso executivo tinha distribuído todo o esterco por toda a área.O capataz deu-lhe então a seguinte tarefa: abater 500 galinhas com uma faca.
-
Tarefa que se revelou muito fácil para o executivo ansioso: em menosde 3 horas já estavam todos os galináceos prontos para serem depenados!
-
Pediu logo nova tarefa.O capataz disse-lhe então:- Estamos a iniciar a colheita de laranjas. O Senhor Doutor vá, por favor, ao laranjal e leve consigo três cestos para distribuir as laranjas por tamanhos: pequenas, médias e grandes.
-
Passou o dia e o executivo não regressou com a tarefa cumprida.Preocupado, o capataz dirigiu-se ao laranjal.
-
Viu o nosso executivo, com uma laranja na mão, os cestos totalmente vazios, e a falar sózinho:-
-
Esta é grande.
-
Não, é média.
-
Ou será pequena???-
-
Esta é pequena.
-
Não, é grande.
-
Ou será média???-
-
Esta é média.
-
Não, é pequena.
-
Ou será grande???
-
Moral da história:Espalhar merda e cortar cabeças é fácil.
-
O difícil é tomar decisões.

Enviada por um leitor deste blogue

OS CANGALHEIROS DE MORTE ANUNCIADA



O diabólico dos homens atinge a incrivel!
-
Dá que pensar e meditar até que ponto o Homem pode chegar no propósito da ganância do dinheiro.
-
Eles através dos tempos foram dizimando o ser humano, irmão, dele.
-
Será bem de entender que tanto o criar um virus num laboratório,gases, de mostarda, deitados do ar em França, na I Guerra Mundial; fabricar uma mina numa serralharia; bombas de "napalme"; a chuva amarela, lançada no Vietname há anos é precisamente o mesmo.
-
Os "Frankstains", humanos, existem e continuarão a nascer como os parasitas que destruem os frutos da terra.
-
Porém o diabólico dos homens associa-se a Governos para que estas práticas de destruição, maciça, lhes sirva para os interesses da nação que governam.
-
A Gripe dos Porcos e o virus fabricado, artificialmente, não foi mais que para aterrorizar as pessoas e os Governos, de outros países, se abastecessem de vacinas e esvasiarem os "stocks" do (que dizem medicamento certo) "Tamiflu" e balançando a sua economia que se encontra em "fraldas".
-
Hipocresia de um raio que os parta!
Não deixem de clicar no endereço abaixo e ouvir o que o Dr.Leonard diz
http://www.youtube.com/watch?v=0K2LdGUca9w

DURÃO BARROSO - REI DO MUNDO!


O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, disse hoje que Bruxelas "é a capital do mundo, é aqui onde tomamos as iniciativas para o futuro do planeta”."O modelo social de mercado" da União Europeia é "uma inspiração para outras partes do mundo". O chefe do Executivo da UE também pediu a participação dos cidadãos nas próximas eleições de Junho, "para mostrar que todos os europeus estão juntos".Se Bruxelas é a capital do mundo, o seu presidente deve ser o líder mundial mais importante do planeta. A esta hora o Obama já mudou o nome do cão de agia português para Barroso, o Putin pensou em reconstruir a URSS e o Hu Jintao se mijou de tanto rir. É por haver gente como esta a querer dizer como devo viver, como devo pensar e o que devo fazer que não vou dar legitimidade a esta Europa para falar em meu nome. O meu voto é um não a esta União Europeia.
Publicada por Kaos em
00:01 1 Pastagens Link
-
Nota: "Eu também, como o Miguel Portas, tenho muita pena que Durão Barroso tenha nascido em Portugal...
-
E, igualmente, o prof. Cavaco Silva lhe ter deitado a mão e o guindar na política.
-
E agora, vejam lá vocês, o Rei do Mundo quer mais um madatozito de presidente da Comissão Europeia.
-
E esta?
-
Já viram o "maganão" como se tem dado bem por lá...
-
E não terá remorsos dos milhares de inocentes que morreram no Iraque e que para tal ele contribuiu?
-
Mas como é o Tribunal Internacional de Haia só funciona para uns e para outros não?
-
O "maganão" veio depois afirmar para a praça pública que foi enganado pelo Bush que pensava que havia armas de destruição maciça no Iraque.
-
Quem ensinava este "maganão" a escrever "chico" era eu se mandasse...
-
A pão e água por detrás dos quadradinhos!
José Martins

ISTO É DEMOLIDOR!


Os estudantes na queima das fitas são sempre os mesmos!
-
Tesuras, cravas, copos, bebedeira de caixão à cova, barracadas e outras "trinta-por-uma-linha".
-
Em fim já nada à a fazer com esta "matulagem" (aqui também se incluem as joias de capas negras) e deixá-los gozar à "grande", pelo menos na "Queima das Fitas".
-
Mas uma piada destas (aposta acima) é que nem ao diabo seria capaz de lembrar, denunciando no cortejo da Queima uma verdade que nunca José Sócrates provou que sim senhor tinha obtido a licenciatura de engenheiro; que não fez os exames quando o padre rezava a missa dominical; que não recebeu um "chavo" que fosse, do "Freeport" para comprar um gelado "Olá" para os miúdos dele e outras "merdas", inventadas e assim por aí adiante.
-
Mas com a partida que os estudantes lhe fizeram agora, em Coimbra, foi a total demolição da sua imagem.
-
O José Sócrates que se cuide!!!
-
Os estudantes de Coimbra borraram-lhe, totalmente a escrita e os projectos futuros, para almejada maioria.
José Martins

O PORTEIRO DA GUERRA






Miguel Portas, cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda às eleições europeias, “tem pena que Barroso seja português” e diz que o presidente da Comissão Europeia só chegou a Bruxelas por ter sido o porteiro da cimeira das Lages que decidiu a invasão do Iraque.Não podia estar mais de acordo.
Publicada por Kaos em
12:31 1 Pastagens Link
Da nossa avença:KAOS

A DOENÇA DA DEMOCRAIA - GRIPE DO MEDO




"Antigamente tinha-se medo da prisão caso se discordasse do poder instituído. Hoje tem-se "um medo de retaliações e de falar com desconhecidos ou ao telemóvel". Por isso, disse Manuela Ferreira Leite, "a nossa democracia está doente.Há muito que aqui falo de “medo” que anda a contaminar o nosso país. Um medo que coarcta a liberdade, um medo que assusta muita gente. Este governo de Socretinos tem usado a sua prepotência para tentar silenciar a critica, mas não são os únicos. Também o partido da Manelinha nos tem dado maus exemplos para não falar da sua ideia da necessidade de “suspender a democracia temporariamente”. Mas, o maior medo a que estamos sujeitos é ao da mentira e da pobreza com que estes partidos nos têm presenteado ao longo dos anos. Facilitam o despedimento, tornam-nos dependentes de uma Europa que de democrática só tem a mania de o ser. Acenam-nos com a crise em que estamos e com as que estão para vir. Entregam a nossa soberania aos grandes senhores do capital, sob a batuta dos Bilderbergs deste mundo. Um medo que, como uma gripe, é contagioso. Um medo que gostam que tenhamos e mostremos para não reclamarmos dos direitos que nos estão a tirar e dos sonhos de vida a que deixamos de poder aspirar para nós e para os nossos filhos. Esse medo é culpa de todos eles e daqueles de nós que o aceitam.
Publicada por Kaos em
00:01 2 Pastagens Link
Da nossa avença:KAOS

REVISTA DA IMPRENSA DE 12.05.09




Haja paz em Jerusalém”, rezou o Papa junto do Muro das Lamentações

"Girl for the Job"




“Girl for the Job”
Explicação: 1. Sabes em que consiste a "manutenção" do site do ministério da justiça ?
-
Não ?
-
Ok !
-
Eu esclareço: trata-se de actualizar conteúdos, um trabalho que provavelmente muitos dos n/filhos fazem lá na escola ou em casa "com uma perna às costas".
-
Por falar em "costas" acham que o ministro Costa recorreu ao otl e pediu um puto qualquer para tratar do assunto ?
-
Não !
-
Trata-se de uma tarefa altamente técnica que justifica uma remuneração de 3.254,00 euros mais o subsídio de almoço, claro !
-
E sabes quem tem o perfil adequado a essa extremamente especializada função ?
-
Não ?
-
Ok !
-
Eu esclareço.
-
Trata-se de Susana Isabel Costa Dutra. Susana Isabel Costa Dutra, é ( por um acaso daqueles que só acontecem em Portugal) filha do ministro Alberto Costa.
-
Et OUI !
-
Se puderes espalha pois pode haver alguém que não tem acesso ao Diário da República, ficando assim prejudicado de saber que "lá vamos, cantando e rindo, levados, levados sim..."



Isto não é nosso, mas de um maduro nosso amigo que se lhe meteu na cabeça que vai indireitar o Mundo.

TAILÂNDIA - ALGUÉM É RESPONSÁVEL

Desde que se inciaram os acontecimentos, políticos e sociais, na cidade de Banguecoque, muito pouco dei a conhecer e até me fui insurgindo, ao longo desse tempo, pelo que dois blogues, elaborados por portugueses, residentes, que não estavam a condizer com o estatuto de acolhidos na Tailândia.
-
Irritava-me o ver imagens,em um blogue, com sangue e outras impressivas (copiadas de publicações) que quem as visse lhes dava a impressão que toda a Tailândia vivia dentro de um pandemónio.
-
Não tenho conhecimento que um turista ou estrangeiro, residente, tenha sido molestado durante os confrontos entre os camisolas amarelas e os vermelhos.
-
A minha paz, como residente deste país há trinta anos não foi disturbada.
-
Continuei, a viver como dantes e viajei, várias vezes, por onde me apeteceu e o meu caminho haja sido desviado pelo que traçado.
-
Enquanto em Banguecoque os protestos se iam dando em determinadas zonas nas outras partes, da cidade, tudo seguia igual como dantes.
-
Um cuidado que minha mulher teve, antes de sair de casa para viagem, nunca na mala inseriu uma camisola amarela ou vermelha, não fosse por aí o diabo tecelas e me tomassem pelo partido da cor da camisola vestida.
-
Desde há cerca de um ano quando me chega a claustrofobia das paredes de minha casa, raspo-me para fora de Banguecoque e vou carregar as batarias e espairecer para uma província da Tailândia.
-
Ainda bem que o posso fazer, mesmo que receba uma reforma da Caixa Geral de Aposentaçãoe que mal dá para fazer tocar um cego, mas graças à vida barata na Tailândia, tenho esse privilégio de ainda, num ano, ter viajado umas oito ou nove vez à província de Kanchanaburi e quedar-me, uma semana, junto à margem do Rio Kwai por pouco mais de 100 euros.
-
Graças às novas tecnologias, de informação dentro do bengalô, que habito, a internete, directa através do satélite e estou em contacto com o mundo no seu todo. Com isto, o privilégio, de não estar só onde quer que esteja.
-
Hoje da parte de manhã, por volta das 11, por curiosidade fui até junto da Ponte sobre o Rio Kwai e o meu objectivo seria o de ver o movimento de turistas, que infelizmente, não era nenhum.
-
Talvez cerca de umas 50 pessoas. Meses anteriores eram um constante de autocarros a despejar turista junto à ponte e milhares, durante o dias a caminhá-la nos dois sentidos.
-
Depois da caminhada, obrigatória, naquela estrutura, construída de barras de ferro bruto, há que almoçar nos restaurantes, flutuantes, do rio.
-
Há ainda um passeio a efectuar nos barcos “long tail” rio acima e abaixo.
-
Por último uma visita às numerosas lojas de venda de brindes, artesanato, bijuteria e joalharia confeccionada de pedraria vinda da Birmânia.
-
Há ainda, depois dois museus de guerra para ver e dois cemitérios onde está a memória viva dos soldados aliados, prisoneiros dos japoneses, que morreram na construção do caminho de ferro e da ponte.
-
Actualmente estão vazios de gente.
-
Algumas lojas já não abrem suas portas. O parque de estacionamente, junto à ponte, onde sempre se viam estacionados mais de duas dezenas de autocarros, apenas se observam as viaturas dos proprietários das lojas de souvenir, de frutas secas, compotas caseiras da região.
-
Há um ano quando para o Rio Kwai comecei a passar os meus oito dias de férias encontrava dificuldades em conseguir alojamento nas estâncias a preços módicos.
-
Por duas vezes tive que me alojar em hotel que me custava a dormida cerca de uns 15 euros.
-
A rua Rio Kwai, onde se localizam dezenas de estâncias, durante o dia e até pela noite adiante era verem-se dezenas de turistas de mochila circulando de bicicleta, motorizadas ou bebendo cervejas nos bares tipo “palhotas” adjacentes à rua principal.
-
Actualmente vêm-se uns poucos e certamente daqui a uns poucos meses quase nenhuns. Ora esta gente está, silenciosamente a sofrer embora não tenha ouvido queixas de nenhumas que não há turistas no Rio Kwai.
-
Do turismo dependem milhares de família em Kanchanaburi, para criarem seus filhos e os educarem.
-
É certo que os habitantes, mesmo prejudicados, com a falta de turistas, não vão por aí morrer à fome, porque graças à natureza lhes concedeu terras de grande fertilidade e um grande rio onde há muito peixe para pescar.
-
Mas aquilo que me pretendo referir é que alguém é responsável por tudo que está acontecendo na província de Kanchanaburi e noutros pontos da Tailândia.
-
Ora os responsáveis por tão tamanho dano dado ao Povo humilde tailandês são uns poucos que para eles pouco lhes importou que os confrontos políticos podessem ou não prejudicar os seus irmão que estão,a sofrer, por via das suas ambições materiais e do Poder.
-
O Povo ordeiro e bom que o tailandês é, por natureza, não merecera aquilo que meia dúzia de homens lhe fizeram.
-
Alguém é responsável pelo o facto de ter provocado a desunião e rivalidades entre (parte) do Povo tailandês que através de séculos sempre estiveram unidos, mantido a sua independência e nunca, terem sido, colonizados por um país da Europa
-
José Martins