Translator

quinta-feira, 18 de junho de 2009

CRISTIANO RONALDO O "GARANHÃO" PORTUGUÊS NOS ESTADOS UNIDOS

Está visto os jornalistas e os "paparazzi" não largam o Cristiano e só lhes falta estar na suite do “Beverly Hills Hotel”, Las Vegas e dar conta se de facto o rapaz é mesmo “macho à maneira” e desmentirem (o que alguns já escreveram) que não é nada “pétala-cor-de-rosa”
-
Ontem o Cristiano Ronaldo levou, para o seu quarto, três raparigas, sensuais, depois, de uma sessão “Dirty Dancing” (Dança Suja). O piscar de olhos, do Ronaldo, está a tornar-se famoso. É só dar uma piscadela e engate pela certa.
-
Como já é bem sabido e conhecido o Ronaldo está a ser a coqueluche, entre as raparigas dos Estados Unidos depois de ter passado duas noites, com a Paris Hilton, em Los Angeles.
-
Desta vez e numa festa no “Bervely Ills Hotel” houveram três felizardas: A Coppin , Suzanne, Aimee Allison de 32,26 e 24 anos que passaram a noite com ele.
-
Aimee Alison revelou: “Tivemos uma dança-off, o Cristiano entusiasmou-se e desejou ser o juiz. Dançamos o “Aerosmith hit Crazy” e voltou numa Danca sexy”. Cristiano não poderia ter os olhos em cima da minha figura.

-
Senti-me uma faísca a voar para os seus braços. Seguidamente foi a Susanne que veio direita para mim e apertou as suas “mamas” contra o meu rosto. Cristiano não deixava de tirar os olhos do “traseiro” da Susanne. Instantes depois ela estava sussurrando ao ouvido de Ronaldo e cariando-lhe as “mamas”-
-
O que acontece é quando chegam meninas,ao bar onde se encontra o Ronaldo a beber um copo, desde que estas lhe agradem, basta só uma, irrestível, piscadela de olhos e a coisa está feita para subirem com ele ao luxuouso quarto, a seis mil euros por noite. Isto já aconteceu de quando duas raparigas de carnes morenas chegaram ao bar e pouco depois estava a subir, no elevador com ele.
-
A Susanne, com uma pontinha de ciúmes, enquanto beijava uma outra sua colega, atirou-lhe uma piscadela de olhos, infalível, como que dizendo-lhe: “espera um pouco que já te vou aviar!”. A Susanne e Ammee Allison deixaram o Ronaldo às quatro da manhã e com ele ficou a Coppi, a terceira menina, a beijá-lo freneticamente,
-
Por último quem não anda nada satisfeita, com o Ronaldo é a Mãe Dolores, que em vez de se orgulhar do filho macho de tão bom nome está a deixar de “garanhão” nos Estados Unidos, telefonou à Nereida de Palma de Maiorca que tentasse, mais uma vez de conquistar o Ronaldo e acalmá-lo.
-
Não se sabe se também telefonou à Merche Romero para dar uma “ajudazinha” tentar mais uma vez conquistar o seu miúdo já que teria sido ela, a primeira, a treinar Ronaldo nestas coisas de desporto de cama.
José Martins
Fontes "The Sun" e uns pontos mais de mim.

BONECOS DE SANTO ALEIXO

Tudo indica que Durão Barroso vai "papar" mais cinco anos na União Europeia.
-
Vimos na televisão, espanhola, um novo sorriso de felicidade a Durão Barroso, na fotografia de família, entre os 27 do clube da União Europeia.
-
O nosso primeiro-ministro José Sócrates, falou perante as câmaras que estava satisfeito pelo apoio, a Durão Barroso, dos "grandes" da sociedade.
-
Ora eu comparo o Durão Barroso a um boneco de Santo Aleixo que vai continuar a ser manipulado pelas linhas que dão vida aos famosos bonecos e uma parte da cultura portuguesa.
-
Aqui já não está o falecido Mestre Talhinhas, que adquiriu a "bonecada", metida numa arca de um sobrado, que viria, depois, a ensinar a arte de trabalhar os bonecos a uma família que hoje vai governando a vida exibindo-os por Portugal e pelo mundo adiante.
-
Para a meia dúzia de países ricos, do clube, não lhes interessa mesmo nada ter um Presidente de seus paises, porque poderiam entrar, entre eles, em guerrinha de gelo.
-
Assim, bem melhor, terem, como Presidente, um Durão Barroso ou um outro, sócio, de país pobre.
-
Comparo Durão Barroso um boneco de Santo Aleixo, que os outros países ricaços, irão manipulá-lo como a família de actores, pelos "cordelinhos" vão levando a cabo eventos, onde novos e velhos se riem das "palhaçadas".
José Martins

MÁRIO CRESPO CONTINUA ATACAR!

Morreu o cavaquismo
Mário Crespo

-
Entre mais-valias na carteira de acções do professor Cavaco Silva e o solilóquio de Oliveira e Costa no Parlamento, morreu o cavaquismo. As horas de aflitivo testemunho enterraram o que restava do mito . Oliveira e Costa e Dias Loureiro foram delfins de Cavaco Silva. Activos, incansáveis, dinâmicos, competentes, foram para Cavaco indefectíveis, prestáveis, diligentes e serventuários. Nas posições que tinham na SLN e no BPN estavam a par da carteira de acções de Cavaco Silva e família.
-
Os dois foram os arquitectos dos colossais apoios financeiros que nas suas diversas incarnações o cavaquismo conseguiu mobilizar logo que o vislumbre de uma hierarquia de poder em redor do antigo professor de Economia se desenhava. Intermediaram com empresários e financeiros.
-
Hipotecaram, hipotecaram-se e (sabemos agora) hipotecaram-nos, quando a concretização dos sonhos de poder do professor exigia mais um esforço financeiro, mais uma sede de campanha, mais uma frota de veículos para as comitivas, mais uns cartazes, um andar inteiro num hotel caro ou uma viagem num avião fretado.
-
Dias Loureiro e Oliveira e Costa estiveram lá e entregaram o que lhes foi requerido e o que não foi.Como as hordas de pedintes romenos, esgravataram donativos entre os menos milionários e exigiram contribuições aos mais milionários. Cobraram favores passados e venderam títulos de promissórias sobre futuros favores.
-
O BPN é muito disso. Nascido de um surpreendente surto de liquidez à disposição do antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais de Cavaco Silva, foi montado como uma turbina de multiplicação de dinheiros que se foi aventurando cada vez mais longe, indo em jactos executivos muito para lá do ponto de não regresso.
-
Não era o banco de Cavaco Silva, mas o facto de ser uma instituição gerida pelos homens fortes do regime cavaquista onde, como refere uma nota da Presidência da República, estava parte da ( ) "gestão das poupanças do prof. Cavaco Silva e da sua mulher", funcionou como uma garantia de confiança, do género daquele aval de qualidade nas conservas de arenque britânico onde se lê "by special appointment to His Royal Majesty " significando que o aromático peixe é recomendado pela família real.
-
Portugal devia ter sabido pelo seu presidente que a sua confiança nos serviços bancários de Oliveira e Costa era tal que tinha investido poupanças suas em acções da holding que detinha o banco. Mas não soube. Depois, um banco de Cavaco e família teria de ser um banco da boa moeda. E não foi. Pelo que agora se sabe, confrontando datas, já o banco falia e Cavaco Silva fazia sentar na mesa do Conselho de Estado, por sua escolha pessoal, Dias Loureiro, que entre estranhos negócios com El Assir, o libanês, e Hector Hoyos, o porto-riquenho, passou a dar parecer sobre assuntos de Estado ao mais alto nível.
-
Depois, vieram os soturnos episódios de que Oliveira e Costa nos deu conta no Parlamento, com as buscas alucinadas por dinheiro das Arábias. Surpreendentemente, quase até ao fim houve crédulos que entraram credores de sobrolho carregado para almoços com Oliveira e Costa nas históricas salas privadas do último andar da sede do BPN e saíram accionistas dos dois mil milhões de bolhas especulativas que agora os portugueses estão a pagar. Surpreendentemente também, o Banco de Portugal nada detectou.
-
Surpreendentemente, o presidente da República protegeu o seu conselheiro, mesmo quando as dúvidas diminuíam e as certezas se avolumavam. De Oliveira e Costa no Parlamento fica ainda no ar o seu ameaçador: "eu ainda não contei tudo". Quando o fizer, provavelmente, cai o regime. Francamente, com tudo o que se sabe, já não é sem tempo.
-
À MARGEM: Mário Crespo refere-se a Oliveira e Costa e Dias Loureiro como dois delfins de Cavaco Silva, mas houveram outros criados no seu tempo, onde poderão incluir: Leonor Beleza, João de Deus Pinheiro e Durão Barrosos, que além de terem, os três, governado, e bem, suas vidas, nada conta nos seus curriculums que tenham produzido algo de produtivo para os portugueses.
-
Cavaco Silva (homem da minha idade) chegou mesmo a ser o meu delfim, de outros milhões de portugueses. Nós confiámos nele como seria o homem certo no lugar devido para nos governar.
-
Cavaco Silva, desconhecido, ganhou as eleições para ocupar o posto de primeiro-ministro e pela primeira vez, em 6 de Novembro de 1985, é o novo inquilino do Palácio de S.Bento. Os portugueses, respiraram de alívio (eu mesmo) que tinham, agora, o líder à altura para nos dignificar e levar-nos a um viver com dignidade.
-
Escolheu os seus delfins para ministros do seu executivo, alguns ainda muito jovens, activos (pensáva-se) e pouco depois, chegam os dinheiros da União Europeia e principia então o "forrobodó" de gastos e a "pilhagem", sofisticada e protegida em nome da Grei e da Lei.
-
Os delfins de Cavaco Silva governaram-se como poderam, colhendo dividendos para o caminho do "poleiro" da fama. Vieram os primeiros escândalos entre membros do seu executivo e Cavaco Silva viria a cair.
-
Retirou-se da vida política e nas suas declarações à comunicação social afirmava que não tinha ambições políticas!
-
Teve paciência de esperar, como o caçador furtivo espera horas e horas, à entrada da cova, escondida entre a penedia da serra, aguarda o coelho para lhe mandar a cacetada e vingar-se do malandro que lhe devorava o "chicharral" próximo do esconderijo do ruidor.
-
Cavaco Silva, evidentemente, não pretendia mais a posição de primeiro-ministro, mas outra!
-
Esta, bem a aguardaria, ansiosamente e seria o de vir a ser Presidente da República. Os rabos de palha ficaram para trás e este privilégio seria dos outros porque Cavaco Silva não foi o autor deles, mas os seus colaboradores .
-
Entrou, pelo seu pé, acompanhado de sua família e netos triunfalmente, depois de ganhar as eleições presidenciais, no Palácio de Belém. Concretizou as ambições de ocupar a prestigiosa residência e chamou a si seus velhos colaboradores para lhe servirem de Conselheiros de Estado.
-
Lá estão, entre outros, Dias Loureiro, Oliveira e Costa e a Drª Leonor Beleza.
-
Depois de alguma felicidade de Cavaco Silva e sua, inseparável esposa, sob os candelabros de cristal, do Palácio de Belém, viria a surgir o "buraco" profundo do BPN e SLN onde desde as unhas dos pés à ponta dos cabelos, estão envolvidos os seus dois amados delfins: Dias Loureio e Oliveira e Costa.
-
Sabe-se de antemão que o futuro político de Cavaco Silva diluiu-se, mas isso já pouco lhe importa...
-
Que se "lixem" os falhanços políticos de Cavaco Silva!
-
Já velho ( a idade não perdoa), volta às suas orígens, ao Algarve, e por lá ficará...
-
E, como filho de agricultor, ele mesmo foi castigado, pelo Pai, a trabalhar a terra, durante as férias, de quando obteve más notas e poderá na reforma (dourada), dedicar-se a trabalhar numa hortinha onde plantará tomates e uns pimentinhos para passara o tempo.
-
O Don Corleone, personagem criada pelo escritor Mário Puzzo, na obra o "Padrinho" de que viria a dar aso à grande metragem "The Good Father", depois de tanta glória e montes de falcatruas nos Estados Unidos, regressou às raizes, a ilha da Sicília.
-
Velho já com com umas "tromboses" no "bucho", passava os dias, a fazer de palhaço, para fazer rir os seus netos, junto à horta que tinha criado de tomates, cercana à sua luxuosa residência na famosa ilha dos "mafiosis" italianos.
-
Don Corleone, o "Padrinho/Good Father", um dia, quando tratava da horta dos tomates, chegou-lhe a última trombose, caiu no meio dos tomates maduros e morreu a rir.
-
Por quem Don Corleone se riria?
-
Claro dos "pacóvios" que ele foi burlando ao longo de sua vida de "Padrinho/Good Father".
-
Daqui vão os desejos de muitas felicidades, na reforma, a Cavaco Silva e se enveredar pela cultura hortícula, boas colheitas de tomates e pimentos e que os venda num mercado, do Algarve, aos "pacóvios" dos portugueses que acreditaram nele.
José Martins

O FUTURO ESTÁ NEGRO...



A crise, a manipulação e o futuro….
A crise está aí, ao vivo e a cores…
Conhecemos-lhes os indícios há mais de dois anos e vamos suportar os seus efeitos, porque somos governados por gente que não tem a menor noção de respeito pelos nossos direitos de cidadãos.
As origens da crise são conhecidas. Residem todas na vigarice do papel falso que alimenta a especulação financeira e na manigância de auditorias que não merecem nenhuma credibilidade.
Deveriam os estados deixar funcionar livremente os mercados, falir os bancos, deixar nascer outros bancos, em vez de, enquanto os tentam salvar, nos arruinarem a nós.
Nada se perderia se falisse o BPN, se falisse o BPP e se falissem todos os outros que estão falidos.
Era salutar, era higiénico e causaria muito menos prejuizos às gerações vindouras do que arruiná-las com o pagamento dos calotes que os financeiros provocaram.
Por mais que não tenhamos gente para a realização dos grandes projectos - como o TGV ou o novo aeroporto - por mais que a realização desses grandes projectos implique a importação de mão de obra, parece claro que com eles beneficiaríamos muito mais do que com o pagamento dos calotes dos bancos falidos aos que neles acreditaram e neles colocaram as suas fortunas.
O facto de as polícias não conseguirem evitar os homicídios não nos obriga a pagar às vítimas.
Porque havemos nós que pagar os calotes das instituições financeiras?
Usando uma figura do direito civil, apetece-me dizer que estes senhores deveriam ser interditos.
Por várias razões.
Porque estão a hipotecar o futuro dos nossos filhos e dos nossos netos?
E porque estão a permitir que os recursos financeiros sejam, literalmente, desnatados, impedindo-se o funcionamento da economia, por falta de crédito, uma vez que os recursos são desviados para a especulação?
A manipulação continua no pior vernáculo.
Todos os dias as pitonizas (irresponsáveis) anunciam recuperações que não existem, apenas para influenciar os jogadores a jogar.
É a grande manipulação, sem nenhuma cientificidade e também sem nenhum rigor.
O abastardamento do jornalismo, depois do abastardamento da auditoria e da regulação.
E ninguém vai preso, depois de se ter criado esse bode expiatório que se chama Oliveira Costa.
Por maior que seja a sua culpa, ninguém, minimamente bem informado pode entender como é que está preso um elemento de órgão colectivo, com reduzidissimos poderes, nestes tempos de e_govenance.
É que, quem sabe alguma coisa de comunicação, sabe que os parolos engolem.
A minha homenagem, malgré tout, ao Sr. Oliveira Costa, que eu não conheço, mas de quem tenho pena.
O futuro está negro…
Miguel Reis - Lisboa - portugal@portugalclube.org

FOTO DO DIA



Uma menina que fugiu depois de uma ofensiva militar no vale da região de Swat, com a sua ração diária de pão no campo de refugiados de Sheik Yaseen no Paquistão

POIS DIGAM QUE OS MORANGOS COM AÇUCAR NÃO DÃO...!!!


Editorial Agora percebo
-
O Presidente da República apelou recentemente que houvesse uma compreensão para a contenção nos salários de grande monta que são praticados em Portugal. Garanto-vos que tomando a bitola do salário do Presidente sempre pensei que ele se referisse a uma ordem de valores entre os 20 e 30 mil euros mensais. Mas hoje, ao abrir os jornais fiquei verdadeiramente chocado e perplexo quando constatei que o José Eduardo Moniz recebe 50 mil euros para coordenar uma estação de televisão. É o absurdo e a ofensa total a todos os cidadãos que trabalham neste país. Porque o problema é que Moniz não trabalha. Limita-se a concordar ou discordar das propostas que lhe são apresentadas.Quando trabalhei com o Moniz na RTP o nosso salário rondava os cinco contos mensais e já éramos dos mais bem pagos. Com o Álvaro Guerra em director de informação e com o major Ramalho Eanes a presidir aos destinos da empresa, nunca os salários ultrapassaram os dez contos. Hoje, as quantias em causa equivaleriam entre seis e 25 mil euros. Neste sentido, não se compreende, nem existe qualquer lógica de mercado, para se pagar a um self made man 50 mil euros por mês, quando a sua empregada doméstica a trabalhar no duro de manhã à noite não deve receber mais do que 400 euros.Agora já percebo a razão porque José Eduardo Moniz, há dias, quando o cumprimentei, respondeu-me com uma atitude mais parecida com a de um qualquer George W. Bush a entrar para um Mercedes adquirido a leasing...
Por jes em
6/18/2009 10:46:00 AM 0 pauladas Hiperligações para esta mensagem

QUE SIRVA A CARAPUÇA AOS QUE TÊM CABEÇA QUE SE LHE AJUSTE


10 frases mais polémicas de Marinho Pinto
(Bastonário da Ordem dos Advogados)


"Há pessoas que ocupam cargos de relevo no Estado português que cometem crimes impunemente"DN, 27 Janeiro 2008
-
"Um dos locais onde se violam mais os direitos dos cidadãos em Portugal, é nos tribunais"SIC Notícias, 27 Junho 2008 "98% - os polícias à noite estão nas suas casa. É preciso haver polícias na rua à noite fardados
-
"Público, 27 Junho 2008 "Há centenas ou milhares de pessoas presas [em Portugal] por terem sido mal defendidas"Público, 27 Junho 2008
-
"Vale tudo, seja quem for que lá esteja, desde magistrados a outros juristas, não se pode falar em justiça desportiva, mas em prevalência manifesta de interesses e de poderes "RTP, 08 Julho 2008
-
"Eu não discuto com sindicatos. Os sindicatos querem é mais dinheiro e menos trabalho"RTP, 10 Julho 2008
-
"Alguns magistrados pautam-se nos tribunais portugueses como os agentes da PIDE se comportavam nos últimos tempos do Estado Novo"RTP, 10 Julho 2008
-
"Estão-se a descobrir podres que eram inimagináveis há meia dúzia de meses. E não é por efeito da crise. É por efeito da lógica do próprio sistema. Parece que o sistema financeiro só funciona com um pé do lado de lá da legalidade"
JN, 28 Dezembro 2008
-
"Uma senhora que furtou um pó de arroz num supermecado foi detida e julgada. Furtar ou desviar centenas de milhões de euros de um banco ainda se vai ver se é crime"JN, 28 Dezembro 2008
-
"Pelos vistos, nenhum banco pode ir à falência"Público, 30 Dez 2008
-
Num país anestesiado como o nosso, onde criminosos, corruptos e corruptores, políticos e doutores, ricos e poderosos estão tão bem defendidos por leis feitas à sua medida, quase nada nos indigna ou choca por muito tempo e, depois de deixar de ser notícia até é esquecido.
-
Portanto, as 10 frases mais polémicas de Marinho Pinto agitaram as águas turvas durante uns dias, salpicaram uns limpinhos (?), ofenderam outros, mas depois voltou tudo ao mesmo.
-
Ghandi conseguia manter-se limpo e não se ofender.
-
Era uma excepção!
-
Como dizia o Pitigrili, "salvo o leitor e eu, são todos uns filhos da puta".
-
PS: vou ter que mandar estes comentários "sem filhos da puta", numa linguagem mais contida, para pessoas putativamente mais suceptíveis. Desculpe-me se, no seu caso, me enganei na versão.
Recebido de um nosso leitor.

RTP JÁ UM REINO DO MEDO?



A RTP avança com modelo operativo renovado em 2010
-
A RTP prevê colocar em marcha a reorganização da estrutura técnica da empresa a partir do início de 2010. Nesse sentido, a companhia presidida por Guilherme Costa abriu esta semana um concurso para a escolha de uma consultora que irá avaliar e propor a reformulação do actual modelo de funcionamento da unidade.
-
A RTP prevê colocar em marcha a reorganização da estrutura técnica da empresa a partir do início de 2010. Nesse sentido, a companhia presidida por Guilherme Costa abriu esta semana um concurso para a escolha de uma consultora que irá avaliar e propor a reformulação do actual modelo de funcionamento da unidade.
-
Esta unidade, que alberga as componentes tecnológicas, os meios de produção que servem a informação e a área de programas do operador público de rádio e de televisão, emprega cerca de mil pessoas e tem um peso significativo no orçamento anual da empresa.
-
Por isso, é objectivo da RTP avaliar o actual modelo de organização e, se necessário, reformulá-lo no sentido da racionalização e da redução dos custos de estrutura.
(www.jornaldenegocios.pt )
-
À MARGEM Normal que o Prof. Guilherme Costa, com a aproximação das eleições Legislativa, pretenda remodelar algo dentro do "buraco" sem fundo chamado a RTP.
Ora o prof. Guilherme Costa, foi por anos Presidente do ICEP (Instituto do Comércio Externo de Portuga) cujo departamento estatal, foi um asilo de "boys" vestido de bom pano.
A presidência da RTP lhe deve ter sido dada de mão beijada.
É natural que nos meandros da RTP esteja já gerado o "pânico" com um novo Governo, depois das eleições e retirar o PS do Poder.
O novo Governo constituído não vai ignorar de levar a cabo uma sindicância interna onde as derrapagens, encontradas, não duvidamos que sejam muitas.
A RTP (pelo menos o que transmite, para o exterior, usando satélite) é da maior pobreza que se pode encontrar.
Programas sem imaginação e repetidos constantemente.
Existem dentro, do asilo, comunicadores a receberem salários dourados e não se vê mérito para que mereçam auferir ordenados três vezs mais que um Presidente da República ou um Primeiro-Ministro.
Há programas, bacocos, que estão em cena há mais de 10 anos (Praça da Alegria) que nem os mediocres a querem digerir.
Não há imaginação nenhuma!
Além do mais e na era da Internet, a RTP ainda não intendeu que existe.
Mantém correspondentes nos Estados Unidos, no Brasil, na Europa e noutros países que custam os olhos da cara ao contribuinte que muitas das vezes não têm motivo, nem interesse, a peça que transmitida, via satélite, cujo o preço é dispendioso.
Umas comunicadores que não têm a mínima preparação, apresentação, nem voz para reportarem um caso.
É a RTP que temos.
E com isto, num mundo de "tacanhês" está implantado pânico e o receio de perder o emprego.
José Martins

KIRSTY SWORD, EM NOME DAS SUAS CONVENIÊNCIA



VEIO PARA SE SERVIR E NÃO PARA SERVIR AS TIMORENSES?
A visita de Kirsty Sword a Portugal tem dado origem a comentários favoráveis pela sua presença e de...
Clique a seguir para ler a notícia»»» PÁGINA LUSÓFONA
Da nossa associada Página Lusófona