Translator

sexta-feira, 10 de julho de 2009

RAMOS HORTA PROIBE ENTRADA DE NOVO CORRESPONDENTE DA LUSA






Por ANTÓNIO VERÍSSIMOPágina Lusófona*PORTUGAL E OS PORTUGUESES
ESTÃO A SER DESRESPEITADOS POR RAMOS HORTA
-
À MARGEM: Assim não vale Dr. Ramos Horta. Bem se lembra (acho não está mal de memória) que a Agência Lusa lhe prestou um grande serviço de quando procurava a todo o preço e custo que o povo timorense, atingisse, a sua autodeterminação.
-
Bem me lembro de quando o Dr. Ramos Horta não era bem-querido pelas autoridades tailandesa e de outros países do Sudeste Asiático e depois de quando, já acolhido como um heroi, a Lusa, contribuiu para estar onde está hoje.
-
E, não só, vir a ser laureado com o "Prémio Nobel da Paz".
-
Nesses tempos, bem conturbados, para os timorenses, eu era o correspondente da Lusa em Banguecoque e vezes, sem conta, transmiti peças da capital tailandesa para a Lusa (Macau), onde dava conta daquilo que se iam passando, relacionado, com Timor Leste e algumas vezes enfrentar perigos.
-
Uma das vezes foi quando transmiti, em primeira mão, uma entrevista que me concedeu Max Sthal, o heroi que filmou o "Massacre do Cemitério em Santa Cruz" em Novembro de 1991.
-
Hoje já não faço parte dos correspondentes da Lusa, mas tenho bem dentro de mim, os bons ofícios que a Lusa lhe prestou.
-
Os tempos são de mudanças e mudam-se as vontades!
-
Outros homens chegam e nunca se sabe quais as suas acções. Se o Dr. Ramos Horta tem algum problema penso que não será com a Lusa, no seu todo, mas com alguém que entrou em conflito que não pode colocar a Lusa no mesmo molho de palha.
-
José Martins

STIRLING MOSS - O "PORTO DA MINHA INFÂNCIA"


Stirling Moss era assim no meu tempo, hoje tal qual como é! Vivinho e recomenda-se... Afinal as mulheres jovens fazem milagres!!!
-
Quais serão os rapazes do meu tempo que não se lembram do Stirling Moss a correr no "Circuíto da Boavista" no Porto?
-
Em Agosto de 1958 os "tripeiros" iriam apreciar, pela primeira vez, uma corrida de carros de "Fórmula 1", nos arredores do Porto e para as bandas de Ramalde.
-
As ruas e avenidas por onde as "bombas" iriam circular: Avenida da Boavistas, Antunes Guimarães, Lidador e Estrada da Circunvalação.
-
Entre as grandes estrelas mundiais, do automobilismo, os ingleses, Stirling Moss (já com umas abertas, de cabelo, na cabeça), Mike Hawthorn (de cabelo louro), o argentino famoso, Juan Manoel Fângio e outros mais que já não me recordo.
-
Para além das margens da pista, improvisada, os terrenos eram lameiros onde crescia milho, couves, nabos e matas de pinheiros ao longo de uns três ou quatro quilómetros da Estrada da Circunvalação em direcção à rotunda do Castelo do Queijo.
-
O perímetro do circuíto teria, bem avantajados, uns 15 quilómetros de piso irregular e era o ver os carros a saltar e os pilotos fazerem malabarismo para não se despitarem.
-
As bombas parecidas a charutos a correrem a grande velocidade com os pneus da mesma largura à frente como da parte de trás.
-
Não me lembro se os condutores, usavam cintos de segurança na altura ou não, mas de facto sabiam mexer naqueles bólides, obsoletos,bem melhor do que os pilotos de hoje. Os tripeiros, gente boa e simples, olhavam aqueles "doidos" sobre rodas de boca aberta.
-
Não deixa de ser curioso que o "gentleman" Stirling Moss está hoje, passado 51 anos, acelerar, novamente, no "Circuíto da Boavista", para correr com o carro da sua paixão um "Osca 1100" iguall ao que correu há meio século, inscrito, na prova de turismo.
-
Moss está na bonita idade de 79 anos e segundo o que afirmou a um jornalista, o que o faz correr é a sua jovem mulher. Quantas outras jovens lhe teriam passado no correr de sua vida...!!!
-
E à pergunta em cima do medo: "Medo? O perigo foi sempre a minha profissão. E foi nessa sensação do perigo que me levou à F1. Quando se é jovem o perigo é uma atracção. Depois toma-se-lhe o gosto e transforma-se numa forma de vida, numa paixão que perdura para sempre, porque os carros e a velocidade são uma paixão que me corre no sangue".
-
Alegro-me de o ás do volante que eu conheci, a correr, no Circuíto da Boavista há 51 anos esteja vivo e recomenda-se!
-
Eu pena de não estar, hoje, a vê-lo na pista da área de Ramalde onde o admirei há mais de meio século!
-
Gaita como já vou ficando usado!
José Martins

AS MORTES DE SOLDADOS BRITÂNICOS NO AFEGANISTÃO IMPRESSIONA OS INGLESES


O exército britânico já sofreu mais mortes no Afeganistão, do que Iraque. A sinistra estatística chegou agora com a perda, ontem (10.07.09) de seis soldados abatidos numa, devastadora, emboscada. Um total de 184 militares, britânicos, caíram já mortos combatendo os talibãs, ultrapassando os 179 que pereceram no Iraque, combatendo o regime de Saddam Hussein e insurgentes.
Material extraído do jornal "The Sun"

A FARMÁCIA PARTICULAR DE MICHAEL JACKSON


As drogas que Michael Jackson possuia na sua farmácia particular
Michael Jackson tinha níveis, no corpo, letais de poderoso analgésicos
Demerol substituição de metadona e heroína em seu corpo quando ele morreu, foi revelado.
Os testes mostram que a trágica estrela havia ingerido uma mistura de drogas suficientemente forte para ter morto qualquer pessoa, normal, instantaneamente.
Isto foram receitas de estupefaciente escritas pelo punho do médico, pessoal, do infeliz Jackson
Porém Michael devido ao hábito, durante anos seguidos seu corpo, já possuído de certa imunidade, tolerava os analgésicos e teria, com o hábito, aumentado as quantidades até ao ponto de lhe ser fatal.
As conclusões estão em termo, preliminar, do relatório de análises toxicológicas apresentadas pelos médicos legistas do Departamento de Medicina Legal, de Los Angeles.
O conteúdo que foi revelado dá como fonte a causa da morte de Michael que poderá ser o resultado de um auto-homicído podendo supor-se que ele mesmo pretendeu por termo à vida devido aos estados depressivos, constantes, que vivia.
Compilação do "The Sun" e fotos. Tradução livre de José Martins

FALTAM SÓ 80 DIAS


ELISA FERREIRÂ ESTÁ LUTAR COM UNHAS E DENTES!

Sócrates pode "salvar" candidatura (Público)
PS não acompanha Elisa Ferreira em acção de campanha no Porto
10.07.2009 - 08h44 Margarida Gomes
"Indiferente às vozes críticas que sopram do PS, Elisa Ferreira disse ontem estar a lutar para ficar na Câmara do Porto e abandonar o Parlamento Europeu (PE), revelando até que já deixou a casa de Bruxelas. A candidata independente ao porto realizou uma visita ao Hospital de S. João no âmbito da pré-campanha eleitoral, mas o PS não esteve por perto......" (continua)

-
Escrever comentário
-
10.07.2009 - 12h03 - Luis Abrantes, Maia
Não há aqui nada de altruísmo para servir a cidade do Porto e os seus habitantes. A sra. quer refazer a vida no Porto e vai ficar por cá, haja o que hajar. Quanto a dinheiro, o seu novo marido, depois de muitos anos em institutos disto e daquilo com fortes ligações ao PS, tornou-se administrador em várias das empresas que tutelou e está muito bem de vida. Mas formam um casal simpático, lá nisso não restam dúvidas.
-
10.07.2009 - 11h37 - helena r., Porto
Pois é Alentejano, se sabia disso devia ter denunciado na altura própria, eu, presencialmente já confrontei publicamente esta senhora candidata, quando era ministra do Ambiente, da razão de não responder às questões que lhe coloquei por escrito "n" vezes, sobre umas construções em domínio público. Sabe o que ela me respondeu? "Fale, fale para a comunicação social", felizmente mesmo com o cerco da comitiva, tive oportunidade de lhe responder em conformidade. Eu não gostei da resposta, mas ela também não gostou da minha. Essa Câmara que autorizou as construções era e continua a ser socialista, logo não lhe interessava minimamente o assunto, o autarca até podia autorizar construir no meio do oceano que para ela era o mesmo. Para mim um bom ministro é ter capacidade e coragem de confrontar os poderes instalados seja qual for a cor politica. Não lhe reconheço pois, qualidades para ser presidente da 2ª maior Câmara do País. E tenho dúvidas do trabalho em Bruxelas. Aqui no Porto gostamos do trabalho de Rui Rio que foi o único capaz de confrontar o Papa do futebol que no fundo foi sempre quem mandou na cidade. E eu sou portista mas sei "separar as águas".
-
10.07.2009 - 11h13 - Anónimo, Porto
Pelos vistos, fez mal Elisa em deixar a sua casa de Bruxelas. Pelo andar da carruagem, vai ter que procurar novo apartamento na capital da Europa. A proposito, tenho là um que està vago...
-
10.07.2009 - 11h08 - helena r., Porto
Ui, sem o apoio do PS? Tiram-lhe o tapete porque sabem que é uma perdedora? É a pressão para largar a candidatura porque parece mal o PS dizer não haver candidaturas duplas e esta srª fazer de conta que não sabe, que nem sequer ouviu falar? Srª ponha-se a milhas, vá lá para Bruxelas, porque para presidente da Câmara do Porto, já era. Aproveite e leve consigo a Ana Gomes que também mete fastio, mais as outras que pululam pelo País. Quem se ri no fim, ri melhor. Força Rui Rio!
-
10.07.2009 - 10h45 - Alentejano pet, Portalegre
Também há freeports em Portalegre... Mas não envolvem o Sócrates. Envolvem outras pessoas que passaram pelo ambiente antes do Sócrates... A gestão da rota da seda... de Barcelona.
-
À MARGEM: Nós daqui temos muita peninha da Elisinha.
Ainda não há muito fez uma festa de "rebimba-ó-malho" em Bruxelas e aquilo até dava a impressão que a câmara do Porto já lhe estava no "papo". Pois, pois quem a vai salvar vai ser mesmo o José Sócrates!

"À FRENTE DOS CORNOS" - VIVA SÃO FIRMIM EM PAMPLONA

A quarta corrida de Pamplona (10.07.09) foi de extrema violência. Um morto e 5 feridos, graves. Impressionante aquilo que se observou esta manhã. Um boi, tresmalhou, da manada, os corredores engolfaram o animal e a tragédia aconteceu que viria a investir neles, jogando-os ao ar como bolas e no chão esfresgou-os com o "cornos" contra a calçada. Amanhã realiza-se o quinto encerro.