Translator

sábado, 25 de julho de 2009

O PALCO E A ENCENAÇÃO DE UM JULGAMENTO. O DELICIOSO SONHO DE RAMOS HORTA...COM A JENNIFER LOPEZ!




11 de Fevereiro
DOS ENVOLVIDOS QUEM É O MELHOR A REPRESENTAR?
O julgamento dos enredados na inventona de 11 de Fevereiro do ano que passou está a ter o condão de fazer esquecer outras realidades timorenses, como caso de a ministra da Justiça Lúcia Lobato estar a ser investigado pela Procuradoria-Geral da República, ou aquilo que deixou de fazer correr tinta mas de que se fala sobre as ilegalidades cometidas por Xanana Gusmão na distribuição de milhões de dólares a familiares seus através de empresas em que são accionistas.

Parece que até a PGR não está interessada em investigar sobre a existência de violações da lei neste caso e também, por ser público, de outros, como o é na compra de viagens mais caras para os que se deslocam para o estrangeiro às custas do governo, dos timorenses de facto e sistemáticas vítimas de uns quantos privilegiados que os vão enganando enquanto enriquecem.

É verdade que o julgamento dos 28 enredados no 11 de Fevereiro de 2008 trouxe para a luz da verdade factos que para muitos eram desconhecidos. É o caso do relatório da balística da AFP, polícia australiana, bem como o caso de estarem a comparecer em tribunal militares que declaram desconhecer as características das armas que usam e delegarem esses conhecimentos para os seus chefes. Caricato, na verdade.

Denunciador de que eles foram industriados acerca do que podem e não podem dizer em tribunal.Interessante foi também o facto de conhecer a pessoa pela voz, neste caso Alfredo Reinado, apesar de o declarante não ter estado perto dele ou sequer tê-lo ouvido anteriormente falar. Mas que escorregadela. E o reconhecimento relativamente ao homem que disparou sobre Ramos Horta?
-
Hilariante. Reconhecido pelos olhos, porque usava um capuz e também apesar de na posição estar ainda a tapar a zona de sua cara com a arma que alegadamente estava a ser apontada a Ramos Horta. Interessante também não deixa de ser o próprio Ramos Horta ter reconhecido o homem que o baleou, mesmo com capuz – como dizem. “Eu conheço aquela cara”, declarou Ramos Horta ainda no hospital. Mas qual cara, se estava tapada? Posteriormente disse que se havia enganado e depois voltou a reconhecer.

O presidente de Timor-Leste é um vai-e- vem timorense que muitas vezes entra em órbitra. Parece que disse que quando estava em coma “sonhou” com a Jennifer Lopez. É mesmo de quem estava na lua. Como quer Ramos Horta que acreditemos nele?

TURISTAS CANCELAM FÉRIAS - RECEIO DA GRIPE SUINA


Todos os dias, o número de casos de gripe A aumentar um pouco por todo o Mundo e, em plena época de verão e férias no Hemisfério Norte, o sector do turismo já se ressente.
Em Portugal, e ao longo da última semana, cerca de 20 por centro das viagens de lazer para fora do País foram desmarcadas, segundo a Galileo, principal intermediária entre as companhias aéreas e as agências de viagens.
Em declarações à RTP, o diretor-geral da empresa, António Loureiro, esclareceu que o receio de viajar e os consequentes cancelamentos estão a afectar sobretudo os "mercados português, brasileiro, francês e suíço".
Entretanto, o Ministério da Saúde atualizou ontem o número de casos no País: 218 pessoas estão infetadas com o vírus H1N1-
Record

VISITA A PORTUGAL DE S.A. A PRINCESA REAL CHULABHORN MAHIDOL


Sua Alteza a Princesa Real Chulabhorn Mahidol

Referências na imprensa portuguesa
-
Ciência: Princesa tailandesa visita IPATIMUP e estuda cooperação na investigação sobre o cancro-
Porto, 20 Jul (Lusa) - O presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), Manuel Sobrinho Simões, afirmou hoje "todo o interesse" da instituição na cooperação científica com a Tailândia.Lusa18:58 Segunda-feira, 20 de Jul de 2009[459 visitas]
-Porto, 20 Jul (Lusa/Expresso)
-
O presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), Manuel Sobrinho Simões, afirmou hoje "todo o interesse" da instituição na cooperação científica com a Tailândia.-
"Eles têm alguns tipos de cancro que nós também temos e em que nós talvez possamos ajudar. De momento podemos ser mais úteis para eles do que eles para nós. Mas a nós interessa-nos sobretudo estudar casos da Tailândia nos cancros que nos interessam, que são sobretudo os do estômago e da tiróide" disse.
-
Manuel Sobrinho Simões falava aos jornalistas no final da visita oficial ao IPATIMUP da princesa Chulabhorn Mahidol, filha mais nova do Rei da Tailândia, que fundou em 1987 o Chulabhorn Research Institute, a que preside, que se dedica à pesquisa em áreas como a bioquímica, biotecnologia, farmacologia, imunologia, a toxicologia ambiental ou a oncologia.
-
A princesa é, ela própria investigadora científica, tendo sido a primeira asiática a fazer parte da Royal Society of Chemestry e a terceira pessoa a receber a medalha Albert Einstein da UNESCO.
-
O presidente do IPATIMUP explicou que para fazer o estudo destas doenças é preciso uma base de dados, o que exige envolvimento institucional, nomeadamente de um hospital institucional.-
"Podemos enviar para lá equipas de investigação ou, o que seria melhor - até porque somos muito poucos no IPATIMUP - conseguir que eles façam lá o estudo dos casos, porque eles têm lá gente muito boa, que nós analisaríamos cá", disse.
-
A princesa não fez declarações aos jornalistas, mas o embaixador da Tailândia em Portugal, Kasivat Pamugamanont, considerou, em declarações aos jornalistas, que esta visita constitui "uma boa oportunidade para ambos os centros de investigação estudarem condições de cooperação para o futuro nas áreas em que ambas trabalham, nomeadamente na investigação sobre o cancro".
-
A Universidade do Porto acolhe todos os anos para cima de uma dezena de investigadores tailandeses, na sua maioria estudantes de doutoramento e pós-doutoramento nas áreas relacionadas com a biomedicina, estando um deles no IPATIMUP.
-
Jornal de Noticias
-
Ciência: Princesa tailandesa visita IPATIMUP e estuda cooperação na investigação sobre o cancro2009-07-20Porto, 20 Jul (Lusa/Jornal de Notícias)
-
O presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), Manuel Sobrinho Simões, afirmou hoje "todo o interesse" da instituição na cooperação científica com a Tailândia.-
"Eles têm alguns tipos de cancro que nós também temos e em que nós talvez possamos ajudar. De momento podemos ser mais úteis para eles do que eles para nós. Mas a nós interessa-nos sobretudo estudar casos da Tailândia nos cancros que nos interessam, que são sobretudo os do estômago e da tiróide" disse.
-
Manuel Sobrinho Simões falava aos jornalistas no final da visita oficial ao IPATIMUP da princesa Chulabhorn Mahidol, filha mais nova do Rei da Tailândia, que fundou em 1987 o Chulabhorn Research Institute, a que preside, que se dedica à pesquisa em áreas como a bioquímica, biotecnologia, farmacologia, imunologia, a toxicologia ambiental ou a oncologia.
-
Biografia
-
Sua Alteza Real Princesa Chulabhorn nasceu em 4 de julho de 1957, em Banguecoque, na Tailândia, é graduada pela Faculdade de Ciências e Artes na Universidade Kasetsart com o título de bacharel em Química Orgânica, com honras de primeira classe, em 1979.
-
Sua Alteza Real completou seu doutorado pelo trabalho em química orgânica em 1985 e recebeu o seu Doutoramento em Filosofia na Universidade Mahidol Grau de Julho do mesmo ano.
-
Como uma talentosa cientista, foi premiada com a prestigiosa medalha de ouro. Einstein, em 1986.
-
Em 1 de dezembro de 1987, criou o Instituto de Pesquisa Chulabhorn para promover a investigação científica na Tailândia, e tem dado aulas a númerosas grupos de académicos e cientistas no estrangeiro.
-
Em 1982 contraiu matrimónio com Tenente piloto de aviões a jacto de combate, Virayuth Didyasarin. Desse casamento nasceram duas filhas, Suas Altesas princesas Reais, Siribhachudhabhorn e Adityadornkitikhun.
-
Sua Alteza Real Princesa Maha Chakri Sirindhorn, sua irmã e Sua Alteza Real Princesa Chulabhorn viajam com freqüência no exterior para representar seu país em diversas cerimónias.
José Martins

MORREU O ÚLTIMO SOBREVIVENTE DA I GUERRA MUNDIAL (1914-1918)


Harry Patch o último inglês sobrevivente, da Primeira Guerra Mundial, de luta nas trincheiras, faleceu, esta manhã, em Somerset (Reino Unido) em sua casa, com a bonita idade de 111 anos. A homenagens ao herói já principiou liderada pela Rainha, o príncipe Charles e PM Gordon.
The Sun

NEM É PRECISO EXPLICAR! TGV = CORRUPÇÃO À VISTA



“A mim ainda ninguém me explicou”
Lá está a minha amiga a exigir explicações. Gratuitas ainda por cima, as minhas, que o meu esforço de esclarecimento é todo à borla.
Mas também porque a maioria das vezes não obtém resultado positivo com ela, que se julga superior em competências, só porque tem uns meses mais do que eu e lê e ouve mais imprensa diária.
- “Ainda ninguém me explicou cabalmente as vantagens do novo aeroporto nem do TGV”.
Apreciei o “cabalmente”.
- “Ora essa! Estão fartos de o dizer, com o nosso PM à cabeça! O TGV permite uma maior rapidez, entre Lisboa e Madrid e entre Lisboa e Porto, com ligação a Vigo. Num ápice, estaremos na Europa. Já viu as nossas possibilidades de evasão ao nível europeu? Maior que a do Cesário: “Ocorrem-me em revista exposições, países: / Madrid, Paris, Berlim, S. Petersburgo, o mundo!” Agora até podemos ir parar a Vladivostok, tomar a carreira para o Japão, dar um salto ao Alasca, um ver se te avias de experiências viageiras na aldeia global. Quanto ao aeroporto, servirá de escoadouro do tráfego aéreo – e do tráfico de qualquer via – para libertar o espaço aéreo da capital.”
- “Pois! Mas quem paga isso?”
- “Acho que a União paga vinte por cento, não sei se já pagou há anos e até se eles já foram desviados para outros fins.”
- “Ai, não! Não podem ter sido! Tudo menos isso, que a União exige as contas correctas! Esses dinheiros dos empréstimos para os fins a que se destinam são sagrados, eu sei. Mas...e o resto?”
-“Qual resto?”
- “Os oitenta por cento, claro!”
- “ Ah! Isso vai-se pagando, com mais uns impostos aqui, mais umas dívidas aos fornecedores e aos trabalhadores além, vai ver que se consegue.”
- “Vê-se mesmo que somos um país de novos ricos, que construíram auto-estradas em excesso, talvez pelo muito que padeceram com a falta delas nos tempos fascistas.”
Nada a contenta, protesta sempre.
- “Eu tive um professor de italiano, nos meus tempos de estudante – tinha um Fiat que era o “non plus ultra” da beleza automóvel, para leigos como eu – que costumava afirmar que um país sem estradas não se desenvolvia.

Vivi sempre com esta imagem do progresso ligado às vias, e quando chegámos à administração do Dr. Cavaco e Silva e dei um passeio pelas terras, passando pelas aldeias do abandono fascista, fiquei muito feliz, ao notar a rede de autovias”.
- “Pois, mas quando não se pode, tem que se racionalizar! Estamos encravados até dizer chega! e vamos encravar-nos mais ainda com meios de transporte ou espaços aéreos que o nosso bolso não contempla!”
- “Ah! Mas é que não conhece a opinião dos que afirmam que os que subtraíram em fraudes de bradar aos céus e que são tantos que dava para, com esses dinheiros que eles deviam ser forçados a repor, pagar os tais gastos da nossa megalomania e mais as dívidas das câmaras e ainda sobraria para repor as fábricas a produzir e os trabalhadores a trabalhar, e ainda com umas sobras para os pobrezinhos desabituados de trabalhar.”
- “Isso parece história de magia, ou de fadas que também são magia. Os que mergulharam no saco roto das massas não vão repor os dinheiros subtraídos; e tudo o resto é fantasia.”
Nada a fazer, com a minha amiga. Quando diz que não acredita no milagre não acredita mesmo. Eu sinto-me na pele do chinezinho Badaró: “Como ispilico?”
Berta Brás

ESTÁ A ACONTECER EM LISBOA- Urgente ler


Vendo como comprei…
É MUITO GRAVE!!!!!!
ISTO ACONTECE E NAO SE FAZ NADA?
O MORCEGO (RUI PEREIRA) DIZ QUE ESTÁ TUDO SOBRE CONTROLO!!!
PASSO COMO RECEBI.
Na altura do Carnaval, ouvi falar de um caso que me arrepiou imenso.
Duas jovens universitárias tinham sido interpeladas por um grupo de rapazes bem parecidos, no Bairro Alto, que lhes fez uma pergunta: "Morte, violação ou boca de palhaço?"
As jovens, pensando tratar-se de uma brincadeira de Carnaval, responderam prontamente "boca de palhaço".
Foram esfaqueadas dos lábios às orelhas.
Sei que ainda hoje estão traumatizadas e que nenhuma cirurgia plástica deixá-las-á como eram antes.
No passado fim de semana, voltou a acontecer; em pleno Largo Camões, a jovem esperava por um táxi vazio que a levasse para casa.
Pois quem a levou foram quatro rapazes, que lhe fizeram a mesma pergunta arrepiante e o resultado é o mesmo.
Esfaqueada, com um "sorriso" de palhaço.
Acho estranho que nenhum telejornal faça referência a isto, porque tenho a certeza de que já aconteceu mais vezes.
Sendo assim, e como acredito no poder do passa a palavra, por favor divulguem esta história a toda a gente. É preciso que toda a gente saiba.
É preciso que tenhamos cuidado.
É preciso que andemos acompanhadas.
É URGENTE ALGUÉM FAZER ALGUMA COISA!!!
Silvia Basto(Jornalista)
Tel.:219 238 107

GRIPE DOS PORCOS - PANDEMIA DE LUCRO


Que interesses económicos se movem por detrás da gripe A, vulgo gripe porcina???
No mundo, a cada ano morrem milhões de pessoas vitimas da Malária que se podia prevenir com um simples mosquiteiro.
Os noticiários, disto nada falam!
No mundo, por ano morrem 2 milhões de crianças com diarreia que se poderia evitar com um simples soro que custa 25 centimos.
Os noticiários disto nada falam!
Sarampo, pneumonia e enfermidades curáveis com vacinas baratas, provocam a morte de 10 milhões de pessoas a cada ano.
Os noticiários disto nada falam!
Mas há cerca de 10 anos, quando apareceu a famosa gripe das aves......os noticiários mundiais inundaram-se de noticias...
Uma epidemia, a mais perigosa de todas...
Uma Pandemia!
Só se falava da terrífica enfermidade das aves.Não obstante, a gripe das aves apenas causou a morte de 250 pessoas, em 10 anos...25 mortos por ano.A gripe comum, mata por ano meio milhão de pessoas no mundo.
Meio milhão contra 25.
Um momento, um momento. Então, porque se armou tanto escândalo com a gripe das aves?
Porque atrás desses frangos havia um "galo", um galo de crista grande.
A farmacêutica transnacional Roche com o seu famoso Tamiflú vendeu milhões de doses aos países asiáticos.
Ainda que o Tamiflú seja de duvidosa eficácia, o governo britânico comprou 14 milhões de doses para prevenir a sua população.
Com a gripe das aves, a Roche e a Relenza, as duas maiores empresas farmacêuticas que vendem os antivirais, obtiveram milhões de dólares de lucro.
-Antes com os frangos e agora com os porcos.
-Sim, agora começou a psicose da gripe porcina. E todos os noticiários do mundo só falam disso...
-Já não se fala da crise económica nem dos torturados em Guantánamo...
-Só a gripe porcina, a gripe dos porcos...
-E eu pergunto-me: se atrás dos frangos havia um "galo"...
¿ atrás dos porcos... não haverá um "grande porco"?
A empresa norte-americana Gilead Sciences tem a patente do Tamiflú.
O principal accionista desta empresa é nada menos que um personagem sinistro, Donald Rumsfeld, secretario da defesa de George Bush, artífice da guerra contra Iraque...
Os accionistas das farmacêuticas Roche e Relenza estão esfregando as mãos, estão felizes pelas suas vendas novamente milionárias com o duvidoso Tamiflu.
A verdadeira pandemia é de lucro, os enormes lucros destes mercenários da saúde.
Não nego as necessárias medidas de precaução que estão a ser tomadas pelos países.
Mas se a gripe porcina é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios de comunicação.
Se a Organização Mundial de Saúde se preocupa tanto com esta enfermidade, porque não a declara como um problema de saúde pública mundial e autoriza o fabrico de medicamentos genéricos paracombatê-la?
Prescindir das patentes da Roche e Relenza e distribuir medicamentos genéricos gratuitos a todos os países, especialmente os pobres. Essa seria a melhor solução.
Enviado por um amigo meu

PS - PANELEIRADA; LESBIANISMO E OUTRAS MIUDEZAS POLÍTICAS


Soube-se ontem que um verme chamado Vale de Almeida, será candidato em lugar elegível nas listas por Lisboa do tenebroso PS.
Esta figura sinistra, para além de invertido, não tem vergonha na cara, e é ostensivamente militante da "Causa Gay".
Não me estranha o ocorrido. No entanto, o Bacharel Pinto de Sousa, perdeu de vez a vergonha, e integrou um maricão assumido nas suas listas, para que bem possa defender “a causa Gay, TransexuaL e Lésbica”, como eles dizem. O objectivo, é claramente captar os votos dos invertidos, já que os das pessoas normais rarearão...
Assim sendo, se o PS ganhasse, devê-lo-ia ao chamados homossexuais e afins, já que muita gente normal não quererá votar num partido que possui figuras tão pitorescas nas suas listas...
Mas Deus os cria, e eles se juntam!
O Bacharel Pinto de Sousa, está a pedir para ele! Está a pedir votos, e quem sabe se não também estatuto!
Pois quem assim se comporta, na minha modesta opinião, ou também é invertido, ou pertence a essa nova classe dos bissexuais!...
O que é certo, é que o lobby Gay se inaugurará no parlamento pela mão do Bacharel Pinto de Sousa.
E isso, a História registará. Poder-se-á dizer, a título de slogan, "PS, o Partido dos Homossexuais!".
Ou "PS, Partido de Homossexuais"!
E daqui em diante, as variações poderão ser vastas, dentro da riqueza da nossa língua...
O Parlamento já legalizou o Divórcio, nas vergonhosas circunstâncias em que o legalizou. Já legalizou a matança dos inocentes – o Aborto; legalizará agora a Eutanásia, e todo o tipo de aberrações sexuais.
É esta a agenda da esquerda.
E o PS, marca desavergonhadamente o passo.
Para acabar, uma questão de ordem prática: no parlamento, quando esse senhor pretender deslocar-se aos sanitários verter águas, a quais irá?
Seria lógico que fosse aos das senhoras, já que ao que parece só gosta de homens, não sendo portanto ameaça para o sexo oposto...
Mas não sei se elas o quererão por lá!
Terá então que ir às instalações dos homens. E assim este Parlamento, que desde o 25 de Abril tanta já coisa viu, poderá ver um maricão num urinol do parlamento quem sabe se a fazer as figuras tristes que tantos outros fazem nos urinóis públicos da nossa Lisboa e não só, principalmente em conhecidos centros comerciais e estações de caminho de ferro...
Confesso que a situação é triste.
Mas é também caricata... E um Parlamento da república, merece esta vergonha. Porque a República já mostrou, como a Democracia, ser uma senhora de maus e vergonhosos costumes...
Estamos a meses de ter um Parlamento Transexual!
Somos, finalmente, para minha vergonha, um "País moderno"!
António de Oliveira Martins - Lisboa

MORREU RUI CARTAXANA - UM GRANDE JORNALISTA

Estou a lembrar-me de quando em 1963 perguntei ao Rui Cartaxana, na cidade da Beira, o que eu teria de fazer para ser jornalista.
-
Respondeu-me o Rui: "vai à livraria Salema, na Praça do Município, que tem lá um livro (deu-me o nome que me lembro) que encontras lá os ensinamentos preliminares".
-
O Rui jornalista do "Diário de Moçambique" era uma figura popular e na aldeia global que era a cidade da Beira e toda a gente conhecia o Cartaxana.
-
Jornalista, fino, irreverente e transparente em todas as peças que escrevia. Tinha imensos amigos mas não conhecia nenhum e não poupava fosse quem fosse nos elogios se os merecesse ou acusá-lo, por acções pouco dignas, publicamente.
-
Pertencia à nova geração de jornalistas da cidade da Beira e do único jornal diário que se publicava, na altura e propriedade da Igreja Católica, sob a jurisdição do grande Bispo que foi Dom Sebastião Soares de Resende.
-
Rui Cartaxana é da geração do poeta Fernando Couto, pai do escritor Mia Couto e seu colega, no Diário de Moçambique; Henrique Coimbra e outros que se apagou o nome na minha memória.
-
Depois de um grande sucesso, jornalístico, na Beira, o Cartaxana partiu para Loureço Marques. Deixou a Beira magoado e falei, uns dias antes, com ele na Zona das Palmeiras (junto à Praça da Índia) onde tinha comprado uma casa nova. Era meu vizinho.
-
O jornalista meteu-se com os latifundiários, poderosos, donos dos terrenos da baixa da Munhava, onde, entre estes, se incluia o célebre Dr. Palhinhas.
-
É que os donos desses terrenos, alugavam parcelas aos nativos, estivadores do Porto da Beira, por 300 escudos anuais. Além da "palhota" construída, havia umas leiras, em redor, onde cultivavam arroz.
-
Alguns arrendatários, explorados na estiva, não conseguiam a importância para satisfazer o arrendamento. Para grandes males melhores remédios manda-se cortar o arroz em verde e sem grão.
-
O Rui Cartaxana, tem conhecimento do assunto, vai ao local e leva o fotografo do jornal o Ferro e capta imagens daquela selvajaria. No dia seguinte faz "manchete" na primeira páginas do Diário de Moçambique.
-
Levantam-se os colonos de colarinho branco contra o Rui Cartaxana. Nomeiam, como defensor, de seus interesses o jovem advogado o Dr António de Almeida Santos (hoje pessoa grada do Partido Socialista)
-
Entra Almeida e Santos e o Rui Cartaxana em conflito, e o jornalista publicou uns milhares de livrinhos "Carta Aberta", dirigida ao famoso advogado da praça da Beira, que se esgotaram rápidamente.
-
Depois da "Carta Aberta" que denunciava tudo e mais que tudo, a vida na Beira, não começa a ser fácil para o Rui Cartaxana e acabou por "vender" a mobília a casa (a pagá-la a prestações à CGD) na Beira e transfere-se, com a família para Lourenço Marques.
-
Os poderosos vingaram-se!
-
Chegado a capital de Moçambique, junto a três jornalistas, onde está o Areosa Pena (outro progressita) fundam a melhor revista que nunca se tinha publicado o "Tempo", liberal e nunca se haja ligado ou vergado, ao "poder.
-
Mas na Rodésia, onde residia, nunca deixei de ler a "Tempo", onde chegava logo após de sair da tipografia.
-
Depois da independência de Moçambique foi natural que o Rui Cartaxana tivesse de encerrar a "Tempo" e regressar a Lisboa.
-
Um dia perguntei alguém o que era feito do Rui Cartaxana, responderam-me: "É o director do jornal desportivo o "Record".
-
Fiquei admirado porque o Cartaxana não estava vocacionado para o desporto mas para outro género de jornalismo.
-
Foi um jornalista que os "poderosos" da Beira castraram a sua profissão de jornalista e um dos maiores que conheci.
-
Paz à tua alma Rui que a tiveste, demasiadamente, grande.

José Martins