Translator

domingo, 13 de setembro de 2009

EXPANSÃO MUÇULMANA NA PENÍNSULA IBÉRICA - OU O QUERER VOLTAR ÀS RAIZES DO PASSADO...


Mesquita de Córdoba e a burca

Não mesquitas no meu bairro
Dúvidas sobre o Islã e o abrandamento económico abertura oratórios novos muçulmanos
O bairro e a pressão sobre os municípios a restringir a liberdade religiosa
-
GARCIA JESUS 14/09/2009
-
Quando uma comunidade muçulmana decidir abrir uma mesquita, os vizinhos se levantam e tomam a rua para parar o projeto.
-
Conflito semelhante foi já repetido po 60 vezes em Espanha desde meados dos anos noventa.
-
O bairro exerce pressão sobre os governos municipais, para interromper alguns projetos para estagnar a interacção social e limitar a liberdade religiosa dos muçulmanos de 1,3 milhões que habitam na península Ibérica.
-
Ler o resto da peça em castelhano»»»»»»» clique: Sin mezquitas en mi barrio

OS "ALCAIDES" DE SINTRA (PROF.FERNANDO SEARA E JUDITE DE SOUSA) QUE SE COMECEM A CUIDAR




Campanha em Portugal
A cidade seria ótimo Sintra enfrenta o desemprego, a insegurança ea imigração clandestina
F. RELEA - Lisboa - 14.09.2009

Sintra ocupa desde 1995 o título de Património Mundial da concedido pela UNESCO.
Dezenas de milhares de turistas visitam a cada ano, nesta cidade Português em busca da beleza de seus palácios e os passos de reis e escritores.
O centro histórico é a face amigável.
Porto Não é outra completamente diferente, lar de meio milhão de pessoas (300.000 eleitores), que é a segunda circunscrição de Portugal, após ter ultrapassado.
Sintra tem experimentado nos últimos anos uma explosão populacional que não tem sido proporcional à infra-estrutura melhorada.
Localizado a meia hora de Lisboa, é composto por 20 paróquias (municípios), em crescimento contínuo, não tem hospital, nem um complexo desportivo digno desse nome, ou um Plano Director Municipal que atenda às necessidades actuais. Junta-se assim, muito outros problemas que afectam Portugal, o desemprego, a imigração ilegal, a marginalização, a desintegração social, a insegurança ...
"Sintra é um exemplo, mas um exemplo negativo de Portugal", diz Ana Gomes, 55, candidato socialista a prefeito nas eleições municipais em Outubro próximo 11.
A campanha para as legislativas não têm chamado a atenção dos média, especialmente a televisão, e apenas fala sobre as eleições locais, lamenta Gomes, uma diplomata de carreira com um longo percurso na arena internacional da diplomacia.
Desde 2004, uma posição que ainda mantém, foi a primeira a denunciar os voos secretos da CIA e as prisões secretas no E.U.A..
Anteriormente, ele era embaixador de Portugal em Jacarta, onde se debateram com o conflito no Timor Leste.
Gomes está determinado a deixar as reuniões em Estrasburgo e em missões de paz para presidir a cidade de Sintra, uma cidade em que viveu por muitos anos e que é tributada.
O seu adversário é difícil de bater.
Fernando Seara, Sintra o prefeito por oito anos e candidato à reeleição pelo conservador Partido Social Democrata (PSD) domina a política de comunicação social através de sua presença regular na televisão.
Comentário do desempenho da equipe de futebol semanal no programa Benfica Prolongamento (Extensão) TVI24 canal, e foi antes da cadeia SIC.
É também o marido da jornalista televisivo conhecido Judite de Sousa, que lhe fornece a exposição adicional nos média.
Ana Gomes atira a toalha em seu novo desafio político. "Sintra tem ido para trás, enquanto Portugal tem avançado.
Em muitos aspectos, o país ainda mais para trás ", insiste. "Quem se beneficia mais cultural e potencial turístico são de Sintra-Cascais e Lisboa, porque a maioria dos visitantes estão dormindo fora por causa da falta de hotéis." Alguns distritos dessa área tem mais residentes do que muitos municípios da Grande Lisboa.
E eles continuam a crescer, muitas vezes com a emigração ilegal.
Vários dos núcleos são essencialmente cidades dormitório Sintra.
A estação de trem é o mais movimentado da Europa e da auto-estrada Lisboa-Sintra, desde as mais congestionadas.
Basta olhar para os enormes engarrafamentos nos horários de pico.
Isidoro Rocha, Portugal, 59 anos, morador antigo do bairro de Rio de Mouro, 60.000, disse que "segurança é um dos problemas mais graves. As pessoas têm que aprender a viver juntos, mas isso tem que vir de cima, do chefe ".
Geovane Teles, 21 anos do Brasil, afirma procedimentos "mais fácil e rápida" para legalizar os imigrantes brasileiros, e os bilhetes de trem "mais barato".
Ana Gomes é executado através das paróquias, onde ele divide sectores, entrando em lojas, participar no debate público...
A agitação da actividade com o principal objectivo dar a conhecer. "Eu não tenho televisão", recorda.
O dia deste relatório era feito de mármore visitaram várias fábricas, a principal indústria em distritos como Pero Pinheiro e Montelavar.
Elas são empresas familiares que, apesar dos efeitos da crise, sobrevivendo com a procura externa, especialmente de clientes no Oriente Médio. "A Prefeitura só complica a sua vida, nunca nos ajudou em tudo", diz Manuel Broas, proprietário de Mármores da Granja, fundada em 1986.
El País - Tradução Google sem revisão. A faça quem ler a peça.

SOU VELHO NOS MEANDROS DA NET....

José Gomes Martins vive há mais de vinte anos na Tailândia. Para além das suas interessantíssimas crónicas sobre os vestígios da presença portuguesa no Oriente na Varanda do Oriente , José Martins partilha agora connosco as suas Memórias de Banguecoque.
-
José Gomes Martins é português e vive na Tailândia há 15 anos.
É representante do ICEP, funcionário da Embaixada de Portugal em Bangkok e correspondente da Agência Lusa.
-
Autor de várias reportagens para diversos orgãos de comunicação social e colaborador na realização de filmes sobre Portugal na Ásia.
-
José Gomes Martins tem uma vastíssima biblioteca sobre a presença de Portugal na Ásia, referência incontornável para quem deseje realizar um trabalho sério na Tailândia e tem dispensado grande parte da sua vida na investigação histórica da presença dos portugueses na Ásia.Leia a " Varanda do Oriente "
-
P.S. Texto acima foi publicado há 13 anos pelo "Portugal em Linha"
-
À margem: Ao acaso hoje passei pelo "Portugal em Linha" um dos primeiros websites que surgiu, em Portugal, na internet. Aproveitei a amabilidade do António Ribeiro, há 13 anos, me permitir divulgar Portugal na Ásia.
Fi-lo por gosto sem nunca me debruçar e pedir: Oh tio, oh tio, dê-me lá uma ajuda!
José Martins

AS VERDADES NUAS E CRUAS DE FRANCISCO LOUÇÃ


Domingo, Setembro 13, 2009
-
É mais (eu diria quase tudo) o que me separa das ideias de Francisco Louçã do que aquilo que me aproxima. Isso não me impede de encontrar pontos comuns, nomeadamente quando o Bloco de Esquerda fala de Angola embora, em rigor, esteja a falar do reino do MPLA e do seu líder supremo, José Eduardo dos Santos.
-
Para ler a peça completa clique»»»»»»»»» Louçã e o líder supremo do reino do MPLA
-
Fonte: Alto Hama
Orlando Castro
Jornalista angolano-português.
Carteira Profissional nº 925.
Mais pormenores em

AS COMPRAS DE HUGO CHAVEZ A MOSCOVO




Venezuela comprou 92 tanques e mísseis antiaéreos da Rússia
-
Hugo Chavez confirma a existência de um projeto nuclear pacífica com o apoio de Moscovo .AGÊNCIAS / New York Times - Caracas / Madrid - 14/09/2009
-
O presidente da Venezuela, Hugo Chavez, anunciou no domingo durante o seu programa de televisão Alô Presidente da compra de 92 russo T-72 tanques e uma quantidade indeterminada de aeronaves misit.
-
A operação foi realizada através de um crédito de E.U. $ 2.200 milhões (1.500 milhões de euros) concedido por Moscovo à Venezuela para comprar armas, explicou o venezuelano. "Nós assinamos o contrato e para esses dispositivos", disse Chavez ao mostrar as fotografias para a frase "relativa ao sistema Smerch 300 mm, com um alcance de até 90 km.
-
Da mesma forma, o presidente da Venezuela confirmou a existência de um projecto nuclear pacífico do seu país com o apoio de Moscovo. "O governo russo aprovou o financiamento de 2.200 milhões de euros em despesas de armamento.
-
Com o apoio do presidente russo (Dmitri Medvedev) e primeiro-ministro (Vladimir Putin) se tornou viável para comprar armas para aumentar a nossa capacidade de defesa", disse ele Chávez disse em seu programa.
-
Apesar da amplitude das aquisições, o presidente venezuelano disse que seu país "não tem planos para invadir ou atacar ninguém", e fez referência a um efeito dissuasor. "Isso vai ser muito difícil para os estrangeiros vêm para bombardear aviões, se Deus quiser, não, mas se eles sabem que em breve vamos começar a montar nas planícies, montanhas e costas, mesmo de metro, este foguete com seu radar, porque vem com radares e um avião inimigo aparece duzentas milhas para ver como foguetes caem porque são múltiplas e não uma, mas 10 ou 20 ", Hugo Chavez, alertou, relata o jornal venezuelano El Universal.
-
Este anúncio vem apenas dois dias depois de Chávez disponibilizá-los logo depois de terminar sua turnê internacional que o levou a passar, entre outros países, Espanha, Venezuela comprou mísseis russo capaz de alcançar 300 km. Estas novas aquisições fazem parte de um acordo assinado na semana passada entre a Rússia ea Venezuela, com o qual o país sul-americano não tenta, de acordo com seu presidente, "ir contra ninguém", mas "as relações e de Defesa Nacional Venezuela ".
-
Estes acordos adicionar à aquisições de material militar por mais de 4.400 milhões de euros (3.200 milhões de euros) feito pela Administração Moscovo, em Caracas, ao longo dos últimos quatro anos, entre os quais é o lar de 24 caças Sukoi-30, cinqüenta MI-17, M-26 e M-35 e 100.000 fuzis Kalashnikov.
Tradução Google com superficial revisão
Jmartins

EMPRENHAR PELOS OUVIDOS


Judite de Sousa: "Sócrates é agressivo comigo por causa do meu marido"
A jornalista da RTP diz-se atacada por todos os lados e não poupa críticas ao primeiro-ministro. "Sou levada a crer que Sócrates emprenha pelos ouvidos", diz.
-
A directora-adjunta de Informação da RTP publicou um livro onde reflecte sobre a relação entre políticos e jornalistas. "A Vida é um Minuto" fala dos protagonistas da vida política e não poupa críticas ao primeiro-ministro.
-
"Senti que foi agressivo, mal educado, arrogante", diz Judite de Sousa a propósito da forma como José Sócrates se comportou na entrevista que lhe concedeu em Abril. "Como nunca aconteceu nada entre nós, sou levada a crer que Sócrates deve ser daquele tipo de pessoas que emprenha pelos ouvidos", afirmou em entrevista à Revista Única.
-
A única razão que vê para este comportamento é o facto de ser casada com Fernando Seara. "Há muito sectarismo e mesquinhice na política", afirma.
Clique para ler a entrevista "José Sócrates é agressivo comigo por causa do meu marido" publicado na revista Única de 12 de Setembro

HUGO CHAVEZ E OS SEUS RIVAIS, CAMARADAS DE ARMAS


Na cela dos generais
-
O jornal El País entra na prisão, onde Hugo Chávez mantém os seus camaradas de armas descontentes. Um deles, o general Baduel, disse que o presidente venezuelano, o encarcerou após a tentativa de golpe, contra ele, em 2002
-
Wilfredo Barroso e Carlos Millan são acusados de conspirar para assassinar o presidente Chávez
-
Após 20 anos de amizade, agora Chávez acusa general Baduel, que chamou o Papa, enriquecido, ilegalmente
-
Eles estão presos sem julgamento.
-
"Prisioneiros políticos têm entrada na prisão mas nenhuma data para julgamento"
-
A oposição suspeita que o processo militar foi definido como uma conspiração antes do último referendo
Fonte: El País

ACABOU A BANHA DA COBRA



Os debates televisivos com os líderes políticos com assento parlamentar chegaram ao fim com o debate entre Manuela Ferreira Leite e José Sócrates.
Ninguém esperava que a líder do PSD aparecesse brava, sem receio do animal feroz, falando com frontalidade e rebatendo todos os pontos defendidos pelo seu interlocutor.
Sócrates começou por perder o debate quando, mais uma vez, quis mentir aos portugueses dando o ar de homem humilde quando foi durante a legislatura o homem mais arrogante que os portugueses conheceram.
Quando o líder do PS abordou o caso da adjudicação do TGV, nunca imaginou que Ferreira Leite desmascarasse, sem papas na língua, o que verdadeiramente se passa.
Os espanhóis querem um TGV em território português para que possam receber milhões de euros da União Europeia por possuirem um transporte transfronteiriço.
A senhora foi brava e falou claro: "Eu não estou aqui para defender os interesses dos espanhóis" bem como "Portugal não é uma província espanhola".
Ora toma e vai-te curar, terá dito o espectador surpreendido.
Quando o debate passou para os assuntos fiscais, Manuela Ferreira Leite esteve como peixe na água e deu uma lição sobre as contas públicas e sobre a responsabilidade de muitos anos de governação socialista.
"E temos de trabalhar para criar incentivos fiscais", sublinhou a líder do PSD. Sócrates respondeu com os impostos, nomeadamente o IMI, que foram criados por Ferreira Leite. Sócrates também atacou com as portagens nas SCUTS que não estão incluídas no programa do PSD.
O socialista devia ter tomado em conta que estava perante uma das melhores técnicas de Finanças. Ferreira Leite respondeu que os encargos envolvidos nos pagamentos para além de 2030 são tão gravosos com as SCUTS, que a situação económica dos portugueses não deve ser agravada.
Manuela Ferreira Leite sobre Segurança Social disse nos olhos de Sócrates que nunca criticou na oposição as reformas socialistas.
No que respeitou ao apoio às famílias ouvimos a cassete que Sócrates dispara há meses. Acrescentou o apoio do Estado às famílias jovens através das creches.
Acusou a sua interlocutora de ter suspendido todos os apoios aos equipamentos sociais quando foi governante.
Manuela Ferreira Leite respondeu que o que gostaria de ver da parte de Sócrates era a criação de riqueza, particularidade que é a base da solução dos problemas dos portugueses. MFL ainda perguntou a Sócrates se estava interessado, devido ao seu discurso e às suas políticas, em acabar com as escolas e hospitais privados. MFL acabou por dizer que a imagem de marca do Governo ficou ligada ao ataque sem precedentes aos professores.
Assistiu-se a um debate que desiludiu os portugueses porque José Sócrates mais pareceu um vendedor de banha de cobra, quando as expectativas eram as de ouvir as novas propostas de um candidato a primeiro-ministro.
E sobre isso, José Sócrates limitou-se a atacar Ferreira Leite como se tivesse sido a senhora a estar no Governo nos últimos anos. Infelizmente para Sócrates, a banha de cobra já não recolhe o apoio dos portugueses.
Fonte: Jornal do Pau
Grafia: Jmartins