Translator

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

RECOMENDÁVEL VER OS VIDEOS, PARA SOSSEGO DO ESPÍRITO...






Queridos irmãos humanos,

Se você está interessado em se educar sobre o H1N1, aqui estão vídeos maravilhosos com informações de que (na minha opinião) que todos, os humanos deveriam ver e não os ignorar.

Caso contrário, por favor, perdoe-me e desculpe-me este e-mail e apague, ou guarde, conforme o seu critério.

É da Dr. ª Teresa Forcades, uma freira no mosteiro de Sant-Benet, em Monserra-Barcelona. Ela é uma médica especialista em medicina interna, PHD em saúde pública pela Universidade de Barcelona, especialização no E.U.A. da Universidade Estadual de Nova York.
-
Ela dá verificável dados científicos e as irregularidades perturbadoras relacionadas a este assunto. Isso é relevante para todos os países, todas as pessoas.

A entrevista é em espanhol com legendas em Inglês claro.

http://www.vimeo.com/7298827

Em segundo lugar a seguir é outra deve ver, o endereço da ministra finlandês de saúde para obter uma outra perspectiva sobre este chamado pandemia.

Fala-se contra a pandemia de fazer crer. Trata-se apenas 6 minutos, mas muito poderosa.

Ver este antes que fique puxado para fora da internet.

http://www.youtube.com/watch?v=nTgyakGAddM>

Por favor, assistir a esses vídeos sobre informações seguras.

Nicola
Tradução por "Google"

ESTE BLOGUE APOIA A POBRE E PERSEGUIDA GEISY ARRUDA

Expulsa, perseguida e insultada por usar uma míni-saia
-
Juan Arias - Rio de Janeiro -- 09/11/2009
-
Geisy Arruda, 20, foi expulsa da sua universidade em 22 de Outubro, último, depois de ir à aula vestindo uma míni-saia.
-
Foi assediada por seus colegas, que se insurgiram pela forma como se apresentou na classe.
-
Sua demissão, ocorreu na Universidade Bandeirantes (UNIBE), em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo.
-
O caso começou pelo facto de ter chamado a atenção da imprensa local, acabando por se tornar uma polémica nacional num país famoso pelos míni-bikinis e o culto da beleza.
-
O Ministério da Educação solicitou uma explicação na passada segunda-feira pelo motivo da expulsão da estudante.
-
A Secretária da Educação, Maria Paula Dallari classificou de "desproporcional" a punição recebida pela aluna, afirmando que existe uma discriminação em cima da punição que recebeu Arruda de centenas de estudantes do sexo masculino que a perseguiu e agrediu ao ponto da polícia ter de intervir para resgatá-la.
-
Os jovens fecharam a porta da sala de aulas e aos gritos chamando-a: "prostituta, puta!".

ATERRADOR!

domingo, 8 de Novembro de 2009

PORTUGAL NA MERDA, POLÍTICOS E UMA MINORIA AMIGA NO BEM-BOM

.

Palavras para quê? Só se for para uma vez mais desancar aqui no presidente da República, Cavaco, que usa o blá-blá e nos faz o manguito, ou em Sócrates, recém eleito por ausência de uma oposição competente e não enredada nas falcatruas e nos acordos feitos em corredores de palavras de "venha a nós" ou em passos achados para aumentarem sempre o seu pecúlio, os seus bens materiais, as suas gordas contas bancárias, muitas repletas de origens dúbias e de falcatruas ventiladas mas que caem em "saco roto".
.
Mais palavras, só se fôr para deitar cá para fora a indignação - que agora já não se contém através de linguagem normal mas sim em palavrões tipo filhos desta e daquela - provavelmente sem culpa para as senhoras. É melhor assim, fica o destaque da notícia e uma praga para esses malandros de uma minoria que nos sufoca: oxalá que andem de caganeira durante 10 anos e que só possam ir à retrete uma vez por dia, e ao chuveiro também só por uma vez diária. Já cheiram mal e assim ficariam a cheirar muito pior. Oxalá. Bem feito!
.
Passo-me...
.
Cave da Estação do Oriente serve de "casa" para dezenas de pessoas

CRISTIANO PEREIRA E CATARINA CRUZ – Jornal de Notícias – 08 Novembro 2009

No piso -2, da galeria pedonal da Estação do Oriente, em Lisboa, há um túnel de acesso ao terminal rodoviário.

É um corredor com cerca de 80 metros e onde diariamente dormem dezenas de pessoas deitadas em cartões e embrulhadas em cobertores. Gente sem casa, sem dinheiro, muitos sem família, à deriva. Cada um tem o seu drama: falta de emprego, doenças, problemas de documentação, por aí fora. Há portugueses, africanos, romenos, indianos. São quase todos homens, dos 20 aos 70 anos. Mas há, também, quem tenha trabalho, mas ali viva temporariamente até conseguir juntar o suficiente para conseguir pagar um quarto. O JN passou algumas noites junto destes Sem Abrigo e tentou perceber o que ali os levou e o que pretendem fazer para dali sair.

Alguns deles têm um aspecto perfeitamente normal, longe da imagem pré-concebida que vem à mente de cada vez que pensamos num sem abrigo. Quem se cruzar na rua com Fernando, de 22 anos, jamais pensará que dorme num corredor de uma estação. Mas pernoita ali "já lá vai um ano e tal". Fernando vivia nas Beiras. Os pais morreram e os tios não gostavam dele. Mudou-se para Lisboa à procura de melhor sorte. Sem dinheiro, sem amigos e sem tecto onde dormir. "Passava as noites a tentar adormecer nos autocarros nocturnos", conta. Numa dessas noites, o autocarro levou-o à Gare do Oriente. "Estava um bocado assustado, com medo de adormecer, mas na segunda noite houve um senhor que veio ter comigo para me dar um cobertor e perguntar se eu tinha fome". É visível a solidariedade e espírito de entre-ajuda entre aqueles que ali dormem. O JN testemunhou, por várias ocasiões, a partilha de alimentos, cobertores, pedaços de cartão. "Somos unidos", confirma Fernando. "Comemos o que temos, partilhamos o que temos: se só tivermos uma sandes, a sandes é partida ao meio".

Às vezes, com sorte, dividem "frangos e chouriços" que sobram numa churrasqueira lá perto e que lhes são oferecidos, conta Pedro, 20 anos, expulso de casa pela própria mãe, a dormir em cartão há cerca de um mês. "Quero ter a minha vida normal, esta vida não é para ninguém", desabafa-nos.

João - assim pediu para ser identificado - ganhava 150 euros por mês na Roménia. Veio para Portugal tentar ganhar mais. "Fiz asneira: aceitei um trabalho sem contrato", assume. O patrão português desapareceu sem deixar rasto e sem lhe pagar três meses de trabalho". Sem dinheiro para pagar o quarto, viu-se obrigado a fazer da estação a sua casa. "No início tinha medo", murmura, a voz trémula quando cita o "desagradável" que é sentir-se mirado pelos transeuntes que ora se riem e gozam, ora olham desconfiados: "Pensam que sou um ladrão", lamenta. "A minha família está na Roménia e não sabe o que está acontecer", confessa. Nas últimas semanas, João arranjou outro emprego como manobrador de máquinas numa obra. Está à espera de receber o primeiro ordenado para conseguir sair dali: "Quero alugar um quarto e ajudar a minha mãe", afirma, com esperança.

"Eu vim aqui parar assim um bocado de pára-quedas", explica, por seu turno, Francisco, de 45 anos, que há meses saiu de Famalicão e apanhou um comboio para Lisboa para tentar a sorte. A sua família também desconhece a sua sorte. Diz ter esperança em encontrar um "biscate" em telemarketing. Enquanto não acontece, solta a desilusão: "Sou católico desde miúdo e uma das coisas que me entristece é ver que a nível de ajudas só aparecem aqui das outras igrejas". "Nunca vi ninguém da Igreja Católica a perguntar se tenho fome ou se quero um copo de leite", sublinha.

VER VÍDEO NO JN
.

0 comentários:

MAIS UMA DE CABO DE ESQUADRA...

Godinho financiou CDS-PP nas autárquicas de 2001

JESUS ZING, NELSON MORAIS e NUNO MIGUEL MAIA (Jornal de Notícias)

O processo Face Oculta contém indícios de que o sucateiro de Ovar garantiu ao CDS-PP, antes das autárquicas de 2001, cerca de 20 mil euros. À época, as pessoas singulares só podiam dar, a cada partido, até 10 mil euros por ano.
-
À MARGEM: O que será que os portugueses poderão esperar dos partidos se aceitam ofertas, em dinheiro, de um sucateiro?

E TUDO O 25 DE ABRIL LEVOU!

LEI DAS NACIONALIZAÇÕES
.
Muitos dos herdeiros de titulares (muitos já falecidos) de bens perdidos no ex-ultramar afirmam não valer a pena lutarem pelos seus direitos, pois os respectivos valores são hoje considerados insignificantes.

Alguns dizem que "meu Pai deixou uma casa que está registada por duzentos contos. Somos dois, três ou quatro irmãos. Que restará para cada um?"

Independentemente de se lutar por um direito, o valor real actual não serão os "duzentos contos" do exemplo acima, mas, hoje, cerca de 30 vezes mais segundo o Instituto Nacional de Estatística, como poderão confirmar na certidão abaixo, de Maio de 2008.

Todos os países que descolonizaram pagaram as respectivas indemnizações. Inclusivé por bens perdidos pelos seus cidadãos em Angola e em Moçambique. Porque Portugal não o faz?

A partir dos recheios da maior parte das nossas casas até à Barragem de Cahora Bassa, tudo foi oferecido. Sem qualquer contrapartida. Vamos deixar que esta situação se dilua e perca no tempo, porque nos não interessamos pelo que é nosso e que aos nossos Pais tanto custou a construir? Além do que sofreram quando chegados a Portugal?

Não e não!!!

A propósito transcrevemos de um Boletim de "A VOZ DA AEMO:

Então por que não ficou escrito?
Porque é preciso não esquecer, e talvez sirva em sede de contencioso, aqui reproduzimos um comunicado emitido pelo Ministério da Cooperação, em 1976, após a publicação, em Moçambique, da chamada LEI DAS NACIONALIZAÇÕES (Dec-Lei nº 5/76, de 5 de Fevereiro, com efeitos a partir de 3 de Fevereiro de 1976 – Dia dos Heróis Moçambicanos), do seguinte teor:

"1. O Governo Português tomou conhecimento de um comunicado emitido pela Presidência da República Popular de Moçambique, em que se enunciam as regras de nacionalizações e requisição dos prédios urbanos e residências privadas em Moçambique.

2. As regras definidas pelo governo de Moçambique causaram a maior apreensão no governo português, dadas as garantias formalmente expressas pelos responsáveis da FRELIMO relativamente à salvaguarda das pessoas e dos bens dos portugueses residentes em Moçambique.

3. Dada a gravidade da situação criada e, não esquecendo os graves problemas que nos últimos meses têm afectado os portugueses residentes em Moçambique, o Ministério da Cooperação decidiu sujeitar à apreciação do próximo Conselho de Ministros as consequências da situação unilateralmente criada aos portugueses pelo governo de Moçambique, com vista a regular os seus efeitos imediatos e futuros.

4. O Ministério da Cooperação reafirma que no processo de descolonização de Moçambique ficaram definidos e aceites os princípios de compreensão e de respeito mútuos, capazes e suficientes para alicerçar uma vasta e ampla cooperação entre os dois países.

5. Não pondo sequer em causa o significado ímpar e histórico da descolonização – a mais definitiva e importante conquista da revolução portuguesa – manifesta o Governo Português, através do ministério da Cooperação, a sua grande apreensão pelo desrespeito das regras de convivência acordadas, aliás internacionalmente reconhecidas e aceites e, que devem regular as relações da fraternidade entre os dois povos, por decisões unilaterais do governo da República Popular de Moçambique.

Finalmente gostaríamos de saber onde estão escritas "as garantias formalmente expressas pelos responsáveis da FRELIMO" ou se alguém, presente às negociações e as aceitou em nome do Governo Português, estará disposto a atestá-las em sede de contencioso.

PS: Assinado este comunicado por Almeida Santos, então responsável do Ministério da Cooperação. Mas, para ele, sempre tudo correu "na maior". E, que se saiba, nada mais fez.

Vamo-nos, pois, unir através da ASSOCIAÇÃO DE ESPOLIADOS DE ANGOLA (aeang99@aeang.com) e da ASSOCIAÇÃO DE ESPOLIADOS DE MOÇAMBIQUE (aemo@aemo.org ).

NOTA:

Para não incluir uma página A4, o COEFICIENTE DE ACTUALIZAÇÃO em Maio de 2008 era 27,926933

Um abraço Fernando Gil

#######################


Embora vá surpreender quase todo o mundo, há legislação em Portugal sobre as indemnizações de bens nacionalizados e perdidos nas ex-colónias.

Mas é contra essa legislação que sempre as Associações de Espoliados Portugueses têm lutado, pois que a responsabilidade das respectivas indemnizações tem de ser do Estado Português e não dos novos Estados.

Veja-se então:

O artº 40 da Lei 80/77, da Assembleia da República de Portugal (ainda em vigor) diz que:

1. Os bens sitos em território de ex-colónias que se prove terem sido aí expropriados, nacionalizados ou de outra forma objecto de privação duradoura de posse ou fruição, bem como os respectivos títulos representativos de direitos, estão sujeitos a regime de indemnização fixado segundo a lei do Estado da localização dos bens ou da sede ou direcção efectiva, a pagar pelo estado que procedeu à respectiva nacionalização, expropriação ou privação da posse ou fruição.

2. Nos casos referidos no número anterior presume-se a existência de direito à indemnização, em conformidade com os princípios gerais de direito, podendo a sua existência ser declarada pelos tribunais portugueses competentes, desde que os respectivos titulares residam em território nacional.

3. Os bens referidos no nº 1, em relação os quais haja sido liquidada sisa, imposto sobre sucessões ou doações ou outros impostos de natureza real, estão sujeitos ao regime do artigo 38º, com as necessárias adaptações, ficando isentos de sisa, imposto sucessório ou outro imposto de natureza real, no caso de se tratar de cidadãos portugueses e de o imposto correspondente ter sido liquidado posteriormente à independência da ex-colónia, até à definição de novas regras sobre a dupla tributação.

É esta a legislação portuguesa!

Fazendo a Declaração Universal dos Direitos do Homem parte da 1ª Constituição da República de Moçambique e posteriormente rectificada em Angola, suponho poder o Estado Português, ou qualquer autor, recorrer às instâncias internacionais, nos termos do nº 2 do artº 40 da lei 80/77, caso o tribunal português competente declare "a existência de direito à indemnização".

a) – Aliás, e em reforço do anteriormente escrito, o Artigo 12º da Constituição da República Popular de Moçambique (1975), declara textualmente:

" O Estado reconhece e garante a propriedade pessoal."

Em primeira conclusão, suponho ser óbvio o reconhecimento pelo Estado Português do direito à indemnização pelos cidadãos nacionais dos bens que se "prove terem sido aí (nas ex-colónias) expropriados, nacionalizados ou de outra forma objecto de privação duradoura de posse ou fruição", embora endossando a responsabilidade para os Governos dos novos países resultantes da descolonização, nada tendo, no entanto, feito para que tal indemnização acontecesse, não obstante a legislação promulgada em Portugal, sem qualquer valor nos novos Estados, nem nada fez para assumir essa responsabilidade.

Sendo a Lei 80/77 posterior à lei das nacionalizações, por exemplo em Moçambique, Decreto-Lei nº 5/76 de 5 de Fevereiro, presume-se ter a mesmo sido redigida levando em linha de conta o conteúdo da lei moçambicana, em especial:

".....

Artº 3º - 1. Reverte para o Estado de Moçambique a propriedade sobre imóveis pertencentes a estrangeiros que não tenham o seu domicílio na República Popular de Moçambique.

2.Caducam os direitos imobiliários constituídos a favor dos estrangeiros não domiciliados em Moçambique.

3.Para efeitos do disposto no presente decreto-lei considera-se que não se encontra domiciliado em Moçambique todo o indivíduo que já esteja ou venha a estar ausente do País por um período superior a noventa dias, sem estar devidamente autorizado.

Artº 4º - 1. O disposto no nº 1 do artigo anterior é aplicável às pessoas colectivas ou sociedades estrangeiras.

2.Consideram-se estrangeiras as pessoas colectivas ou sociedades em que a maioria do capital ou dos sócios sejam estrangeiros.

...........

Artº 6º - 1.Revertem imediatamente para o Estado os prédios de rendimento ou parte deles.

2.Para efeitos do disposto no nº anterior, consideram-se prédios de rendimento todos os edifícios que sendo destinados a habitação ou outros fins, designadamente comércio, indústria ou agricultura, não sejam ocupados pelos proprietários ou usufrutuários.

....

Artº 7º - 1.A reversão referida nos artigos 3º, 4º e 5º do presente decreto-lei opera-se sem direito a qualquer indemnização.

....."

Resta concluir que quem está sendo enganado pelo seu Governo são os cidadãos portugueses, pois estes nunca e nada pediram aos Governos dos novos Estados independentes.

Embora o possam fazer através de instâncias internacionais. Pela lei portuguesa, pelas constituições dos novos países.

Fernando Gil

MACUA DE MOÇAMBIQUE

NOTA:

-A República Democrática do Congo ainda hoje está a indemnizar os cidadãos portugueses ali estabelecidos e que, com a as nacionalizações, tudo ali perderam.

-As notas a vermelho são da minha autoria.

Fernando Gil

Fonte: portugal@portugalclub.org

OBSCURANTISMO OU A FACE OCULTA




DESTAQUES


Finanças iniciam auditoria à REN no processo "Face Oculta"
09 Nov Uma equipa da Inspecção-Geral de Finanças (IGF) iniciou hoje à tarde uma auditoria à REN (Redes Energéticas Nacionais), no âmbito do processo "Face Oculta". Os inspectores foram recebidos pelo próprio presidente da REN. José Penedos demonstrou a disponibilidade da empresa para colaborar com o IGF, disse ao Negócios fonte oficial da eléctrica.

09 Nov José Penedos pediu para antecipar inquirição ...
09 Nov Finanças iniciam auditoria à REN no processo "Face Oculta"...
09 Nov Auditoria interna na Câmara de Lisboa começou hoje ...
09 Nov Valentim suspenso da Refer...
09 Nov PGR promete esclarecimentos sobre certidões "dentro de uma semana"...
09 Nov Arguido José Valentim já foi ouvido pelo juiz e conhece medidas de coacção à tarde...
07 Nov Vídeo: "Face Oculta" vai desgastar mais o Governo que o "Caso Freeport"...
-

SE O HOMEM GAMOU....

Volta o milho para os pombos
-
Ia este ano a começar e escrevi aqui uma crónica em que disse: se o homem gamou, julguem-no e prendam-no. Se. Caso contrário desamparem-me a loja. O homem era José Sócrates. Vai o ano para o fim e recomeça a ladainha. No princípio do ano era Freeport, história cheia de vagos primos. Mas no que toca ao primo dos primos - aquele que me interessa, porque lhe pago para me governar - nada de processo.

Portanto, não é que não se tenha provado, é ainda menos do que isso: não houve nada que indicasse que José Sócrates tenha gamado (na vasta gama de gamar que o termo comporta) no caso Freeport. Mas o primeiro-ministro de Portugal não pôde dedicar-se ao que devia porque foi sujeito a pertinaz e insidiosa onda de acusações (quando não era ele recebendo por de baixo da mesa, era a casa comprada com favores, quando não era a compra da casa, era a sisa paga baixa, depois a casa da mãe...) E disso? Nada. N-a-d-a.

Claro, esse nada também podia ser porque ele tem a Justiça portuguesa com açaimo. Afinal, também o Líder Supremo Kim Jong-il não tem processo nenhum em Pyongyang. Mas quem, Sócrates, Líder Supremo? Por amor da santa, ouçam, agora, o pingar das suas conversas telefónicas, que são reproduzidas em jornais e televisões - essa devassa é para um homem todo poderoso, capaz de calar processos? Não tresleiam, não estou aqui a dizer que essas escutas não deviam ser feitas (acho que sim, deviam, já que investigavam o outro interlocutor) mas o meu ponto é outro: essas escutas desmontam a tese da asfixia perpetrada por um controlador que, só por o ser, se tem safado de ir preso. Andava o Presidente (ou alguém por ele) a acusar Sócrates de o escutar, e estava o telefone de Sócrates sob escuta... Tivéssemos nós tempo (mas não temos: "Portugal não aguenta mais um ano assim", disse ontem Martim Avillez Figueiredo, director do jornal i), eu apreciava a ironia.

Agora, são, pois, as conversas com Armando Vara. Volto a dizer: se Sócrates gamou, julguem-no e prendam-no. Se. Não me venham é com tangas de que ele até falava ao Vara. Claro que falava - é amigo e, ainda agora, na hora má, o reafirmou. Não me venham é com um milho agora deixado cair, amanhã, outro, para que os pombos dos jornalistas depeniquem e espalhem a insídia. Quero factos, e factos com significado.

Entretanto, deixem-me pôr José Sócrates a trabalhar que é para isso que lhe pago. Eu quero que ele combata a corrupção. Aquele esquema que o processo Face Oculta destapou (e tão bem, ontem, o DN ilustrou) tem de ser combatido, até porque lança lama sobre o nome honrado do PS. Aquela vírgula que pode safar António Preto (e o Expresso, ontem, revelou) tem de ser combatida, até porque lança lama sobre o nome honrado do PSD. Portugal não aguenta tanta corrupção.

Ferreira Fernandes

GUERRA ABERTA!


Real Madrid admite processar Federação se Ronaldo jogar

A convocatória de Cristiano Ronaldo para os jogos da selecção portuguesa frente à Bósnia-Herzgovina está a suscitar ampla polémica em Madrid
Fonte Jornal de Notícias
-
À MARGEM: Bem 90 milhões de euros, despendidos pelo Real Madrid, na aquisição de Ronaldo terão que ser salvaguardados, porque à volta do jogador português movimentam-se interesses: "Imagem de marca", receitas de bilheteira e contratos, já agendados, para apresentar, a peso de ouro, o "crack" em vários países. Finalmente uma "guerrinha" futebolística" entre Portugal e a Espanha.

O DESABAFO DE M.CELESTE

SALAZAR , MAS SALAZAR ERA UM HOMEM
MÁRIO SOARES E Cª. TENHAM SIDO UNS TRAIDORES
Antigos Combatentes
.
SR.JOÃO ERNESTO, ESTOU, COMPLETAMENTE DE ACORDO COM A CARTA QUE O SR. TEVE A AMABILIDADE DE ENVIAR AO AUDITÓRIO, TEM TODA A RAZÃO NAS AFIRMAÇÕES QUE FAZ, SÓ QUE, E PERDOAR-ME-À, O ALVO NÃO SERÃO,DE MODO NENHUM, OS GOVERNANTES A QUE SE REFERE, PORQUE, TAMBÉM, NA MINHA OPINIÃO, O DR. PAULO PORTAS FOI O MELHOR MINISTRO DA DEFESA DESDE O 25 DE ABRIL,E O DR. BAGÃO FÉLIX,A MESMA COISA!

-
NÓS NÃO TEMOS CULPA É QUE O DR. MÁRIO SOARES E Cª. TENHAM SIDO UNS TRAIDORES, E QUEIRAM TIRAR ,NO FUNDO,UMA MISÉRIA, A TODOS OS COMBATENTES, NO ULTRAMAR!
-
QUEM VOS TIROU ESSE DINHEIRO? FORAM ESTES GATUNOS...OU NÃO?PARA MIM,INDEPENDENTEMENTE DOS "GALÕES, TODOS FORAM PORTUGUESES, COMBATENTES, PARA SAFAR O CORPO DOS TRAIDORES E GATUNOS QUE NOS GOVERNAM AGORA!
.
ACHO QUE SE DEVEM UNIR,TODOS,E IR PARA O TRIBUNAL EUROPEU, APRESENTAR QUEIXA DA SEITA QUE NOS GOVERNA,E QUE VOS QUER TIRAR O QUE ANTERIORES GOVERNANTES DEIXARAM, SÓ PARA OS DEIXAR FICAR MAL!É A MAIOR INJUSTIÇA QUE SE PODE FAZER A QUEM DEU O CORPO,A ALMA,MUITAS VEZES,A PRÓPRIA VIDA, NÃO SE LHES RECONHECER MUITO MAIS, PORQUE O SR. SABE TÃO BEM COMO EU QUE HOUVE SUBORNOS, NA ORDEM DOS MILHÕES PARA O FREEPORT, QUE ENVOLVE O BANDALHO DO PRIMEIRO MINISTRO, HOUVE SUBORNOS PARA ESTE CASO DOS LIXOS (A CHAMADA FACE OCULTA),
.
TEM HAVIDO DINHEIRO PARA TUDO E MAIS ALGUMA COISA, PARA OS CHULOS E CHULAS QUE SE "ENCOSTARAM" AGORA NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA(QUE VAI TUDO COMER À CONTA), E NÃO HÁ UMAS REFORMAS (OU SUBSÍDIOS) DE JEITO, PARA QUEM ANDOU A LUTAR POR UM PORTUGAL MELHOR!!!
.
SABE QUE MAIS:OS NOSSOS GOVERNANTES SÃO TODOS UNS BANDALHOS, UNS PEDÓFILOS (QUE ATÉ QUISERAM FAZER O MESMO AO SALAZAR , MAS SALAZAR ERA UM HOMEM, NÃO ERA UM BANDALHO)NÃO ESCAPA NENHUM, UNS GOVERNANTES QUE NOS HÃO-DE ROUBAR TUDO,MAS EU DIGO, COM TODA A HONESTIDADE,AO SR.:ÀS VEZES,SOBE UMA REVOLTA POR MIM ACIMA,QUE ATÉ LHES BEBIA O SANGUE!
.
SOU UMA PESSOA QUE TENHO O 5º. ANO ANTIGO,DUAS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS,SOU,ATÉ,UM POUCO POLIVALENTE,ESTOU DESEMPREGADA DESDE 1993, TENHO UM FILHO, LICENCIADO EM REC.HUMANOS,COM 6 ANOS DE CASA, INDEMNIZARAM-NO,E VEIO PARA A RUA,E TENHO O MEU MARIDO NA MESMA SITUAÇÃO, COM 43 ANOS DE CASA, E PARA REDUÇÃO DE PESSOAL,CHEGARAM A ACORDO COM ELE,E VEIO TAMBÉM PARA A RUA!!!
-
É ESTE O PANORAMA QUE SE OBSERVA EM MEIO PORTUGAL... MAS PARA ELES...HÁ AOS MILHÕES, PERCEBE?
-
SR. JOÃO ERNESTO, AS PÁGINAS DO 25 DE ABRIL,QUANDO FOREM ESCRITAS, SERÃO BEM MAIS NEGRAS QUE AS PÁGINAS DE 48 ANOS DE FASCISMO(OU DE LONGA NOITE FASCISTA, COMO OS TRAIDORES GOSTAM DE DIZER)!
-
DESCULPE O MEU DESABAFO, MAS SOU UMA REVOLTADA COM TUDO ISTO... E SINTO-ME MUITO TRISTE COM O POVO PORTUGUÊS, QUE ANDOU NA RUA, AOS PULOS, E,AFINAL, ACABOU POR OS LÁ PÔR, OUTRA VEZ!O POVO É CEGO... QUANDO ABRIR OS OLHOS... JÁ SERÁ TARDE!
MUITO BOA NOITE. CUMPRIMENTOS RESPEITOSOS, M.CELESTE.

INSULTOS


Caetano Veloso chama analfabeto a Lula
.
Analfabeto, grosseiro e vulgar. Foram estes os adjectivos que o cantor brasileiro Caetano Veloso usou para descrever o actual Presidente Lula da Silva. Numa entrevista ao jornal Estado de São Paulo.