Translator

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

EM PORTUGAL HÁ FOME!


-
Difícil saber-se quantos milhares de portugueses estão a “rapar” fome.
Estou farto de ouvir as mentiras de um “palermoide” que por desgraça, de todos nós, nos governa.
Ontem assisti a um programa de televisão onde o entrevistado era o Dr. Fernando Nobre da AMI.
Só uma pessoa com um coração de granito não se emociona com os factos de miséria, que grassam em Portugal.
Não desejei ouvir mais porque a minha humanidade não me permite ouvir misérias e desliguei o receptor de televisão.
Creio que outros portugueses, iguais a mim se impressionaram pelas palavras do médico, humanista, Dr. Nobre.
Sem ponta de medo ou receio chamo a todos, repito a todos, que nos têm governado “vigaristas”.
Ora eu já sou nascido e entendi bem o drama da II Guerra Mundial e a fome que os portugueses raparam, para que Portugal fosse livre de uma guerra que flagelou milhões de europeus com a fome e outros, milhões, mortos pelas bombas.
Porém nas aldeias de Portugal, fome não havia, porque todos tinham uma leira ou courela para cultivar umas couves e um porquito, no cortelho, para, com a banha adubar o caldo.
Terminou a guerra e os portugueses voltaram aos tempos antigos onde poucos passavam fome.
Os lameiros, os arretos de sequeiro produziam pão, fruta e vinho para vender e beber.
Nem uma pêra ou maçã do estrangeiro chegava a Portugal e apenas os ananases e bananas das ilhas da Madeira e dos Açores.
Depois levantaram-se uns outros “palermoides”, progressistas (ainda andam por aí alguns) armados em entendidos em democracia e seguiram, exilados, a denegrir Portugal e o regime de então.
Voltaram do exílio, há mais de 35 anos, e como salteadores tomaram conta da nação portuguesa. ~
Divulgaram a democracia e à conta dela encheram seus “bandulhos”.
Eles ainda anda por aí...
Mas agora não é para comeram a carne aos portuguesas, mas como hienas, roerem-lhe os ossos.
Portugal não poderá sobreviver, no futuro e a fome vai continuar.
Portugal importa 70% dos produtos que os portugueses comem e 30% do que produz.
Apetece-me de frente a frente (como já o disse a uma pessoa de estatuto) dizer ao que nos governa: “Você é um PM de merda”.
José Martins

TRAGÉDIA HUMANA NO POVO PORTUGUÊS

Baleou mulher na cabeça, largou corpo e matou-se


00h30m

NUNO SILVA (Jornal de Notícias)

Homem estava proibido pelo tribunal de aproximar-se da vítima, na sequência de agressões.

foto artur machado/jn
Baleou mulher na cabeça, largou corpo e matou-se

Familiares aguardavam, comovidos, notícias sobre o estado de saúde de Paula, no H. S. João, no Porto. Jornal de Notícias.

A sociedade portuguesa em degradação. Casos semelhantes a este estão acontecer todos os dias em Portugal.

Claro que o Governo diz que não tem culpa nenhuma, na forma de ver estas tragédias.

Mas tem porque as famílias sem emprego entram em colapso e ao Governo lhe compete procurar o bem estar dos portugueses, aquilo que não se preocupa e olham, apenas, os membros do executivo ,para os seus umbigos.

José Martins


ALMOÇO COM O AMIGO ANTÓNIO CAMBETA E SUA FAMÍLIA

.
Assim foi ontem, 10 de Dezembro, dia da Constituição do Reino da Tailândia, meu amigo Cambeta, um homem da Ásia, sua agradável família tailandesa e eu almoçamos juntos.

Há pessoas que passam nas nossas vidas, embora já tarde ficam para sempre.
Conheci pelo nome o António Cambeta há uns 10 anos e sem me lembrar muito bem, me parece que teria sido num programa, popular de televisão, em Portugal e na “Porta dos Talentos” do Jornal de Notícias que começou a publicar de quando a internet surgiu em Portugal.
Um dia, no ano de 2002, entrou na chancelaria da Embaixada de Portugal em Banguecoque, apresentou-se a mim e procurava o falecido, infelizmente, o ano passado o Leitor de Português João Azeredo.
O website www.aquimaria.com com o nome de minha filha Maria e elaborado por mim já circulava há uns cinco anos na Net e, noticiar um português de longa vivència na Tailândia e Macau era mesmo caixa, jornalística.
Combinado um almoço num restaurante que me dá gosto lá almoçar de quando em quando e assim foi no princípio de Outubro de 2002, António Cambeta, sua esposa Tasanee tivemos um excelente almoço de galinha assada
e peixe, graúdo, assado em sal.
Claro como não poderia deixar de ser, regado com vinho português.
Escrevi uma peça e inseria-a na secção do fórum do Aquimaria ver: www.aquimaria.com/html/forum-cambeta.html
Caramba 7 anos é tempo demasiado para não se encontrar um amigo, como o António Cambeta.
Assim foi ontem, mas agora estão, juntos, além de sua esposa, tailandesa, as suas adoráveis filhas: Rosa,Catalya, Sunsanee Cambeta.
A ementa foi a mesma que 7 anos antes: galinha assada (uma delícia) e peixe assado no sal.
Vinho, como deixei de possuir na minha garrafeira o português, levei uma garrafa de italiano, o que estou a consumir em minha casa.
Conversamos, durante o almoço em muitas coisas de Macau, da Tailândia, de algumas personalidades que passaram por Macau e até no Venceslau de Morais.
O poeta Camilo Pessanha, que o meu amigo Cambeta, bem conhece e os seus poemas e vida do Homem, em Macau, fica para a próximo encontro.
Ora o meu amigo Cambeta desenvolve dois blogues que bem se podem considerar de excelência:
http://alentejanocambeta.blogspot.com/
http://cambetabangkokmacau.blogspot.com/ onde trata de muitos temas, de interesse que vale a pena os visitar.
Mas o mais que impressiona é como o meu amigo António Cambeta, divulga tudo de belo que a Tailândia possuiu, onde se incluem as belezas, naturais, os templos budista e a vida do quotidiano das gentes do Reino da Tailândia, onde por afinidade, sentimental, se encontra acorrentado.
Sugeri, ontem ao meu amigo António Cambeta, para os dois, no próximo ano empreendermos uma viagem, sem destino (talvez para a região do Nordeste da Tailândia e conhecida por Isarn.
Amigos que passam e ficam para sempre.
José Martins
Fotos: A família Cambeta durante o almoço e na despedida.Favor um clique em cima das fotos para as ver na própria dimensão

ESTAMOS CONDENADOS A SER NÁUFRAGOS POR DESTINO

.

Náufragos do destino
“Neste estado exacerbado, onde as mentes brilhantes vão de A a Z, e ao qual não faltam especialistas para tudo e soluções também, os actuais dignatários que foram escolhidos para nos representar pensarão que munidos de insufláveis e impremeáveis não vamos ao fundo nem nos molhamos. Ao ritmo a que se navega será bem difícil de pronunciar a palavra terra à vista. Estamos condenados a ser náufragos por destino.”
Alfredo Quintas Quintas

“Agora é que eu não vou perder!”

De: Berta Brás

Foi a propósito de uma reunião parcial do Parlamento, onde se debatiam assuntos de saúde, com representantes de todos os partidos. A Maria José Nogueira Pinto chamou palhaço a um deputadodo PS – Ricardo Gonçalves – a propósito do seu estatuto de inimputabilidade, creio que por ser do PS, que lhe dava o privilégio de insultar toda a gente, sem consequências de maior. Ricardo Gonçalves lá se apurou nos insultos a Nogueira Pinto, enxofrado com a história do palhaço, embora afirmasse não se encrespar na época do Natal por via disso. Por aqui se viu que ele considera o Natal festa de palhaços e Nosso Senhor lhe perdoará, que Nosso Senhor tudo perdoa. Mas viu-se que não gostou, no dilatar de argumentos à portuguesa – grosseiramente insultuosos - pontuado pelos furiosos “oh! oh! sr. Deputado!”, “oh! oh! Srª doutora, oh! oh! srª deputada!” do moderador do debate e concluído pelas severas palavras de João Semedo do BE de que nem os palhaços nem os esquizofrénicos mereciam as palavras insultuosas pronunciadas naquela secção. Mas não explicou se algum deputado merecia. Também a ministra Ana Gomes levou as mãos à cabeça, impressionada.

A minha amiga é que se mostrou radiante:

- “Agora é que eu não vou perder! Agora é que eles estão cómicos! Porque tratar dos assuntos do país é tristíssimo! É dramático! A Nogueira Pinto parece que tem a mania da superioridade, é da linha de Cascais, disse o tipo!

- Ainda bem que vivemos na freguesia do Estoril! - concluí eu também radiante.

- Mas já estou a ser castigada! Até o código que sempre usei no cartão multibanco me saiu errado. Tive que pagar cinco euros por conta. E era mesmo esse o código, garantiu o meu filho.

- As caixas da CGD também estão sempre gatadas. De vez em quando engolem as cadernetas e depois fecham para obras. A CGD não deve ter dinheiro para consertos.

- Pois! Mas a mamar cinco euros ou mais por conta dessas gafes das máquinas vai repondo a dívida das trafulhices nos bancos.

Mas mudámos de assunto, vivendo rodeadas de assuntos como vivemos. Desta vez fui eu que contei as minhas impressões:

- Há dias deram na televisão que o povo dinamarquês era o mais feliz dos povos europeus. A reportagem mostrou entrevistas de rua, imagens das ruas. Os dinamarqueses mostraram as razões da sua empatia com a vida: não eram muito ambiciosos, contentavam-se com o que tinham, razoavelmente bom, pois que não havia grandes desníveis sociais, grandes desníveis de interesses económicos, trabalhavam, cumpriam, tinham boa assistência médica, ensino gratuito, bicicletas para andarem nas ruas planas, passeios pedonais, carros menos abundantes – pelo menos nas imagens mostradas – respeito, pois, pelo ambiente, justifica-se bem a cimeira ali dos povos ricos e pobres que vão lutar pelo ambiente do Globo. Viu-se que era gente que sabia argumentar, sinal de que a Educação era uma pedra basilar no seu desenvolvimento e do seu país. Alguns falaram nos povos da miséria africana, sobretudo, nem se atreviam a manifestar-se, eventualmente, menos felizes, por comparação com esses.

- Oh! Esses não têm graça nenhuma! Tudo tão certinho! A viver com tanta monotonia de níveis, educações, satisfações, respeito por todos...

- Quem lhes fará os trabalhos de casta inferior? Serão os emigrantes? A reportagem não disse. Mas eles devem respeitar todos os que trabalham, não há que recear. Só que lhes devem faltar as “barrigadas de riso” à portuguesa, como dizia o João da Ega, nos seus esgares de risos gélidos, de quem, educadamente, nunca se desmancha.

- Nós desmanchamo-nos sempre, nas lágrimas como no riso, somos um povo emotivo. Qualquer dia, no Parlamento, até “amandamos” também o sapato às cabeças.

- Isso não. Isso está bem para os Iraquianos, que são bons guerreiros. Nós somos um povo pacífico. Sobretudo com os superiores. A nossa democracia será sempre empenada, por conta do desnível.
Berta Brás

COBRAS,LAGARTOS E SAPOS

.


*JOSÉ SÓCRATES É UM HOMEM DE CIRCO*

A economia vai derrotar a democracia de 1976.

José Sócrates, é um homem de circo, de espectáculo. Portugal está a ser
gerido por medíocres, Guterres, Barroso, Santana Lopes e este, José
Sócrates, não perceberam o essencial do problema do país.

O desemprego não é um problema, é uma consequência de alguma coisa que não
está bem na economia. Já estou enjoado de medidinhas. Já nem sei o que é que
isso custa, nem sequer sei se estão a ser aplicadas.

A população não vai aguentar daqui a dez anos um Estado social como aquele
em que nós estamos a viver. Este que está lá agora, o José Sócrates, é um
homem de espectáculo, é um homem de circo. Desde a primeira hora.

É gente de circo. E prezam o espectáculo porque querem enganar a sociedade.

Vocês, comunicação social, o que dão é esta conversa de «inflação menos 1
ponto», o «crescimento 0,1 em vez de 0,6». Se as pessoas soubessem o que é
0,1 de crescimento, que é um café por português de 3 em 3 dias... Portanto
andamos a discutir um café de 3 em 3 dias... mas é sem açúcar.

Eu não sou candidato a nada, e por conseguinte não quero ser popular. Eu não
quero é enganar os portugueses. Nem digo mal por prazer, nem quero ser
«popularuxo» porque não dependo do aparelho político!"

Ainda há dias eu estava num supermercado, numa bicha para pagar, e estava
uma rapariga de umbigo de fora com umas garrafas, e em vez de multiplicar
«6x3=18», contava com os dedos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7... Isto não é ensino...
é falta de ensino, é uma treta! É o futuro que está em causa!

Os números são fatais. Dos números ninguém se livra, mesmo que não goste.
Uma economia que em cada 3 anos dos últimos 27, cresceu 1%... esta economia
não resiste num país europeu.

Quem anda a viver da política para tratar da sua vida, não se pode esperar
coisa nenhuma. A causa pública exige entrega e desinteresse.

Se nós já estamos ultra-endividados, faz algum sentido ir gastar este
dinheiro todo em coisas que não são estritamente indispensáveis?

P'rá gente ir para o Porto ou para Badajoz mais depressa 20 minutos? Acha
que sim?

A aviação está a sofrer uma reconversão, vamos agora fazer um aeroporto, se
calhar não era melhor aproveitar a Portela?

Quer dizer, isto está tudo louco?"

Eu por mim estou convencido que não se faz nada para pôr a Justiça a
funcionar porque a classe política tem medo de ser apanhada na rede da
Justiça. É uma desconfiança que eu tenho. E então, quanto mais complicado
aquilo for...

Nós tivemos nos últimos 10-12 anos 4 Primeiros-Ministros:

- Um desapareceu;
- O outro arranjou um melhor emprego em Bruxelas, foi-se embora;
- O outro foi mandado embora pelo Presidente da República;
- E este coitado, anda a ver se consegue chegar ao fim"

O João Cravinho tentou resolver o problema da corrupção em Portugal. Tentou.
Foi "exilado" para Londres. O Carrilho também falava um bocado, foi para
Paris. O Alegre depois não sei para onde ele irá... Em Portugal quem fala
contra a corrupção ou é mandado para um "exílio dourado", ou então é
entupido e cercado.

Mas você acredita nesse «considerado bem»? Então, o meu amigo encomenda aí
uma ponte que é orçamentada para 100 e depois custa 400? Não há uma obra que
não custe 3 ou 4 vezes mais? Não acha que isto é um saque dos dinheiros
públicos? E não vejo intervenção da polícia... Há-de acreditar que há muita
gente que fica com a grande parte da diferença!

De acordo com as circunstâncias previstas, nós por volta de 2020 somos o
país mais pobre da União Europeia. É claro que vamos ter o nome de Lisboa na
estratégia, e vamos ter, eventualmente, o nome de Lisboa no tratado. É, mas
não passa disso. É só para entreter a gente.

Isto é um circo. É uma palhaçada. Nas eleições, uns não sabem o que estão a
prometer, e outros são declaradamente uns mentirosos: - Prometem aquilo que
sabem que não podem."

A educação em Portugal é um crime de «lesa-juventude»: Com a fantasia do
ensino dito «inclusivo», têm lá uma data de gente que não quer estudar, que
não faz nada, não fará nada, nem deixa ninguém estudar. Para que é que serve
estar lá gente que não quer estudar? Claro que o pessoal que não quer
estudar está lá a atrapalhar a vida aqueles que querem estudar. Mas é
inclusiva...

O que é inclusiva? É para formar tontos? Analfabetos?"

"Os exames são uma vergonha.

Você acredita que num ano a média de Matemática é 10, e no outro ano é 14?
Acha que o pessoal melhorou desta maneira? Por conseguinte a única coisa que
posso dizer é que é mentira, é um roubo ao ensino e aos professores! Está-se
a levar a juventude para um beco sem saída. Esta juventude vai ser
completamente desgraçada!

A minha opinião desde há muito tempo é: TGV- Não!

Para um país com este tamanho é uma tontice. O aeroporto depende. Eu acho
que é de pensar duas vezes esse problema. Ainda mais agora com o problema do
petróleo.

Bragança não pode ficar fora da rede de auto-estradas? Não?

Quer dizer, Bragança fica dentro da rede de auto-estradas e nós ficamos
encalacrados no estrangeiro? Eu nem comento essa afirmação que é para não ir
mais longe...

Bragança com uma boa estrada fica muito bem ligada. Quem tem interesse que
se façam estas obras é o Governo Português, são os partidos do poder, são os
bancos, são os construtores, são os vendedores de maquinaria... Esses é que
têm interesse, não é o Português!

Nós em Portugal sabemos resolver o problema dos outros: A guerra do Iraque,
do Afeganistão, se o Presidente havia de ter sido o Bush, mas não sabemos
resolver os nossos. As nossas grandes personalidades em Portugal falam de
tudo no estrangeiro: criticam, promovem, conferenciam, discutem, mas se lhes
perguntar o que é que se devia fazer em Portugal nenhum sabe. Somos um país
de papagaios...

Receber os prisioneiros de Guantanamo?

Isso fica bem e a alimentação não deve ser cara...» Saibamos olhar para os
nossos problemas e resolvê-los e deixemos lá os outros... Isso é um sintoma
de inferioridade que a gente tem, estar sempre a olhar para os outros.
Olhemos para nós!

A crise internacional é realmente um problema grave, para 1-2 anos. Quando
passar lá fora, a crise passará cá. Mas quando essa crise passar cá, nós
ficamos outra vez com os nossos problemas, com a nossa crise. Portanto é
importante não embebedar o pessoal com a ideia de que isto é a maldita
crise. Não é!

Nós estamos com um endividamento diário nos últimos 3 anos correspondente a
48 milhões de euros por dia: Por hora são 2 milhões! Portanto, quando
acabarmos este programa Portugal deve mais 2 milhões! Quem é que vai pagar?

Isso era o que deveríamos ter em grande quantidade.

Era vender sapatos. Mas nós não estamos a falar de vender sapatos. Nós
estamos a falar de pedir dinheiro emprestado lá fora, pô-lo a circular, o
pessoal come e bebe, e depois ele sai logo a seguir..."

Ouça, eu não ligo importância a esses documentos aprovados na Assembleia...

Não me fale da Assembleia, isso é uma provocação... Poupe-me a esse
espectáculo...."

Isto da avaliação dos professores não é começar por lado nenhum.

Eu já disse à Ministra uma vez «A senhora tem uma agenda errada"» Porque sem
pôr disciplina na escola, não lhe interessa os professores. Quer grandes
professores? Eu também, agora, para quê? Chegam lá os meninos fazem o que
lhes dá na cabeça, insultam, batem, partem a carteira e não acontece coisa
nenhuma. Vale a pena ter lá o grande professor? Ele não está para aturar
aquilo...Portanto tem que haver uma agenda para a Educação. Eu sou contra a
autonomia das escolas Isso é descentralizar a «bandalheira».

Há dias circulava na Internet uma notícia sobre um atleta olímpico que andou
numa "nova oportunidade" uns meses, fez o 12ºano e agora vai seguir
Medicina...
Quer dizer, o homem andava aí distraído, disseram «meta-se nas novas
oportunidades» e agora entra em Medicina...

Bem, quando ele acabar o curso já eu não devo cá andar felizmente, mas quem
vai apanhar esse atleta olímpico com este tipo de preparação...

Quer dizer, isto é tudo uma trafulhice..."

É preciso que alguém diga aos portugueses o caminho que este país está a
levar.
Um país que empobrece, que se torna cada vez mais desigual, em que as
desigualdades não têm fundamento, a maior parte delas são desigualdades
ilegítimas para não dizer mais, numa sociedade onde uns empobrecem sem
justificação e outros se tornam multi-milionários sem justificação, é um
caldo de cultura que pode acabar muito mal. Eu receio mesmo que acabe.

Até há cerca de um ano eu pensava que íamos ficar irremediavelmente mais
pobres, mas aqui quentinhos, pacíficos, amiguinhos, a passar a mão uns pelos
outros... Começo a pensar que vamos empobrecer, mas com barulho...

Hoje, acrescento-lhe só o «muito». Digo-lhe que a gente vai empobrecer,
provavelmente com muito barulho...

Eu achava que não havia «barulho», depois achava que ia haver «barulho», e
agora acho que vai haver «muito barulho». Os portugueses que interpretem o
que quiserem...

Quando sobe a linha de desenvolvimento da União Europeia sobe a linha de
Portugal. Por conseguinte quando os Governos dizem que estão a fazer coisas
e que a economia está a responder, é mentira! Portanto, nós na conjuntura de
médio prazo e curto prazo não fazemos coisa nenhuma. Os governos não fazem
nada que seja útil ou que seja excessivamente útil. É só conversa e
portanto, não acreditem...

No longo prazo, também não fizemos nada para o resolver e esta é que é a
angústia da economia portuguesa.

"Tudo se resume a sacar dinheiro de qualquer sítio. Esta interpenetração do
político com o económico, das empresas que vão buscar os políticos, dos
políticos que vão buscar as empresas...Isto não é um problema de regras, é
um problema das pessoas em si...Porque é que se vai buscar políticos para as
empresas?

É o sistema, é a (des)educação que a gente tem para a vida política...

Um político é um político e um empresário é um empresário. Não deve haver
confusões entre uma coisa e outra. Cada um no seu sítio. Esta coisa de ser
político, depois ministro, depois sai, vai para ali, tira-se de acolá,
volta-se para ministro... é tudo uma sujeira que não dá saúde nenhuma à
sociedade.

Este país não vai de habilidades nem de espectáculos.

Este país vai de seriedade. Enquanto tivermos ministros a verificar preços e
a distribuir computadores, eles não são ministros. São propagandistas! Eles
não são pagos nem escolhidos para isso! Eles têm outras competências e têm
que perceber quais os grandes problemas do país!

Se aparece aqui uma pessoa para falar verdade, os vossos comentadores dizem
«este tipo é chato, é pessimista»...

Se vem aqui outro trafulha a dizer umas aldrabices fica tudo satisfeito…
Vocês têm que arranjar um programa onde as pessoas venham à vontade, sem
estarem a ser pressionadas, sossegadamente dizer aquilo que pensam. E os
portugueses se quiserem ouvir, ouvem. E eles vão ouvir, porque no dia em que
começarem a ouvir gente séria e que não diz aldrabices, param para ouvir. O
Português está farto de ser enganado! Todos os dias tem a sensação que é
enganado!
.
Enviado por desconhecido que publico.
José Martins

PORTUGAL E O DESPORTO NA TAILÂNDIA

.
ATLETA PORTUGUÊS EM BANGUECOQUE, JANEIRO DO PRÓXIMO ANO

.

.


-

Jessica Augusto, exibe a bandeira de Portugal ao fim da vitória. Orgulhosa com a medalha de ouro ao peito.
"Tom Yum Goong" World Muaythai Championship é uma competição de Muaythai para encontrar o melhor lutador do Mundial de Muay tailandês em cada divisão de peso. Será a primeira competição e de promoção de turismo, de cada continente, no mundo.

O primeiro de uma série de eventos Tom Yum Goong será realizada no Central World (Mapa), Em Banguecoque, na Tailândia em 21 de janeiro de 2010. O evento será composto de 9 episódios. Haverá 2 cintos de títulos: um homem e uma mulher. O sorteio será transmitido ao redor do mundo em várias redes de televisão por cabo.

Campeonato do Mundo *
Mundo Feminino Muaythai 154lbs Campeonato: Miaria Bartlova (Eslovaco) versus Ana Goncalves (França)

Mundo Masculino Muaythai 134lbs Campeonato: Osvaldo Ochoa (Português) versus Jerson Highlander Estoro (Philiphine)

Tom Yum Goong Torneio *
-
Este torneio será entre os 8 finalistas que lutarão por 2 voltas antes do final, dois vencedores vão lutar para ver quem é o melhor no 154lbs divisão do peso:

•Dave Hale (Canadá)

•Behzad Mohammad Karim Rafigh Doust (Irã)

•Marcin Parcheta (Polónia)

•Dmitry Ushkanov (Rússia)

•Farnam Mirzai Farre (Suécia)

•Vladimir Konsky (Slovagia)

•Shane Shaolin (Canadá)

•Mukai Maromo (Zimbubwe)

Seating
Para mais informações clique abaixo:
http://worldmuaythai.org/news/tom-yum-goong-world-series

À MARGEM: - Poucos sabem que Portugal desde de 1996 esteve, na Tailândia, representado em competições desportivas. Estive presente em todas elas e divulguei-as.
.
Num torneio (1996) de futebol entre o F.C. Porto - Inter de Milão - Boca Júniors e a Selecção da Tailândia, o F.C. do Porto (Treinador António de Oliveira), venceu-o. Em 2004, num torneio de box em Banguecoque, o atleta Angelo Vieira viria a conquistar uma medalha de bronze (ver foto acima) e um clique a seguir:
www.aquimaria.com/html/aboutth-muay-thai2.html
.
O mais emotivo para mim foi de quando uma "franzina" estudante portuguesa, Jessica Augusto, conquistou uma medalha de ouro, em 2007, nos "Jogos das Universidades" em Banguecoque.
.
Estive na Universidade de Rangsit, a reportar o acontecimento e a registar os eventos em imagens, durante uma semana.
.
O único português, residente na capital tailandesa era eu assistir à vitória de uma franzina, mas grande no desporto, a Jessica Augusta Portuguesa.
-
Há momentos na vida de um "pândego" português, residente na Tailândia, há 30 anos, que não podem ficar no rol do esquecimento.
A vitória da Jessica um clique a seguir:
.
Muito ainda há a relatar de outras competições onde se conta os jogos da ASEAN97, onde Macau esteve representado e ainda, o território, sob a administração portuguesa.
-
São retalhos das memórias do meu passado e com o orgulho, de ter servido duas nações: Portugal e a Tailândia.
.
Não peguei no "badalo" do sino e armei-me em heroi, porque os verdadeiros herois de Portugal são os silenciados ou aqueles que os homens, desejam calar.
José Martins

O GUME AFIADO DA LÍNGUA DE MÁRIO CRESPO

.

Porreiro, pá

"Come tudo ao lanche porque senão ficas com fome durante o resto do dia."

Eu sei que é importante. Ou melhor. Uma parte de mim acha que é importante. Melhor ainda. Parte de mim acha que deve ser importante embora, muito de mim, ache que não é.
.
Este tratado de Lisboa não pode ter importância nenhuma para as centenas de pessoas da Quimonda que já não havia há anos mas que ninguém queria ver que já lá não estava.
.
O que quer que tenha sido rubricado em Lisboa nada significa para as centenas da Lear que vão juntar-se às centenas da Quimonda e da Delphi e da Aerosoles e da Opel e da Leoni e para as centenas de milhar que trabalhavam em coisas que estão desaparecer sem deixar sequer um nome a recordar promessas passadas do ontem que dor deixou e não deixou mais nada.
-
Só que, contrariamente a mim, essas centenas de milhar já não hesitam. Não concedem benefícios de dúvida. Têm a certeza que o que foi assinado em Lisboa nada tem a ver com esta Segunda-feira com as crianças a ir para a escola: "Bebe o leite a meio da manhã filha.". "Bebe o leite a meio da manhã filho.". "Come tudo ao lanche porque senão ficas com fome durante o resto do dia.".
.
E o resto da noite. "Come tudo, filho", que a mãe hoje vai ao Banco Alimentar. E amanhã é já outro dia. "Tenho aqui um curso de jardineiro. Para estofadores não há nada. Nem para torneiros. Nem para escriturários. Assine aqui por favor." Não.
-
De facto a assinatura de Lisboa não lhes pode dizer nada. E só com muito esforço é que vale alguma coisa para mim. Um esforço feito de infinitas cumplicidades em que eu (já só pode ser por desleixo) finjo acreditar que é justo gastar um milhão de Euros numa tenda de plástico e em luzes e em fogo de artifício para secar a chuva da noite de um Domingo de plástico para me convencerem de que a Europa vai bem e fazer-me esquecer que nas Segundas-feiras a seguir há centros de saúde com gente cheia de dores de dentes, mesmo sabendo que lá não se trata dos dentes, mesmo sabendo que se tem setenta pessoas à frente e se vai ficar no corredor de pé à espera, com frio e com calor, e com dores de dentes.
-
E que agora se vai nascer a Espanha porque é melhor. É um esforço de desmazelo espiritual, acreditar que na tenda electrónica de Domingo, depois de um qualquer pacto monstruoso, o projecto Europeu está vibrante e pujante e importante quando a chuva que anuncia todos os invernos que aí vêm continua cair e só não encharca as comitivas que vêm a Lisboa de jacto executivo porque o plástico da barraca nacional cobre tudo até à passadeira vermelha feita na China onde param as altas cilindradas alemãs feitas no Leste por gentes sem serviço nacional de saúde.
-
E há cada vez mais polícia cá fora. Depois fica relva pisada e lama no chão. É o que sobra levantada a tenda e o circo. E sem bom senso e pudor, não sobra nada a não ser um décimo de Portugal que vai na Segunda-feira aos centros de desemprego, ao leite gratuito da escola, ao Banco Alimentar e aos outros sítios onde é difícil acreditar no que quer que seja.
-
Porque não faz sentido acreditar. Não é real. Não há realidade na Presidência transferida para um hotel de luxo no Estoril para fingir, não se sabe bem o quê, durante três dias de imitação de preocupações democráticas globais num vamos-brincar-às-super-potências.
.
Nem há realidade na barraca do tratado das ilusões plásticas e ópticas e electrónicas onde se finge que se governa, que se preside, que se é relevante. Quando não se é.
-
A realidade está na fila do desemprego.
-
O Fundo Monetário Internacional sabe disso.
-
Mário Crespo - Lisboa

DEVEM LER...É LONGA A PEÇA, MAS DEVEM LÊ-LA

.

O Presente passado
O desemprego já não está nos valores anunciados antes das eleições. Estranho, ou deliberado?

Atingimos os históricos "dois dígitos", isto é, temos finalmente mais do que 10% de desemprego.

O défice já nada tem que ver com os valores anunciados pelo venerável Ministro das Finanças, antes das eleições. Passou, parece que de um momento para o outro, para 8%; pelo menos.

Nunca se falou tanto de ética, ética pessoal, ética empresarial, ética nos negócios. E nunca houve tanta falta dela, não obstante os aparentes hipócritas que dela falam, ignorando-a na sua vida real, usando o seu nome para "tapar ao povo os olhos com uma peneira"...

Todos fingem hoje preocupar-se com uma corrupção que alastra, que é encoberta, e que foi institucionalizada nestes 35 anos de pseudo-democracia pela qual, seja como seja, pretendem lutar, agarrando-se como uma lapa à estrutura doente da nossa Pátria. Uma democracia que lhes deu emprego, vaidade e riqueza, à custa do desabar de uma pátria em ferida.

Parecem hoje todos querer chorar lágrimas de crocodilo. Os Partidos políticos. O Chefe de Estado. Alguns (des)governantes. O próprio “independente” mas socialista presidente do Tribunal de Contas, que parece agora querer armar-se em arauto da luta contra uma corrupção que foi criada pelos seus "camaradas" de regime!

O Primeiro-Ministro, por honesto que seja, tem a sorte ou o azar de ver o seu nome envolvido em tudo o que é vigarice e porcalhada, neste triste país: desde as moradias de mau gosto algures na Beira cujos projectos diz que assinou e fez, mas dizem que não fez, passando pelo "Caso Cova da Beira", pelo "Caso Freeport", por uma casa de luxo numa das melhores zonas de Lisboa, comprada quase a valores de casa de subúrbio, e agora pelo chamado caso "Face Oculta", para não falar na "falsa" licenciatura, ou melhor, na licenciatura por Fax que leva a que a Ordem dos Engenheiros lhe não reconheça o título. Enfim, licenciou-se na Universidade onde Vara também se terá Diplomado, sabe deus em quê, o que o fez passar a ser tratado por Doutor, Universidade essa já extinta, e que parece que "vendia" cursos "a pataco". Convenhamos que é demais. O bacharel Pinto de Sousa, tanto tem andado à chuva, que sabe Deus se se não terá molhado...

Estamos envolvidos por uma fauna golpista, mesquinha e destruidora da nossa Pátria. Ou porque corrompem, ou porque são corrompidos, ou pelas duas coisas, ou apenas pelos boatos, porque as suas vidas não são claras e límpidas como deviam ser.

O défice público; as Fundações que dão prejuízo, indo o dinheiro não se sabe bem para onde; dinheiros da segurança Social, e como tal nossos, aplicados em offshores, como se o Povo Português houvesse mandatado esta espécie de trampiqueiros para aplicar os 11% que o estado lhe subtrai mensalmente, em locais pelo menos duvidosos, por onde parece que gostam de se movimentar os Pintos de Sousa e os Dias Loureiro que merecemos.

Mas isto não é de hoje. Começou tudo no dia 25 de Abril de 1974, com os "Capitães de Abril" a ser promovidos de medíocres a ilustres gestores da Pátria que viriam a destruir; começou com os Mário Soares, Melo Antunes e Almeida Santos que merecemos, a, nos acordos de Alvor, cometerem o CRIME MAIOR da descolonização, entregando de mão beijada, sem qualquer mandato do povo português, e o mais rápida e desastradamente possível, o nosso Ultramar ao inimigo, aos terroristas comunistas que em África matavam portugueses de todas as cores e credos. Começou no dia 25 de Abril de 1974, quando pouco tempo depois "ilustres" figuras como Silva Lopes, (hoje muito preocupado com o estado a que o País chegou), lançaram a trágica nacionalização da banca; e depois dos seguros, e depois, a reforma agrária; e depois... e depois...

Todos estes senhores, inclusive aqueles de entre eles que já morreram, são cúmplices do estado a que a Pátria chegou. Encontram-se alojados em tudo quanto é partido político democrático, em tudo o que é um bom lugar de gestor público, ou sociedade com fins lucrativos (para o próprio). Receberam um prémio por terem feito chegar a Pátria ao estado a que chegou. Triste e infame prémio, esse que receberam!

Portugal está nesta crise asfixiante de moral, de valores e económica, porque todos estes senhores o conduziram para o abismo. E agora, querem arvorar-se em salvadores de uma Pátria que traíram. Fingindo-se preocupados com as consequências do mal que provocaram.

Estamos saturados de ver estas espécies de Mários Soares, todas com belíssimas vidas, alguns quem sabe se milionários, com dinheiros por vezes difíceis de justificar, a arvorar-se em "Senadores", com lugares chorudos onde apenas com a sua incompetência ou má-fé sugam a Pátria, provocando em empresas públicas, no governo ou noutros lugares, o aumento do défice.

Portugal, é todo ele uma espécie de "Face Oculta". É um País de corruptos, e de corruptores. Os corruptos, acabam por ser aqueles (poucos) que votam nas eleições, em troca de um sonho que lhes é vendido pelo marketing político. Segundo este ponto de vista, quase todo o Portuguesinho tem o seu quê de corrupto. Os corruptores, são todos esses políticos (também corruptos) que ao ganhar as eleições distribuem lugares por amigos que mais tarde ou mais cedo se vêm envolvidos em casos de corrupção (as excepções confirmam a regra), e que fazem da nossa pátria uma espécie de alma em sangue.

O Chefe de fila deste sistema tem um nome: Mário Soares.

Mário Soares, esse "Senador" do sistema, que nunca explicou, (se bem que o tivesse prometido para quando saísse de Chefe de Estado), o que era verdade e o que era mentira das graves acusações que lhe foram feitas por Rui Mateus no seu livro Contos proibidos-Memórias de um PS desconhecido (Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1996). Trata-se aparentemente de um livro de ajuste de contas, que em boa hora comprei, e que li interessadamente, tendo-me feito corroborar opiniões que já tinha, mas apenas por desconfiança ou vagos indícios… Vejamos quem é o livreiro que tem a coragem de voltar a editar este livro, que consta alguns fizeram desaparecer na altura própria, e que agora parece circular pela net digitalizado. Ou será que "quem se mete com Márioo Soares “leva”"?...

O Chefe de Fila deste sistema, tem assim um nome: Mário Soares, que foi cabeça de cartaz desta fatídica e medíocre tourada a que se chamou de "Descolonização Exemplar", e que em termos de facto e de direito, devia haver sido preso quando foi apresentada a QUEIXA CRIME CONTRA OS RESPONSÁVEIS PELA DESCOLONIZAÇÃO, em 28 de Dezembro de 1979, apenas 4 anos e alguns meses após a Revolução, se vivessemos num verdadeiro estado de Direito.

O Chefe de fila de tudo isto, tem também o nome de Mário Soares, quando na célebre manifestação da Fonte Luminosa, se aproveitou da boa fé de milhares de Portugueses apenas para se autopromover, já que o perigo não era apenas o partido Comunista, mas era também ele, como espécie de mentor deste regime de ideias corrompidas, Laico, Republicano e Socialista, do Aborto, dos Gays e das Lésbicas, do Divórcio, da pedofilia, da destruição da família, futuramente da eutanásia, das uniões de facto (que ele com a sua habitual deselegância assumiu em publico na televisão, há pouco tempo, ter vivido com a “santa” Maria Barroso, engravidando-a antes de casar), e sabe Deus de que mais, assim como daquilo que conduziu a todas as vítimas morais da revolução (sem esquecer aqueles que por causa dele, e só dele, morreram de fome e da guerra civil em África, e hoje são vítimas da cleptocracia institucionalizada).

O chefe de fila de tudo isto é mais uma vez o Mário Soares (da Fundação com o seu nome), que obriga o Estado a pagar-lhe uma renda mensal por um Gabinete que aí teria de qualquer modo, e que justifica por haver sido Chefe de Estado. Ou que se instalou onde se instalou, com a complacência de um político medíocre e apagado de seu nome João (também) Soares, que era Presidente da Câmara Municipal de Lisboa quando a Fundação MS começou a crescer, e a "ganhar espaço" aí para os lados de São Bento.

O chefe de fila de tudo isto tem o mesmo nome, Mário Soares, quando Portugal com o seu contributo indirecto e o do já falecido socialista Sotomaior Cardia, iniciou o despautério em que colocaram uma educação que vivia em ordem, e que passou a formar analfabetos em Portugal, que passaram a viver numa espécie de anarquia, e que têm sido capazes, sem qualquer pejo, de destruir o país que lhes viu abrir os olhos.

O chefe de fila de tudo isto tem o mesmo nome, Mário Soares, que contribuiu para a destruição de um correcto sistema de Saúde em Portugal, criando uma espécie de Sistema Nacional de Saúde, assim chamado, em cumplicidade moral com o Maçon António Arnaut, que tornou Portugal um dos países com mais carências e desumanidades nesta área, provocando que em Portugal apenas quem tem algum dinheiro se possa tratar, em caso de doença grave ou não, com um mínimo de dignidade, sem sentir que está a fazer um favor àqueles que o atendem nos estabelecimentos publicos de saúde, ou morrer antes que o chamem para ser tratado...

O presente português, confunde-se com um passado triste de 35 anos (quem sabe se mais 2 ou 3 para trás, com o Marcelismo e a sua Primavera), que propositadamente ou não esquartejou as entranhas da nossa Pátria, baseado em pressupostos de progresso, de justiça, e de humanismo trampicados, e que nos conduziram a um impasse onde não vislumbramos, a continuar este regime, saída para algo que nos possa voltar a fazer levantar a cabeça de homens honrados, e orgulhosos de ser Portugueses.

Vivemos numa espécie de esterco em que vemos passar pelas ruas por onde passamos, gente com mau aspecto e com ar de vigarista, mas ao mesmo tempo importante, montada em carros de muito alta cilindrada, enquanto a Sopa dos Pobres está cheia de gente desesperada, muita dela com essa coisa horrível que se chama de "vergonha de ser pobre".

Ao mesmo tempo que param ao nosso lado nos semáforos os tais veículos de muito alta cilindrada de um lado com os Armandos Varas que nos obrigam a tolerar, param do outro lado montados em carros também de dezenas ou centenas de milhar de euros, primos, amigos, ou sócios dos José Eduardo dos Santos que Mário Soares com os seus camaradas criaram.

Vivemos num desespero, em que sentimos que os nossos braços curtidos por este calor tórrido e nauseabundo da democracia que nos impuseram, não têm já força física nem anímica para remar contra esta maré de esterco em que nos mergulharam.

O défice passou rapidamente para 8% depois das eleições, e ainda não parou, podem crer; o desemprego, ultrapassou os 10%, com tendência para aumentar, como o défice; vive-se de novo o drama dos salários em atraso, das falências das empresas, da pobreza, envergonhada ou não.

Continuamos a ver na televisão ou na rua, estes "Senadores" do regime com o seu ar altivo e "inteligente". O Povo português ou não vota, ou deixa-se ludibriar pelo Marketing político dos partidos que tudo oferecem, para tudo receberem.

Cabe-nos perguntar: e Deus? Onde está esse bondoso Deus, que deixa que tudo ocorra nesta "Terra de Santa Maria"? A resposta quiçá seja fácil: existem algures perdidos pelo mundo países que conseguem vegetar ainda pior do que nós. E Deus permite-o, quiçá em nome da Santificação de um Mundo perdido ou provisoriamente desorientado. Cumpre-nos rezar pela sua salvação. Mas também nos cabe perguntar onde está a virilidade dos nossos marinheiros, dos nossos guerreiros, daqueles que restauraram a nossa Independência e por ela lutaram ao longo da nossa história. Deus dá-nos os meios. Nós temos que os saber e os querer aproveitar.

Os tempos são miseráveis, e de miseráveis. Cabe á reserva moral lusa, esteja onde estiver, reagir, para que Portugal, com a sua enorme costa, se não torne um dia, quando atingir o fundo dos fundos, uma espécie de Somália onde se sobreviva à custa de pirataria real nos mares, que pirataria já existe em Portugal.

Estaremos no "Finis Patriae"? Não sei dizer. Mas acredito que vivemos talvez a crise mais grave e miserável que Portugal viveu, desde que foi fundado nesses tempos idos e voluntariosos do ano de 1143, por El-Rei D. Afonso Henriques, contra tudo e contra todos, com "ganas", heroicidade, brio, e HONRA.

Vivemos uma espécie de crepúsculo azamboante que nos anestesia e nos indispõe, sem que a reserva moral da Pátria, que existe, estou certo, reaja.

Devemos-lhe, ao rei D. Afonso e aos nossos maiores, a redenção. Nem que seja "à porrada" como dizia Rodrigo Emílio, esse grande português do século XX.
Por Portugal, e mais nada!
António de Oliveira Martins - Lisboa

A COISA ESTÁ NO CAMINHO DA "CACETADA",,,!!!

.

"O que se passa no Parlamento, as trocas de acusações, de insultos, o recurso a palavras como 'vergonha', 'honra', 'infâmia', 'dignidade' e outras do género, a sucessiva judicialização da política apenas geram retórica e gritaria, mas não resolvem absolutamente nada. Nada!"
Henrique Monteiro (Expresso)
-
À MARGEM: - Bem a coisa enquanto for palavra daqui, de além, vai menos mal. Prevê-se que o P.S. como não conseguiu (uma chatice do camanho) a maioria, o jogo de palavras feias, entre os deputados, não vão parar.
O perder faz mau cabelo e o P.S. não sabe, em política, perder uma palha.
Bem conhecidas são as frases de o Jorge Coelho (Coelhone) que disse em frente às câmaras de televisão: "QUEM SE METE COM O P.S. LEVA CACETADA!"
Assim é capaz mesmo de haver lambada de criar bicho na Assembleia da República.
Seria e já, o Presidente Jaime Gama, criasse um arsenal de ´cacetes` de pau de marmeleiro dentro da casa que se fala muito e obra nenhuma aparece.
Recomendo que os cacetes de pau de marmeleiro devem ser rastiços para não quebrarem no jogo da cacetada.
José Martins

AGORA NÃO SERÁ MAGALHÃES, MAS A MARCA "SOCRETINO"

Educação

Governo abre concurso público para comprar 250 mil computadores do género Magalhães

10.12.2009 - 14:09 Por Leonete Botelho, Sofia Rodrigues, Ana Brito (Público)

O Conselho de Ministros aprovou hoje uma resolução que determina a abertura de concurso público internacional para comprar 250 mil computadores portáteis para os alunos do primeiro ciclo do Ensino Básico. Para a aquisição computadores, que podem ou não ser Magalhães (da empresa JP Sá Couto), o Governo autorizou uma despesa máxima de 50 milhões de euros, o que inclui serviços conexos e a instalação dos portáteis.

Alunos do 1º ciclo continuarão a receber computadores
P.S. Mais 250 mil (miúdos) analfabetos vão ser formados. Isto não é nosso, mas palavras do Dr. Medina Carreira. Os nossos miúdos vão obter, nos computadores, a formação do MSN (Hotmail) Facebook, Hi5 e outras salas de conversas, virtuais, que andam à solta pela internet. Nem o programa "parental" vale aos pais para estarem descansados... Os miúdos, excertados em "corno de cabra", aprendem tudo nas horas e "marimbando-se para o ensino, informático, que existe (muito) no Google.
José Martins

Clientes do BPN concentrados nas duas agências de Leiria

11h12m

Alexandra Serôdio*

Dezenas de clientes do BPN tentaram entrar na agência do banco na Moagem, em Leiria, mas foram impedidos por seguranças privados e agentes da PSP. Alguns desfilaram a pé até à agência do banco na cidade, onde estão também concentrados.

foto HENRIQUES DA CUNHA/JN
Clientes do BPN concentrados nas duas agências de Leiria
Dezenas de clientes em protesto no BPN em Leiria

Desde manhã cedo que dezenas de clientes do BPN voltaram a reunir-se em frente da agência do banco em Moagem, Leiria e, cerca das 10:00h, forçaram a entrada mas foram impedidos por agentes de segurança privada e da PSP presentes no local.

O presidente da Associação Nacional de Defesa dos Direitos dos Clientes do BPN, António José Henriques, disse à Agência Lusa não estar surpreendido com o dispositivo de segurança no local.

Muitos dos clientes em protesto vestem uma t-shirt preta com inscrições "BPN enganou-nos" e "Basta de enganar os portugueses". (Jornal de Notícias)

P.S: - Aonde andará o Dias Loureiro e a outra rapaziada? Estarão de "papo" virado para o ar, em alguma praia de ´Puerto Rico`. Paciência para os clientes do BPN... O Senhor Silva de Belém também no BPN perdeu uns trocos e, até, como amigo e Conselheiro de Estado tinha o Dias Loureiro.

RECOMENDAÇÃO AO CARLOS QUEIRÓS

.
Inglaterra é uma das selecções que testaram os benefícios do comprimido azul
Inglaterra é uma das selecções que testaram os benefícios do comprimido azul
Mundial 2010

Viagra dá força a futebolistas
A selecção inglesa encomendou um estudo para preparar os jogos em altitude no Mundial. Cientistas dizem que o viagra é uma boa solução.
'Correio da Manhã'.
-
P.S. O Carlos Queirós que não caia na asneira de "VIAGRAR" os nossos jogadores... Estará tudo perdido... Os rapazes levantam-se pela manhã "olheirudos" e lá se vai a taça do Mundial 2010.

CASAL APANHADO A FAZER SEXO ORAL

-



Moradores escandalizados com a cena chamaram a polícia e os jovens respondem por atentado ao pudor.
Um casal foi apanhado a praticar sexo oral no interior de um carro, no Largo José Barbosa, a menos de cem metros da Avenida da República. A cena, que ocorreu em plena manhã, foi denunciada pelos moradores de uma das mais movimentadas artérias da cidade de Paredes que, "escandalizados", não hesitaram em chamar a Polícia Municipal. O caso foi comunicado ao Ministério Público e os dois vão responder pelo crime de atentado ao pudor.
(Diário de Notícias)
.
À MARGEM: - Uma autêntica pouca vergonha! Ao que se chegou, praticarem acções "badalhocas" em plena via pública... O ex-presidente dos Estados Unidos, Bil Clinton, também teve um caso semelhante, há anos, com a Monica Lwinsky que colocou a rapariga a fumar "charuto", mas em local recatado, a Sala Oval (Casa Branca) o gabinete dos presidentes dos Estados Unidos.

PRÉMIO NOBEL - OBAMA: "ÀS VEZES, A GUERRA É JUSTIFICADA"

.

-
O presidente dos Estados Unidos. recebeu, hoje, o Prêmio Nobel da Paz em Oslo, admitindo que suas "acções são pequenas" para o merecer
-
Obama concentrou o seu discurso que "a guerra, por vezes, se justifica" e sublinhou que recebe o prêmio com "humildade", "em comparação com os outros", que receberam o prêmio: "Estou no início do meu trabalho, não no fim, e as minhas realizações são pequenas.
-
"Em uma cerimónia, solene, no Oslo City Hall Auditorium, Obama proferiu mais um daqueles discursos cheios de oratória brilhante.
-
O Prémio Nobel da Paz deste ano foi a origem de uma disputa ", como o seu mandato acaba de começar tem pouco a oferecer além das boas intenções.
-
Ele reconheceu a crítica de que este prêmio é concedido ao presidente de um país que está lutando em duas guerras de momento: no Iraque, que "está terminando" - e no Afeganistão, que "Estados Unidos. não procurou."
Foto: El-País

AS SUAS NOTÍCIAS DE HOJE 10.12.09

Capa do Correio da ManhãCorreio da Manhã

Benfica: Aumento de capital
Santiago do Cacém: Colisão mortal
Ajudas: Agricultura e pesca
Eduardo dos Santos: Reeleito no MPLA
Marat Izmailov: Falha jogo com Leiria

Capa do PúblicoPúblico

Tóquio fecha sessão com forte perda de 1,42 por cento no índice Nikkei
TC detecta nova violação da lei em concurso rodoviário
Trabalhadores da Leoni aceitam indemnizações propostas
Salário mínimo pode abranger perto de meio milhão de portugueses no próximo ano
UE e Noruega rompem diálogo sobre acordo de pesca

Capa do Diário de NotíciasDiário de Notícias

Alta pressão sobre a minoria socialista
Ambiente. Camião em campanha a favor da reciclagem
AR "é soberana" para tomar decisões
PSD volta a eleger vice-presidente do PPE
Apreendidos 31 quilos de cocaína

Capa do Jornal de NotíciasJornal de Notícias

Iraque: Al-Qaida reivindica atentados que fizeram 127 mortos e feriram mais de 500
Xangai/Expo2010: Portugal já tem pavilhão, obras começam antes do Natal
Carregado: Três encapuzados roubam cofre com cheques em dependência do Banif
Clima: Castro acusa Obama de ser «fraco perante a oligarquia irresponsável e cega» dos EUA
Honduras: Avião mexicano chega a Tegucigalpa para levar Manuel Zelaya


Capa do ii

Gripe A: seis óbitos na última semana e mais de 27 mil doentes observados com sintomas gripais
Climategate: director do centro de investigação do clima afasta-se do cargo
Portugueses identificam molécula responsável por metástases do cancro da mama
França: Prémio Goncourt de Poesia atribuído ao marroquino Abdellatif Laâbi
Meio milhar de casos de abuso sexual no Cairo durante a festa do Eid al Adha

Capa do Diário EconómicoDiário Económico

Petróleo regista primeira subida em cinco sessões
O Governo deve apoiar a Aerosoles?
É preciso mudar de vida e poupar mais
Desmarcações
Crédito fica mais caro em Portugal com nova vaga da crise

Capa do Jornal NegóciosJornal Negócios

Sarkozy e Brown unem-se para alertar para reforma global dos mercados financeiros
Valorização do iene e risco da dívida soberana conduz a descidas na Ásia
Grandes bancos dos EUA encontram-se com Obama para discutir crédito
As notícias em foco na edição de hoje, dia 10 de Dezembro, no Negócios
Moreira da Silva defende que La Seda deve alienar projecto PIN de Sines

Capa do OjeOje

Bolsa de Tóquio fecha sessão com forte perda de 1,42% no índice Nikkei
Expedia e Nokia com serviço global de reservas
Bem-vindo ao Condomínio: Mentalização para ser condómino a sério
ERA comercializa Tomilhos Garden
INE revê crescimento do PIB para 0,7%

Capa do Destak
Destak

Vida difícil para os Dragões
Projecto de acórdão do processo disciplinar de Lopes da Mota apresentado dia 16
Associação Sindical da PJ diz que combate à corrupção não se faz com novo tipo de crime
Domingos suspenso por 10 dias
PSP apreende 10 500 doses de heroína do Funchal

Capa do 24 Horas24 Horas



Capa do A BolaA Bola

Desmarets ficou mais longe
O fim da era dos fatos voadores
Hysen na mira do leão
Maicon só para a Luz
SAD prepara oferta de seis milhões por Airton

Capa do RecordRecord

Dragõezinhos servem para ensaiar o clássico
Wilson Eduardo agrada
Joias na montra
Polga sonha com final da Liga Europa
Ibson: «Integra-se bem nas bolas paradas»

Capa do O JogoO Jogo


Benfica e Sporting podem encontrar Liverpool e Atlético de Madrid
Real Madrid, Barcelona e Manchester United no caminho do FC Porto
Mourinho: Vitória do "mérito de um grupo que soube sofrer"
Messi sofre entorse no tornozelo e está em dúvida para defrontar o Espanyol
Queiroz defende Cristiano Ronaldo: "Se há um jogador que é vítima de agressões em todos os jogos, é ele"