Translator

terça-feira, 25 de maio de 2010

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - RESPIGOS PUBLICADOS PELO "THE TIMES" DE LONDRES

26 mai 2010

Thaksin Shinawatra com a acusações ligadas a terrorismo.


Supporters of deposed Thai premier Thaksin Shinawatra carry his portrait as they protest in Bangkok

(Kittiwongsakul Pornchai AFP / Getty Images)Apoiantes do primeiro-ministro tailandês, deposto, Thaksin Shinawatra e o seu retrato entre os manifestantes a protestaram em Banguecoque.


Um tribunal de Banguecoque emitiu ontem um mandado de prisão por acusações de terrorismo do primeiro-ministro deposto privilegiado, Thaksin Shinawatra, com a sua ofensiva contra o movimento anti-governo camisas vermelhas que levou à detenção de um homem britânico que participou nas manifestações.

O primeiro-ministro tailandês, Abhisit Vejjajiva, anunciou que Jeff Savage de 49 anos de Tonbridge, em Kent foi acusado de violar o estado, de direito do país, de emergência e para tomar parte em comícios camisas vermelhas.

De 30 anos de idade da Austrália, Conor Purcell David , também tem sido acusado.

"Para o cidadão tailandês ainda não está claro, mas no caso do britânico, ele está envolvido com o movimento [no resort costeiro de] Pattaya," o Sr. Abhisit disse.


Savage mostrado no YouTube foi ouvido a incentivar para incendiar um centro comercial de Banguecoque, que foi destruído poucos dias depois por uma multidão enfurecida, após o colapso repentino das manifestações.

Ele disse ao The Times no fim de semana passado que ele estava arrependido de seu "desabafo" sarcástico, e negou ter participado no atear o incêndio, mas defendeu a destruição de edifícios como arma de "guerra de classes". Ele pode sujeitar-se a dois anos de prisão.

Se condenado Thaksin poderia enfrentar a pena de morte.

O Tribunal Criminal de Banguecoque emitiu um mandado de extradição após a apresentação de uma queixa do Ministério da Tailândia de Investigação Especial, que inclui gravações de mensagens e videos exibidos do Sr. Thaksin, no exílio, para os comícios dos camisas vermelhas em Banguecoque.

Além de um breve retorno à Tailândia há dois anos, ele tem vivido no exílio desde que foi forçado a sair devido um golpe militar em 2006, com estadias no Reino Unido, Dubai e Montenegro.

Em 2008, Thaksin foi condenado à revelia a cinco anos de prisão por abusar de seu poder como primeiro-ministro sobre um negócio de terra no valor de milhões de libras.

Após sua condenação, o Reino Unido revogou seu visto. Desde então, o Sr. Thaksin viajou pelo mundo e incentivando os manifestantes camisas vermelhas, muitos dos quais são, pessoalmente, leais a ele.

Thaksin está relatado para a Montenegro, que lhe concedeu a cidadania.

O Governo tailandês não teve sucesso em extraditá-lo, mas o Sr. Abhisit disse que a nova regra iria ajudar.

"Isso vai tornar o nosso trabalho mais fácil com os países estrangeiros", disse ele.

"Nós ainda temos meios para monitorar seus movimentos e pedir a cooperação, em conformidade, com os acordos existentes. A partir de agora muitos países estão proibindo-o, mas não todos. "

Seis dias após o colapso dos dois meses de protestos dos camisas vermelhas, o Governo do Sr. Abhisit está fazendo o seu melhor para reparar os danos à imagem da Tailândia como destino de férias calmo, um ambiente de investimento estável e uma democracia respeitável moderna.

Sob o estado de emergência, o governo e o exército têm poder de censurar websites, canais de televisão, estações de rádio e usar os poderes de busca e prisão de suspeitos sem acusação.

Tradução livre de José Martins com alguns erros

Sem comentários:

Enviar um comentário