Translator

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

O ZÉ O PENITENTE

Risco da dívida portuguesa dispara para valor recorde
03.02.2010 - 18h59
Por Lusa
O custo de subscrever a protecção para um eventual incumprimento da dívida portuguesa disparou hoje para o valor mais alto de sempre, com os Credit Default Swaps sobre obrigações de Portugal a registar a maior subida do mundo.

Depois de ter tocado nos 196,2 pontos, os dados da Credit Market Analysis revelam que os Credit Default Swaps (instrumento de cobertura do risco da dívida, ou contratos de resseguro contra as perdas financeiras de empresas ou bancos) para as obrigações com maturidade de cinco anos estavam às 17h45 a subir 17 por cento para 195,8 pontos.

É a maior subida em termos mundiais no que toca a dívida soberana, seguindo-se Espanha (aumento de 11,6 por cento para 148,9 pontos) e Itália (subida de 6,6 por cento para 130,1 pontos).

A Grécia, cujas dificuldades económicas e financeiras têm estado a assustar os mercados, tem os Credit Default Swaps sobre as obrigações a cinco anos a subir 2,8 por cento, para 398,37 pontos.

A forte subida de hoje dos Credit Default Swaps sobre obrigações dos países do Sul da Europa indica que os investidores consideram que o risco de deterioração das finanças públicas destes países está a aumentar.

Os indicadores de risco da dívida portuguesa também estão a ser pressionados pela emissão de bilhetes do Tesouro português, que o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) realizou hoje.

Inicialmente estava prevista a colocação no mercado de 500 milhões de euros de bilhetes do Tesouro com maturidade de Janeiro de 2011, mas o IGCP optou por vender apenas 300 milhões, devido à subida do juro em 49 pontos percentuais acima da taxa oferecida na última emissão lançada em Janeiro.

Os investidores deram também mostras de nervosismo no segmento accionista, com as bolsas portuguesas e espanholas a apresentarem hoje as maiores quedas do mundo.
.
Nota daqui: Nunca percebi nada de finanças e também não percebo que José Sócrates seguisse a enganar os portugueses. E agora? Não lhe posso chamar um ponto mineiro e um aldrabas? Claro que sim: "Ó Zé vai-te encher de "moscas" e desparece pá!"

A DIANA CHAVES A RECORDISTA!

.

04 Fevereiro 2010 - 00h30 (Correio da Manhã)

Eros – Salão Erótico do Porto 2010
"Adoro sexo, não sei viver sem ele”
Diana Ramos, a super-ninfomaníaca conhecida por bater o recorde de ter feito sexo com mais de 700 homens em apenas 48 horas, está em Portugal e será a grande atracção da 3.ª edição do Eros – Salão Erótico do Porto. No dia seguinte ao seu feito, a brasileira diz que nem conseguia andar.
-
Nota daqui: Pudera!!! Com uma geral concedida a 700 machos é natural que a Diana Ramos, além de não conseguir andar, deveria ter ficado com os "buracos", corporais que a natureza lhe deu, absolutamente ovalizados e sem conserto!
José Martins

O VENCIDO, INCONSOLÁVEL, DA MADEIRA

.

A BAGUNÇADA DO MEU PAÍS E DO VOSSO TAMBÉM...!!!

Quando será que o Povo português acorda para despejar esta cambada da varanda da Assembleia da Bagunça? Já viram o video, eu sei disso..., mas vejam outra vez para não lhes fugir da memória.

video

PENSA NAQUILO SABES E DA FORMA QUE O MANDAS PARA A PRAÇA PÚBLICA

PORTUGAL VOLTA À CENSURA DE SALAZAR

Dançarinos do Poder desonram o Socialismo democrático e ofendem a Democracia

António Justo

Na sequência de saneamentos ideológicos de jornalistas como Manuela Moura Guedes, José Eduardo Moniz, anterior Director do "Público", não submissos à ideologia socialista, o Governo quer arrumar também com Mário Crespo, antigo professor da Universidade Independente e jornalista. À maneira portuguesa, na sequência dum jantar do Primeiro-ministro com dois outros ministros e um membro directivo da TV em que se falou mal e desbocadamente do cronista Mário Crespo do JN, o director do JN, José Leite Pereira, comunicou-lhe telefonicamente que não publicaria a crónica habitual prevista.

A mal da Nação, o PM José Sócrates persegue jornalistas, que não se submetam à sua ideologia. O governo sabe que o que preocupa o estrangeiro, em relação a Portugal, é a sua situação económica portuguesa, a caminho da bancarrota, não estando, por isso, a opinião pública estrangeira, atenta ao que acontece a nível democrático e social interno. Além disso, o governo conta com uma oposição parlamentar que, por razões de Estado, colabora com ele a nível de orçamento e, por falta de consciência cultural portuguesa, não está atenta ao que acontece ideologicamente no país. Por tudo isto, o governo tem liberdade de malucos. Em tempos de crise, sob vários pretextos, o povo é que vai à fava e são-lhe impostas pílulas amargas e as liberdades individuais passam a ser de menor valia, como vai acontecendo por esta Europa fora: Putin, Berlusconi, Sócrates, etc.

Assim, torna-se quase natural que os nossos mercenários do poder, em jantares de amigos da onça, decidam, entre vinho e palavras depredatórias, impedir a voz incómoda de Mário Crespo. A nação cala, como sempre faz perante os líderes do oportuno. Segue-se a tradição: “em casa sem pão todos ralham e ninguém tem razão” e quem “parte e reparte se não fica com a melhor parte ou é tolo ou não tem arte”! A nossa elite é, duma maneira geral, uma elite encostada que não se consegue afirmar pelo trabalho nem pela competência, mas geralmente pela esperteza. Trabalhar “faz calos”, e que “trabalhe o preto”, porque para “os barões” é melhor sujar a consciência do que as mãos! Os “mouros de trabalho” já há muito que abandonam Portugal!

A CENSURA DE HOJE É MAIS GRAVE DO QUE A DE SALAZAR

Assim, duma maneira geral, particularmente na classe política portuguesa domina a mentalidade de mercenário. Esta mentalidade é ampliada por uma tecnocracia a construir-se na EU. Não admira que os nossos dançarinos do poder façam tudo por tudo para também meterem os seus mercenários nos Media, nas grandes empresas e na administração estatal. É uma questão de mentalidade quase genética! Estado e Povo são-lhe alheios! O Estado português, se antes era administrado pela apagada e vil tristeza, passou, a partir das invasões francesas, a viver nas mãos da vileza dos mercenários da ideologia. Por isso embora Portugal tenha uma cultura que não se envergonha ao lado das dos grandes países, não temos uma cultura portuguesa cuidada nem uma cultura fundada de esquerda ou de direita de raízes profundas e próprias. As nossas elites são mestras em importar e transportar sem transformar nem se deixar transformar. Vivemos da boca para a mão atraiçoando a originalidade portuguesa do início da portugalidade.

Pregam a tolerância para o povo e são intolerantes e invejosos nos seus motivos e nas relações com os outros quue querem subservientes às falácias do poder. Empertigados, só eles é que sabem, é que são “modernos” e se encontram em poder da verdade. Querem esconder a sua pequenez em projectos megalómanos, como o TGV, que mais tarde falariam deles! Quanto ao povo não importa o que come, o que importa são os arrotes dos grandes! A segurança vem-lhes dos quadros ocupados da administração e da retórica! Por isso são tão sensíveis a quem mostre o seu jogo, só aceitando jornalistas branqueadores da sua mentalidade, ou comprometidos do sistema, os tais “jornalistas competentes” que ao fazerem as perguntas aos seus interlocutores, em público, já as fazem com a tesoura na cabeça.

Esta atitude está em contradição com o apregoado espírito do 25 de Abril e com a tolerância democrática; a ignorância e os interesses não dão para entender isto.

Antigamente ainda poderia haver explicações que levassem a certas censuras: analfabetismo, a educação autoritária própria da época, defesa do sistema e razões de defesa da unidade do Estado. O biótopo social e histórico ainda era autoritário. Se hoje, apesar de todo o progresso, e de toda a educação democrática, o autoritarismo está tão presente e é tão agressivo, quer-se dizer que responsáveis de Estado de hoje se encontram menos desenvolvidos que Salazar que denominam de fascista.

De facto o sistema democrático pressupõe a defesa sistemática de minorias, da pluralidade, e o espírito cívico cultivado. Como pode justificar o partido que se encontra no governo o uso de métodos antidemocráticos, métodos de sistemas fascistas?! Atitudes como as de Sócrates desonram o socialismo democrático! Uma contradição, uma incoerência disfarçada.

Se os do antigo regime tinham a desculpa da mentalidade e do tempo, hoje os censuradores e manipuladores da opinião pública tornam-se mais fascistas do que aqueles que designam como tais! Quem persegue tão sistematicamente jornalistas como tem feito o governo de Sócrates não tem autoridade para defender a democracia, nem tão-pouco a partidocracia, nem sequer autoridade tem para criticar o regime do Estado Novo.

Pelo que mostram, se estivessem no lugar dos governantes do Estado Novo, ainda seriam mais autoritários que eles. Ou será que querem fazer retroceder a roda da História?! Esta gente encontra-se na mó de cima a pretexto da liberdade, da igualdade e da solidariedade. A legalização do voto não os pode legitimar pelas barbaridades que fazem.

Isto parece uma democracia caricata, em que um governo de minoria tem a ousadia de perseguir quem o critica. Antes tínhamos um povo pobre mas honrado; pelo que se vê, ganha-se a impressão de que estamos a caminho não só dum povo pobre mas também dum pobre povo!

Quem não segue a política de Sócrates e seus camaradas leva! Na Rússia matam os jornalistas não conformes, em Portugal, país de brandos costumes”, “cortam-lhes as pernas”! Só há respeito pelos da “seita”!

Numa sociedade doente, a má consciência e o mau governo socorrem-se do silenciamento. Necessitamos dum país não rico mas honrado. Precisamos de bons exemplos, de pessoas de estado e não de jacobinos! Um Estado que teima em viver do oportunismo, da hipocrisia e da inveja não sairá da cepa torta! Progresso é mais eu ideologia!

A tolerância dos portugueses deixa de os honrar, quando toleram a intolerância. É pena que um governo que tendo, muito embora, tomado algumas iniciativas corajosas, se rebaixe tanto e revele tanta aversão à liberdade de opinião e tanto desprezo pelos que não são da própria cor!

Nos momentos difíceis é que surgem os heróis. Levantem-se as pessoas honestas e honradas de todos os partidos e insurjam-se contra as arbitrariedades dalguns que além de desacreditarem um socialismo democrático se revelam antidemocráticos, nas suas atitudes dentro do Estado. Um Estado democrático tem direito a ter cidadãos e não só súbditos! Para isso precisa mais de cidadão eleitos e não tanto de indivíduos escolhidos! Dos Media portugueses não podemos esperar muito porque estão dependentes das esmolas e dos pareceres dos seus “superiores”!

Boa noite Portugal! Bom dia Doutor Crespo! Portugal precisa de muitos homens e mulheres assim, que se debatam por um Portugal digno e honrado em que a honra não continue açambarcada por alguns mas passe a ser democratizada! Importa ter compreensão pelos que trabalham para matar a fome do estômago e a quem não é permitida ainda a fome cultural e também por uma geração demasiado preocupada em defender os postos que tem e que para serem mantidos ou promovidos não têm outro meio que não seja a hipocrisia! Surjam porém mais cidadãos para que haja menos súbditos!

Difícil em tempos de crise! E Portugal tem-se encontrado sempre em crise!... Ou será que Portugal é mesmo ingovernável por carência de governados e de governadores? Então só como até agora ou anarquia!

António da Cunha Duarte Justo

OS SANTOS MÁRTIRES DE SÓCRATES

Serei um mártir?"

Pivô revelou ontem que o fiscalista também foi mencionado por Sócrates no almoço no Tivoli. Carreira falou ontem com Lacão

Mário Crespo garantiu ontem que não era o único "problema" de José Sócrates. O pivô da SIC garantiu, ontem, à margem das Jornadas Parlamentares do CDS/PP, em Guimarães, que o primeiro-ministro (PM) foi igualmente ouvido a afirmar que queria resolver "o problema de Medina Carreira", fiscalista e comentador do programa Plano Inclinado, da SIC Notícias, moderado por Mário Crespo.

A referência terá sido feita no final do almoço no restaurante do Hotel Tivoli no dia 26 de Janeiro entre o primeiro-ministro, o ministro de Estado Pedro Silva Pereira, o ministro dos Assuntos Parlamentares Jorge Lacão a que se juntou o director de Programas da SIC. Nuno Santos teve um almoço de trabalho com a apresentadora Bárbara Guimarães e, à saída, terão parado para cumprimentar os membros do Governo e mantido uma conversa em que o nome Mário Crespo foi mencionado.

Medina Carreira desvaloriza o caso. "Quem me quiser resolver que resolva. Não devo nada a ninguém." "Acha que isto tem alguma grandeza? Que podemos andar como Vascos Santanas no estado em que o País está?", lança.

O fiscalista soube das referências ao seu nome ontem de manhã por Mário Crespo. "No dia da gravação do programa, para aí na quinta-feira, ele contou-me e dois ou três dias depois disse que gostaria que fizesse o prefácio do livro que vai publicar", diz, referindo-se à compilação das suas crónicas no Jornal de Notícias que será editada no dia 11 pela editora Alêthea, de Zita Seabra, e que incluirá aquela que não foi publicada (ver caixa).

O comentador do programa Plano Inclinado falou sobre o caso com Jorge Lacão ontem à tarde. Não revela o teor da conversa, mas considera que "se uma pessoa diz uma coisa em público que é difundida e tem um estatuto político relevante, deve esclarecer".

Mário Crespo, convidado para participar nas Jornadas Parlamentares do CDS/PP para fazer uma intervenção subordinada ao tema Política Internacional - Barack Obama, um ano depois, abordou a polémica lembrando uma frase de Trotsky. "Não é a loucura que faz virar o mundo de pernas para o ar , mas sim a consciência."

Crespo relatou ter tomado conhecimento da conversa através de um e-mail de uma senhora que descreveu como muito culta (e garantindo que nunca iria revelar o seu nome).

"No dia em que imaginaria que Sócrates estivesse a dar os últimos retoques no Orçamento do Estado para 2010 este estava a produzir diagnósticos médicos sobre a minha sanidade mental", comentou. Em tom de ironia, recordou ter sido docente na extinta Universidade Independente, adiantando que o PM ainda "poderá conseguir estas competências técnicas" na área médica.

O pivô diz ter confrontado o director de Informação da SIC, Alcides Vieira, que, por sua vez, confirmou o teor da conversa com Nuno Santos. Perante uma sala em silêncio, Mário Crespo questionou: "Serei um mártir?" Logo respondeu: "Serei antes alguém a defender-se e a defender os valores que, como jornalista, lhe estão entregues."

EVA CABRAL e LINA SANTOS

PORTO PASSOU A SER CHICAGO NOS ANOS 30 DO SÉCULO PASSADO?

.


Ajuste de contas pode explicar ataque a marido de Sónia Araújo
ANTÓNIO SOARES E SARA OLIVEIRA
A Polícia Judiciária não encontrou indícios de explosivos no Jaguar incendiado anteontem, terça-feira, em Gaia, propriedade de Sónia Araújo.
foto leonel de castro/jn
Carro estava estacionado quando foi incendiado
O carro é usado pelo marido da apresentadora e tudo leva a crer que se tenha tratado de vingança, eventualmente relacionada com negócios.
Testemunhas afirmaram ao JN que as chamas deflagraram no Jaguar XKR descapotável segundos depois de um dos ocupantes de "um Audi A3 escuro e de vidros escurecidos" ter atirado um objecto para o automóvel, que estava parado no parque de estacionamento de uma zona habitacional da Rua Engenheiro Adelino Amaro da Costa.
O Audi arrancou a alta velocidade, quase atropelando uma transeunte. Hélder Ribeiro, morador num prédio vizinho, assistiu a tudo. "De seguida ouviu-se um grande estrondo e o prédio até tremeu. As pessoas pensavam que tinha sido um atentado".
Após as primeiras peritagens, a PJ já terá excluído a utilização de explosivos, não tendo igualmente descoberto sinais da utilização de um artefacto incendiário conhecido por "cocktail Molotov". Tudo aponta para que um pano embebido num combustível em chamas tenha causado o fogo. Outra possibilidade é de a lona da capota ter sido regada com um líquido inflamável e depois incendiada. As chamas propagaram-se rapidamente ao Jaguar, que ficou totalmente destruído. Os rebentamentos terão sido originados por componentes do carro.
O carro está registado em nome da empresa Stressend, de que a apresentadora é única sócia, mas era o marido, Vítor Martins, conhecido empresário da cidade, quem habitualmente o conduzia.
Tudo parece indicar, por isso, que tenha sido o marido de Sónia Araújo o alvo da vingança, motivada por um eventual ajuste de contas relacionado com os vários negócios que o empresário mantém na região. Martins foi ouvido ontem pela Polícia Judiciária mas não terá adiantado qualquer explicação para o sucedido.
Conhecidos e amigos de Vítor Martins contactados pelo JN também não compreendem o que aconteceu, mas acreditam que o fogo criminoso não tenha tido como objectivo atingir fisicamente o empresário. "Parece mais ter sido um aviso", referiram.
Quando o incidente aconteceu, cerca das 21.15 horas, Vítor Martins estava no Estádio do Dragão, onde assistia ao jogo F.C.Porto- Sporting. Não viu a goleada até ao fim. Segundo um amigo do lesado, o aviso chegou para o telemóvel do joalheiro Eugénio Campos, de quem tinha apanhado boleia. Aliás, o carro ficou estacionado junto à empresa de Eugénio Campos.
Vítor Martins regressou à Rua Engenheiro Adelino Amaro da Costa pouco depois das 22 horas, mas ali permaneceu pouco tempo, mostrando-se sempre evasivo nos comentários ao caso.


MÁRIO CRESPO: POLÉMICA

Polémica
Mário Crespo: "O primeiro-ministro a falar alto é intimidante"
por Patrícia Silva Alves, Publicado em 03 de Fevereiro de 2010 Actualizado há 8 horas
Jornalista da SIC diz que não vai processar Sócrates mas compara-o a Estaline. E entregou ontem queixa na ERC
Não, de modo nenhum.
Eu não faço isto ad hominem. Estou a reagir ao que foi articulado por um detentor de um cargo. A única coisa que me interessa aqui é o José Sócrates primeiro-ministro, o que ele faz, o que motiva, o que ele desmotiva... o que ele planeia em respeito ao meu país.
Então é uma reacção..?
É uma perfeita reacção. Só estou a agir pró-activamente a uma situação que me parece muito anómala. E a maneira como fui referenciado é muito anómala. Eu até devo dizer que agradeço o que tenho despertado nos media, mas o centro da discussão não sou eu, nem o que eu fiz. O centro da discussão é aquilo que o José Sócrates disse. Essa é a única zona que me interessa. Agora a outra coisa que me começou a interessar foi o acto do "Jornal de Notícias"de censurar um cronista dos mais seniores que eles têm...
Diz que está a reagir pró-activamente. Vai dar mais algum passo em frente?
Farei uma queixa à ERC. Fá-la-ei nas próximas horas.
E em termos judiciais?
Nunca pensei em abordar a questão, movendo uma acção ao Sócrates por aquilo que ele disse. Não pensei fazer isso. Acho que dentro da área em que eu opero tenho mecanismos formais - a ERC, o sindicato, as organizações internacionais - que protegem jornalistas.
Vai fazer queixa junto dessas entidades?
Ai vou, vou.
Esta declaração de hoje, em que diz que as declarações de Sócrates visavam também Medina Carreira, foi feita perante jornalistas e com o símbolo do CDS atrás. Quer trazer os políticos e os partidos para esta discussão?
Não. Quero consciencializar e divulgar com consistência aquilo que aconteceu. E quero sensibilizar o país político também. Agora não cairia no ridículo de vir aqui e não falar sobre uma questão nacional, de interesse nacional. Portanto senti-me no dever, outra vez, de retratar claramente para os meus anfitriões, a minha versão.
Falou com Paulo Portas antes de discursar?
Não falei com ele. Mas sabia que ele respeitaria. Ele foi jornalista, está dentro da liturgia dos jornais, de como uma pessoa se sente dentro de um jornal.
É que estas declarações sendo feitas numa altura em que membros do governo se ameaçam demitir...
Quem é que está a ameaçar demitir-se?
Teixeira dos Santos. E Sócrates já teria também ameaçado demitir-se...
Então há esperança.
Como disse há pouco durante a sua intervenção a declaração de José Sócrates envolvia também Medina Carreira...
Em determinada fase envolvia os dois nomes.
Dois problemas que precisavam de ser solucionados?
Sim, presumo que sim.
E porque razão também Medina Carreira era um problema a solucionar?
Não faço ideia nenhuma. Agora é procurar obter uma resposta - se ele a der - a Sócrates, porque razão eu e o Medina Carreira somos problemas.
E não falou em mais ninguém?
Do relato que eu tenho não. E como disse tenho três relatos.
Havia uma terceira pessoa na mesa de Nuno Santos...?
Sim, havia uma terceira pessoa.
E também faz parte da televisão?
Não vou mais longe. No meio disto tudo a parte que eu acho importante é o primeiro-ministro. O Nuno Santos, a primeira vez que disse o nome dele foi hoje porque me disseram que se sabia...
Nuno Santos confirmou ao i que estava no restaurante com Bárbara Guimarães...
É extraordinário. Nunca pensei que ele dissesse o nome da Bárbara. Acho que são pessoas que não têm de ser trazidas ao conhecimento de todos. Eu nunca diria o nome da Bárbara por exemplo... Porque não é necessário.
Ficou triste com a reacção de Nuno Santos?
Fiquei. Acho que eu na mesma situação - eu meço sempre pelo que eu faria, por isso é que fiz uma pausa antes de responder. Eu na mesma situação teria reagido. Quero pensar que reagiria: "Olhe que eu conheço o homem, ele não é maluco nenhum. Não é impreparado nenhum. Isso agora também é subjectivo e certamente não necessita de solução rigorosamente nenhuma".
E confrontou Nuno Santos?
Logo, com o primeiro relato que tive. Logo, mal recebi o email, reencaminhei-o para o Nuno Santos e pedi-lhe uma explicação.
E a explicação que Nuno Santos lhe deu não foi suficiente para não o apontar na crónica?
Falei com ele para justificar o que aconteceu - e ele não justificou o que aconteceu. Consubstancia o que aconteceu.
Por isso é que também decidiu integrar o nome dele na crónica?
Era importante que ele tivesse reagido nas responsabilidades de que está investido [como director de programas da SIC]. É uma fragilidade, mas poderá ter sido de momento. O primeiro-ministro a falar alto é uma figura intimidante. Para quem é intimidável.
Acha que foi por acaso esta conversa ter sido no dia da apresentação do Orçamento do Estado?
O que eu achei extraordinário é que o dia do Orçamento do Estado é um dia importante. E eu gostaria de pensar que as pessoas que assumem as responsabilidade de gerir o país estão inteiramente focadas nisso. Não admito que no dia em que o orçamento está a ser retocado tenha tempo para pensar em banalidades. E a maneira como um articulista escreve, ou um analista como o Medina Carreira se comporta, é um assunto lateral. Não tem de estar na mente do primeiro-ministro.
E o que diz isso do primeiro-ministro?
Tem um conjunto de prioridades curiosas, inadequadas que para mim não estão correctas. Para mim como cidadão e como intérprete da nossa vida pública.
Há medo no jornalismo de hoje?
A resposta que a comunidade jornalística tem dado a este assunto é encorajadora de que não há inibição em retratá-lo e os editores consideram-no um episódio importante.
Mas, no dia-a-dia, quando o jornalismo se mistura com os interesses? Falou do caso de Manuela Moura Guedes...
Esse caso é, na minha opinião, o caso mais grave da história da imprensa desde o 25 de Abril. Não há dúvida nenhuma de que é uma situação séria. A maneira como transfiguraram a redacção da TVI é séria. Até digo mais, é séria a própria reacção da TVI... a maneira como foi desmembrado um programa que em termos comerciais era um sucesso. Era visto. Agora o que não é aceitável é que venham dizer que a pessoa está doida, precisa de ser internada num manicómio. É curioso... o Estaline fez isso! Portanto isto são mecanismos um bocado orgânicos e interpretações de poder um bocado questionáveis - e é isso que me preocupa essencialmente.

TUDO A LIMPO!

PS quer publicar online rendimentos dos cidadãos

por JOÃO PEDRO HENRIQUES

PS
 quer publicar online rendimentos dos cidadãos (VÍDEO)

Socialistas vão apresentar projecto de 'big brother' fiscal, que coloca 'online' rendimentos brutos de todos os contribuintes

Todos os rendimentos declarados, de todos os cidadãos do País, vão ficar à vista de todos os que quiserem ver, na Internet.

Eis, em síntese, o projecto de lei que o PS tenciona apresentar, muito brevemente, na Assembleia da República: tornar públicos todos os rendimentos brutos declarados de todos os contribuintes.

Sem o imposto final pago, sem as despesas reembolsáveis (despesas de saúde, educação, etc.), mas com o rendimento bruto anual declarado. E, evidentemente, a identificação do contribuinte. Por outras palavras: acaba-se o sigilo fiscal. É o passo seguinte, depois de o Governo ter disponibilizado online a lista dos maiores devedores ao fisco.

Esta será, apurou o DN, a principal proposta que o PS enviará para a comissão parlamentar criada para o combate à corrupção - que só em Julho votará as novas leis para este efeito. Os principais autores da proposta são Jorge Strecht Ribeiro, Afonso Candal e Mota Andrade. Todos membros da direcção da bancada parlamentar do PS. Ontem, o projecto estava a ser ultimado, mas dificilmente terá apoio à direita (o PSD e o CDS votaram contra os projectos liberalizando o sigilo das contas bancárias). Resta saber o que pensará a esquerda.

O projecto é a resposta socialista a outros que foram apresentados pelo Bloco de Esquerda e pelo PCP sobre sigilo bancário. Os dois partidos consideraram - embora depois concretizando de forma diferente - que é por via das contas bancárias que se detectam os rendimentos não declarados ao fisco. Rompendo o segredo das contas, verifica-se se um determinado contribuinte paga (ou não) ao fisco muito menos do que seria suposto, de acordo com os seus rendimentos.

O projecto do BE - que foi chumbado, logo na generalidade, pelo PS, PSD e CDS, e era o mais radical - já tinha tido apoios entre alguns socialistas, nomeadamente de Vera Jardim, que entretanto foi eleito presidente da comissão parlamentar de combate à corrupção. Seguia o chamado "modelo espanhol".

De acordo com o articulado bloquista, as instituições financeiras deveriam, duas vezes por ano, "comunicar a informação sobre saldos e movimentos de depósito ou outros proveitos nas contas individuais" de todos os seus depositantes. E, depois, estes dados seriam "confrontados" com as declarações de IRS do contribuinte.

"Caso os saldos médios ou movimentos estejam acima de um limiar razoável e se registem discrepâncias significativas, tais discrepâncias serão investigadas pelo fisco ou, nas condições impostas pela lei, comunicadas ao Ministério Público", lia-se no preâmbulo do projecto do BE. O qual, aliás, citava explicitamente Vera Jardim como apoiante da iniciativa, num debate parlamentar na legislatura anterior: "Queremos ir claramente no sentido do sistema espanhol, juntamente com as medidas propostas pelo Bloco de Esquerda. (…) É uma acção do próprio sistema financeiro de informação sobre a existência de contas bancárias e respectivos saldos de cada contribuinte, no início e no fim de cada ano."

Já o projecto do PCP - que foi aprovado na generalidade e aguarda discussão na comissão - previa outro caminho: a "derrogação" do sigilo bancário, mas apenas por iniciativa "devidamente fundamentada" do director-geral dos Impostos ou do director-geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo.


http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1485250



mais tarde, alguém percebeu o problema que iam criar e desistiu.

mas a ideia já anda a pairar naquelas cabecinhas de ouro

mas tal não acontecerá só enquanto o assis for presidente da bancada.

a seguir alguém do ps proporá o estabelecimento de campos de concentração para todos os jornalistas e cidadãos que não cantem hinos à glória de kim-il-sócrates


Assis rejeita proposta de divulgação de rendimentos

por Lusa

Assis rejeita proposta de divulgação de rendimentos

O presidente do Grupo Parlamentar do PS, Francisco Assis, rejeitou hoje a proposta de três dos seus "vices" da direcção da bancada no sentido de serem publicados na Internet os rendimentos dos contribuintes.

"A minha discordância em relação a essa proposta vai ao ponto de garantir que, enquanto eu for presidente do Grupo Parlamentar, ela não será apresentada pelo PS", declarou Francisco Assis aos jornalistas, quando comentava a ideia de projecto dos deputados socialistas Afonso Candal, Mota Andrade e Strecht Tibeiro.

Segundo a edição de hoje do Diário de Notícias, estes três deputados do PS, todos vice-presidentes da direcção de Francisco Assis, pretendem que os rendimentos brutos de todos os cidadãos sejam publicados na Internet, excepção feita ao imposto pago e despesas reembolsáveis.

Nas declarações que fez aos jornalistas, Francisco Assis recusou-se no entanto a esclarecer se vai exigir a demissão dos seus três vice-presidentes, alegando que se trata de uma assunto interno do Grupo Parlamentar do PS.

"Essa proposta [dos três vice-presidentes] não é do PS - e quero deixar isso bem claro. O Grupo Parlamentar do PS não discutiu esse assunto e não tem qualquer intenção de apresentar uma iniciativa com essas características", frisou.

Assis - que segundo fonte da bancada não foi consultado sobre o teor desta proposta de âmbito fiscal - adiantou que o PS "não vai apresentar qualquer iniciativa dessa natureza".

"Quanto ao resto, são questões internas, que têm a ver com a organização do Grupo Parlamentar e que serão resolvidas no quadro da bancada", declarou Assis sobre a continuidade de Afonso Candal, Strecht Ribeiro e Mota Andrade na direcção do Grupo Parlamentar do PS.

Sobre o facto de esta divergência abranger três dos seus 12 vice-presidentes, Assis respondeu apenas: "não ignoro isso".

"Hoje mesmo terei uma reunião da direcção em que terei a oportunidade de debater e resolver definitivamente o assunto", referiu, embora escusando-se a esclarecer como tenciona solucionar essa divergência dentro da sua direcção.

Justificando a sua oposição à proposta dos seus três "vices", o líder da bancada socialista disse entender que "não faz sentido o PS apresentar um projecto dessa natureza".

"Não me reconheço nos pressupostos dessa iniciativa. Não sou só eu. Essa é a posição do PS", advertiu Francisco Assis.

Como ressalva à actuação de Strecht Ribeiro, Afonso Candal e Mota Andrade, o presidente do Grupo Parlamentar do PS apontou que esses deputados "deixaram claro que iam ainda apresentar a proposta à direcção da bancada e só depois ela se poderia constituir em proposta formal do PS".

"Somos um partido que debate, mas organizado e em que as pessoas conhecem as regras. Por isso, não censuro os deputados que publicamente exprimem as suas posições. Mas outra coisa é transformarmos a posição de um deputado na posição do PS", afirmou.

NA ROTA DA SAGRES

03FEV2010 - 16º Dia - Já no Hemisfério Sul

03FEV2010 - 16º Dia - Já no Hemisfério Sul
Reparação do Velacho Baixo

Passámos ontem o Equador às 22:23 horas! Pouco depois chegou o Rei Neptuno com a sua Corte - um Almirante, um Oficial Ajudante de Campo, um Bispo, uma Ninfa, um Diabo, a Guarda Real, etc.

Cumpriu-se a tradição: A barca que ousou atravessar as águas de Neptuno foi apresada por este e Julgados o Comandante, os Oficiais e os membros da Guarnição que o fazem pela primeira vez.

Nos últimos dias houve muitos segredinhos a bordo! O grupo dos que já passaram o Equador preparou o Grande Julgamento com muito cuidado. Esta tarde, procedeu-se ao julgamento com um Juiz, um Acusador e um Advogado de Defesa! Cada réu tinha a sua acusação e uma defesa que mais parecia um conjunto de agravantes. As penas foram físicas (banhos, farinha, etc.) e em géneros para o Grande Jantar comemorativo da passagem que se realizará amanhã.

Nos últimos dias terminámos os vernizes e os aguaceiros da ITCZ, a tal zona de instabilidade que resulta do choque entre os alísios de NE e SE, eram um perigo para os trabalhos. A climatologia aconselha a atravessar a ITCZ na Longitude de Cabo Verde e as previsões meteorológicas confirmam-no. Assim, mantivemos rumo Sul e só apanhámos alguns aguaceiros fortes há três noites e na manhã seguinte. Desta forma também ganhámos barlavento e navegamos há 2 dias a todo o pano, já com os alísios de SE, inicialmente muito fracos mas que têm vindo a ganhar consistência. Começámos à bolina cerrada que aqui, devido ao pano redondo, é nos 55º. Mas o vento abriu e agora estamos a fazer 65º. E 8 nós de velocidade!

O céu voltou a estar estrelado. Tem estado forrado de nuvens carregadas. Nem se via a Lua ou o Sol mas agora já dá para identificar estrelas.

Entretanto passaram-se duas semanas de viagem! Aqui a bordo passou muito rápido com o trabalho que temos tido! Na fase de planeamento pensámos que poderia ser muito duro sujeitar os novos elementos a um primeiro esticão de 3 semanas de mar. As atenuantes eram estar a navegar para Sul, com mar relativamente calmo e poder ganhar mais tempo em Lisboa para preparação da viagem e despedidas. Aposta ganha pois os enjoos dos estreantes passaram ao fim de dois dias, como era de esperar, e neste momento está toda a guarnição mais do que adaptada ao navio e ao mar. Os mais novos vão viver uma experiência interessante quando chegarmos ao Recife: vão ter a sensação de que a terra balança ligeiramente como um navio. É que, sem se dar por isso, todos nós andamos a bordo com as pernas ligeiramente flectidas para acomodar os movimentos do navio. Em terra há a tendência para fazer o mesmo e aí vai parecer que esta se move!

Aproveitámos também o facto de navegar a motor para treinar mais efectivamente a manobra de Homem ao Mar com recolha por embarcação - os tempos, os procedimentos de segurança e a qualidade das manobras já me satisfazem. Podemos passar a uma fase de treino para manutenção do adestramento!

Agora é terminar o embelezamento do navio e passar a uma fase mais complexa do treino de Limitação de Avarias (LA) que incide nos incêndios, rombos, socorrismo e gestão da plataforma em caso de crise.

O calor é muito! Cerca de 28ºC à sombra e com muita humidade! A água do mar está a 27ºC. Há duas semanas estava a 12! Tentamos manter as luzes apagadas e as portas fechadas para manter o fresco do ar condicionado mas não chega - dorme-se mal!

Não fosse estragarem os trabalhos nas madeiras e o perigo de rajadas fortes de vento, os aguaceiros até seriam muito bem-vindos. Há dois dias apanhámos um durante a baldeação e foi um enorme prazer para a juventude! Os aguaceiros são detectados pelo Radar e, se não forem demasiado grandes, ao ponto de constituírem uma barreira, podemos manobrar para os evitar! Esta capacidade de os seguir no Radar permite saber quantos minutos faltam para começar a chover. Faz-se um vistão perante os mais jovens ou alguns convidados. Damos a ideia de que controlamos a meteorologia!

Uma noite destas, antes de me deitar, dei uma volta pelo exterior do navio para ver o pano e as afinações. Fui interpolado por um grupo de Marinheiros e Grumetes que conversavam em amena cavaqueira no corredor exterior a EB. O motivo era estas crónicas que também coloquei na Intranet do Navio juntamente com uma série de comentários que nos mostram que não é só na diáspora que este navio é um motivo de orgulho para os portugueses! Alguns comentaram que os familiares estão a acompanhar a viagem e dizem aos seus amigos, também com muito orgulho: "O meu Júlio também lá está!"

A conversa depois passou pelos 15 dias já passados desde a largada. "Não custou nada! Estivemos sempre muito ocupados!" Disse-lhes que ainda quero fazer alguns treinos de vela para que os desfiles corram como no ano passado. Disseram-me que adoraram a viagem do ano passado pelas manobras de vela nos vários portos, incluindo à chegada a Lisboa. A regata também foi memorável pelo mau tempo que apanhámos e a forma como o navio se aguentou! Gostaram especialmente das manobras silenciosas em que só se ouvem os apitos do Mestre. Estamos alinhados na visão que temos da nossa barca.

Às tantas estávamos a falar de estrelas, de escuteiros e de festivais de música no Verão. Adorei o comentário às novas tendas "automáticas" que se montam em dois segundos mas que depois não se conseguem fechar e se deixam para trás por não caberem na bagagem!

Ontem, o punho da escota de EB do Velacho Baixo apresentou uma rotura e teve que ser desenvergado para coser, voltando a ser envergado de novo. Aproveitei para subir ao mastro do Traquete e tirar umas fotos!

Amanhã é dia de treino de manobras de vela: carregar de tacada, içar tudo, virar em roda, virar por davante... E há ainda as pinturas!

Até breve!

por: Proença Mendes, Cte do NRP "Sagres"
Tags:
Diário de Bordo,Itinerário da viagem,Fotos

link deste artigo comentar/ver comentários(0)

O MAR DAS ESPECIARIAS

É sempre com regozijo e satisfação que o académico Miguel Castelo Branco me traz novidades novas relacionadas com a expansão dos portugueses, na Ásia, Oriente e Índias Orientais.
.
Francamente não conhecia que Joaquim Magalhães de Castro publicou uma Obra com o título "Mar das Especiarias - A viagem de um português pela Indonésia" .
.
Prefacia o livro a diplomata Drª. Ana Gomes, que permaneu, em Djakarta, desde 30 de Janeiro de 1999 a Abril de 2003, com credenciais embaixadora.
.
Tenho certas dúvidas se de facto tão ocupada no seu posto, com o caso da independência de Timor-Leste, se teria conhecido profundamente a presença dos portugueses na Indonésia.
.
Sei porém que a Embaixadora Ana Gomes, visitou a Ilha das Flores (reportagem da RTP), revelou aquilo que tinha observado, mas não se referiu ao seu colega o Embaixador António Pinto da França, que terminou a sua brilhante carreira na Embaixada de Portugal no Vaticano há 10 anos, permanecendo (5 anos) em Djakarta de 1 de Agosto de 1964 a 1 de Outubro de 1969.
.
O diplomata chegou a Djakarta com 29 anos apenas, com o sangue na guerla e produziu uma monografia, com o genérico, "Portuguese Influence in Indonésia" com 91 páginas onde insere mais de 50 fotografias, raras que acredito outro, antes, as tenha obtida.
.
A obra e de tão utilidade histórica que teve a honra e o privilégios de ter sido prefaciada pelo proeminente historiador, da expansão portuguesa, o Prof. C.R. Boxer (já desaparecido).
.
A monografia foi editada, a primeira vez em 1970 e a segunda em 1985, pela Fundação Calouste Gulbenkian.
.
Nunca, até hoje li referência sequer que fosse ao magnifico trabalho, onde insere centenas de palavras portuguesas que foram assimiladas à lingua (dialectos) Indonésia.
.
Não me vou aprofundar, demasiadamente, no trabalho do Embaixador Pinto da França e até não sei se a Drª. Ana Gomes, no prefácio do Mar de Especiarias o designa.
.
Talvez não e talvez sim.
.
E, já agora, não sabendo se o académico Miguel Castel Branco tem conhecimento do livro : "Interferência e Integração dos Portugueses na Birmânia Ca 1580-1630, recomendo-lhe a leitura, cuja autora foi Maria Ana Marques Guedes" (261 páginas/letras minúsculas) bolseira da Fundação Oriente.
.
O prefácio da Obra é de Dr. Carlos Monjardino e numa passagem: " A obra de Maria Ana Marques Guedes não pode deixar de ser referida como exemplar, sobretudo, tendo em conta o ineditismo entre nós do tema que aborda".
.
Não é um livro ao acaso (apenas ilustrada com três mapas), mas com muita informação da época que pode, sem dúvida, de grande utilidade para outros historiadores.

José Martins

NELSON SANTOS EXPULSO DE EMBAIXADOR DE TIMOR-LESTE NAS NAÇÕES UNIDAS

Próximos dias seguem mais notícias - Para traduzir do inglês para o português use o tradutor Google aposto do seu lado esquerdo

RDTL FOREIGN MINISTER FIRES TL UN AMBASSADOR

.
Nelson Santos


The Timor Post of 3 February 2010 has a banner headline:
"Espulsa Embaixador TL ba EUA, PR Horta Kontra Zacarias"
(Expel Timor-Leste Ambassador to USA, President Horta Against (Foreign Minister) Zacarias"

That headline and the brief article under it contain errors which we will not repeat here. La'o Hamutuk feels that ETAN list readers should know what really happened, so we have written the following short article. In coming days, we will write more about what happened and its future implications for Timor-Leste's diplomacy at the UN and in ASEAN, as well as this nation's continuing support for human rights.

The following is adapted from
http://www.laohamutuk.org/reports/UN/06UNMITcreation.html#Burma , which includes links to relevant documents.

On the day before Christmas 2009, Timor-Leste's Foreign Minister Zacarias da Costa notified UN authorities that he had fired Timor-Leste Ambassador to the United Nations Nelson Santos. Santos had just voted in favor of a General Assembly resolution on human rights in Burma (Myanmar), which passed 86-23 with 39 abstentions. Santos was continuing Timor-Leste's previous policy of supporting this annual resolution, following guidance from President Jose Ramos-Horta. However, the Minister had instructed Santos to abstain from this vote to be more in line with ASEAN countries' votes. When Santos voted in favor during the night of 23 December in New York, da Costa immediately sacked him. Timor-Leste now does not have an ambassador to the UN in New York to represent its views in consultations and discussions regarding the future of the UNMIT, whose mandate expires on 26 February 2010.

During the first week of February 2010, Nelson Santos, the President, the Foreign Minister and both deputy Prime Ministers had several discussions in Dili about how to salvage the situation, as well as to resolve Constitutional questions. Article 87(b) of Timor-Leste's Constitution assigns to the President of the Republic the authority "To appoint and dismiss ambassadors, permanent representatives and special envoys, following proposal by the Government."

Several Ministry officials have privately told La'o Hamutuk that Timor-Leste continues to support democracy and human rights, recognizing that similar support for Timor-Leste from others during the 24-year Indonesian occupation was critical to Timor-Leste's obtaining independence. However, the Minister's action, which apparently stems from an ad-hoc approach to foreign policy, has raised concerns among people who believe that Timor-Leste's leaders should continue to support universal human rights principles, as they did prior to independence.

[Note: for nearly a year, Timor-Leste has had separate ambassadors to the United Nations (UN) and the United States of America (USA). Ambassador to the United States Constancio Pinto is not involved in the Burma resolution controversy, and has not been fired.]

Charles Scheiner
La'o Hamutuk (The Timor-Leste Institute for Development Monitoring and Analysis)
P.O. Box 340, Dili, Timor-Leste (East Timor)
Telephone: +670-3325013 or +670-734-0965 mobile

email: cscheiner@igc.org website: http://www.laohamutuk.org skype: c
0 comentários Hiperligações para esta mensagem Tradução do inglês para o português
NELSON SANTOS expulso DE EMBAIXADOR DE TIMOR-LESTE NAS NAÇÕES UNIDAS
Próximos dias Mais notícias seguem - Traducir fazer tradução para o português usa o tradutor do Google aposto Do Seu Lado Esquerdo
RDTL MINISTRO FIRES TL embaixador da ONU
Nelson Santos
O Timor Post de 3 de fevereiro de 2010 tem uma manchete:
"Espulsa Embaixador TL ba EUA, PR Horta Kontra Zacarias"
(Expulse Timor-Leste Embaixador E.U.A., contra o Presidente Horta (ministro dos Negócios Estrangeiros) Zacarias "
Essa manchete eo artigo em breve ele contém erros que não vamos repetir aqui. La'o Hamutuk considera que ETAN lista de leitores deve saber o que realmente aconteceu, então nós escrevemos o seguinte artigo curto. Nos próximos dias, vamos escrever mais sobre o que aconteceu e as suas implicações futuras para a diplomacia de Timor-Leste na ONU e na ASEAN, bem como o apoio contínuo desta nação dos direitos humanos.
O seguinte é adaptado de
http://www.laohamutuk.org/reports/UN/06UNMITcreation.html#Birmânia , que inclui links para documentos pertinentes.

No dia antes do Natal de 2009, Timor-Leste, o ministro dos Negócios Estrangeiros Zacarias da Costa notificou as autoridades das Nações Unidas, que tinha disparado Timor-Leste Embaixador para as Nações Unidas Nelson Santos. Santos tinha acabado de votar em favor de uma resolução da Assembléia Geral sobre os direitos humanos na Birmânia (Myanmar), que passaram no 86-23, com 39 abstenções. Santos foi continuando a anterior política de Timor-Leste para apoiar essa resolução anual, seguindo orientação do Presidente José Ramos-Horta. Santos No entanto, o ministro havia instruído a abster nesta votação para estar mais em consonância com os votos dos países da ASEAN. Quando Santos votou a favor durante a noite de 23 de Dezembro em Nova Iorque, da Costa demitiu-o imediatamente. Timor-Leste não tem agora um embaixador nas Nações Unidas, em Nova York para representar seus pontos de vista nas consultas e discussões sobre o futuro da UNMIT, cujo mandato expira em 26 de fevereiro de 2010.

Durante a primeira semana de Fevereiro de 2010, Nelson Santos, o Presidente, o Ministro dos Negócios Estrangeiros e os dois vice-primeiros-ministros tiveram várias discussões em Díli sobre como salvar a situação, bem como para resolver questões constitucionais. Artigo 87 (b) da Constituição de Timor-Leste atribui ao Presidente da República a autoridade "para nomear e exonerar embaixadores, representantes permanentes e enviados extraordinários, sob proposta do Governo".

Vários funcionários do Ministério ter privado La'o Hamutuk disse que Timor-Leste continua a apoiar a democracia e os direitos humanos, reconhecendo que esse apoio para Timor-Leste com os outros durante os 24 anos de ocupação indonésia, foi fundamental para a obtenção da independência de Timor-Leste. No entanto, a acção do ministro, que, aparentemente, decorre de uma abordagem ad-hoc para a política externa, tem suscitado preocupações entre as pessoas que acreditam que os dirigentes de Timor-Leste deve continuar a apoiar os princípios universais de direitos humanos, como faziam antes da independência.

[Nota: há quase um ano, Timor-Leste teve embaixadores separado para as Nações Unidas (ONU) e os Estados Unidos da América (E.U.A.). Embaixador do Estados Unidos Constancio Pinto não está envolvido na polêmica resolução Birmânia, e não foi demitido.]

Charles Scheiner
La'o Hamutuk (The Timor-Leste Institute for Development Monitoring and Analysis)
P.O. Box 340, Dili, Timor-Leste (Timor Leste)
Telefone: +670-3325013 ou +670-734-0965 móvel
Tradução automática