Translator

segunda-feira, 17 de maio de 2010

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - ADJUNTO DE SHE DAENG DETIDO

Assessor de Seh Daeng é preso

Pichet Sukjindathong, o braço direito do falecido Maj-Gen Khattiya Sawasdipol ou Daeng Seh, foi preso, o Centro para a resolução da situação de emergência (CRES), anunciou, hoje, terça-feira.

Senhor Pichet, acredita CRES, ser uma das pessoas por trás dos confrontos entre muitos dos guardas, vermelha e contra as forças governamentais.

Senhor Pichet está sendo interrogado no centro de detenção em Klong 5 em Pathum Thani província.

A CRES apelou aos membros da mídia e ao povo em geral para enviar fotos e clipes de vídeo da violência com a polícia, para que os infractores possam ser presos.

O centro destacou que a polícia e os soldados não usaria suas armas contra civis desarmados, mas usá-los contra ataques armados por terroristas.

O centro descrito Frente Unida para a Democracia contra a Ditadura co-líder Natthawut Saikua como uma das principais figuras do terrorismo.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - OS VERMELHOS DEVEM RETIRAR ANTES DOS MILITARES

Camisas vermelhas deve terminar primeiro rali: Banharn

Secretário-geral do Partido Pattana e conselheiro de S.M. o Rei Banharn Silapa-Archa , hoje, terça-feira, chamou à atenção para um fim incondicional, da presença dos camisas vermelhos no da base do rali no cruzamento da avenida da Rajprasong, antes da retirada das forças de segurança e estas retornar a seus quartéis.

Como garantia da promessa de mediação, Banharn disse que ele e outros parceiros da coligação prometem deixar a coaligação, se as tropas não retirassem para os quarteis, depois dos vermelhos, abandorem a base.

The Nation

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - UMA SEMANA DE FÉRIAS EM BANGUECOQUE

Governo estende até sexta-feira dias feriados

O gabinete do governo a partir de hoje, terça-feira, feriado, prolonga-o por mais três dias para o público e departamentos do governo em Banguecoque - a partir de quarta a sexta-feira, vice-PM, Supachai Jaisant, porta-voz do governo disse.

A extensão das férias vai dar às autoridades, mais tempo, para resolver a crise, disse ele.

O governo anteriormente declarou segunda-feira e terça-feira desta semana, feriados de serviço público, dado a violência e as batalhas de rua que continuam na capital.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - LÍDERES VERMELHOS NÃO CONCORDAM COM CRIANÇAS NO RALI

Weng: É decisão dos pais para levar as crianças para rali

der dos camisas vermelhas weng Tojirakarn condenou na terça-feira o Centro de Resolução de situação de emergência (CRES) por apresentar um vídeo de uma criança no ponto de discordância na sua conferência de imprensa.

"Quer levar seus filhos com o então cabe aos pais a considerar por si só. Não é a resolução dos manifestantes para trazer as crianças, É a contrapartida dos pais para entreter e emocionar as crianças. Mas nós não concordamos com isso ", disse.

"Além disso, quero condenar (o CRES), que disse que os camisas vermelhas roubou o camião, tanque, de combustível. Quem vai seria louco, suficiente, para arriscar disparar granadas M16 e levar esse camião tanque de gazolina? O tanque de combustível também foi estacionado entres os camisas vermelhas e as tropas.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - UM RAPAZ ATEIA FOGO A CASAS POR DIVERSÃO

Rapaz, de 12 anos, preso por incêndio criminoso

As forças de segurança prenderam um rapaz de 12 anos de idade, por supostamente atear fogo aos edifícios em torno do cruzamento de Din Daeng, durante o caos na capital, hoje, terça-feira.

Pol Col Chatree Kanchanakanti, superintendente da delegacia da polícia de Din Daeng, disse que o rapaz viajou de Kamphaeng Phet a Banguecoque para uma visita e encontrando alguns camisas vermelhas, juntou-se de que o viriam alimenta de graça.

O rapaz, excitou-se com a cenas de explosões e combates e admitiu que ateou fogo aos edifícios por brincadeira, Pol Col Chatree disse.

Moradias vazias ao lado de uma filia do Bangkok Bank foram incendiados na manhã desta terça-feira. Cerca de 10 carros de bombeiros foram solicitados ao local incêndio para o combater.

A GRANDE VITÓRIA DE JOSÉ SÓCRATES

.
No meu país deve andar tudo maluco dos "cornos"... Numa altura que em Portugal morre mais gente que nasce, andaram uns certos "palermas" de partidos a incentivar o casamento da paneleirada (que infelizmente) grassa num país de bons e antigos, costumes. O casamento dos "paneleiros" é contra a natura. A natureza não criou os panascas, fizeram-se!!!

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - PRIMEIRO-MINISTRO RECEBE APOIO PARA CONTROLAR OS TUMULTOS

.

Parceiros de coligação de volta ao governo para restaurar a ordem: Chumpol

O primeiro-ministro tem o apoio de parceiros da coligação para o uso da força para reprimir a violência, Gráfico tailandês líder do Partido Pattana, Chumpol Silapa-Archa, disse na terça-feira, negando as especulações, sobre brecha, na coligação sobre como controlar os camisas vermelhas.

"O governo está na linha direita na tentativa de restaurar a normalidade, porque o poder do Estado deve ser imposto sobre os manifestantes que têm provocados tumultos", disse ele.

The Nation

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - ÚLTIMAS FOTOS

image

Notícia » O dia do julgamento »Galeria de Fotos

Thaksin seen shopping in Paris

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 2855

Thaksin visto fazendo compras em Paris

Primeiro-ministro, deposto, Thaksin Shinawatra é visto fazendo compras em uma loja Louis Vuitton em Paris, em 15 de maio, com os seus apoiantes, camisas vermelhas de continuar a lutar a partir da base do rali da Ratchaprasong, apesar do facto de que a sua alimentação tem sido quase totalmente cortado.

Thaksin visto fazendo compras em Paris

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 2855

Filha recebe corpo de Seh Daeng

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 2185

Reds continuam na Ratchaprasong

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 1509

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - SUSPEITOS DE FINANCIAMENTO DEVEM APRESENTAREM-SE

106 suspeitos financiadores do terrorismo convocados: DSI

O Departamento de Investigação Especial convocou 106 pessoas e entidades jurídicas, suspeitas, de terem ligações ao terrorismo, financeiro, que envolve o camisas vermelhas informar as autoridades e apresentar sua defesa, o DSI diretor-geral Tharit Pengdit, disse, hoje, terça-feira.

Os 106 suspeitos podem dirigir-se ao Regimento de Infantaria 11, onde se situa o Centro para a resolução da situação de emergência está localizado, a partir de hoje de manhã, terça-feira das 08h30 - 16:30, Tharit disse.

Invocando o mandato da lei especial de investigação relacionadas com o terrorismo no domingo, a DSI ordenou a suspensão de todas as transações financeiras de contas abertas por 106 suspeitos, com efeito imediato.
Todas as instituições financeiras devem apresentar os registros financeiros dos suspeitos a DSI até quinta-feira.

The Nation

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - APARENTEMENTE DE ROSTO SEVERO

PM atende a reunião do Ministério com o rosto severo

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - CONVERSAÇÕES EM CURSO?

Conversações em curso para a paz: Weng

Líder Red-shirt weng Tojirakarn admitiu nesta terça-feira que seu colega Veera Musigapong estava envolvido em uma negociação, secreta, para conseguir uma solução pacífica e um fim para o rali da Rajprasong.

Veera, anunciou a suspensão de sua liderança no movimento de camisa vermelha no fim de semana passada, mas manteve-se em contactos com o governo e os militares, ele disse.

Ele manifestou optimismo de que Veera conseguiria parar o derramamento de sangue.

No que diz respeito às negociações de segunda-feira entre a camisa vermelha líder Natthawut Saikua e secretário-geral do primeiro-ministro Korbsak Sabhavasu, ele disse que não poderia comentar sobre o assunto desde Natthawut não consultar nem informar outros líderes-shirt vermelha sobre sua ação.

The Nation

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - BAN KI-MOON APELA SOLUÇÃO PACÍFICA


O chefe da ONU apela para a solução pacífica



Secretário-geral da ONU Ban Ki-Moon na terça-feira pediu ao governo da Tailândia e da Frente Unida para a Democracia contra a Ditadura se abster de usar a força para resolver conflitos políticos.

Entretanto, o porta-voz da ONU afirmou que a ONU seria capaz de intervir para mediar as negociações de paz, tal como solicitado somente após o governo tailandês e manifestantes camisa vermelha de acordo com a demanda.

Mas o comum acordo ainda não ter lugar para o momento, o porta-voz da ONU acrescentou.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - NOVOS DADOS DE CASUALIDADES

Número de mortos chega a 37

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - A CNDH MANTÉM NEUTRALIDADE

CNDH não tem nenhum lado a apoiar: Amara

A Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) é uma agência independente que não tem lado a apoiar, mesmo se o orçamento venha do governo Amara Pongsapitch, presidente CNDH, afirmou, hoje, terça-feira.

Sra. Amara disse que CNDH nunca deve cair sob o poder do Estado, a fim de forma justa e equitativa executar o seu dever.

Questionado sobre a crise política continuar, ela disse que falar de paz é a melhor solução para o problema.

"Todas as partes não devem dizer que ganhou a guerra política, mas deve indicar como chegar a uma solução rápida para acabar com a crise política em curso", disse ela.

Ela observou que os líderes da Frente Unida para a Democracia já havia afirmado que eles queriam falar, sem qualquer condição, agora depende da decisão do governo.

Sra. Amara disse que ela tinha criado um sub-comité especial para investigar os violentos confrontos entre tropas e manifestantes vermelho-shirts.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - O QUE A IMPRENSA ESCREVE

Confrontos para manter a borda da cidade

PM e Anupong não chegaram a acordo sobre a repressão, Thaksin junta pedido para uma intervenção da ONU numa abordagem de tentativa de negociações de paz.

Espera-se que as conversações venham a rechaçar a ofensiva militar contra os manifestantes camisas vermelhaa desbotada, na noite passada, depois que o governo insistiu que as manifestações e violência tinham que terminar em primeiro lugar.
Fugindo da cena uma família levando alguns bens foge do bairro de Bon Kai ontem, dado aos confrontos entre manifestantes camisa vermelha e as forças do governo que desde sexta-feira a avenida Rama IV Road voltou em um campo de batalha. APICHIT JINAKUL

Governo e a Frente Unida para a Democracia contra Ditadura (UDD) mediadores estavam perto de concordar de os militares recuaram de varrer os restantes manifestantes fora da área Ratchaprasong.

Mas as negociações não seguiram em frente e as tensões permaneceram elevadas no acampamento dos camisas vermelhas, base principal nos últimos dois meses, em antecipação ao movimento militar, com reforços maciços.

O Centro para a resolução da situação de emergência havia dado aos manifestantes um prazo até três horas, ontem, para limpar a área antes da limpeza começar.

Mas o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva e o líder do exército Anupong Paojinda não concordaram sobre a diminuição de intensificar a operação militar para acabar e conquistar a área central de Banguecoque e o plano foi adiada, uma fonte da CRES disse.

Os militares não vão na corrida e dispersar os manifestantes, camisas vermelhas, da base do cruzamento da avenida da Ratchaprasong, uma fonte informou que, embora o primeiro-ministro incentivasse seus comandantes para acelerar os preparativos para retomar o site de protesto hoje (terça-feira).

Gen Anupong não quer que as forças de segurança sejam implantadas às pressas como ele estava preocupado com o risco de baixas entre as tropas e os manifestantes.

"Quando estivermos prontos, vamos chegar ao nosso objetivo final, no cruzamento da Ratchaprasong. Mas agora, ainda há um alto risco de muitos acidentes", disse fonte da CRES.

A maioria dos manifestantes ainda são crianças, mulheres e idosos que se recusam a deixar o local do protesto, disse.

Quando o prazo de três horas se aproximou, os observadores viram que a maioria dos manifestantes activa tinham saído e deixado apenas os idosos e as mulheres, muitas delas com bebés e crianças. A maioria deles tinha tomado posição na linha de frente do palco principal. Mas seus números eram muito menos do que o observado nos últimos dias, antes do prazo foi anunciada e de linha de frente dos manifestantes começaram a se mover para novos lugares e criar problemas.

Camisas vermelhas líder Natthawut Saikua disse que o primeiro-ministro não descarta negociações de paz com os manifestantes e as havidas anteriormente se revelaram infrutíferas.

"Sr. Abhisit não deve excluir as negociações, potenciais, com base no facto de que as rodadas anteriores fracassaram", disse. "Mesmo que isso pode levar tempo, eu acredito que é melhor do que deixar as mortes continuam."

O líder da UDD, no entanto, insistiu que os manifestantes não iriam terminar a reunião rapidamente, embora esta, foi uma condição estabelecida pelo governo se pretendem os líderes, dos camisas vermelhas, retomar as negociações de paz.

A UDD vai esperar até terça-feira por uma resposta das Nações Unidas para o seu pedido para actuar como um mediador com o governo. Depois disso, o grupo irá considerar outras formas para trazer as conversações de paz, disse ele.

Deposto ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, em uma declaração, também exortou as Nações Unidas a intervir para resolver a crise.

Korbsak Sabhavasu, secretário-geral do primeiro-ministro, deixou claro nas negociações renovadas nunca aconteceu até os manifestantes dispersos.

"As negociações podem acontecer se as paragens de protesto e a rendição dos líderes. Mas se isso não acontecer, eles [os UDD], os líderes devem parar a rebelião e o incêndio da cidade e de pneus. Natthawut como o disse que ele poderia emitir ordens, isso significa que ele ordenou a multidão para criar a violência? " Senhor Korbsak perguntou.

O governo exigiu o fim manifestantes seus comícios e manifestações em primeiro lugar e, em seguida, as negociações poderiam começar, ele disse.

Actuando como porta-voz do governo disse que os líderes Panitan Wattanayagorn UDD poderiam provar que sinceramente apoiaram as negociações com o fim do protesto, motins e ataques a funcionários do governo e pessoas inocentes.

Presidente do Senado Prasobsuk Boondej disse que uma reunião de 64 senadores haviam convidado as partes envolvidas no conflito para pôr fim à violência e introduzir uma nova rodada de negociações de paz. Alguns senadores se ofereceu para mediar as negociações de paz, disse ele.

Houve pouca mudança em pontos quentes da cidade ontem, confrontos, vandalismo e assassinatos continuaram, a construção de um novo nível após o prazo para a CRES camisas vermelhas para terminar o protesto em três horas se passaram.

Os confrontos entre as camisas vermelhas e as forças de segurança a partir de maio 14-17 deixaram 35 pessoas mortas. Mais de 270 pessoas, incluindo sete estrangeiros, foram feridos em confrontos esporádicos na cidade, o Centro de Emergência Erawan relatou ontem.

Na área Kai Bon, área da avenida Rama IV, um dos focos principais, os manifestantes, camisas vermelhas apreenderam um camião -tanque de gasolina e estacionaram em frente da travessa Ngam Dupli perto de uma estação de serviço PTT. ocasionais balas foram vistas perfurando o camião-tanque.

Prateep Ungsongtham-Hata, a UDD co-líder, negou a UDD apreendessem o veículo na área. Ela também montou, também, um palco no cruzamento de Klong Toey.

Na área de Din Daeng e cruzamento de Pathumwan, as forças de segurança entraram em confronto com manifestantes.

Em outras províncias, dois atentados à bomba foram registrados nos caixas eletrônicos do Siam Commercial Bank e Banco TMB em Chiang Mai cerca das três horas ontem.

Um ataque com granada de mão foi também relatada a uma agência bancária em Bangkok Klong 2 na área da rua Lam Luk Ka de Pathum Thani cerca de 20 minutos depois da meia-noite de ontem.

Tradução livre de José Martins com algumas imperfeições

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - O DIA-A-DIA NO CENTRO DE BANGUECOQUE

Cidade na ponta

Pessoas vulneráveis, como esta mulher fogem do campo de batalha Rama IV Road e Ratchaprasong área, enquanto as esperanças desvanecem-se que as negociações podem afastar uma ofensiva militar contra os manifestantes camisa vermelha. (Foto: Apichart Jinakul)

»Veja

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - FOGO EM UM EDIFÍCIO

Incêndio, em Din Daeng (abrir a notícia mais tarde)

Publicado em: 18/05/2010 às 08:53

Notícia: Breakingnews Fogo começou em um prédio de quatro andares, abandonado, perto de Din Daeng, numa sucursal do Banco Bangkok, esta manhã de terça-feira, segundo relatos.

Não havia nenhum camião dos bombeiros para extinguir o fogo, os manifestantes-shirt vermelha se reuniam no cruzamento Din Daeng.Não há relato de que se foram eles atear fogo ao edifício.Sobre o autor

columnist
Posição: Repórteres Online

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - NÚMERO DE VÍTIMAS - 18.05.10

Número de mortos sobe para 37

Número de mortes resultante de confrontos entre tropas e manifestantes camisas vermelhas subiu para 37, Centro Erawan , informou hoje, terça-feira, pela manhã.

De acordo com o Bangkok centro médico de serviço de emergência, 282 pessoas foram feridas desde os violentos confrontos que começaram a partir de 14 de maio.

O centro, mais tarde, esta manhã, fornecerá o relatório, oficial, de vítimas.

Sobre o autor

columnist
Escritor: Repórteres Online
Posição: Repórteres Online

....É SÓ PUTAS E LADRÕES.... A LÌNGUA DE PRATA DO SENHOR GENERAL.

“…é só putas e ladrões”:

O ESTADO PORTUGUÊS, FRUTO DO 25 DE ABRIL, SÓ PROTEGE OS LADRÕES


Neste 36º aniversário da malfadada revolução de 25 de Abril, que hoje o calendário assinala, os ditos “militares de Abril” que, por razões meramente corporativas fizeram um golpe de Estado e, de seguida, entregaram o País à escumalha nacional para esta fazer uma revolução, estarão todos a celebrar as conquistas que pensam ter feito para a democracia, mas o que podem mesmo celebrar é o facto de Portugal se estar a transformar rapidamente num “paraíso para os criminosos”, como afirmou, no Diário de Notícias do passado dia 10 de Abril, e com toda a propriedade o Senhor General Leonel de Carvalho, exsecretário- geral do Gabinete Coordenador de Segurança e, acrescentaria eu, num gigantesco e sofisticado couto de ladrões.

Esta minha percepção faz-me abrir o livro das memórias da minha meninice e tenra infância e particularmente, neste caso, daquelas que registam a recordação da minha avó materna, Maria Rosa, na aldeia conhecida apenas por Maria do Mestre, por ser filha do mestre-escola (assim era designado o professor primário da época). Diga-se, já agora, que nem essa sua filiação lhe valeu, porque, ao jeito do último quartel do século XIX português, aprender a “ler, escrever e contar” era coisa só para homens e não todos e, por isso, ela ficou lamentavelmente analfabeta. Nem por isso se diminui o meu enorme orgulho de ter sido seu neto, porque ela adorava crianças, era uma avó muito carinhosa, carregava consigo um acervo enorme de sabedoria de vida e era uma grande contadora de histórias.

Histórias cuja autoria, em muitos casos, atribuía aos “antigos”, as quais contava no círculo dos adultos mas, por vezes, também aos netos, algumas delas sob a forma de “profecia” e em jeito de lengalenga. Delas recordo, expressos na linguagem algo desbragada mas limpa do Portugal recôndito dessa época, apenas fragmentos dispersos, tais como, por exemplo,

“…aqui na aldeia já passam mais carros que antes / passavam na ladeira de Abrantes / …No futuro as estradas serão de luto (só muito mais tarde percebi que se referia ao alcatrão) e nelas os carros serão mais que formigas em carreiros / …Haverá camiões gigantes no ar / Os bichos comerão tudo / Haverá novas eleições / mas… só putas e ladrões”.

Não creio que os autores de tais “profecias” quisessem ofender todas as mulheres de uma forma geral, o que equivaleria a chamar “filhos de puta” a todos os seus descendentes no regime democrático e isso não faz sentido. Mas acredito que a crítica social que a lengalenga obviamente pretendia fazer contém uma clara referência, entre outros tipos de ladrões, a todos os tipos de “devoristas”, uma fauna que Vasco Pulido Valente tão bem descreveu na sua análise daquela época histórica, a qual deixou descendência, por exemplo, nos prostitutos que hoje proliferam nos círculos do poder constituído e que, para além dos seus salários milionários, alguns deles, como foi abundante e claramente publicado na semana passada, sugam ainda por um dia de suposto trabalho, no bordel das empresas de capital público e de direito privado, valores que podem ir aos quinze mil euros, importância que, pelo menos dois milhões de portugueses, que vivem no limiar da pobreza e da miséria, não conseguirão ganhar num ano ou mesmo em vários anos.

Quanto a isso, a “profecia” está-se cumprindo. De facto, muitas “putas”, sim, com actividade legitimada pelas “novas eleições”, no quadro de uma “ética republicana” que, negando-se a si própria pelos actos praticados, nos enche os ouvidos e nos torra a paciência a falar de liberdade, mas que finge ignorar que, em paralelo com qualquer liberdade, existe sempre uma responsabilidade que, lamentavelmente, a nossa terceira República - cujo bolo do seu primeiro centenário que este ano alguns portugueses comemoram e todos os portugueses pagam e que custará, que se saiba, dez milhões de euros - insiste desavergonhadamente em ignorar.

Mas eu não pretendo aqui falar de prostitutas. Quero, sim, falar de ladrões. Ladrões, há-os de todas as espécies! Como diz o povo, “…os que vão à horta, e os que ficam à porta”! Os que nos roubam os bens materiais e os que nos roubam a tranquilidade de espírito. Os que nos roubam por acção e os que nos roubam por omissão. Diz-se por aí que a prostituição é a mais velha profissão do mundo, mas eu estou inclinado a pensar que a mais velha mesmo é a de ladrão, já que o primeiro ladrão conhecido terá sido Adão, que roubou a maçã no jardim de Éden, e que a sua única companheira Eva, existindo então apenas um homem, não tinha processo de se prostituir. A profissão de roubar transformou-se mesmo em arte – actualmente uma arte requintadíssima e altamente proveitosa. Para quem tiver curiosidade sobre esta matéria e não conheça, recomendo, como um bom ponto de partida, a leitura do tratado “Arte de Furtar”, atribuído – ao que parece, erroneamente – ao Padre António Vieira, quando deveria ter sido ao Padre Manuel da Costa, também jesuíta.

No contexto da nossa sociedade, organizada supostamente para promover o bem comum, sempre aprendi de todas as fontes que a função de nos proteger dos ladrões pertence exclusivamente ao Estado que, como se tem visto recentemente, até aceita mal e pune qualquer cidadão que, em legítima defesa, se defenda a tiro quando é assaltado em sua casa com armas apontadas à cabeça, o mesmo se aplicando aos polícias que, confrontados com o criminoso ou ladrão que lhes põe a vida em risco, se defendem também a tiro, mas que, se têm a sorte de sobreviver e o azar de matar o ladrão são processados como criminosos comuns e presos. Isto é, o exercício da violência é uma prerrogativa exclusiva dos ladrões e do Estado, mas só aqueles podem matar e fazem-no quase impunemente, porque o Estado protege os ladrões. O cidadão comum, cumpridor da lei, incluindo o polícia, fica sempre esmagado entre os dois, sai sempre prejudicado ou morto. E, vergonhosamente, o Estado, que falha em nos proteger, comporta-se como o maior dos ladrões, dando inteira razão à afirmação contida naquele tratado e escrita já no século XVII, que “…

os maiores ladrões são os que têm por ofício livrarnos de outros ladrões

”.
No mínimo, e seria já bom que fosse só por omissão, o Estado rouba-nos a tranquilidade de espírito a que temos direito e deixa-nos à mercê de todas as quadrilhas que por aí proliferam. O problema é que é o próprio Estado, através dos grupos organizados que o representam, é o maior dos ladrões e, se houvesse dúvidas, a comunicação social destes tempos mais recentes encheu-nos de exemplos concretos que seria fastidioso relembrar aqui. Criminosos ou ladrões de todas as espécies que possam pagar a bons escritórios de advogados beneficiam de um sistema judicial que por vezes parece ser feito à medida para que, usando todos os artifícios da lei, os ladrões possam roubar, para benefício próprio sem dúvida, mas também para “

…os que ficam à porta
”, por forma a que ninguém vá preso. Não venha autoridade alguma do meu querido Portugal perguntar-me quem eram, porque eu não sei dizer, mas, recentemente, enquanto almoçava num restaurante de Lisboa, não pude deixar de ouvir um dos cidadãos de uma mesa vizinha confidenciar ao outro, em voz suficientemente alta para eu poder ter ouvido, que já há em Portugal escritórios de advogados a escrever as sentenças que alguns juízes proferirão de seguida a clientes seleccionados desses escritórios. Não sei se isto é ou não verdade, mas, se for, temos à vista a falência total do sistema judicial português.

Os indícios do mau comportamento do Estado nesta matéria estão à vista. O mais recente está no facto de o Estado se preparar para criar, no âmbito do combate à corrupção, o estatuto do “arrependido”, isto é, mais ou menos dá aos corruptos e ladrões a faculdade de roubar e, quando apanhados nas malhas da lei, se arrependerem, porque serão perdoados. Faz lembrar a anedota, e perdoe-se-me o brejeiro da linguagem, que circula por aí na internet, do

peregrino, crente profundo, que vai em romagem ao Santuário e, sorte sua, consegue arranjar um quarto para dormir, por acidente em casa de uma jovem viúva. A meio da noite é acordado pela viúva que, toda nua, se lhe mete na cama. O peregrino salta da cama e sai da casa a correr para não ceder à tentação e logo na abertura do Santuário, vai confessar-se. O padre ouve a confissão e dá-lhe de penitência comer cinco quilos de favas, ao que ele replica que não percebe a penitência, porque não é cavalo. O padre respondeu-lhe que, de facto, ele não é cavalo, mas é burro. Primeiro devia ter “comido” a viúva e depois vinha confessar-se”.

O estatuto do arrependido, imagino, será uma coisa do mesmo género.

Este é o Portugal fruto da revolução de 25 de Abril que hoje alguns celebram e muitos choram: o mais pobre, o mais iliterato, o mais corrupto dos membros da União Europeia, dominado pela partidocracia de muitos ladrões que, em vez de nos proteger, defende os ladrões, seus comparsas. Um exemplo? Aqui vai. Tenho uma modesta segunda residência no Ribatejo que foi assaltada. Na procura exaustiva de valores facilmente transaccionáveis, que não existiam, o recheio foi altamente remexido, mas foram roubados apenas pequenos haveres de baixo valor.

Chamei a polícia (PSP) que prontamente compareceu, tomou nota da ocorrência e prometeu enviar nessa tarde um técnico para colher impressões digitais. À tarde, esse técnico telefonou para dizer que não viria colher impressões digitais, porque o produto do roubo era de baixo valor, inferior a um certo número de “unidades de conta” que não soube especificar, e que, assim sendo, a PSP não o autorizava a iniciar o respectivo processo por roubo. Consequentemente, por força da lei que antes me devia proteger, as impressões digitais do ladrão ou ladrões não foram colhidas. Insisti e fui à PSP de Santarém fazer uma participação do roubo. Cerca de oito meses mais tarde, recebi dos Serviços do Ministério Público do Tribunal da Comarca de Santarém (Processo nº 1283/08.3PBSTR) o Despacho de Sua Excelência o Senhor Procurador Adjunto, de 13 de Julho de 2009, que, com todo o respeito pela sua pessoa e sua figura institucional, transcrevo: “Os factos comunicados pela PSP são susceptíveis de integrar a prática, por desconhecido, de um crime de furto qualificado, pp artº 204º nº 2 al e) do Código Penal, ocorrido entre os dias 3 e 22 de Novembro de 2008 na habitação de Fernando Paula Vicente, sita no…….., Santarém. No entanto, até à presente data não foi possível apurar quem foram os autores dos factos denunciados e de momento, os autos não fornecem dados que permitam o prosseguimento de diligências conducentes à sua descoberta. Pelo exposto, determino o arquivamento dos autos… sem prejuízo de serem reabertos caso surjam novos elementos


”. Isto é, caso o ladrão, profundamente arrependido de ter violado a minha intimidade, decida um dia auto denunciar-se! No entanto, a colheita de impressões digitais poderia tê-lo identificado.

O que é verdadeiramente dramático é que, na data daquele Despacho de Sua Excelência o Senhor Procurador, tenho a certeza que, sem ponta de ironia e em relação ao meu caso, no fim do dia, todos os agentes do Estado envolvidos, o Senhor Procurador Adjunto de Santarém, o Comandante e agentes da PSP de Santarém, o Senhor Ministro da Justiça, o Senhor Primeiro-Ministro e o Senhor Presidente da República, regressaram a casa e quando, finalmente, se deitaram e pousaram as sua cabeças na almofada, todos adormeceram com uma profunda noção do dever cumprido Talvez tenha sido melhor assim, porque o mesmo Estado que protegeu o assaltante em vez de me proteger a mim, se tivesse prendido o ladrão, iria eventualmente dar-lhe o benefício que dá a carradas de criminosos e ladrões que se encontram presos, ao permitir-lhes um regime de saídas precárias, das quais muitos já não regressam à prisão, e durante as quais muitos aproveitam para cometer novos roubos e outros crimes, resguardando-se de imediato nas prisões onde ficam a salvo, nunca sendo apanhados.

Este é o meu querido Portugal que hoje assiste à celebração de mais um aniversário da fatídica revolução.

Razão tinha a minha avó: “…

é só putas e ladrões
”:

Fernando Paula Vicente - Major-General da Força Aérea Portuguesa (Reformado)

QUE VENHA O MANUEL ALEGRE OU OUTRO QUE NÃO "CAGUE" MUITA CACA

.


Manuel Alegre irá ser o próximo PR.
Caros Amigos
Ouvi há pouco a comunicação ao País do Sr. Presidente da República, informando que promulgou o diploma da Assembleia da República que aprovara o casamento homossexual.
Tirei várias conclusões, em face das quais irei tomar as posições pessoais que acho mais adequadas.
A primeira conclusao é que o Prof. Cavaco Silva perdeu hoje a reeleição para o 2.º mandato como PR, pois vai perder muitas dezenas de milhar de votos de pessoas que nele confiavam, principalmente na esperança de um novo mandato mais actuante, como foram os seus antecessores no cargo.
A segunda é que os argumentos que fundamentaram a sua decisão são muito débeis; de facto, a situação do País, por mais grave que seja, não justifica que o mais alto magistrado da Nação tenha abdicado dos seus princípios - religiosos, éticos e morais - numa decisão desta natureza.
A terceira é que ofendeu muitos milhares de portugueses, que repudiam o chamado "casamento homossexual"; acho que pouca gente é radicalmente contra a união entre pessoas do mesmo sexo, só não admitem que lhe chamem casamento. É também essa a minha opinião.
A quarta é que também ofendeu a Humanidade em geral e a Europa em particular. De facto, quando só 7 (sete) países em todo o mundo aprovaram até agora o "casamento homossexual" (quatro na Europa) é lamentável que o Presidente da República de um País - que recebeu o Papa da forma que nós fizemos - tenha feito tábua rasa dos sentimentos de tantos milhões de pessoas, e não apenas dos católicos.
A quinta conclusão tem a ver com a triste imagem que deu, de aceitação de derrota antecipada quanto aos efeitos do seu veto político. Costuma dizer-se que até ao lavar dos cestos é vindima e nada nos diz que, precisamente devido à grave situação do País, não pudesse haver alguma possibilidade de acordo político sobre a transformação do "casamento homossexual" num acordo civil que a generalidade das pessoas aceitaria com naturalidade.
A sexta é que o Prof. Cavaco Silva mostrou, neste caso, muita falta de sentido de Estado e de avaliação da importância da sua posição pública nesta matéria. A recusa em promulgar teria reforçado o seu capital de influência futura nos destino do País e a possível derrota em nova votação na AR em nada iria afectar o seu prestígio - antels pelo contrário.
A sétima conclusão é que, se não houver qualquer cataclismo político, Manuel Alegre irá ser o próximo PR.
---
Quanto às minhas posições pessoais no futuro, elas serão para já duas: não irei votar em Cavaco Silva em qualquer eleição em que futuramente seja candidato; e, muito provavelmente, não votarei nas próximas eleições para PR, bem como em quaisquer eleições (legislativas, autárquicas, europeias ou até para o Condomínio do meu prédio) que aconteçam enquanto me lembrar do dia de hoje.
Caros Amigos, desculpem toda esta amargura, mas tinha de desabafar.
Um abraço Amigo do
Ribeiro Soares

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - DE ONDE VEM O DINHEIRO PARA FINANCIAR OS VERMELHOS

UDD líder admite fundos protesto vem Thaksin

  • Publicado em: 18/05/2010 às 12:00
  • seção do jornal: Notícia
A Frente Unida para a Democracia contra a Ditadura, admitiu o líder do rali camisa vermelha recebeu apoio financeiro do primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra e Khunying Sudarat Keyuraphan, a ex-vice-líder do Partido Rak Tailandês dissolvido.

"Eu aceito que Thaksin e alguns políticos, incluindo Khunying Sudarat, deram-nos apoio financeiro, assim como de outros doadores, mas eu não sei o quanto eles doaram", UDD co-líder Jaran Dithapichai disse no comício Ratchaprasong estágio a noite passada.

"O que há de errado com isso? Rallies tem custos e nós precisamos de doadores. UDD Mesmo outros membros e eu tive que gastar nossos recursos pessoais no rali".

Declaração do Sr. Jaran veio depois de o Centro para a resolução da situação de emergência (CRES), anunciou no domingo planos para congelar as transações financeiras de 106 pessoas e empresas que acreditavam ter previsto o financiamento de actividades camisa vermelha.

Uma fonte CRES disse que a proibição será estendida para cobrir pelo menos 10 outros indivíduos e empresas, incluindo trabalho Supply Co, Desenvolvimento BBD Co, Co propriedade BBD e SC Asset Corporation.

Um fotógrafo viu o ex-premier Thaksin a fazer compras, em uma loja Louis Vuitton em Paris, no último sábado.

"Department of Special Investigation", chefe Tharit Pengdit ontem reuniu-se com Col Sihanart Prayoonrat, Secretário-geral do Anti-Lavagem de Dinheiro Office, os representantes do Gabinete do Controle de Entorpecentes e representantes do Departamento de Receita.

Mais tarde, eles informaram os representantes de mais de 80 instituições financeiras, bancos, companhias de valores mobiliários, empresas de seguros de vida e cooperativas na exigência da CRES de que se apresentará detalhes das operações financeiras de pessoas e empresas na lista proibida entre primeiro de setembro de 2009 e 17 de maio , de 2010.

Executivos de qualquer instituição financeira que não cumpram a ordem CRES poderia enfrentar até dois anos de prisão e uma multa de 40 mil baht. A pena seria aplicável a cada operação que as empresas não informem a CRES.

O porta-voz do Partido Puea Tailândês, Prompong Nopparit disse que a proibição era irracional, dado que alguns deputados do partido estavam designados na lista quando nunca estiveram envolvido em actividades dos camisas vermelhas.

"O governo deve revogar a proibição porque o que eles estão fazendo não vai fazer parar os protestos das pessoas", disse o Sr. Prompong. "Em vez disso, ele vai provocar mais protestos em todo o país."

O deputada Anudite Nakorntap pelo Partido Puea Tailandês, disse que quase todos os deputados do partido para a cidade de Banguecoque, além de Danuporn Punnakan, foram incluídas na lista proibida.

Ele suspeita da CRES estar tentando minar as chances nas eleições Puea Tailandês Bangkok para a eleição, distrital, em 06 de junho.

Tradução livre de José Martins

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - CASUALIDADES - MORTOS E FERIDOS

Balanço das casualidades: 35 mortos, 291 feridos

  • Publicado em: 17/05/2010 às 8:58 da noite (Hora de Banguecoque)
  • Notícia: www.bangkokpost.com
  • Serviço de Emergência Médica (Centro Erawan) em Banguecoque, relatou às seis horas da tarde de hoje o número, total, de casualidades (14-17 maio) com 35 mortos e 291 feridos.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - AS PREOCUPAÇÕES DE THAKSIN SHINAWATRA

.



Manipulador quer mortes: CRES

Publicado em: 17/05/2010 às 03:01

Notícia: Notícias Locais

Os terroristas e os seus manipuladores, no estrangeiro, pretendem criar a violência e venham a causar tantas quantas perdas de vidas, possível, sobre as pessoas para colocar a culpa no governo para que eles possam arquivar os processos judiciais com organizações internacionais, Gabinete do Primeiro-Ministro, Ministro Sathit Wongnongtoey disse em uma declaração,hoje, segunda-feira.

Ele estava, aparentemente, se referindo aos líderes da Frente Unida para a Democracia contra a Ditadura e ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

Senhor Sathit afirmou que essas pessoas queriam ver o número mais alto possível morte sobre as pessoas.

Esta conclusão deriva do facto de que todos os confrontos ocorreram em outros lugares fora do local de comício, quando as forças do governo foram atacados por de trás, causando perdas e sido infligido a pessoas inocentes fora do terreno principal manifestação, disse ele.

"A partir de relatórios de inteligência, o objectivo dos terroristas e dos seus manipuladores é ver os mais altos possíveis perdas de vidas. Eles contrataram advogados estrangeiros e os trouxeram para o país para que eles possam ver o dano que causaram com a intenção de abrir processos com organizações internacionais no exterior e colocar a culpa no governo atual, "o Sr. Sathit disse.

O ministro disse que as pessoas de alto risco nesta situação são locais e estrangeiros jornalistas, profissionais de saúde, e as pessoas inocentes que vivem nas áreas onde os confrontos estão ocorrendo.

Enquanto isso, Thaksin na segunda-feira emitiu uma declaração pedindo um diálogo sincero e autêntico entre as partes em conflito e para as Nações Unidas a intervir.

O comunicado foi divulgado pela Amsterdam & Peroff, uma empresa de relações públicas contratadas por Thaksin.

A seguir está o texto da sua declaração:

"Eu fico com meus conterrâneos nesta hora terrível da nossa história. As fotos que eu vi vão além de qualquer pesadelo que poderia ter sido prevista. Eu não tenho outra escolha senão afirmar resolutamente a necessidade de todos os lados a recuar e sair deste abismo terrível e procurar para iniciar um diálogo novo, genuíno e sincero entre as partes.

"A presente acção do governo desonrar a nossa história e sempre enfraquecem as instituições ea democracia. Como a vida pode ser reverenciado, quando o governo usa sua balas reais contra os manifestantes inocentes não-violenta e civis, muitos deles mulheres e crianças.

"Peço para as Nações Unidas se envolver imediatamente ou para actuar como facilitador para essa negociação. Essa organização não deve permitir ser silenciada por um primeiro-ministro que não conseguiu compreender que o direito à vida é um valor fundamental universal que nos une a todos como um. "

POLITICA DA TAILÂNDIA - HOSPITAIS PREPARADOS PARA ACUDIR AOS FERIDOS

.
Rali pro- Thaksin

Hospitais em estado de espera, enquanto o prazo, imposto pelo governo já ultrapassado


Rajvithee, o hospital mais próximo da base dos vermelhos na Rajprasong, preparou ambulâncias, camas, sangue e preparado para acudir aos manifestantes camisas vermelhas para as consequências que poderiam surgir depois do prazo imposto pelo governo, de terminar os protestos, Dr Rewat Wisarutvej, director-geral do Departamento de Serviços Médicos disse.

Outros hospitais estão em estado de espera e preparados com 190 camas, 190 unidades de sangue em caso de surgir violência.

"Rajvithee Hospital, é o mais próximo da base do protesto na Rajprasong e área Rajprarop. 40 ambulâncias estão prontas. Todas as pessoas de diversos lados podem confiar em nosso pessoal médico que iriam trabalhar com todo o profissionalismo, disse o médico.

Ele disse que pediu ao pessoal médico para trabalhar com cuidado. Aos soldados está atribuído de mover os feridos do local do combate para os pontos que se situem fora da base do rali.

O governo tinha emitido um prazo para os manifestantes em Rajprasong para deixar o local antes de 15:00. No entanto, o prazo expirou e o governo deu aos manifestantes mais tempo para decidir.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - OS VERMELHOS DESAFIAM O GOVERNO

Os vermelhos desafiam o prazo

An elderly woman sits at the Ratchaprasong rally site on Monday afternoon. Thousands of protesters refuse to leave the rally site after the 3pm deadline given by the government.

Cerca de 5.000 manifestantes camisas vermelhas permanecem no local após a reunião ultimato do governo de deixar expirar às 3:00 horas da tarde de segunda-feira, enquanto o governo rejeita a chamada os camisas vermelhas 'para as negociações - exigindo que primeiro devem terminar o protesto. (Foto por Poomlard Somchai)

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - ÚLTIMAS NOTÍCIAS NO PRINCÍPIO DA NOITE DE 17.05.10

Manifestantes,vermelhos, tentam fazer explodir um camião de transporte de combustível na área de Bon Kai

Transmissão ao vivo de 3 a Chanel 17:50, hoje, segunda-feira mostrou os manifestantes que tentavam fazer explodir um camião tanque fora de um posto de gasolina perto do final da comunidade Bon Kai para a travessa da Ngam Duplee em Rama IV Road.

A TV com transmissão ao vivo usando a conexão 3G mostrou que as balas atingiram em cheio o reservatório do combustível do camião, mas sem explosão que tenha ocorrido até ao momento.

Pneus ardiam perto da viatura.

A estação de abastecimento, disse que um manifestante dirigiu o caminhão para fora do posto de gasolina.

The Nation

Xavier Hall oferece abrigo para as pessoas afectadas pelos conflitos

Xavier Hall, que é uma igreja católica e um lar universitário junto à rotunda do Monumento da Vitória Victory, ofereceu abrigo para as pessoas afectadas pelos confrontos em curso entre as forças de segurança e manifestantes.
Xavier Hall está localizado atrás da parada de ônibus do lado levando a Saphan Kwai.

The Nation

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - O FINAL DO "GUERREIRO" (REBELDE SEM JUSTA CAUSA)



Corpo de Seh Daeng levado ao templo


O corpo de Sawasdipol Khattiya Maj-Gen, alias Seh Daeng, chegou a Wat Sommanasvora Viharn na tarde de segunda-feira.

Ele estava vestido com roupa de camuflagem militar, que era geralmente visto vestindo.

Quando o corpo de Seh Daeng era transportado para o templo, um grupo de apoiantes camisas vermelhas gritavam ", Seh Daeng ... o nosso herói".

As exéquias de Seh Daeng serão realizadas durante três noites - a partir de hoje segunda-feira até quarta-feira - às 06:30.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - MILITARES CERCAM A BASE DOS VERMELHOS

Tropas aproximam-se da Rajprasong Pathumwan e cruzamento Rajthevi



POLÍTICA DA TAILÂNDIA - DEPUTADOS E FUNCIONÁRIOS DE PARTIDO PHEU FUGIRAM DA FESTA

Partido Pheu tailandês deputados e funcionários do partido apressam-se para fora da sede do partido

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - ÚLTIMAS FOTOGRAFIAS

image

Notícia » O dia do julgamento »Galeria de Fotos

Grenade attacks at Dusit Thani hotel

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 2176

Ataques com granadas no hotel Dusit Thani

Granadas foram disparados contra os andares 14 e 22 em frente ao hotel Dusit Thani na rua da Silom em torno da meia-noite de 16 de maio, fazendo com que os funcionários do hotel e hóspedes do hotel abrigarem-se na cave e evacuados hoje . (Fotos por thiti Wannamontha)

ataques com granadas no hotel Dusit Thani

  • Publicado em: 17/05/2010
  • Total de espectadores: 2176

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - O TIROTEIO CONTINUA EM BANGUECOQUE

.

Ouviram tiros em frente do Hospital Phyathai I

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - 5000 VERMELHOS RECUSAM SAIR DA BASE

5000 vermelhos desafiam prazo para sair da base do rali

Cerca de 5.000 manifestantes ficaram no local do comício da Ratchaprasong após o prazo, disse a polícia na tarde de segunda-feira.

O porta-voz da Polícia Maj-Gen Prawut Thawornsiri disse que cerca de 5.000 manifestantes estavam no local da reunião após o prazo de três horas definido pelo Centro para a resolução da situação de emergência (CRES).

Eles foram vistos dançando e cantando dentro de sua base fortificada.

Pouco depois de duas horas, helicópteros militares lançaram panfletos sobre o acampamento, incitando os manifestantes a deixar o local imediatamente do rali.

As cenas dos helicópteros provocou a ira dos manifestantes, que atiraram fogos de artifício para interrompê-los.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - POSTOS DE ABASTECIMENTOS DE COMBUSTÍVEL ENCERRADOS

Postos de gasolina próximo ao local da reunião fechados

  • Publicado em: 17/05/2010 às 04:03
  • Notícia: Breakingnews

    Todos os 26 postos de abastecimento de gasolina, e GPL perto da zona do cruzamento da avenida da Ratchaprasong foram encerrados por razões de segurança, o ministro da Energia Wannarat Charnnukul disse na tarde desta segunda-feira. "À medida que os confrontos violentos entre tropas e manifestantes camisa vermelha continua, Bang Chak e também para se abster de transporte de combustível em áreas de risco", disse o Sr. Wannarat.

Além disso, a "Electricity Generating Authority of Thailand" elevou o alerta de segurança ao mais alto nível para garantir a segurança em todas as centrais geradoras hidro-étricas ", acrescentou.

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - TIROTEIO NA ZONA KAI BON

Tiroteio se intensifica na comunidade Bon Kai

POLÍTICA DA TAILÂNDIA - COMPANHIAS DE POLÍCIA NO MONUMENTO DA VITÓRIA

4 companhias de polícia destacadas para o Monumento da Vitória


POLÍTICA DA TAILÂNDIA - LANÇADOS PANFLETOS DO AR POR AVIÃO

CRES lançou do ar panfletos com "ordem de evacuação"


POLÍTICA DA TAILÂNDIA - JORNALISTAS DESLOCALIZADOS

.

Jornalistas deixam a base da Rajprasong


AS SUAS NOTÍCIAS NO DIA 17.05.10

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Festa da taça acaba na Baixa
Dilma Rousseff: Líder nas sondagens
José Sócrates: Defende cooperação
Rafael Nadal: Derrota Federer
Tenta assalto à luz do dia

Capa do Público Público

Jesualdo Ferreira: "É o meu sexto troféu. Estou muito feliz"
Benfica e FC Porto a um triunfo da final
Barcelona conquista o 20.º título
Louçã diz que aliança entre PS e PSD revela falta de decência
Uma final quase calma para o FC Porto

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Professora começa hoje a trabalhar no arquivo
Abusos a irmãos
260 farmácias já têm serviço só para os animais
2010 é o ano de maior apreensão de meixão
Sócrates responde a críticos internos e justifica sacrifícios

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Heathrow e Gatwick entre 20 aeroportos encerrados no Reino Unido e na Irlanda
"Hamsters" encheram o Mundo Mix no Castelo
Vinte milhõespara criar fábrica, museu e bienal
UMinho acolhe pela primeira vez exames de chinês
Termas de Peso abrem de cara lavada em Agosto

Capa do i i

Obras: adiamento parte PS. Sócrates desafiado a convocar Comissão Política
Caso Bragaparques. Arquivamento sem julgamento divide juristas
Caso TVI: PS ameaça com inconstitucionalidade caso escutas sejam usadas, PSD não recua
Passos Coelho: apoio a medidas "para evitar que o país caísse no caos”
António Costa pede audiência de urgência sobre 3ª travessia do Tejo


Capa do Diário Económico Diário Económico

Lucro do ESFG cai 29,6% no primeiro trimestre
Brasil é favorito a ganhar o Mundial, Portugal é forte candidato
Euro resvala para mínimos de 2006
Portugal apresenta hoje medidas austeridade ao Eurogrupo
Saiba quanto é que vai pagar a mais pelo seu carro com a subida do IVA


Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Pirataria provocou perdas de 174 milhões à indústria nacional em 2009
Sócrates dá primeira entrevista após aprovação do pacote de austeridade
Petróleo abaixo dos 70 dólares com escalada da moeda dos EUA
Países do Euro reunidos hoje em clima de tensão
Euro fixa novo mínimo de 2006 abaixo dos 1,23 dólares

Capa do Oje Oje

Barbot avalia expansão em África
Galp e Petrobras com novo acordo
Pescanova sobe lucro em 5,1%
Companhia das Sandes, detida pela Explorer, compra Sopas & Cª
Ganho da Oi dispara com sinergias

Capa do Destak
Destak

José Sócrates dá exemplos de Portugal para defender inovação e ciência
Operações de busca a homem desaparecido no rio Sado são retomadas segunda-feira
Jogadores defendem continuidade de Jesualdo
Hulk promete que FC Porto vai mostrar que é a melhor equipa
Jesualdo Ferreira não desvenda futuro

Capa do 24 Horas 24 Horas



Capa do A Bola A Bola

Maniche quer ser leão
«Ganhar seja com quem for» - Pinto da Costa
Pepe apresenta-se ao serviço
«Andávamos nervosos» - Maxi
Com Geromel quase frio, Lazzaretti ganha nova chama

Capa do Record Record

Abaixo da cláusula só Cardozo
Negociações com Quim avançam esta semana
Pinto da Costa e Jorge Jesus: Amigos como dantes
Quaresma muito reticente
Pinto da Costa evasivo em relação a Jesualdo e aos jogadores


Capa do O Jogo O Jogo

Celtics derrotam Magic em primeiro jogo da final Este
Pedro Sousa falha quadro principal de Challenger em Itália
Argentinos Juniors campeão do Clausura
Mercedes recorre da penalização atribuída a Schumacher
Portinado garante presença na final