Translator

domingo, 13 de junho de 2010

MUITAS PALMAS À MARCHA DE ALFAMA

Marchas populares
.
Alfama conquista primeiro lugar com homenagem à filigrana
.
Por Fátima Almeida - Ontem Diário de Notícias
.
Alfama levou uma explosão de dourado à Avenida. Numa homenagem à filigrana, a marcha desfilou com as cores do Ouro sobre Azul nos arcos, roupas e adereços inspirando-se no folclore minhoto. As danças típicas do norte marcaram presença na marcha que além do primeiro lugar conquistou ainda os títulos de melhor coreografia, desfile na avenida e musicalidade.
-
À MARGEM:- Algo de diferente, nas marchas do Santo António, o Bairro de Alfama apresentou as nossas magníficas e únicas, no mundo, a filigrana portuguesa que começa a cair na decadência.
.
Trouxe muita água no bico que as marchas deste ano fossem sob o tema da implantação da República em Portugal, a fazer os 100 anos em 5 de Outubro próximo.
.
Não posso saber quem teria sido o "marmelo" de tão infeliz ideia de dar glória a um evento que não diz nada aos portugueses.
.
Pouco depois da chegar a República representada por uma gaja "bué como ó milho", chegou a "Sopa do Sidónio" e a mesma, implantada agora, mas com outro nome.
.
Claro que os organizadores das celebrações teriam que distribuir uns trocos, pelos bairros de Lisboa e divulgarem um dos eventos que não fez faísca nenhuma de bom ao Povo Português.
.
O contribuinte pagou, com a língua de três palmos, uma pipa de massas, uns 10 milhões de euros.
.
O início das celebrações da implantação da República decorreram no Porto e um autêntico fiasco que até as núvens se zangaram que despejaram as sua iras, molhadas, na Praça do Município.
.
De facto esteve lá o Presidente da República Cavaco Silva e o PM José Sócrates e uma ou duas centenas de "tripeiros", nos passeios, assistirem à "barracada" que teimam celebrar de quando o Povo Português se está nas malvas para a implantação da República em Portugal no dia 5 de Outubro de 1910.
.
José Martins (nas malvas e nas tintas para a República)

RECONCILIAÇÃO ENTRE SARKOZY E ANGELA MERKEL - CRISE ECONÓMICA NA EUROPA

.
Merkel e Sarkozy em Berlim para conciliar as suas posições sobre a governação económica da Europa


.

Nicolas Sarkozy e Angela Merkel se juntam, hoje, segunda-feira em Berlim para tentar resolver suas diferenças sobre a governação económica da Europa antes da cimeira de Bruxelas. Na semana passada, uma cimeira franco-alemã foi cancelada.
.
AFP- Uma semana após o fracasso, que reacenderam as dúvidas sobre a saúde das relações franco-alemão, Nicolas Sarkozy e Angela Merkel em Berlim, vão encontrar-se, hoje, segunda-feira em uma tentativa de conciliar as suas posições sobre a governação económica da Europa antes da cimeira de Bruxelas.

Um clássico gesto diplomático franco-alemão gesto, para a nomeação de um director e um presidente, tinha sido programado para o passado de 7 de junho para colmatar as lacunas que surgiram entre os dois países em favor da crise grega e da ameaça para o euro. Seu adiamento de uma semana, no último minuto, tinha alimentado preocupações.
.

Vídeo Sarkozi/Angela Merkel sobre a reunião cancelada no meio da crise

VATICANO APONTA O DEDO A ZAPATERO

ELPAIS- Sociedade
.
"Zapatero procura a sua salvação em um conflito ideológico"

Rádio Vaticano ataca a futura Lei de Liberdade Religiosa, em Espanha.
.
MONICA Ceberio BelAZ / Ignacio Cembrero - Madri - 14/06/2010
.
"Para os bispos da Espanha, um novo ataque contra a Igreja do primeiro-ministro Jose Luis Zapatero." Este foi o comentário de que a Rádio Vaticano fez ontem no seu relatório após publicação no país de um projecto de Lei da Liberdade Religiosa elaborado pelo Governo . A nova lei irá desenvolver o estado secular.
.
Não aos crucifixos, católicos, em funerais
José Luis Rodríguez Zapatero
.
"Não é a primeira vez (...) Zapatero busca a sua salvação com um conflito ideológico", acrescentou Rádio Vaticano .
.
O chefe do Governo espanhol visitou na quinta-feira, o Papa Bento XVI. "A eventual introdução da nova lei sobre a liberdade religiosa" foi, segundo um comunicado do Vaticano, a primeira das questões que dizem respeito à Igreja em Espanha, em relação ao aborto e educação.

BREVES NOTÍCIAS DA FOX NEWS - 14.06.10

.

Video em língua inglesa

"Fox News" o líder de notícias dos Estados Unidos

PROPRIEDADES DA ÁGUA - BEBA MUITA QUE SÓ LHE FAZ BEM

.
Wat-er grande ideia ... manter os níveis de fluido de alta
A água ajuda a manter os níveis de fluido em alta
.

Com uma garrafa de água por dia mantém as calorias no corpo

Nós todos sabemos que devemos beber bastante água durante o verão para manter o corpo bem hidratado.

Muita pessoas desconhecem que os fluidos são óptimos com benefícios de manter nossos níveis de fluido complementados.

Poucos percebem que beber um grande copo de água, antes de cada refeição, pode ajudar a perder peso através da redução da fome e encorajando a pessoa a comer menos. Um estudo mostrou que 13 por cento menos calorias foram consumidos ao longo do dia.

Certificando-se de beber bastante líquidos também pode melhorar a concentração e ajudam a manter seus níveis de stresse baixo.

Simplesmente trocando uma bebida diária usual suave pela de água pode levar a uma perda de cerca de 5 quilos de peso durante um ano. Bebendo um litro de água por dia está associado ao melhor peso e perda de gordura corporal, quando comparado com outras bebidas escolhidas.

NICKI WATERMAN e Amanda Ursell revela na sua guia de hidratação "Fit Squad" para ajudar as pessoas a perder peso bebendo água - e sentem-se bem.

Quanto é suficiente?

Depende de quem possa perguntar. No Reino Unido, a "Food Standards Agency" aconselha que devemos procurar a beber seis a oito copos de líquidos por dia - cerca de 1,2 litros.

Na Europa as orientações estão definidas, ligeiramente, superior a 1,7 litros por dia para homens e 1,4 litros para mulheres.

Recomendamos às pessoas que fique com as sugestões Europeias.

Durante o tempo quente, se estiver a trabalhar em escritórios com ar-condicionado ou de férias em climas mais quentes, é importante beber regularmente água e pode ser necessária mais do que as actuais directrizes sugerem.

O que conta como fluidos?

Órgãos que dirigem os serviços de saúde incentivam as pessoas para obterem a maioria dos fluidos no corpo bebendo água.

A próxima fonte, preferida de fluidos é o leite, as versões com menos gordura recomendado para adultos e crianças mais velhas. Oferece cálcio e magnésio mantendo os ossos fortes. O leite desnatado tem apenas 187 calorias por litro.

Chás e cafés nem tanto, como se pensava, a não ser bebido em grandes quantidades, causam desidratação.

No entanto, abusar, constantemente, sobre eles, a muita cafeína pode levar a maus padrões de sono, levantar o batimento cardíaco e stresse.

Baixas-calorias encontram-se nos refrigerantes, mas devem ser bebidos com moderação, para que não se exagere nos aditivos e adoçantes artificiais de sua produção

Que tal exercício?

É usado para dizer que se deve beber um litro extra de água para cada hora de exercício. O conselho mais recentes, porém, é que as pessoas devem beber mesmo sem ter sede.

Em outras palavras, o suficiente para que as pessoas mesmo sem sede, antes, durante e após o exercício.

A excepção a esta regra é para crianças e idosos, cujo o maquinismo da sede estão menos equilibrados e afinados do que os adultos normais.

É fundamental oferecer às crianças e aos idosos, regularmente, bebidas ao longo de todo o dia, especialmente, durante o tempo quente e devem fazer exercícios.

Bebidas isotônicas são muito caras e se uma pessoa está, apenas, a fazer cerca de uma hora de exercício, em vez de água, será bom para a reidratação.

Uma boa maneira de saber se a pessoa está desidratado é olhar para a cor de sua urina. Se a pessoa está bem hidratado, será cor de palha, com pouco odor. Quando desidratado, é mais escura, com odor forte.

  • Outros sinais que a pessoa não está beber o suficiente têm um "sentimento" pegajoso na boca, tonturas e cansaço.

  • UMA MANSÃO DE UM ANGOLANO NO ALGARVE


    Como diz o Matias Damásio, parece mentira mas é verdade. Um angolano acabou de comprar uma das mansões mais caras, e alguns até dizem que é a mais cara mansão do Algarve, situada fora da cidade. As fotos em anexo e esta informação foi retirada de uma revista de imobiliária portuguesa.
    .

    Vejam os pormenores: 8 suites, 6 quartos, sala de cinema, piscina interior, elevador, garagem para 6 carros, aquecimento central, tectos e paredes interiores em vidro, jacuzzi, escadas interiores, banheiras e lavatórios com acabamentos em mármore, sistemas de alarme e segurança de última geração, e altamente decorada pelos melhores decoradores portugueses e estrangeiros.

    A CASA DEMOROU OITO MESES A SER DECORADA. O DONO É O GENERAL HELDER VIEIRA DIAS "KOPELIPA"
    (Na realidade, este angolano, não é um angolano qualquer!!!)

    É o General "KOPELIPA" que também comprou vinhas no Douro e é accionista de vários bancos etc. etc.
    Na realidade, é o nº 1 depois do José Eduardo dos Santos, o Presidente da República de Angola.


    "NOTÍCIAS DE ANGOLA"
    www.noticiasdeangola.ning.com/profile/RENATOSANTOS
    http://www.noticiasdeangola.ning.com/
    http://www.unyk.com/pt/id/5205543


    ANTÓNIO JOSÉ SARAIVA - CRISE NACIONAL DEPOIS DO 25 DE ABRIL

    .
    Creio que a maioria das pessoas ainda não percebeu bem esta crise – e os economistas não estão a saber explicá-la com clareza.
    É verdade, como se tem dito, que há uma ‘crise nacional’ e uma ‘crise internacional’.
    Mas, depois desta evidência, a confusão que por aí vai é enorme.
    Comecemos pela crise portuguesa.
    Trata-se de uma crise profundíssima, potenciada por três factos capitais: o fim do Império, a passagem da ditadura à democracia e a entrada na União Europeia.
    Tudo isso, que se pensava vir a ter um efeito benéfico na economia, produziu de facto consequências devastadoras.
    O fim do Império limitou-nos o espaço vital, cerceou-nos matérias-primas e mercados, diminuiu-nos política e psicologicamente.
    A passagem da ditadura à democracia (com o seu rosário de greves, nacionalizações, perseguições, saneamentos, reivindicações laborais insustentáveis, etc.) destruiu boa parte do nosso tecido económico.
    A entrada na União Europeia e a abolição das fronteiras pôs-nos em confronto com economias muito mais avançadas, acabando de liquidar o que restava da nossa débil capacidade produtiva.
    A crise internacional é de outra natureza.
    Ela decorre da globalização e tem duas vertentes.
    Por um lado, os produtos feitos no Ocidente começam a não ter condições para competir a nível global com outros produzidos em países (China, Índia, Coreia, etc.) onde os salários e as regalias laborais são muitíssimo inferiores.
    Por outro lado, as empresas tendem a transferir cada vez mais as suas fábricas e serviços de Ocidente para Oriente – o que significa que no Ocidente vai aumentar o desemprego e no Oriente vai acentuar-se a procura de mão-de-obra.
    E, em consequência disso, no Ocidente baixarão os salários, acabarão muitas regalias sociais, numa palavra, será posto radicalmente em causa o tipo de vida que se fez nos últimos 50 anos.
    No Oriente, pelo contrário, os salários tenderão a subir e o nível de vida crescerá.
    Assim, a crise que hoje se vive no Ocidente é de natureza diferente das anteriores.
    Antes, eram crises de crescimento do capitalismo dentro da sua área geográfica; agora, a crise tem a ver com a globalização do capitalismo.
    Repare-se que grande parte do planeta, que até pouco vivia fora do sistema capitalista, aderiu à sociedade de mercado: basta pensar nas adesões quase simultâneas da Rússia e da China para se ter uma ideia do abrupto alargamento da área do capitalismo nos últimos anos.
    Os grandes grupos multinacionais, que antes estavam limitados a um determinado espaço territorial, hoje têm o planeta inteiro para instalar os seus centros de produção – podendo procurar os salários mais baixos, as melhores ofertas de mão-_-de-obra, as menores regalias dos trabalhadores.
    O planeta tornou-se um sistema de vasos comunicantes – onde, para uns viverem melhor, outros vão ter de viver pior.
    Para certas regiões subirem o nível de vida, outras vão necessariamente perder privilégios.
    Perante isto, perguntará o leitor: o que poderemos fazer para inverter o estado das coisas?
    Basicamente, não há nada a fazer.
    Os factores que potenciaram a crise nacional são irreversíveis – e a globalização não vai andar para trás.
    Assim, vamos ter de nos adaptar à nova situação, o que significa de uma maneira simples trabalhar mais e ganhar menos.
    Os salários vão baixar (lenta ou abruptamente) entre 10 e 30%, os horários de trabalho vão aumentar (com a abolição total das horas extraordinárias), o 13.º e 14.º meses vão ficar em causa, a idade da reforma também vai ser ampliada (para perto dos 70 anos), o rendimento mínimo garantido vai regredir drasticamente, o subsídio de desemprego também vai diminuir, a acumulação de reformas vai ser limitadíssima.
    Muitas ‘conquistas dos trabalhadores’ na Europa, obtidas no pós-_-guerra, vão regredir.
    As leis laborais vão ter de ser flexibilizadas.
    O sistema de saúde não vai poder continuar a gastar o que tem gasto.
    Preparem-se, porque não vale a pena protestar.
    O que não tem remédio, remediado está.
    Dizia há dias, com graça, Ernâni Lopes, a propósito do subsídio de férias: «Se dissessem a um americano: ‘Para o mês que vem não trabalhas e ganhas dois ordenados’, ele não acreditava».
    Pois há muitos anos é esta a situação: não trabalhamos nas férias e recebemos o dobro.
    Isto vai acabar.
    José António Saraiva

    AS SUAS NOTÍCIAS NO DIA 13.06.10

    Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

    Igreja proíbe política nas homilias
    Leiria: Morre debaixo de tractor
    Vera Jardim: Acordo exemplar
    Passos Coelho: Na África do Sul
    Algés: Colhida por comboio

    Capa do Público Público

    Sorteio do totoloto (24/ 2010)
    Lewis Hamilton alcança a primeira pole position da temporada
    Portugal vence a Grécia na Liga Europeia
    Academia das Letras de Trás-os-Montes nasce para salvar identidade da região
    Um guarda-redes que tira ilusões a Fabio Capello e aos ingleses

    Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

    Avenida abriu desfile com sons do Carnaval
    Marchas Populares desfilam na Avenida
    Tratamento prolonga vida a doentes com cancro da pele
    IKEA: Estores perigosos não estão à venda em Portugal
    Corte nos medicamentos e nas horas extraordinárias

    Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

    Cuba liberta prisioneiro político Ariel Sigler
    Jackpot no Totoloto garante 1,4 milhões de euros no próximo concurso
    Viagem às aldeias que não querem ser modernas
    "É um incentivo ao despovoamento"
    Ministério da Educação "vai ter de recuar" no fecho das escolas

    Capa do i i

    Daniel Serrão. "O tempo da morte é de uma riqueza formidável"
    Deixe a culpa em casa e leve as crianças à creche
    Salto do 9º ano viola duas vezes a Constituição
    Jerónimo de Sousa. "Sair do euro, como medida isolada, não!
    PSD denuncia excesso de chefias e salários "muito elevados" nas empresas do Estado

    Capa do 24 Horas 24 Horas


    Capa do A Bola A Bola

    «Falcao garantiu-me que não sai este ano» - diz o pai
    «Sporting tem boas hipóteses de contratar Petrovic»
    Roberto ansioso por chegar a Lisboa
    O adeus de Melnychuk
    «Não tenho desculpa» - Robert Green

    Capa do Record Record

    Domingo, 13 de junho de 2010
    Propostas só chegam aos 8 milhões
    Obrigados a vender duas pérolas
    Monaco na Luz para apresentação da equipa
    Maniche aguarda aval de Bettencourt

    Capa do O Jogo O Jogo

    GP Canadá: Schumacher admite semana difícil
    Dauphiné Libéré: Manuel Cardoso desclassificado
    Robert Green: "Assumo as minhas responsabilidades"
    Torneio de Birmingham: Sharapova e Li Na disputam final
    Sails of

    DIPLOMACIA PORTUGUESA: "UMA BICICLETA ANTIGA" QUE NÃO TEM PEDALADA




    Notas Verbais

    DISPENSAs & PRIVILÉGIOs Talvez seja isto
    Diplomacia faz de conta e bicicleta estacionária são duas atividades idênticas: nunca se sai do mesmo sítio.
    - Manuel CDXVI Paleólogo©
    Share Telegrama de Domingo, Junho 13, 2010