Translator

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Finalmente ficou definido o grau académico de Sócrates ...



Ele é ........
Bicharel !!!

O VIEIRA: MESTRE DE GRANDES GOLPES!

.


MOTIVO PARA O VIEIRA ANDAR A DISPARAR EM TODOS OS SENTIDOS.....(AFINAL ELE É UM GRANDE VIGARISTA E PRECISA DE FUMO PARA DISFARÇAR)


Cansado de ouvir chamar "super-sumo" da Gestão a um ladrão condenado pelo Tribunal da Boa-Hora e a um gebo com a quarta-classe que se faz passar por Professor Doutor, decidi confirmar as minhas suspeitas e ver se eventualmente não estaria a ser injusto com o Luís Beirolas, cabecilha do clube do regime e não só (ao fim e ao cabo, sou a favor da iniciativa privada e o homem até podia mesmo ser um "honesto pai de família" com um toque de Midas para os negócios que lhe permitiu chegar do zero, a 74º mais rico de Portugal, em poucos anos). O problema é que me bastou fazer umas pesquisas, para constatar o que há muito desconfiava... o Orelhas não passa dum burlão como o Vale Tudo, para pior.
O cadastrado presidente das gertrudes encornadas, ao contrário do que nos quer fazer crer a maquina de propaganda lá de baixo, é um larápio asqueroso e mal-formado, capaz não só de "desviar" um camião como de nos deixar a arder em 6 milhões de Euros (não confundir com adeptos), em apenas uma das muitas empresas que já ajudou a levar à falência (o montante total nem desconfio quanto seja... mas só 500 milhões de passivo tem o milhafre).
É que o fundador de determinado grupo de alegado sucesso, não passa dum caloteiro penhorado e dum gerente tão fantástico que chegou até a ser destituído do cargo numa das empresas por onde passou (demitido e posto fora à força, leram bem).
E agora, uma vez que não gosto de difamar como os cobardes adeptos dum certo clube lá de baixo, passo a provar as minhas afirmações.

GLORIOSO CURRÍCULO D' ORELHAS, O PENHORADO
Em 25 de Março de 2009, através do Anúncio n.º 2466/2009. D.R. n.º 59, Série II de 2009-03-25 , o 4.º Juízo do Tribunal de Comércio de Lisboa, fez saber que foi sentenciada a declaração de insolvência, inerente ao processo n.º 576/08.4TYLSB que a empresa CITAC moveu contra a CIMOVENDA, por incapacidade total desta ultima pagar as dívidas aos seus credores.
------------------------- // ------------------------------
Processo: 576/08.4TYLSB — Insolvência (Requerida)Requerente: CITAC
Circ. Int. TV e Ant. Col. L.da
Insolvente: CIMOVENDA — Constr. e Venda de Imóveis, L.da
------------------------- // ------------------------------
E daí, perguntará o leitor, o nome do Orelhas nem lá aparece. Pois não. A CIMOVENDA é que aparece na lista negra de devedores do Estado Português, com um total de 35 bens penhorados e uma dívida que ascende a 6 milhões de Euros.
-------------------------- // -----------------------------
Do rol de bens penhorados constam 35 pertencentes à empresa Cimovenda
- Construção e Venda de Imóveis, LDA, para pagamento de uma dívida que se eleva a seis milhões de euros.
------------------------- // ------------------------------
A CIMOVENDA brilha ainda numa penhora conjunta de 69 imóveis efectuada também à FIPAR, pelo Tribunal de Vila Franca de Xira.
------------------------- // ------------------------------
O processo de penhora corre na cidade do Porto e foi executado à CIMOVENDA – Construção e Venda de Imóveis, Lda e à FIPAR – Soc. Gestora de Participações Sociais, S.A.
------------------------- // ------------------------------
Continuo sem perceber nada, dirá o leitor, o que é que isso tem a ver com o cadastrado presidente das gertrudes encornadas?
Eu explico. Sua incandescência, o Ventoinha, também conhecido por Kadhafi dos Pneus, foi gerente da dita sociedade, como prova o N.º 288 do DR de 15 de Dezembro de 2000 - III SÉRIE
------------------------- // ------------------------------
CIMOVENDA - CONSTR. E VENDA DE IMÓVEIS, L.DA
Cessação de funções do gerente Luís Filipe Ferreira Vieira, por ter renunciado, em 3 de Agosto de 1998
------------------------- // ------------------------------
Ah, mas renunciou antes, portanto pode não ter tido nada a ver com as dívidas, dirão os mais incautos. Poder até podia, não fosse o facto de ser quem é, ter enriquecido meteoricamente (com negócios como o do Mantorras) e a renúncia ao cargo ter sido legalizada mais de 2 anos depois de ter ocorrido (15 de Dezembro 2000 - 02 de Agosto 1998), os bens penhorados das duas empresas serem no mesmo prédio e o Beirolas, muitos anos depois, ainda aparecer como co-administrador do antigo gerente da FIPAR, numa terceira empresa, a EDIVERCA, que também acaba de falir, como prova o N.º 219 do DR de 11 de Novembro de 2009 - II SÉRIE
------------------------- // ------------------------------
Processo: 1193/08.4TYLSB - Insolvência (Requerida)
Requerente: Schindler-Ascensores e Escadas Rolantes Sa
Insolvente: Ediverca - Projectos & Construções, Lda
São administradores do devedor:
Mário Fernando Dinis
Luís Filipe Ferreira Vieira
Alberto José Vieira Martins
------------------------- // ------------------------------
Co-administrador esse, Alberto José Vieira Martins, que já morreu mas que alguém se esqueceu de avisar o Estado Português do seu falecimento, pelo menos em relação à EDIVERCA, continuando a figurar como seu administrador 9 anos após ter sido dado como morto na FIPAR, em 2000, como prova o N.º 29 do DR de 4 de Fevereiro de 2000 - III SÉRIE
------------------------- // ------------------------------
FIPAR - SOC. GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S. A
Cessação de funções do presidente do conselho de administração, Alberto José Vieira Martins, por ter falecido, em 27 de Setembro de 1998
------------------------- // ------------------------------
Quase escusado será dizer que a FIPAR também já faliu (em fevereiro deste ano). Além disso, Alberto José Vieira Martins tinha ligações à IMOLOC (lembram-se dela? Aquela em contenda com o Rui Riacho pelos terrenos no Parque da Cidade e que as gertrudes encornadas gostam de tentar ligar ao Pinto da Costa?). Pois por coincidência das coincidências, a IMOLOC no vale do tejo tem ou tinha EXACTAMENTE a mesma sede que a MENDONÇA & PAULINO, L.DA, empresa onde o Professor Doutor com a quarta-classe chegou a ser gerente
------------------------- // ------------------------------
MENDONÇA & PAULINO, L.DA
Cessação de funções do gerente, Luís Filipe Ferreira Vieira, por ter renunciado em 3 de Agosto de 1998
------------------------- // ------------------------------
Mendonça & Paulino Lda.
Morada: Rua Alexandre Herculano, 2 -2 E
IMOLOC - Investimento Imobiliário, S. A,
Morada: Rua de Alexandre Herculano, 2, 2.º, Esquerdo.
------------------------- // ------------------------------
E a IMOBASE, empresa de quem o Orelhas também foi gerente, fica no andar de cima e tem o mesmo telefone da CIMOVENDA, a tal penhorada até às orelhas de elefante do Beirolas, que por sua vez tem o mesmo telefone e fax da FIPAR. Há ainda uma quarta empresa ligada a esses números (e endereço), a SINA. Curioso, não?
------------------------- // ------------------------------
Mendonça & Paulino Lda
MORADA: Alexandre Herculano, 2 -2 E
TELEFONE: 213596300
Imobase - Empreendimentos Imobiliarios, Lda
MORADA: Rua Alexandre Herculano, 2 3º-Esqº
TELEFONE: 213596300
Sina - Património Imobiliário, Lda
MORADA: Rua Alexandre Herculano, 2 1ºESQ.
TELEFONE: 213596300 ; FAX: 213596312
Fipar - Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A.
MORADA: Rua Alexandre Herculano, 2 3ºESQ.
TELEFONE: 213596300 FAX: 213596312
Cimovenda - Construção e Venda de Imóveis, Lda
Rua Andrade Corvo, 29 - 2º Direito
TELEFONE: 213596300 FAX: 213596312
------------------------- // ------------------------------
Interessante, mas afinal depois de tanta treta sobre os mandatários da Desliza Ferreira, inimigos (aparentemente) do Rui Riacho, estes vão parar directamente ao cadastrado presidente das gertrudes encornadas, Luis Kadhafi dos Pneus? Que grande volta... maquiavélica, quase, bem ao jeito do "por outro lado" que ele tanto gosta.
Serão talvez falências, confusões e coincidências a mais, não? Bem, isso já são contas para o Ministério Público fazer (que não há-de fazer nunca ou não estivesse o FILME ORIENTE do Beirolas a ser realizado pelos Espírito Pecador). O que me interessa é que o "super-sumo" da Gestão lá de baixo, quer queira, quer não, está directamente envolvido na falência das seguintes empresas:
CIMOVENDA (penhorada até às Orelhas do Beirolas)
EDIVERCA (penhorada até aos Pneus do Kadhafi )
FIPAR (penhorada até às hélices do Ventoínha)
e para cúmulo dos cúmulos, foi destituído das funções de gerente da CAMIONAGEM PÉROLA OUREENSE, como prova o N.º 133 do DR de 11 de Junho de 2002 - III SÉRIE
------------------------- // -----------------------------
CAMIONAGEM PÉROLA OUREENSE, L.DA
Cessação de funções do gerente Luís Filipe Ferreira Vieira, por destituição, em 12 de Maio de 2001.
------------------------- // -----------------------------
Lindo, não é? Hã, hã? Que maravilha de gestor... aproveito para referir o n.º 6 do Art. 257º do Código das Sociedades Comerciais.
---------------------------- // ---------------------------
Constituem justa causa de destituição, designadamente, a violação grave dos deveres do gerente e a sua incapacidade para o exercício normal das respectivas funções.
---------------------------- // ---------------------------
Convém salientar que o acto de destituir um gerente é hostil e geralmente usado apenas como ultima alternativa contra quem não quer renunciar ao cargo de livre vontade e somente quando não se chega a acordo para que saia a bem. Ah! E os gerentes são responsáveis pelas dívidas duma sociedade contraídas durante a sua gestão, pelo menos ao fisco e à segurança social, podendo o incumprimento dessas obrigações dar direito a pena de prisão.
Para quem é um "super-sumo" da Gestão, fica-se com a sensação que o Beirolas é um guru, sim senhor, mas a deixar calotes para o contribuinte pagar (tipo o passivo do clube do regime).É esta a capital que temos, onde um ladrão de moedas de elefantes, que nada deu a Portugal, a não ser prejuízo, é elevado à condição de magnata, D.Sebastião do Minarete, "honesto pai de família" e intocável arauto da verdade desportiva lá de baixo (não chegou sequer a ser arguido do "Apito ad-Douro") mesmo depois do historial que tem, enquanto o melhor gestor desportivo de todos os tempos, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, nascido em berço de ouro e que tantos motivos de orgulho tem dado a Portugal, colocando-o no mapa do futebol mundial, é tratado como um assassino. Mas longos dias têm cem anos... e a inveja do vale do tejo não há-de ficar sempre impune.
Esta dualidade de critérios vigente na ditadura de informação em que somos obrigados a viver pela capital medíocre que temos, é insuportável. Somos roubados e ainda difamados como corruptos, há que dizer basta.

Que grande atrasado mental e demagogo!!!

.
AFINAL O EQUIPAMENTO É SÓ PARA PROTEGER OS POLÍCIAS !!!
A malta da Cimeira está protegida por definição,isto é têm todos seguro de acidentes pessoais
As suas afirmações devem ter por base "intelligence" produzida pelos espiões que temos no Afeganistão...
As verdadeiras razões para esta aquisição passam pelo MEDO que esta gente está a começar a sentir do povo revoltado, e também como habitualmente pelos interesses na negociata sem concurso público!
.

Rui Pereira assume risco de atentado terrorista
por VALENTINA MARCELINO22 Outubro 2010
.

Ministro usou de todas as cartas para justificar a despesa extraordinária de 5 milhões para a segurança da Cimeira da NATO.
O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, assumiu ontem o agravamento da ameaça terrorista no nosso país, por causa da realização da Cimeira da NATO, em Lisboa, no próximo mês de Novembro. Esta declaração foi feita ontem aos deputados de todos os partidos, presentes na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, a quem estava a justificar a despesa extraordinária de cinco milhões de euros em viaturas blindadas, equipamento "repressivo" e de protecção pessoal para a PSP. Rui Pereira sublinhou que se "orgulhava" desta aquisição porque os "polícias são pessoas que têm de ser protegidas".
Lembrando as recentes ameaças de atentados terroristas que atingiram a Europa, principalmente a França, a Inglaterra e a Espanha, Rui Pereira frisou que este risco "só pode aumentar por ocasião da Cimeira da NATO" e que "ignorar" esse facto "seria irresponsável".
Mas esta justificação do titular da pasta da Segurança ainda incandesceu mais os deputados do PCP e do Bloco de Esquerda, que tinham levantado dúvidas sobre a oportunidade de realizar esta despesa, numa altura em que os portugueses estão a ser tão penalizados com o plano de austeridade.
O comunista António Filipe, de quem partiu o requerimento para presença do ministro, classificou de "infeliz" a argumentação de Rui Pereira: "Mas a prevenção do terrorismo faz-se com viaturas anti-motim. São estes veículos que vão proteger os portugueses?", questionou.
O deputado fez um apelo directo ao ministro para que não gastasse agora os cinco milhões de euros neste equipamento, sob pena, advertiu, de "ficar com o anátema de ser o ministro que, numa altura em que se está a cortar o abono de família a milhares de portugueses, gasta 5 milhões de euros em equipamento repressivo".
As outras dúvidas dos deputados prendiam-se com a origem da verba para esta compra - do Governo Civil de Lisboa - e a utilidade futura, para além da cimeira, do equipamento que vai ser comprado. O Governo explicou que a verba era do saldo que tinha transitado de 2009, mas o PCP quer saber os "saldos de todos os restantes Governos Civis", pois "não foram apresentados aos deputados quando os orçamentos foram discutidos", ficando a parecer que existe uma espécie de "saco azul".
A deputada do PSD, Teresa Morais, fez a derradeira e determinante questão: "E o material vai chegar a tempo da cimeira?" A resposta do secretário de Estado Adjunto da Administração Interna, Conde Rodrigues, não foi reconfortante: "Estamos a desenvolver todos os
procedimentos legais exigidos por lei e temos a expectativa que chegue a tempo."

A PÁTRIA NÃO É DE TODOS

A pátria não é de todos
por Baptista Bastos [*]
Uns murmuraram a sua atroz ignorância, outros a sua melancólica indiferença. Até que uma mulher de idade avançada, com a desconfiança pregada nos olhos e a sabedoria procedente de todas as agruras, respondeu: "Não acredito em nada nem em ninguém. Eles estão lá para se encher".

É o sentimento geral. A impotência associada à resignação; seja: o pior que pode acontecer a uma sociedade, abjurante das virtudes do civismo. Não é só o rotativismo de poder, disputado entre, apenas, dois partidos, que causa esta indolência moral. É a péssima qualidade intelectual dos políticos. É a clara evidência de que dividem o "bolo" entre eles, substituindo-se nas administrações, nos bancos, nas grandes empresas, aumentando os vencimentos a seu bel-prazer, auferindo-se bónus e mordomias escandalosos. Vem nos jornais. Nada do que digo ou escrevo é resultado de qualquer rancor: factos são factos.

Pedro Passos Coelho ouviu, daqueles santos sábios, o que queria ouvir. E eles também não queriam ou não sabiam dizer outra coisa. Isto anda tudo ligado, e as relações políticas, entre aparentes adversários, são grandes rábulas, alimentadas pelo embuste e pela mentira. Penso, no entanto, que o presidente do PSD devia escutar vozes dissonantes, opiniões divergentes que permitissem uma análise mais clara e acertada. Claro que não é só Passos Coelho que ouve o que deseja ouvir. Todos os outros dirigentes, Sócrates incluído, e na primeira linha, seguem a música de idêntica mazurca.

Os sábios que se reuniram com Sócrates são muitos daqueles que pertenceram a governos execráveis, culpados de tudo o que de pior nos tem acontecido. Quase todos eles detêm reformas de luxo, duas e três, e atrevem-se a debitar, para as televisões, patrióticas lições salvíficas. Uma vergonha! Um deles, com deficiências de fala e escuma aos cantos da boca, trabalhou seis meses no banco do Estado e recebe uma reforma vitalícia de três mil e seiscentos contos (moeda antiga) pelo denodado esforço desenvolvido. Cito-o com frequência por entender que o cavalheiro é o retrato típico de uma situação abominável.

Quem pode acreditar em gente deste jaez e estilo? Em gente desavergonhada que tem, escancaradas, as televisões, para dizer sempre o mesmo, ou seja: coisa alguma de importante.

Afinal, de que falaram os quase vinte sábios? Com a soberba que os caracteriza, indicaram os mesmos remédios para a superação da crise: cortes nas despesas da saúde, da educação, e da previdência; rebaixamento de salários na função pública; acaso a supressão do décimo terceiro mês; redução nas pensões, aumentos nos medicamentos. É o pacote consuetudinário sugerido por quem, de facto, não dispõe de outras ideias e soluções que não sejam as do breviário neoliberal. A OCDE, considerava "muito credível", veio rezar semelhante litania. E ai de quem a desmonte! É logo considerado comunista ou afim. Um pouco de decência não faria mal.

Observe-se os rostos desta gente. Atente-se no que dizem, prometem, formula. Não conseguem mobilizar ninguém, nem concentrar emoções ou sentimentos, exactamente porque os não possuem. No começo da revolução de Abril, o Governo lançou um alerta e um apelo: Um Dia de Trabalho para a Nação. O País aceitou o pedido e a invocação. E foi um belo momento de unidade nacional, uma acção colectiva de patriotismo e de esperança absolutamente inesquecível. E só a má-fé ou a má consciência podem distorcer o que foi um extraordinário acontecimento político e social.

As frases daquela mulher, na televisão, ressoam como uma tragédia: "Não acredito em nada nem em ninguém. Eles estão lá para se encher." E a verdade é que o enriquecimento surpreendentemente rápido de muitos deles; a pesporrência arrogante da esmagadora maioria desses senhoritos é mais do que desacreditante: é sórdido.

Os jornais e as revistas, de vez em quando, publicam os nomes, os rendimentos, as casas luxuosas, os iates, os carros topo de gama dos que nos exigem sacrifícios, suor, renúncia, abnegação. Exigem mas não praticam. E, se o fazem, as beliscaduras nas suas fortunas são tão delicadas, tão suaves que eles nem dão por isso. Quando se tira a um reformado o mais escasso dos cêntimos as dificuldades que daí advêm são de tal monta, e as consequências imediatas são terríveis.

Os sábios que foram dizer a Passos Coelho o que este, comovidamente, queria ouvir, não estão ao lado de quem sofre e está na mó de baixo. A indiferença nunca ocultada, a ganância jamais dissimulada, o luxo em tempo algum encoberto (bem pelo contrário) constituem eloquentes testemunhos da casta a que pertencem. Portugal continua a ser, como escreveu João de Barros, "país padrasto e pátria madrasta" – para muitos, bem entendido, e "ridente torrão de malandros" [Filinto Elísio, "Sátiras"] para os que se ajustam.
[*] Escritor, b.bastos@netcabo.pt

CHEIAS NA TAILÂNDIA – VIAGEM AO "BAN PORTUGUET" (ALDEIA DOS PORTUGUESES)


.
Devido a notícias publicadas, na comunicação social nos últimos dias, hoje desloquei-me a Ayuthaya (100 quilómetros a norte de Banguecoque), com o propósito de analisar se as águas tinham invadido a paróquia de S.Domingos no “Ban Portuguet”.
.
Por enquanto de Banguecoque viaja-se sem tomar qualquer precaução e a água galgar o piso de estradas. Junto às margens do rio Chão Prya há de facto casas, até ao primeiro andar submersas.
.
Brigadas de trabalhadores, auxiliados por máquinas, colocam terra e sacos de areia nas margens de estradas para que a cheia, que se prevê, nos próximos, dias chegar a Ayuthaya. Por enquanto a situação é normal e igual a anos anteriores.


Paróquia de São Domingos vista do Campo Japonês. Casas submersas até ao primeiro andar

Campo Japonês a água entrou no espaço. Segundo informações recolhidas no local é previsto que o rio suba mais meio metro. Do outro lado do rio os campos inundados.


Lado direito outra imagem captada do Campo Japonês. O embarcadouro, da Paróquia de São Domingos está irremediavelmente perdido.
.
A falta pertence ao representante português acreditado na Tailândia que durante 4 anos de pernanência, em Banguecoque, não teve interesse em preservar o pouco que de Portugal ainda existe na Tailândia.
.
A Embaixada de Portugal em Banguecoque, possui o único e substancial saco azul, entre outras embaixadas, de centenas de milhares de euros que com apenas dois mil euros, anuais, poderia ali estar um homem a cuidar o espaço que evitaria o descalabro do embarcadouro perder-se.

Imagem do lado direito: Museu na paróquia de São Domingos. Dentro preserva as ossadas de lusos e tailandeses que ali viveram e morreram desde o século XVI à década setenta do século XVIII. Um homem a expensas do "Fine Arts Department" da Tailândia, olha pela bomba que durante 24 horas escoa a água, do rio, que penetra, na paróquia de S.Domingos.

O "Fine Arts Department", como em anos anteriores, colocou um dique de chapas de cimento, escoradas com tubos de ferro, para aguentar a pressão da força da corrente, do Rio Chao Prya.
Os católicos, residentes, junto à paróquia de São Domingos navegam em camaras de ar ou caminham na inundação.

AS SUAS NOTÍCIAS NO DIA 22.10.10

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

‘Rei Ghob’: Relação mantém prisão
Silvio Berlusconi: Dívida perdoada
Ana Jorge: Operação está paga
Patrocínio: 12 milhões no futebol
Braga: Incêndio intoxica idoso

Capa do Público Público

Lista de produtos que vão ser taxados com 23 por cento de IVA divide bancada do PS
Diálogo entre Governo e PSD vai começar e deve ser rápido
Reista de imprensa: destaques do "Correio da Manhã"
Líder parlamentar do PSD apela à unidade no sentido de voto
Comissão Nacional de Jurisdição do PS não repete eleições da Federação Distrital de Coimbra

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

"Somos todos culpados nesta morte"
"Soube o que era o terrorismo quando perdi a minha filha"
Rui Pereira assume risco de atentado terrorista
Mais de cem queixas num anocontra a tolerância do ruído
Sair da escola para fumar expõe alunos a mais riscos

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Aprovados 19 projectos para a Ciência
Câmara justifica "invasão" com o interesse público
Juízes soltam líderes do gangue dos ?smarts?
Projecto na "seca" há anos
Aterrar héli do INEM no Douro custa cinco mil euros por mês

Capa do i i

Saúde abre concurso para integrar 150 novos especialistas
Mariana Rey Monteiro. O teatro nacional perdeu uma das suas últimas damas
Quase metade dos cursos de formação de professores com média de 11 valores
Risco de fome. Carência alimentar sobe 7,5% e atinge mais de 460 mil
Francisco Lopes. "País comunista não há nenhum. Nem nunca houve"

Capa do Diário Económico Diário Económico

Sindicatos acusam Educação de faltar a acordo
Segurança Social vai vender 266 bens penhorados
Governo e PSD buscam acordo rápido para o OE
“PPP são uma irresponsabilidade política e financeira”
PS acusa Governo de desautorizar Lacão e deputados

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Unidade asiática da AIG faz maior oferta pública inicial de Hong Kong
Lucros da Ericsson superam estimativas
Petróleo sobe com perspectivas mais positivas para a economia dos EUA
Acções asiáticas sobem animadas por resultados e dados do desemprego nos EUA
As notícias em foco na edição de hoje, dia 22 de Outubro, no Negócios

Capa do Oje Oje

Estado vai emitir mais 1250 milhões
Continente e Jumbo abrem este domingo
Fitch corta rating do Montepio
Sabadell lucra menos 27,4% em 9 meses
Resultado da Nokia supera previsões

Capa do Destak Destak

"Espero que esta exibição cale de vez os Bin Laden do futebol português"
Isaltino Morais constituído arguido por suspeita de corrupção quando era ministro
Matou rival em triângulo amoroso e foi condenada a 30 anos de prisão
Belmiro de Azevedo diz que Portugal precisa de "decisões rapidamente" e critica "luta entre partidos"
"Tropa de Elite 2" é um sucesso no Brasil

Capa do A Bola A Bola

Besiktas: Quaresma de novo em Portugal
Paulo Bento esteve em Alvalade
Aparece Custódio
Portugal e Chile agendam particular para Março
Suspensão confirmada para Nuno Ribeiro

Capa do Record Record

Um estádio talismã
Para JJ esquecer
Só o Benfica não acertou na baliza
Polga falha Rio Ave
Vazic Aleksandar: «Sei que o Benfica está a ver o Strinic»

Capa do O Jogo O Jogo

Polga lesionado não joga frente ao Rio Ave
Nacional-Académica adiado devido ao mau tempo na Madeira
Pinto da Costa: "Espero que esta exibição cale os Bin Ladens do futebol português"
Franck Dury: “O Sporting teve muitas oportunidades”
Paulo Sérgio: "São estes resultados que quero"