Translator

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

AS SACHOLADAS DO KAOS: UM COISO QUE NÃO VALE E REENCARNAÇÃO DA POBREZA

Um coiso que não serve para nada


Medina Carreira afirmou na TVI24 que ela, Constituição, “não serve para nada [porque] não paga despesa nenhuma”. Ouvir o Medina Carreira é olhar para um túnel sem luz ao fundo. Por ele, o nosso Nostradamos prendia todos os ex-governantes pelo que fizeram ao país e fazia o que eles não fizeram, transformar o trabalho assalariado em trabalho escravo e se necessário até de chicote. Felizmente quando esteve ele no governo deste país nunca fez aquilo que acusa os outros de  não terem feito. Mas, há sempre uma desculpa, a Constituição. É uma chatice, só cria problemas e empecilhos. Felizmente, porque isso faz com que já sirva para muita coisa.
Mas, melhor que eu diz o Manuel António Pina no “JNOra a Constituição, mesmo não pagando “despesa nenhuma”, serve obviamente para alguma coisa: para Medina Carreira ter sobre que falar. Dir-se-á ainda que as circunstâncias de Medina Carreira o contradizem, já que as suas prestações televisivas não servem para nada e, contudo, pagam-lhe as despesas.»

Reencarnação da pobreza

-
“A crise que atravessamos é uma oportunidade para que os Portugueses abandonem hábitos instalados de despesa supérflua, para que redescubram o valor republicano da austeridade digna, para que cultivem estilos de vida baseados na poupança e na contenção de gastos desmesurados, para que regressem ao consumo de produtos nacionais, para que revisitem o seu país e aí encontrem paisagens esquecidas e um património histórico que só sendo conhecido pode ser acarinhado e preservado.”
Cavaco Silva no discurso do 5 de Outubro
Foi como se tivesse feito uma viagem no tempo e estivesse a ouvir de novo um dos velhos discursos do Botas. Ou isso ou o seu espírito reencarnou na figura do Cavaco. Ao que os ideais da Republica e as esperanças do Abril dos cravos chegaram.

Sem comentários:

Enviar um comentário