Translator

sexta-feira, 4 de março de 2011

NA MANHÃ DE SEXTA-FEIRA - A MAGIA DO RIO KWAI E A CANÇÃO DA VIDA

.
No Rio Kwai mais uma vez de tantas que por aqui tenho passado desde há três anos. Encontro uma certa liberdade e solidão, porque esta de quando em quando faz-me bem. Como sempre e de quando no Rio Kwai abrigo-me no Jolly Frog (Júlia Rã) junto ao remanso constante da corrente do rio nascido nas montanhas do ex-Reino do Pegú (Birmândia). Kanchanaburi a cidade é tranquíla e arredores com as terras agrícolas e seus pomares, são mares e montanhas de verdura.
.
A gente é simples, excelente e as ruas absolutamente seguras quer de noite ou de dia. Sou já gente daqui e todos me conhecem nas ruas adjacentes ao "Jolly Frog". Tratam-me por "pá-pá" devido a minha idade que bem poderia ser pai ou avô daqueles que assim me chamam. O "Jolly Frog" está a arrebentar pelas costuras e lotado de turistas jovens, estrangeiros, de mochila às costas e de muitas nacionalidades.
.
Visitam Kanchanaburi e a ponte do Rio Kwai porque além de haver muito para ver por aqui há os preços e o turismo barato de qualidade. O turismo seja este aonde for, praticado, não se mede pelos hoteis de 5 e menos estrelas, mas pela limpeza, a comida e os poucos mais de 150/295/500 bates a dormida (4/7 e 10 e mais euros).
.
Claro, no que me toca a mim, terei me cozer-me com as linhas e o dedal que tenho, nos meus "safáris" pela Tailândia, pois a minha "reforma" do Estado Português depois de o servir, 24 anos na Embaixada de Portugal em Banguecoque, tem a classificação de "merda" e agora com a desvalorização do euro em relação ao bate (moeda tailandesa), pior ainda e terei que gerir o montante à maneira.
.
Vou deixar-me de lamúrias e cá vou vivendo, sem ser ao Deus e o que vier se aceita, por que felizmente a comida neste Reino da Tailândia ainda dá para dar ao dente a preço convidativo, onde um saco de arroz de 5 quilos se pode adquirir por pouco mais de um euro e meio.
.
Ontem chuveu a cântaros como se o céu desabasse em cima do solo. Chuvas que vêm antes do tempo e um mês e meio da chegada do Ano Novo Budista, em meados de Abril. Algo vai mal neste Mundo e o homem animal a estragar as condições climatéricas.
.
De manhã quando me levantei,na hora do chilrear da passarada, entrou-me nas narinas o cheiro da terra tostada pela chuva da tarde do dia anterior. O cheiro fez-me lembrar, o mesmo que aspirei, o meu tempo de criança, na minha aldeia no sopé da Serra da Estrela, quando o solo, dos alqueives, transpiravam, pela pela manhã quando o Sol lhes batia. A ruralidade de minhas raizes não me larga pela vida fora.
.
Vamos ao dia de hoje e largar águas passadas que não moem farinha...Carrego, comigo a velha companheira Nikon D70 e guio o Honda Civic (14 anos nas mãos) em direcção à Ponte do Rio Kwai

Imagem esquerda: a vendedeira de postais e brochuras sobre a Ponte do Rio Kwai, ordenou a sua mercadoria e prepara-se para a vender aos turistas. Brochuras em quatro linguas. Lado direito duas imagens: normal se observar na Tailândia estudantes a visitar os lugares históricos e turísticos enriquecendo seus conhecimentos. Com eles um caderno onde escrevem uma redacção e riscam um desenho.
Imagem da esquerda: a Ponte sobre o remanso da corrente do Rio Kwai. Estrutura metálica que é o símbolo da repressão e expansão japonesa, nas Ásia durante a II Guerra Mundial. Imagem da direita: pouco passavam das nove da manhã, os primeiros caminhantes entram na ponte. Durante o dia passam milhares deles.

Hoje a ponte é segura ao caminhante. Antes assim não era e até perigosa a alguém se desiquilibrasse e cair na corrente do rio. Chapas de ferro e guardas foram colocadas ao longo da ponte. Um casal de namorados para o "boneco" e ficar para as prosperidade.
Imagem da esquerda: grupo de visitantes de jovens tailandeses dão largas a sua alegria e uma fotografia onde todos ficam inseridos. Três estudantes e uma imagem para ser recordada de quando adultos. Toda a juventude é isto e também o fui!

Dois ângulos de uma estrutura metálica que teve como objectivo os japoneseses ligarem Singapura à Birmânia. Esteve no programa depois da Birmânia seguir para a Índia. Motivo: o Estreito de Malaca estava infestado de submarinos britânicos e de minas. Nada fácil para os japoneses arriscarem a sua marinha de guerra. Assim o rota seria: Malásia e Tailândia. O caminho de ferro e a ponte os japoneses deram-lhe o nome "Operation Speed" (Operação Rápida), cujos intentos foram gorados. A ponte foi bombardeada pela aviação aliada.

Imagem do lado esquerdo:imagine o leitor dormir numa casa flutuante em cima da corrente bonançosa do Rio Kwai... o silêncio da noite é abismal e pela manhã acordar ao som do chilrear da passarada. E se for amante da pesca, leve consigo uma cana. Operários das obras da linha atravessa a ponte.

O templo e a estátua da Deusa Chinesa Kuan Yin na margem do Rio Kwai e junto à ponte. A província e a cidade de Kanchanaburi tem uma larga comunidade chinesa residente.

A ponte e o vilonista. Toca melhor, tem melhorado a canção que encabeça o filme "Bridge over the River Kwai" a marcha do coronel Bogey. Somos velhos conhecidos e deixo-lhe na caixa que guarda o violino 20 bates.


video
Video para clicar

Foto da esquerda: um painel à saída da ponte, pare com a miséria da morte, vá para a comida vegetariana... A cabana, a vaidade e comodidades, inerentes do proprietário

Vítimas dos japoneses em Kanchanaburi. Morreram novos... Mas como estes jovens continuam a morrer todos os dias em guerras. Nunca entendi se as guerras são justas ou se servem interesses...
Neste cemitério de guerras há milhares de nomes. Honraram-nos com uma placa de bronze. Neste lugar, eu assisti à reconciliação de soldados japoneses e das tropas dos aliados, ainda vivos. As vítimas, ingleses, australianos, canadianos, americanos, com a presença de representação diplomáticas de seus países, não lhes perdoaram... A diplomacia, de punhos de renda e hipocritamente são capazes de perdoar tudo, mas não venceu o coração dos sacrificados, em Kanchanaburi cujos suas consciências não lhes permitiu o perdão. Foi emotivo um grupo de crianças, japonesas, acompanhadas de sua professoras a afirmarem: "mas nós não temos culpa dessa guerra.... Elas as crianças com pequenos dísticos queriam a reconciliação... Houveram momentos na minha vida, como correspondente da Agência Lusa que me emocionaram.Foi no dia 25 de Abril de 1996.
A entrada para o cemitério de guerras. As minhas pernas o Honda Civic a brilhar.Bendita foi a chuvada da tarde do dia anterior que lhe havido lavado a chapa.
Saí do cemitério de guerra e dou com uma procissão. Um noviço a monge vai entrar no templo e cumprir a sua obrigação de permanecer em meditação por 25 dias ou mais no santuário onde lhe é ministrado a lei do bem ao próximo.
O povo dança ao som infernal de uma banda, desafinada, onde os trompetes são instrumentos reis. Quase me colocava a dançar aos saltinhos e vontade de me misturar com o povo.
Isto é a Tailândia, Reino de gente boa e simples. Os maus como em todos as nações estão no outro lado... E esta é o da política!
José Martins

O HELDER O ESPERTINHO ASSESSOR DE IMPRENSA

.

Envio a transcrição do mail remetido pelo Assessor de Imprensa da Secretária Regional da Educação e Formação aos Conselhos Executivos

"Ex.mo Sr.
Presidente do Conselho Executivo Venho por este meio informar que assumi recentemente funções de Assessor de Imprensa do Gabinete da Secretária Regional da Educação. Manifesto por isso a minha disponibilidade para o ajudar e prestar apoio no que necessitar, na minha área de intervenção. Solicito ainda a vossa atenção para que a partir de agora, por forma a conseguirmos atingir o objectivo duma boa comunicação com os órgãos de comunicação social, através de posições concertadas, entrem em contacto comigo sempre que forem questionado pelas rádios, televisão ou jornais e antes de prestarem qualquer declaração aos mesmos. Certo da sua compreensão, apresento os Melhores cumprimentos,

Hélder Blayer Assessor de Imprensa do Gabinete da Secretária Regional da Educação e Formação"
Um abraço
PG

MÁXIMA DO DIA: "A VIDA DE CADA MORTAL É UMA QUECA"

UMA VERDADE INCONTESTÁVEL




ANTES DA QUECA, CADA UM AJUDA O OUTRO A FICAR NU !!!

DEPOIS DA QUECA, CADA UM SE VESTE SOZINHO !!!

MORAL DA HISTÓRIA:

NA VIDA, NINGUÉM TE AJUDA DEPOIS DE ESTARES QUECADO/A !!!

E SE COLOQUE O "MINETE" NO LUGAR DO SENTIDO QUE LHE É DEVIDO,,,!!!


A imaginação do Café NICOLA ... aumentou as suas vendas em Janeiro passado na ordem dos 300%!!

Muito simples ... quem quiser 1 pacote deste açúcar ... tem de beber 1 café!!




OS USURPADORES NAS ELITES SÃO LADRÕES DA PIOR ESPÉCIE

.

DÊEM-LHES AINDA MAIS TEMPO!

Sobre Angola e o regime do ditador José Eduardo dos Santos – MPLA anda tudo em efervescência. Há ainda os que estão convencidos de que o MPLA é o histórico partido político e movimento de esquerda, ofendendo-se quando se aponta que as elites angolanas pertencentes ao MPLA ou próximas daquele mais não são que uma corja de usurpadores dos bens naturais e materiais que pertencem a todo o povo angolano. Por conta desses roubos mais de 70 por cento de Angolanos vivem no limbo da miséria e da fome, das carências injustificáveis num país extremamente rico por dádivas da natureza.

Assim, culturalmente e na prática humanista de esquerda (?), que considero a real democracia, onde o que conta são as pessoas e não os materialismos desmedidos, apesar de desde tenra idade ter sido um instruendo de anarco-sindicalistas por via paterna e de maçons por via materna, não duvido que corro o sério risco de me considerarem um reaccionário destemperado ou um comunista ou fascista diabólico por ser portador deste tipo de opinião que se desenha antes e segue. O que me causa sorrisos e risos ou até gargalhadas. A tristeza surge depois quando meditar nas críticas – quase sempre comuns e vindas daqueles espectros políticos – e me aperceber de que existem pessoas demais a assimilarem doutrinas sem que as procurem aquilatar das práticas a que dão acesso, reais práticas desumanas. Neste caso, sobre Angola, como em outros países, as práticas são de roubos descarados mas legitimados pelas tais elites usurpadoras e criminosas (de esquerda?) que põem os povos a sobreviverem a pão e água enquanto delapidam os seus bens, até as suas vidas, com a maior das “canduras” sob “legitimidades” que criam para eles próprios, ofendendo-se porque lhes chamam ladrões.

Sobre Angola ou sobre outro país qualquer naquelas circunstâncias – de roubos enormes – o que devemos perguntar é, há 30 anos, que fortunas possuíam ladrões como José Eduardo dos Santos, ou Isabel dos Santos, ou generais angolanos, ou quejandos e próximos do regime? Quem for ver, investigar, concluirá que fortunas não possuíam e que só através do roubo rechearam as suas contas bancárias em instituições norte-americanas ou de outras partes do mundo.

É comum constatarmos que assim acontece quase sempre. Olhemos Timor Leste e temos um quadro relativamente recente de como se adquirem bens pertencentes ao povo em beneficio de elites usurpadoras. Podemos saber que os bens de Ramos Horta ou de Xanana Gusmão se multiplicaram de modo inexplicável em cerca de 10 anos? Mas não só esses dois personagens. Quase sempre os familiares e amigos fazem lembrar potentes foguetões que ascendem da quase miséria para grandes vidas de nababos meteoricamente, recheando suas contas bancárias e mostrando que adquirem bens que quase sempre carecem de explicações plausíveis. No caso de Timor Leste ainda podemos e devemos considerar que comparativamente a Angola, às elites angolanas, é uma formiga junto de um elefante. Dêem-lhes tempo e daqui por 15 anos vejam as fortunas acumuladas à socapa ou descaradamente. Não será de admirar que a filha de Xanana Gusmão, Zenilde, ou outros familiares ou amigos, daqui por uma dezena de anos andem nas bocas do mundo por via das ostentações que praticam, à semelhança de Isabel dos Santos, filha do ditador Santos, que decerto está colado ao poder e é uma “vítima a servir” o país. Na atualidade, agora, em Timor Leste, estão por explicar (assim irão ficar) determinadas exibições de riqueza injustificáveis já denunciadas que abrangem políticos timorenses, militares, familiares e amigos dessas elites. E agora é só o princípio. Não desestabilizem, “Timor Leste precisa de tempo!”

Obviamente que não são só estes dois países que enfermam das atividades dos usurpadores. Quase todos os países e povos são vítimas desta espécie sub-humana, que nos obriga a esforços sobre-humanos para sobrevivermos com alguma dignidade. Em África, como em Timor Leste, como em Moçambique e noutros países lusófonos – o Brasil é um reino de usurpadores – chega-se a morrer de fome ou, mais moderadamente, por via da subalimentação.

Mas a razão da prosa é Angola e o regime imposto pelo ditador Eduardo dos Santos - MPLA e reconhecido pela geração de “democratas” Bush, Obama, Blair, Barroso, Merkel, Sarkosy, Sócrates… e tantos outros da espécie. Eles mesmo igualmente usurpadores. Mais seletivos, mais pelintras… mas usurpadores.

Foram encontrados no porto do Lobito contentores com armamento sofisticado. O governo angolano dos usurpadores quer estabelecer uma conexão com a manifestação de reprovação das políticas de Eduardo dos Santos. Manifestação anunciada para o próximo dia 7 de Março. O governo angolano dos usurpadores está todo borradinho com a perspectiva de as insurgências registadas no Norte de África e no mundo árabe influenciarem o comportamento do povo angolano. E está borradinho de cagaço porque sabe que quem domina o país é uma elite constituída por usurpadores como naqueles países em que os povos se fartaram de serem roubados e passarem fome, serem privados de liberdade de verdadeira democracia. Elites que roubam desmedidamente, sem contemplações nem remorsos pela miséria que causam aos povos. Se isto são comportamentos de esquerda ou de direita não importam. Não são é comportamentos de pessoas honestas, antes pelo contrário. Muitos destes personagens das elites são verdadeiros criminosos que gravemente violam os direitos da humanidade. É isso que importa. É isso que deve ser tomado em consideração numa nova ordem mundial que venha por cobro aos detentores de fortunas roubadas aos povos!

A camarilha de Eduardo dos Santos, provavelmente ainda hoje a considerar-se de esquerda e pelo povo, dominam tudo em Angola. Sabemos que se há quem não lhes agrade corre o risco de ser “repreendido” com prisão, com espancamentos… Com a usurpação de vidas. Misteriosamente até acontece a jornalistas…

Em comunicados, ou espécie disso, elaborados por jornalistas ao serviço do regime, tem circulado “inteligentes” insinuações de que Angola está a ver a sua estabilidade ameaçada. E logo agora que está no caminho da democracia… Estranha democracia, devemos dizê-lo. Uma “democracia” que tem por principal ordenador um PR que já está no poder presidencial há 32 anos. Se isto não é de provocar vómitos em quem anda lúcido, o que é?

Bento Bento, um ministro do MPLA dos usurpadores, referiu há dois dias em declarações insistentes sobre a violência declarada no propósito da referida manifestação do próximo dia 7. Garantidamente nada disso se vislumbra nos comunicados e convocatórias dos promotores da manifestação. Interpretemos como manipulação esquizofrénica e de argumentos primários as referências de Bento Bento. Discurso ultrapassado. Balelas.

Na Gazeta de Luanda podemos ver a prosa intitulada "
Manifestação em Angola: Dirigentes do MPLA e da UNITA contrários a iniciativa”, e em rodapé na fotografia exposta a legenda “Angola precisa de tempo!”. Mas quem não ri com estes descaramentos? Com estas manipulações primárias que nos causam náuseas?

Angola precisa de tempo para o quê? Para os usurpadores roubarem mais? Mas então não é Angola que precisa de tempo e sim os usurpadores! Em Angola e em todos os outros países. Os usurpadores precisam de tempo!
.

MÉXICO E SEUS "MUCHACHOS" NO PARLAMENTO


COMO ESTE "CABRÃO" (SALVO SEJA) TEM ENGANADO OS PORTUGUESES!

Socrates, o aldrabão - um ponto de vista alemão

O nome deste menos-que-zero está a custar-nos uma fortuna em forma de juros.


A principal imprensa económica alemã, Handelsblatt e Financial Times Deutschland, é quase omissa relativamente ao encontro entre Merkel e Sócrates. Não assim com a manager magazin, cujo link o Miguel Noronha me enviou, e de que passo a transcrever algumas passagens, curiosas pelo tom em que se referem a Portugal, "o país da dívida", e a Sócrates, o aldrabão. Sobre a reunião em si mesma, nada. A viajem de Sócrates é apenas ocasião para se falar de um caso perdido. Começa assim:

Mit allen Tricks versucht die Regierung in Lissabon die Staatsverschuldung in den Griff zu bekommen. Auch gestern in Berlin sagte Premierminister José Sócrates erneut, Portugal werde ohne internationale Finanzhilfen auskommen. Unter Experten glaubt daran allerdings kaum noch jemand.

O que quer dizer:

Recorrendo a todos os truques, o Governo de Lisboa tenta manter o endividamento público sob controle. Ontem em Berlim José Sócrates repetiu que Portugal vai conseguir safar-se sem ajuda internacional. Mas praticamente quase nenhum especialista acredita nele.

Segue-se uma panorâmica arrasadora do país, com um especial capítulo dedicado ao "truque" do Fundo de Pensões da PT, e declarações de analistas sobre a improbabilidade das metas orçamentais deste ano serem cumpridas, bem como sobre o desempenho vergonhoso do ano passado, com objectivos "atingidos no papel", e outros nem isso, como o do défice estrutural (ajustado dos efeitos do ciclo), que, apesar de um crescimento económico acima do previsto, falhou. Inclusive no "papel".
Publicada por Jorge Costa em 13:56

SANTANA LOPES PARTE...UMA PERDA NACIONAL...DÁ LÁ UM JEITINHO ZÉ CASTELO BRANCO


Santana Lopes de saída do PSD
O ex-líder do PSD e ex-primeiro-ministro poderá estar de saída dos sociais-democratas. Santana Lopes diz que se sente “já muito distante do partido”, noticia hoje o ‘Sol’.

AS SUAS NOTÍCIAS DO DIA 4.3.11

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Menino de dois anos morre atropelado
Santana Lopes de saída do PSD
Cristiano Ronaldo: “Lesão não é grave”
CEJ: Director-adjunto demite-se
Multas pagas podem ser contestadas

Capa do Público Público

Portugal “está em apuros”, diz Jorge Sampaio
Paul de Grauwe: "Subida de taxas pode ser um pouco prematura"
Prestação da casa aumenta até 80 euros este ano
Casa da Música só admite cortes de verbas temporários
Cristiano Ronaldo voltou aos golos e o Real Madrid cilindrou o Málaga

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Portugal "está em apuros", diz Jorge Sampaio
Todos imigrantes
"Não somos indiferentes à manifestação e vamos estar lá"
Crianças até aos 4 anos têm mais acidentes domésticos
Rui Rio contra eleições antecipadas

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

PSP e GNR iniciam operações para Carnaval em segurança
Louçã critica "pingue-pongue" do PS e PSD sobre regionalização
Reconstituição da tragédia de Entre-os-Rios
Golpe de 1,5 milhões em laboratório de ouro
Governo garante que "há obras em curso" no IPO de Lisboa

Capa do i i

Caso Castro. O que procuram os investigadores na cena do crime
Perturbações psiquiátricas. Ser normal é cada vez menos evidente
Regionalização. PS dividido sobre o timing, mas ao lado de Sócrates
Rui Rio: "Justiça em Portugal está pior que nos tempos da ditadura"
Sindicato da PJ acusa governo de asfixia para evitar investigações difíceis

Capa do Diário Económico Diário Económico

FMI baixa juros cobrados no empréstimo à Irlanda
As despesas que pode deduzir no seu IRS
QSP Summit debate inovação para valorizar marcas
Caixa BI prepara privatização do BPN Brasil e do Banco Efisa
Novas regras cortaram 60 euros por mês no subsídio de desemprego

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

As notícias em foco na edição de hoje, dia 4 de Março, no Negócios
Acções da Ásia e Pacífico animadas pelo emprego nos EUA
Apenas um fundo bateu o PSI-20 em Fevereiro
Prestações da casa aumentam 15% até ao fim do ano
Novos estatutos da Galp feitos à medida de investidores angolanos

Capa do Oje Oje

EDP vende 500 milhões em 2011
Lucro da TAP SA sobe 8,7% até 62,3 milhões
BCE admite subir juros já em Abril
Fusões vão acelerar nas renováveis
Renault inicia vendas da Dacia online

Capa do Destak Destak

William e Kate têm site oficial do casamento
Estágiários profissionais durante mais de três meses passam a receber 419,22 euros
Judite de Sousa sentia-se esquecida na RTP
Michael Jackson foi castrado quimicamente durante a adolescência
SIC Radical recupera “Marés Vivas”

Capa do A Bola A Bola

«Assumi o desafio de carregar com o Manchester United» - Nani
Renovação de Faquirá por acertar
Roberge e Benachour voltam
Freire e João Paulo lesionaram-se
Só o Benfica travou a dupla Varela - James

Capa do Record Record

Gijón quer ficar com Castro
«Iturbe vai para cima sem olhar a nomes»
Núcleo duro escapa à gestão do plantel
Javi cobiçado em Inglaterra
Sob pressão

Capa do O Jogo O Jogo

Torsten Frings ‘pendura as botas’
Maykon avisa Benfica: “Não temos medo de ninguém”
Cristiano Ronaldo assina ‘hat-trick’ na goleada do Real Madrid ao Málaga (7-0)
Diego Barcellos: “Temos de levantar a cabeça”
Jokanovic: “Vamos agora pensar no campeonato”