Translator

sábado, 30 de abril de 2011

O "ARTISTA" E SEUS LAMIRÉS

Enquanto em Portugal houver merda de gente igual a esta nunca país entrará numa nova fase, política, decente.
Entrevista a Manuel Alegre
.
Presidente não pode impor soluções aos partidos
Hoje
.
Na primeira entrevista após a derrota nas eleições presidenciais, Manuel Alegre diz que não é possível fabricar soluções antes das próximas eleições, e que o presidente da República não pode impor soluções aos partidos no quadro da Assembleia da República antes de ser conhecida a vontade dos eleitores.
.
Convidado de João Marcelino no Gente que Conta, a histórico líder socialista defende que o PS ainda pode ganhar as próximas eleições, sublinhando que, apesar das exigências da troika, não é indiferente que o próximo Governo venha a ser liderado por José Sócrates ou Pedro Passos Coelho.
.
Manuel Alegre diz ainda que a querela entre PS e PSD tem enfraquecido a posição negocial de Portugal e que há "questões pessoais que inquinam as relações políticas", reforçando que "quem se quiser entender com o Partido Socialista tem que se entender com este Partido Socialista, liderado por este secretário-geral".
.
Sobre as presidenciais de Janeiro, que perdeu para Aníbal Cavaco Silva, Manuel Alegre admite que foi difícil digerir a derrota e que acreditou ser possível chegar a uma segunda volta. Em relação a Fernando Nobre, que também correu a Belém, diz que Pedro Passos Coelho cometeu um erro político grave ao prometer-lhe o lugar de presidente da AR.
.
Elogiou ainda Teixeira dos Santos, o ainda ministro das Finanças, que na sua opinião fez "um trabalho considerável pelo Governo e pelo País".

FILHO DE KADAFI E TRÊS NETOS MORTOS DEPOIS DE UM ATAQUE AÉREO DA NATO

Saif Kadafi al-Arab, o filho mais novo do líder líbio Muammar Kadafi, e três de seus netos foram mortos em um ataque aéreo da OTAN, um porta-voz do governo líbio, informou.

video

Kadafi e sua esposa estavam na casa, de Tripoli, de seu filho de 29 anos de idade, Saif Kadafi al-Arab, quando foi atingido por pelo menos por um míssil disparado por um avião de guerra da NATO na noite de sábado, segundo a porta-voz do governo líbio Ibrahim Moussa.
"A casa do Sr. Kadafi Saif al-Arab foi atacado hoje com força total. O líder com sua esposa estava em casa com outros amigos e parentes.

"O próprio líder está de boa saúde, ele não foi prejudicado", disse o porta-voz, acrescentando que a esposa de Kadafi também foi ilesa, mas outras pessoas na casa foram feridos.
"Esta foi uma operação direta para assassinar o líder deste país. Isso não é permitido pela legislação internacional. Não é permitido a qualquer código moral ou princípio.
"O que temos agora é a lei da selva", disse Ibrahim em entrevista coletiva.
"Achamos que agora é claro para todos que o que está acontecendo na Líbia não tem nada a ver com a protecção dos civis."
Ibrahim não deu os nomes dos três filhos, que ele alegou foram mortos, excepto para dizer que eram sobrinhos de Saif al-Arab, e que eles eram menores de 12 anos. Ele disse que eles não estão liberando os nomes ainda para proteger a privacidade da família.
Ele disse que o composto que foi atingido foi no bairro Garghour.

HISTÓRIA DE VIDA - UMA EM 1 DE MAIO DE 2011

.Histórias há por aqui muitas para contar. Quando os velhos entram na idade da terceira afloram-lhe à mente as más memórias. Porém as boas ficam numa gaveta do cérebro e as más saltam para a manada. As idade não me assusta e quem andou não está para andar e venha ela, se possível tarde, a sentença, da lei da vida.
.
Durante a minha passagem pela Embaixada de Portugal em Banguecoque que nela segui 24 anos a colher a maçã dos porcos, muito se haja passado no correr destas duas dúzias de anos.
.
Quem me considerar conspirador está completamente equivocado, porque contra a Pátria Portuguesa não se conspira mas glorifica-se e a Pátria tem outro valor para aqueles que a amam quando vive no estrangeiro.
.
Durante este período, por algumas vezes e só, fotografei em procissão de abertura de eventos a bandeira da Quinas, escutei o Hino e senti, como sempre, a emoção e arrepios no corpo e na alma. Ninguém terá a coragem de dizer o contrário porque as 40 mil ou mais imagens, digitalizadas, nos meus arquivos pessoais provam isso.
.
Não estou aqui a pedir a minha glorificação ou um pedaço de cobre para colocar na lapela do meu casaco, porque a minha humildade não dá para “caganças” ou exibicionismos.
.
Desde muitos anos tive a tara do jornalismo (a profissão mais rasca deste mundo) e em Banguecoque como amador me iniciei. Acompanhei muitos jornalistas em Banguecoque e com eles aprendi algo. E por que criei amizade com o director da Lusa sediado em Macau, principiei a enviar umas notícias de Banguecoque relacionadas com Portugal. A Lusa tinha princípios deontológicos de não entrar na irreverência, mas apenas enaltecer Portugal na Ásia.
.
Quando numa altura houve uma queixa de um português residente na Malásia que o consulado honorário de Portugal em Kuala Lumpur estava a cobrar o dobro dos emolumentos aos utentes (que viria aborrecer na altura o embaixador de Portugal) telefonei para o consulado, identificando-me como correspondente da Lusa, se de facto era verdade estar a ser cobrado mais pelos emolumentos do que a Lei permitia, foi me dito, afirmativamente, que sim.
.
Escrevi a peça dei-a a ler ao embaixador e obtenho a liberdade de a enviar para a Lusa Macau. O Director, pouco depois de receber a peça telefona-me e diz-me: “olha que eu não posso meter a peça na linha por que estamos a dar “porrada” em nós próprios”.
.
Lição aprendida e foi a única peça escrita por mim em que entrava na irreverência que não chegou ao conhecimento, da ferocidade, dos jornais da época que se aproveitavam de tudo desde que cheirasse a escândalo.
.
Quando o embaixador Tadeu Soares foi acreditado em Banguecoque em meados de 1999 diu-lhe conhecimento que era o correspondente da Lusa. Não viu a coisa com bons olhos e cheguei-lhe ouvir uma vez: "não entender como um funcionário público poderia ser correspondente da Lusa."
.
Outros seus predecessores sabiam isso e nunca, desde escrevesse sobre a embaixada, mandei uma peça para a Lusa sem ser vista por eles e autorizada. Não iria tomar o risco se porventura algo retirado da linha da Lusa e publicado nos jornais (a Lusa não publica mas vende notícias) não agradasse ao embaixador e daí eu ser chamado à responsabilidade e sofrer as consequências pela liberdade tomada.
.
Notando havier confrangimento em Tadeu Soares, continuei a escrever peças mas que estas não se referissem a actividades da Embaixada. Outras mais relacionadas com Timor-Leste porque a independência estava à vista e acertada diplomaticamente.
.
Houve uma cimeira da ASEAN em Banguecoque e como observadores ao evento chegaram Xanana Gusmão e Ramos Horta que seria a primeira vez que visitavam oficialmente a Tailândia. Para fazer a cobertura para a Lusa veio de Macau o director Gonçalo César de Sá (meu amigo há 25 anos), foi apresentar os cumprimentos, da praxe, ao embaixador Tadeu Soares e este convidou-o para almoçar que aconteceu a sós.
.
Durante o almoço Tadeu Soares, desejoso de tirar “nabos na púcara” diz-lhe: “a Lusa tem o seu homem em Banguecoque o José Martins...!!!” Gonçalo César de Sá retorquiu: “o José Martins é nosso amigo há muitos anos”.
.
Depois do almoço o Gonçalo chega, esbaforido, à chancelaria a dizer-me: “Rasga todos os cartões de visita em que designam que és o correspondente da Lusa, porque o embaixador vai-te lixar!”
.
Assim aconteceu rasgá-los e fiquei com um como lembrança!
José Martins

HOJE METI A COLHER NO PRATO DE UMA EMENTA DAS NOTAS VERBAIS

O PROSA DE POSTOS E ainda não tem título...

OTem um grande projeto que anuncia amiúde, em jantares, em cocktails, nas conversas de intervalo, nos desabafos por telefone...: "Mal isto termine e me jubile, vou fazer a a minha autobiografia..."
VEXA queria fazer a autobiografia de algum dos outros, ou que alguém que não VEXA faça a sua?

2 comentários:

patricio branco disse...

dentre as palavras da frase, chama-me a atenção o "isto", onde cabe quase tudo: apreço e indicação, mas tambem cansaço ou mesmo desprezo. E o "mal" parece significar pressa, impaciência.
Quanto à "minha" se soubessemos quantas autobiografias andam por aí que foram encomendadas e escritas não pelo próprio, mas por escritores fantasma, pelo próprio apenas assinadas...

Jose Martins disse...

Eu até estou disposto a escrever as minhas memórias mesmo com as calinadas habituais. Dar-lhe-ei o título:

"Escravo da Diplomacia - Classificado um pouco acima de cão"

Vai ser best seller, porque não vai aborrecer o leitor com aquelas frases intrincadas que ninguém as entende e acção que valesse tiveram.
.
Entre vários episódios contarei um: "o perfil atlético do meu embaixador, de então, em saltar o portão da embaixada às 3:30 da madrugada"
.
E dado que a situação económica não está para flores (a minha reforma é tão "rasca" que tenho vergonha de dizer o montante),farei uns dinheirinhos na venda nem que tenha que eu oferece-los no Chiado e pedir aos que passam: "comprem-me um livrinho senhores e senhoras.
.
São histórias de encantar e saber como um embaixador de Portugal portões tão bem sabia saltar!
José Martins
.
P.S. - Nada tenho contra a embaixadores que souberam sê-lo. Entenda-se por aí

ESPECTACULARES 50 FOTOGRAFIAS DE ARTUR EDUARDO

Artur Eduardo fotografou a família real inglesa durante os últimos 30 anos. Um grande artista em captar espontâneos! É de não perder o clique a seguir:
.http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/royalwedding/3538001/Arthur-Edwardss-Top-50-royal-photos.html

Arthur Edwards Royal photos

44) O olhar que disse tudo

No que se tornou uma famosa imagem de desunião, de Charles e Diana são tiradas olhando para longe um do outro na Coreia, em Novembro de 1990.

Arthur Edwards Royal photos

45) O beijo que se perdeu

Em fevereiro de 1992, rumores de uma brecha no casamento real eram abundantes, mas não havia nenhuma notícia oficial do Palácio.

No entanto, esta pressão de um estranho beijo perdido na Índia enviou a especialistas em linguagem corporal na ultrapassagem.

Apenas nove meses depois, o primeiro-ministro John Major anunciaria "separação amigável" do País de Gales.

MEXAM-SE ENQUANTO NÃO LHE COMEM AS PAPAS NA CABEÇA!

CRISE EM PORTUGAL - medidas a tomar!!!
.
MUDEM JÁ A LEI DO ARRENDAMENTO
.
"Ora aqui vai outro importante contributo, para que o Ministro das Finanças não continue a fazer de nós parvos, dizendo com ar sonso que não sabe em que mais cortar.
Acabou o recreio!
.
Se todos vocês reencaminharem como eu faço, ao fim do dia seremos centenas de milhar de "olhos mais bem abertos". Orçamento do Estado
.
Todos os ''governantes'' [a saber: os que se governam...] de Portugal falam em cortes das despesas, mas não dizem quais, e aumentos de impostos, a pagar pela malta
.
Não ouvi foi nenhum governante falar em:

. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três Presidentes da República retirados.

. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações,tudo à custa do pagode

. Acabar com os milhares de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e têm funcionários e administradores com 2º ou 3º emprego.

. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euros mês e que não servem para nada, antes acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821, etc

. Redução drástica das Juntas de Freguesia.

. Acabar com o pagamento de 200 € por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 € nas Juntas de Freguesia

. Acabar com o Financiamento aos Partidos. Que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem para conseguirem verbas para as suas actividades

. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País.

. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias, e até os filhos das amantes.... Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos.

. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos às escolas, ir ao mercado a compras, etc.

. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis...

. Acabar com os "subsídios" de habitação e deslocação a deputados eleitos por circulos fora de Lisboa... que sempre residiram na Capital e nunca tiveram qualquer habitação nos circulos eleitorais a que concorreram!

. Controlar os altos quadros "colocados" na Função Pública (pagos por nós...) que quase nunca estão no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total: HÁ QUADROS QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO OS DA COISA PÚBLICA...

. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCEPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder...

. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos e outros, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar..

. Acabar com as várias reformas, acumuladas, por pessoa, de entre o pessoal do Estado e de entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.
. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP, com os juros devidos!

. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros, Duartes Limas, Arlindos de Carvalho, Varas, Penedos, Lamegos e quejandos, onde quer que estejam e recuperar essas quantias para os cofres do Estado.

. E por aí fora... Recuperaremos depressa a nossa posição, sobretudo a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado .

. Quem pode explicar porque é que o Presidente da Assembleia da República (o "Bocassa" Gama) tem, ao seu dispor, dois automóveis de serviço? Deve ser um para a "pasta" e outro para a "lancheira"!...

Envie a, pelo menos, 10 pessoas.
Isto não pode parar. Nós contribuintes pagamos tudo. E só temos culpa porque somos frouxos, passivos, indolentes.

Façam chegar este mail aos homens do FMI

O NOSSO BORDEL... GAJAS E VINHO VERDE CÁ "PRÁ" GENTE......

Pronto lá vamos ter os "estranjas" nas nossas gajas...

A Negociação

Continuam as negociações com o FMI para discutirem qual vai ser o preço para nos poderem fecundar, neste bordel à beira-mar plantado.

O PAULINHO DOS MERCADOS.... O NOSSO PRÓXIMO PRIMEIRO-MINISTRO... AMARREM O GAGINHO...!!!

O ascensorista social

Paulo Portas veio dizer que defende a igualdade de oportunidades e por isso é o elevador da sociedade. Igualdade de oportunidade muitos defendem, mas muitos também só respeitam os que conseguirem lugar no elevador. É que o elevador não pode levar todos e os outros, os que por razões diversas do esforço o não conseguirem, são abandonados à pobreza e à exploração. Não há igualdade de oportunidade para aquele que chega conduzido pelo motorista do pai ao colégio privado e o que chega ao liceu com frio e fome. Não há igualdade de oportunidades para quem, depois da escola, tem professores privados para lhes dar explicações e os que têm de ir trabalhar para ajudar na casa. Não há igualdade de oportunidades para os que, ainda não acabaram o curso, já têm um lugar de assessor numa das empresas de um familiar ou amigo do pai e aqueles que entram num mercado de precariedade e desemprego. Mais que igualdade de oportunidade há que dar primeiro igualdade de condições de vida, condições em que se possa crescer com dignidade e segurança

EDUARDO CATROGA: "O GOVERNO DE JOSÉ SÓCRATES DEVIA IR A TRIBUNAL"

EXCLUSIVO EXPRESSO
Ajuda externa
Silva Pereira e Eduardo Catroga trocam acusações
.
Prestes a chegar à fase decisiva das negociações com a troika, Governo e PSD dão mostras de não se conseguirem entender.
.
"O PSD impede que o país fale a uma só voz", diz Pedro Silva Pereira.
.
"O Governo de José Sócrates devia ir a tribunal", acusa Eduardo Catroga.
21:50 Sexta feira, 29 de abril de 2011

Numa fase decisiva das negociações com a troika, Governo e PSD intensificam as acusações, em declarações exclusivas ao Expresso. Pedro Silva Pereira acusa o PSD de estar a dificultar as negociações com a troika. "O PSD está a impedir que o país fale a uma só voz, por isso o Governo insiste no apelo a um comportamento responsável", diz.
.
O ministro da Presidência, que representa o executivo à mesa das negociações com a oposição, afirma que já "chega de jogar às cartas", numa alusão às missivas enviadas pelo PSD ao Governo sobre as contas públicas.
.
Silva Pereira lamenta que o principal partido da oposição tenha enviado para a imprensa as perguntas que fez por escrito ao Governo e diz que a atitude do PSD é "lamentável". "Seria bom que o PSD tivesse um contributo mais construtivo", frisa. No entanto, garante que o Governo vai dedicar toda a atenção às questões colocadas pelo PSD.
.
Eduardo Catroga, que preparou o programa eleitoral do PSD, é igualmente duro a denunciar os falhanços socialistas. "O fartar de vilanagem de Sócrates foi uma tragédia nacional", acusa. O ex-ministro de Cavaco Silva vai mais longe e considera que "as gerações mais jovens deviam por este Governo em tribunal".
.
O ex-ministro das Finanças defende que, independentemente do que a troika disser, é possível pôr as contas públicas na ordem sem despedir funcionários ou cortar salários.
Leia mais na edição impressa do Expresso de amanhã.

EDUARDO CATROGA: NEGOCIAÇÕES DO GOVERNO - MISSÃO CONJUNTA UE/BCE/FMI

Clique nas imagens para as ler