Translator

terça-feira, 7 de junho de 2011

A NÃO PERDER O CLIQUE...!!! LINDO!

Seguem esses dois videos duma marroquina-holandesa (Hind) "maluca" por fado....
 

COM A DEVIDA VÉNIA DO BLOGUE "ALTO HAMA"

Terça-feira, Junho 07, 2011

Ou cadeia ou uma condecoração

 
Já que os portugueses não têm coragem, capacidade ou tomates para levar o ex-primeiro-ministro, José Sócrates, a julgamento por gestão danosa do país, ou por negligência grave durante o seu mandato governativo, ao menos poderiam dar-lhe uma condecoração.

RICO EMPRESTA UMA MORCELA A UM POBRE, DE VOLTA, QUER UM PORCO



A propósito de uma peça que publicamos com o genérico “O GRANDE MISTÉRIO DO TGV - ERA A JOGADA FINAL”, um meu amigo de 25 anos (Ex-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea), hoje reformado, de si recebi a preciosa informação, histórica, que desconhecia e se ajusta, perfeitamente, aos negócios, secretos e danosos para Portugal de José Sócrates. Em todas as pátrias, através dos séculos, nasceram “bastardos” e Portugal não foi excepção.
.
No antigamente as invasões, de países, eram feitas, pelos cavalos, carroças tropas, canhões, matança de etnias pelo sistema do tiro/baionetada e depois o sofisticado gaseamento que assassinava ou os que escapavam ficavam com o cérebro lesionado para o resto de suas vidas.
.
Depois a guerra cambiou com as novas tecnologias e na Europa, democrática e de 27 irmãos seria, agora, muito feio invadirem, os expansionistas de raizes, esmagarem os fracos com as lagartas dos tanques e gasearem-nos.
.
As novas tecnologias de usurpação vem dos países, economicamente fortes, cujo os líderes, fazem amizades com os Judas, e deles seus robertos de feira para levarem a bom termo os grandes negócios como o da construção, em Portugal, do TGV e a obra efectuada pelos alemães.
.
Era mais nem menos, a Alemanha, a “casa do prego” que o José Sócrates ali depositãva, parte, de um pedaço de Portugal.
.
Não temos nada contra Alemanha, mas a história e as façanhas do antigamente fazem-me duvidar das suas boas intenções e nos deixa com um pé atrás.
.
Para ler o conteúdo da peça clique a seguir:.

.
Meu caro Amigo Senhor Martins
.
Realmente esta interpretação da conduta do Socrates relacionada com o TGV é perfeitamente plausível e deve andar mesmo muito próxima da realidade.
.
Numa época em que nós já andávamos por este Mundo, este tipo de conduta, através da qual um governante traía os seus concidadãos estabelecendo conluios secretos altamente lesivos dos interesses do seu país com uma potência estrangeira, designava-se como "alta traição", e os seus protagonistas eram apelidados de "Quisling ", nome de um tristemente célebre político norueguês que também teve um conluio inicialmente secreto, precisamente com o Chanceler da Alemanha, e por isso veio a receber o tratamento adequado.
.
Se o meu Amigo quiser dar-se ao trabalho de pesquizar na Net o nome QUISLING fica logo a saber como os noruegueses resolveram o assunto...
Um abraço


.
QUISLING Nascido 1887.
Executado em 24 de outubro de 1945.
.
Como em todos os outros países ocupados, o poder nazi teve o apoio de simpatizantes locais.
.
Durante uma visita a Hitler em Berlim no inverno de 1939-40, o líder dos nacional-socialista Nasjonal Samling Partido, Vidkun Quisling, tinha apontado o quão valioso seria a Alemanha para ocupar a Noruega.
.
Imediatamente após a invasão, na manhã do dia 9 de abril de 1940, proclamou-se o novo chefe do governo e ordenou que as forças armadas da Noruega para parar de lutar contra os alemães.
.
Mas a intervenção de Quisling saiu pela culatra e estimularam a resistência.
.
Assim, a potência ocupante rapidamente percebeu que - por enquanto - Quisling não servia os seus interesses e eles escolheram a basear a sua administração do país em um certo grau de dar e receber com as autoridades civis existentes.

Extraído da Noruega e a II Guerra Mundial no site Odin
.
Quisling, Vidkun (1887-1945), político norueguês, cuja colaboração com os nazistas ... durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) fez seu nome sinônimo de traidor.
.
Na década de 1930 ele encontrou a União Nacional, um partido fascista que recebeu subsídios da Alemanha.
.
Após a invasão nazi da Noruega em 1940, a União Nacional foi declarado único partido legal.
.
Os alemães instalaram Quisling como primeiro-ministro em 1942 e durante toda a guerra, colaborou com os nazistas.
.
Quisling foi julgado e executado após a guerra.

FORROBODÓS,FESTAROLAS E OS "GAMANÇOS" COM O CARIMBO DO PODER


Sócrates & Companhia, SARL...

 Lafayette já está a atacar...
 E a nossa  Procuradoria  SEMPRE,SEMPRE  AO LADO DO (povo) PODER !  
Notícia interessante....    
SÓCRATES investigadoData: 31-05-2011
DiaboPágina: 1/3
 EDUARDO SÉRGIO C/ Foto | Cor

SÓCRATES investigado 

Procuradoria abre processo por fortuna gasta pelo Fisco em hotéis e festanças 
PGR investiga Sócrates e Teixeira dos Santos 
EDUARDO SÉRGIO 
.
Uma denúncia criminal pode vir a colocar vários membros do Governo no banco dos réus. A queixa diz que se gastou meio milhão de euros para comemorar o aniversário da Direcção Geral das Contribuições e Impostos. O Primeiro-Ministro e o Ministro das Finanças encabeçam a lista dos políticos que podem vir a ser condenados. 
 .
Foi terça-feira, dia 24, que a carta chegou pelo correio. Ao Supremo Tribunal de Justiça e à Procuradoria-geral da República. Quatro páginas, assinadas pelo advogado Alexandre Lafayette, denunciavam a "prática de um crime de administração danosa de dinheiros públicos assim como a prática de um crime de peculato" praticados por uma mão cheia de políticos influentes.
.
José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa encabeçava a lista que continuava com o nome de Fernando Teixeira dos Santos, Ministro de Estado, das Finanças e da Administração Pública, com Sérgio Trigo Tavares Vasques, Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e com José António de Azevedo Pereira, Director Geral das Contribuições e Impostos.
.
Em causa estava a celebração dos 160 anos da Direcção Geral das Contribuições e Impostos, a DGCI. A festa foi no Pavilhão Atlântico em Novembro de 2009, em Lisboa, no coração da antiga EXPO, e custou, qualquer coisa como duzentos e vinte mil euros. Atenção, só a festa, porque a esta despesa, há ainda a juntar, escreve o advogado Alexandre Lafayette, as despesas com aviões e carros do Estado, alojamentos em hotéis e "eventualmente, ajudas de custos a esses funcionários" o que coloca o valor total do evento onde apagaram as velas à DGCI, que deve ter comido aos cofres do Estado e, claro, ao bolso dos contribuintes, no meio milhão de Euros.
.
Parcela a parcela, neste valor há a incluir 73 mil euros só para o jantar, servido pela Casa do Marquês. Juntese-lhe 47 mil euros para alugar o Pavilhão Atlântico e fazer uma conferência onde Teixeira dos santos discursou. 38 500 Euros foram direitinhos para os cofres da empresa Springbreak, Lda, que, por acaso, não tem nenhum registo no portal do Ministério da Justiça e que levou a massa por "serviços prestados no evento".
.
Mas os cheques não pararam por aqui. Um de 25 mil euros foi mandado para a empresa do costume que aluga equipamento audiovisual e outro de 7500 euros foi entregue para que se fizesse o vídeo comemorativo. A cereja em cima do bolo foi a compra de 3500 medalhas comemorativas dos 160 anos da DGCI que custaram 29.253 euros. 
.
Razão suficiente para levar Alexandre Lafayette a pedir ao Tribunal "a abertura de inquérito e a provar-se os crimes, que os comparticipantes nos mesmos, sejam solidariamente obrigados, a reembolsar a Fazenda Nacional, na quantia desviada, ou abusiva e ilicitamente usada, acrescida de juros desde a data das despesas".
.
Mas não se ficam por aqui as dúvidas do advogado sobre o jantar. Na denúncia pergunta ainda "qual foi a norma legal que permitiu a despesa", "em que rubrica orçamental é que estava prevista a existência daquela verba para aquele fim", e claro, "Quem autorizou a despesa e determinou o evento?" Alexandre Lafayette nas linhas a seguir, e depois de considerar a situação financeira do país, escreve ter concluído que a festarola "é reveladora de administração danosa de dinheiros públicos, enquadrando-se a conduta no art.° 235.° do Código Penal - Administração danosa".
.
Traduzido por miúdos, diz este tal artigo que "Quem, infringindo intencionalmente normas de controlo ou regras económicas de uma gestão racional, provocar dano patrimonial importante em unidade económica do sector público ou cooperativo é punido com pena de prisão até cinco anos ou com pena de multa até 600 dias". Mais nada. Pinto de Sousa é comparticipante do crime, "porque teve conhecimento do evento, publicitado na comunicação social e nada fez", Teixeira dos Santos "pelas mesmas razões, sendo certo que a DGCI faz parte do seu Ministério" e o Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Sérgio Trigo Tavares Vasques, "de quem depende directamente a DGCI".
.
Culpas no cartório também terá o Director-Geral das Contribuições e Impostos, José António de Azevedo Pereira, e ainda "outros cuja identidade se desconhece" e que também ajudaram a gastar o dinheiro dos contribuintes. A O Diabo, Alexandre Lafayette diz que "é uma vergonha" o que andam a fazer os governantes. E que não pode aceitar que "um país de tanga, que corta abonos de família, gaste assim desta maneira"em festas de aniversário.
.
O advogado garante que nada o move, pessoalmente, contra José Sócrates. Diz que "não conheço o homem, só da televisão". Ex-combatente, Alexandre Lafayette confessa que "há uma sensação de impunidade" e que esta gestão "tem destruído o meu país". E espanta-se "como é que a oposição, com estes dados, não os confronta". Termina com um afirmado: "estou farto de mentiras!" Até agora ainda não chegou nenhuma resposta quer do Supremo Tribunal de Justiça, nem da Procuradoria-Geral da República. A denúncia continua em investigação. 

O QUINO CARTONISTA E O MUNDO DOS FILHOS NOS DIAS DE HOJE

Quino,o cartoonista argentino autor da "Mafalda", desiludido com o rumo deste século no que diz respeito a valores e educação, deixou impresso no cartoon o seu sentimento.

A genialidade do artista faz uma das melhores críticas sobre a educação dos filhos no tempo actual.




 




  "Você não é um ser humano que está passando por uma experiência espiritual. Você é um ser espiritual que está vivenciando uma experiência humana."  


Wayne W. Dyer

O GRANDE MISTÉRIO DO TGV - ERA A JOGADA FINAL


As verdades vêm sempre ao de cima

Numa negociata obscura com a srª Merkle, Sócrates preservaria a sua imagem à custa de uma obra megalómana que o país hoje não precisa, e que seria adjudicada a uma empresa alemã (Siemens). Sócrates, desesperado, condena a oposição...porque esta lhe estragou a jogada !  Por isso se justifica o rancor com que Sócrates gritava: “nós não precisamos de nenhuma ajuda externa” – “eu não governarei com o FMI”
Um contributo para a compreensão de algumas acções.

O GRANDE MISTÉRIO DO TGV – A jogada de Sócrates

Porque será que Sócrates mantinha esta insistência obsessiva no TGV? Quando toda a gente, desde o analfabeto ao catedrático, reconhecia a impossibilidade financeira de o construir, e depois de se provar tecnicamente que seria uma rede deficitária, porque continuava Sócrates a insistir?
Será que Sócrates era um visionário, e todos nós uns pobres ignorantes?
Ou será que havia outras razões, talvez impositivas e condicionadoras, que só Sócrates sabia, e que não pode confessar a ninguém?
A megalomania das grandes obras tem sido uma obsessão quase permanente de quem passa pelo Poder.
.
É assim desde a Antiguidade, e é gene que ainda empesta o cromossoma do político actual. A vontade de deixar para a posteridade, algo de perene que perpetue o seu construtor, é uma vaidade com que os poderosos sempre tentaram iludir a morte - a inevitabilidade terrível do desaparecimento.
Como os seus antecessores, é por isso natural que Sócrates quisesse deixar obra visível que o recordasse.
.
Daí não me espantar que tenha avançado, de uma assentada, com um conjunto de grandes investimentos, como o TGV, a 3ª travessia do Tejo e um Aeroporto construído em terrenos de M. Jamais. Mas desde os dias fulgurantes do estado de graça de Sócrates, até aos dias pedintes de hoje, vai muito tempo, e muita coisa aconteceu desde então.
.
Vamos aos factos.
Em Março de 2005, Sócrates é empossado pela primeira vez como Primeiro-Ministro, gozando de uma maioria absoluta na Assembleia. O TGV já então fazia parte do programa de Governo, que previa o seu início nessa legislatura, se bem que entre Porto e Lisboa, ligação que muito mais tarde foi alterada para Poceirão / Caia.
.
Esta obra era há muito uma bandeira de Sócrates, de tal modo que dela fez propaganda anos antes, levando-a depois até ao referido programa de Governo. Sobre a matéria, vejamos o que dizia então o Presidente da Multinacional Alemã Siemens, Sr. Heinrich von Pierer. Considerava o TGV em Portugal como um "projecto fantástico", afirmando "querer ser nosso parceiro nesse projecto". Estas declarações foram produzidas em Munique, para um grupo de jornalistas portugueses (Novembro de 2003).
.
Entretanto, a coisa ficou por ali.
Contudo, iam-se agravando as condições económicas do país. Sócrates não consegue reduzir uma grama na adiposidade do Estado, e vê as despesas aumentarem. As suas deslocações, juntamente com Teixeira dos Santos, a Bruxelas, são quase semanais. O facto é que, segundo ele, traz sempre boas notícias e, permanentemente interrogado sobre o TGV, mantém-se irredutível: é para ir para a frente.
.
Lembro que, estranhamente, e por motivos ainda muito mal explicados, o Dr.Campos e Cunha (primeiro ministro das Finanças a ser escolhido por Sócrates), afasta-se logo após ter proferido declarações onde reconhecia a indisponibilidade financeira da execução de uma obra como o TGV e o Aeroporto. Contudo, a velha história das garantias de que grande parte do financiamento vinha da UE, mantiveram Sócrates com argumentos para prosseguir. Campos e Cunha é que não ficou mais. Ele sabia porquê.
.
Entretanto, e contra tudo e contra todos, a construção do TGV é adjudicado em Dezembro de 2009, ao consórcio Elos (que engloba a Brisa, Soares das Costa, ACS espanhola, Grupo Lena, Bento Pedroso, Edifer, Zagrope, Babock e Brow Lda, BCP e CGD). Com as condições de agravamento da nossa economia, e com os sucessivos falhanços na baixa do défice, em 2010 a UE começa a mostrar-nos sérios "cartões amarelos" e, preocupada com o destino que as coisas levam, e, de certo modo, traumatizada com os casos de Irlanda e da Grécia, e com o "espantalho" de que os problemas se alastrem a Espanha e a Itália (onde a dívida pública já tinha ultrapassado em muito os 100% do PIB - actualmente está nos 120%), obriga Portugal a tomar sérias medidas, que haviam de se traduzir no PEC1.
.
Este PEC1 data de Março de 2010.
Demonstrada a insuficiência dele, em Maio do mesmo ano, avança-se com o PEC2, e quatro meses mais tarde, com o PEC3. Sócrates continua a deslocar-se a Bruxelas assiduamente. As visitas e reuniões da praxe, mas as reuniões com Ângela Merkle são obrigatórias. Estranha-se que entre ambos exista como que uma cumplicidade, ou algo que leva o nosso Primeiro-ministro a conversar, preferencialmente, com ela.
.
E há algo que continua um mistério: apesar das sérias restrições que os PECs impõem, dos aumentos de impostos, da redução dos benefícios sociais, do aumento do IVA, IRS, e até da suspensão da 3ª travessia do Tejo e do Aeroporto de Lisboa, o TGV continua intocável! É que, mesmo adjudicado, a obra poderia ser suspensa (como foi a 3ª travessia do Tejo depois de ser adjudicada). Mas não! Mantinha-se o TGV. Assim, o PEC1 tem o aval da UE, 2 meses depois de adjudicarmos o TGV, e os dois PECs seguintes, também obtêm a aprovação europeia.
.
A seguir à aprovação do PEC3 (Setembro de 2010), logo em Novembro do mesmo ano, a Multinacional Siemens volta à carga. A Multinacional afirma que possui 10 mil milhões de Euros para financiamento de TGVs, através da sua Siemens Project Adventures (que por sua vez está ligada à Siemens Financy Services), e que iria propor ao governo português um esquema de financiamento do TGV.
.
Duas perguntas: que relação existe entre a data de adjudicação do TGV (Dezembro de 2009), e a apresentação dos PECs1, 2 e 3 (Março, Maio e Setembro de 1010)? Será que a adjudicação terá servido de garantia para que a Srª Merkle desse o seu aval a esses PECs?
.
Porque uma coisa é certa: quem manda na UE é Ângela Merkle. Ela é que manda no dinheiro, ela é a "chanceler do Euro". Durão Barroso, para todos os efeitos, é uma figura ornamental, quando muito um Chefe de Secretaria da UE, que, como todos os outros, tem que render vénias à poderosa Srª Merkle. E outra pergunta: qual a razão porque a Siemens veio, de seguida (Novembro de 2010) anunciar a intenção de financiar a obra?
.
Entretanto, como sabemos, e com o PEC4 já avalizado por Merkle, o Governo cai. Mas o TGV não cai, e Sócrates, antes de cair, ainda insiste. E tem razão, porque os 80 mil milhões INTERCALARES, existiram mesmo (Fundo de Resgate Europeu) ! Seria o dinheiro para "aguentar" Sócrates até que as primeiras tranches do PEC4 chegassem.
.
Durão Barroso, numa resposta fugidia, disse que desconhecia essa quantia intercalar, e que tal modalidade não estava prevista nos regulamentos da UE. Mas o facto é que Sócrates trouxe de lá a promessa dessa garantia! Disse-o a todos os portugueses! E disse-o porque Merkle lho havia prometido.
A não ser assim, Sócrates mentiu! Mas Sócrates não mentiu. Porque Merkle arranjaria o dinheiro. Por isso é que ele insiste que não precisavamos de ajuda externa, porque, na verdade a ajuda da UE já estava combinada/negociada, secretamente, com a srª Merkle.
.
Só que não teria o rótulo do FMI, que era aquilo que Sócrates queria evitar, para não ficar claro o seu fracasso, perante a opinião pública. Entretanto em Portugal Sócrates actua à socapa, não procurando os acordos prévios para aprovação do Pec, nem dando sequer informação ao Parlamento, Presidente da República e parceiros sociais. Haveria que ser lesto e discreto para fechar o acordo com a “chanceler do EURO”.
.
Mas a história não se fica por aqui. O TGV implica a compra de material, muito material, entre os quais os comboios (locomotivas e carruagens), nada menos de 22, numa primeira fase. Mas também a manutenção, a assistência, todo o complicadíssimo sistema hard e softwere indispensável para o controle da rede, o aluguer de material complementar, etc., etc., etc. Um nunca mais acabar de encargos eternos. Para fornecimento do material, dispõem-se, à partida, três empresas capazes de cumprir com o programa de concurso: Alstom (francesa), a Bombardier (Canadiana) e a Siemens (Alemã).
.
A quem adjudicar?
A Alstom francesa está metida em sérios problemas judiciais na Suiça, França e Brasil, sob a acusação de ter subornado políticos para que lhe adjudicassem material. A canadiana Bombardier, se bem se lembram os portugueses, fechou as fábricas na Amadora em 2004, deixando centenas de trabalhadores no desemprego. A Siemens alemã, tem a vantagem de possuir as máquinas mais competitivas do mercado, assentes na plataforma Velaro, que podem atingir os 350 Km/hora, sendo o comboio mais rápido do mundo.
.
Esta escolha da empresa fornecedora (como o contrato de financiamento) estava nas mãos de Sócrates. Perante este cenário, a quem acham que se deveria fazer a adjudicação?
A uma empresa com problemas judiciais, a outra que saiu de Portugal com tão triste fama, ou à alemã Siemens, que possui uma boa máquina ferroviária e que faz parte da mesma empresa que negociaria um financiamento com o Governo português para a execução do TGV?
.
Era evidente a quem adjudicar. E Sócrates tinha o poder para o fazer. Será que o TGV era a garantia dada por Sócrates à Srª Merkle? Para que esta avalizasse os empréstimos resultantes de sucessivos PECs, sem que Sócrates sofresse a humilhação interna de ter que pedir a intervenção do FMI (com que prometera a pés juntos, nunca governar? E com isso hipotecar em definitivo a sua carreira política?)
.
São as dúvidas que ficam, mas que um dia serão esclarecidas.
Apenas narrei factos, evidências, estabeleci uma cronologia, e tentei desvendar o complicado algoritmo da relação entre a política e os interesses financeiros. E depois, sobre eles, como cidadão que se preza de avisado e que não perdeu a qualidade de inferir, coloquei as minhas dúvidas.
.
Se isto for verdade, Sócrates seria o elo mais fraco deste acordo que lhe garantia os dinheiros com que suportava um Estado devorador e excessivo que foi incapaz de meter na linha. Merkle, o elo mais forte e representante da poderosíssima industria alemã. Se calhar, Sócrates já há muito que desejaria ver-se livre do "empecilho" do TGV – porque, no fundo, Portugal não precisa de nenhum TGV. A confirmar-se esta estratégia, aí viria mais uma obra megalómana que mais não servia que era ajudar interesses de poderosos e fragilizar ainda mais a debilitadas finanças do país.
.
A confirmar-se esta negociata, cujo interesse maior dos seus dois protagonistas, era a preservação da sua imagem política, só reconfirma o péssimo governante que foi Sócrates, que sem o mínimo pejo não teria qualquer relutância em procurar a melhoria da sua imagem política à custa do subalternizar do interesse nacional.
Neste mundo, não há almoços grátis.
Por Francisco Gouveia, Eng.º

PAULO PORTAS: "O FIO DA NAVALHA DE ANA GOMES"



 Eleições 2011

Ana Gomes defende que Paulo Portas não tem condições para fazer parte do Governo

No Conselho Superior da Antena1 desta manhã, Ana Gomes afirma que concorda com a vontade do Presidente da República de dar posse ao novo Governo o mais rapidamente possível. Em relação à formação do Executivo, a eurodeputada socialista defende que os meios de comunicação social devem assumir o seu papel de contribuir para a transparência do passado dos políticos, nomeadamente do presidente do CDS-PP, Paulo Portas. Ana Gomes acredita que está em causa a idoneidade e credibilidade pessoais e políticas de Paulo Portas para voltar a desempenhar cargos governamentais e lembra o caso dos submarinos. Ana Gomes vai mais longe e acusa Paulo Portas de ter encetado uma “campanha de desinformação” e de calúnia de dirigentes socialistas, associando-os ao processo Casa Pia.

2011-06-07 09:21:16
O resto está em baixo:

As principais notícias de Terça-feira, 7 de Junho de 2011.

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Passos Coelho agradece vitória no Facebook
Tavira: Interrupção de trânsito
Elsa Pinto: Candidata em S. Tomé
Porto: Fogo em prédio devoluto
Gondomar: Roubo por esticão
Mãe e filhos despejados
Paulo Fonseca: Lidera Turismo

Capa do Público Público

Cavaco Silva diz que clarificação dos cadernos eleitorais seria “altamente conveniente”
Cavaco Silva espera ouvir líderes de principais partidos na próxima semana
Governo pode tomar posse antes do Conselho Europeu, disse Cavaco Silva
Sorteio da Lotaria Clássica (23º/2011)
Síria denuncia "massacre" de polícias
Produtor musical Martin Rushent morre aos 63 anos
Ban Ki-moon candidata-se a segundo mandato na ONU

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

CDS quer Governo maior e políticas mais sociais
Pais de Rui Pedro vêem julgamento com esperança
Desapareceram das aldeias e eram escravizados
"Governo deveria tomar posse antes de dia 23"
Rehn e Juncker contam com novo Governo em breve para executar programa acordado
David Cameron manifestou desejo de trabalhar com Passos Coelho
Presidente do Parlamento Europeu felicita Passos Coelho

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Dois mil bombeiros combatem incêndio descontrolado nos Estados Unidos
Será difícil criar ministro das Finanças europeu, defende presidente do Eurogrupo
Diversões encerradas no Senhor de Matosinhos
Empresário sofreu golpe de meio milhão
Engenheiro acusa PSP de agressão em operação stop
Presidente do Eurogrupo foi ameaçado de morte
Milhares de reformados falecidos receberam pensões na Grécia

Capa do i i

Acampada de Lisboa. Câmara discute hoje carga policial sobre manifestantes
Caso Rui Pedro. Acusado quer ouvir investigadores da PJ no julgamento
Ensino privado. Cavaco usa veto para corrigir trapalhada jurídica da oposição
GNR perdeu 1500 militares em 2010 e abriu 805 processos disciplinares
PS quer ter líder eleito no mês de Julho. Congresso pode ficar para depois do Verão
Bairro 6 de Maio. Detidos pela PSP na Amadora vão hoje a tribunal
Detidos três suspeitos por tráfico de pessoas

Capa do Diário Económico Diário Económico

Cavaco quer Governo fechado até 15 de Junho
“Ministro das Finanças será determinante”
CDS deverá ter mais duas secretarias de Estado do que em 2002
Governo de maioria agrada às agências de ‘rating’
“O Orçamento para 2012 vai ser o dossier mais difícil”
“Tem de haver concertação política mas também social”
“Passos e Portas têm condições para atrair os melhores”

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Valor aplicado em depósitos fixa novo recorde em Abril
Taxa média dos depósitos volta a subir para 3,24%
"Bancos estão a fazer lóbi para haver lacunas nas novas regras"
Qatar Airways assume interesse na privatização da TAP
IAG e LAN Chile afastam interesse na companhia portuguesa, para já
"Não matem a "galinha dos ovos de ouro" dos governos. Basta de mais impostos"
Teodoro Gomes Alho reclama 16 milhões de euros à SGAL

Capa do Oje Oje

Cavaco pede novo Governo em 10 dias
EDPR forma parceria eólica com a Repsol
EDP estima encaixe de 322 milhões
Utilização de gás natural vai crescer 50% até 2035
Aviação civil lucra metade do previsto
Embraer espera pela Boeing para lançar avião
IPAM lança ensino à distância no curso de Gestão de Marketing

Capa do Destak Destak

Posse novo Governo pode ocorrer até 23 de Junho - PR
Leonardo Jardim apresentado quarta-feira
Justim Timberlake apalpa Mila Kunis em Palco
Jogos da final já têm horário definido
Feriados explicados aos enviados do FMI
Novo tempo
Rehn e Juncker contam com novo Governo em breve para executar programa acordado com UE e FMI

Capa do A Bola A Bola

Pode Nadal ser maior que o maior de sempre?
«Bracali não vai tremer»
Izmailov chega esta semana
Estudiantes confirma oferta das águias por Enzo Pérez
Luisão sai em defesa do irmão Alex Silva
«Não pedirei que naturalizem jogadores para nos resolverem um problema» - Paulo Bento
Paulo Bento desvaloriza atitude de Rolando em Dublin

Capa do Record Record

Badminton: Portugueses correm para Londres
Cinzas atingem sul do Brasil
Eleições do clube marcadas para esta terça-feira
MTV Movie Awards com um brilho especial
Festa do Estoril surf está a chegar
Mafalda Ribeiro é embaixadora dos Jogos de Portugal em Coimbra
Adriane Galisteu volta a ser capa da "Playboy"

Capa do O Jogo O Jogo

Paulo Bento: “Não sou salvador da pátria”
Definidas datas para jogos da final
Sannino vai treinar o Siena
Tomasson pendura as chuteiras
Joaquín a caminho do Málaga
Donbass Arena mostra aptidão, vibra, mas não festeja
Benfica diz que não há "qualquer tipo de acordo" com o Real Madrid por Fábio Coentrão