Translator

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

A "GAJA" QUE NOS VAI COLOCAR A PÃO E LARANJAS AZEDAS!

A guarda do mealheiro dos bancos

.
O Executivo da chanceler alemã, Angela Merkel, está a preparar um plano destinado a revitalizar as instituições financeiras do país, bancos e seguradoras, no caso de a Grécia não conseguir cumprir as condições impostas no pacote de ajuda internacional e entrar em incumprimento.
.
Parece evidente que é impossível a qualquer país poder uma dívida com juros de 55 por cento. A pergunta que se pode fazer é porque há quem empreste dinheiro sabendo que é impossivel que aquele a quem emprestam lhe possa vir a pagar?
.
Isso só faz algum sentido se souberem que quando chegar a hora do incumprimento alguém vai assumir a dívida e que acabarão por receber o que emprestaram e os juros na totalidade. Então quem pagará? 
.
Vamos pagar todos nós pois os governos podem dizer que não têm dinheiro para a saúde, educação ou apoios sociais mas para refinanciar a banca nunca vai faltar. Mais imposto, menos imposto, mais austeridade, menos austeridade o mais certo é que acabaremos todos por pagar.

CORNO DE ÁFRICA: "PIRATAS RICOS E PIRATAS FAMINTOS"

Para ver e meditar



A quem  se preocupa com os problemas dos Homens, dos Países e do Planeta.

São realidades (e verdades) que não devem passar ao lado da nossa consciência e da nossa acção.

Passem em ecrã total.


 

PORTUGAL JÁ OS COMBOIOS DEIXARAM DE APITAR...

 .
Tivemos a felicidade de nascermos num país demasiado lindo! Uma costa, longa, cheia de beleza e mais além um mar que sempre nos haja dado pescado para a nossa alimentação. 
.
Peixe que chegava às terras planas e às montanhas embrulhado em sal das salinas. Eramos o que eramos e viviamos à nossa maneira e bem. 
 .
Produzíamos o necessário à nossa alimentação nas terras baixas e nas altas. Importavamos uns moios de trigo para os papo-secos e as carcassas, comidos nas cidades e vilas. 
.
Nos meios rurais no verão o pão de centeio e no inverno o do milho. Cereal transformado em farinha nos moinhos ao longo das margens, pitorescas, das  ribeiras e rios de Portugal. Eramos o que eramos um povo calmo, hospitaleiro e tolerante. Em fim: "uns pobre diabos...!!!" 
 .
Mas hoje e em futuro próximo acabamos por não ser nada na ponta do ocidente do mar da Europa. Esta sempre cobiçosa de nos arrebatar a nossa terra generosa. 
 .
Nós, os portugueses, já fomos vítimas de duas investidas de países da Europa: "a primeira a perda da independência a favor de Castela que o "pulha" Cardeal D. Henrique lhes ofereceu de mão beijada; chegou mais tarde a invasão das tropas, sifilíticas e bêbedas de Napoleão, que cobardemente, a família real, a nobreza, o clero e a fidalgaria de "pacotilha", borrada de medo, fugiram, em debandada, para o Brasil deixando Portugal à deriva. 
.
Hoje Portugal está, mais uma vez, sob a "pata" da Europa e difícil de entender aquilo que nos vai acontecer pela terceira vez. Agora já não será pelo poder do gatilho e do cheiro da pólvora, mas pela força do dinheiro!
.
Vem-me à memória o apitar dos comboios, que chegavam a todos os pontos de Portugal que hoje deixaram de apitar e deixar, o característico, rolo de fumo, no seu rolar nos carris de ferro, da lenha de pinho queimada no forno das locomotivas. - José Martins
.
Clique a seguir e ouça o "Apita o Comboio" e Portugal na sua beleza: http://www.youtube.com/watch?v=4hb6xjb2UcQ

E ASSIM, COMO PARECE, VAMOS NA ENXURRADA COM OS GREGOS...UMA MERDA!

Grécia arrasta bolsas na queda

O PROVADOR DE VINHOS INFALÍVEL


No armazém
de vinhos o provador, regular, morreu e o director começou a procurar um novo para contratar. Apareceu-lhe um aposentado, bêbedo, ex-piloto de caças da Marinha, de  olhar grave e sujo chegou para concorrer  à posição. O director pretendeu desfazer-se do fedorento maltrapilha.
.
Foi-lhe dado a beber o primeiro copo. O piloto idoso depois de o ingerir disse: "É um Moscatel de três anos de idade, cultivado em uma encosta do norte, amadureceu em cuba de aço. Qualidade baixa, mas aceitável."
.
"Isso é
correto", disse o director. "Outro copo, por favor." "É um cabernet, oito anos de idade, sudoeste da encosta, envelhecido em cascos de carvalho. Requer, para atingir o ponto, de qualidade, mais três anos."
 .
"
Absolutamente correcto. O terceira copo."''É um pinot blanc, champanhe, de alta qualidade, exclusividade e calmo  '', disse o bêbado.
.
O director
ficou surpreso e piscou o olho a sua secretária como a sugerir-lhe algo. Saiu da sala e voltou com um copo de mijo.
  .
O alcoólatra
 provou e remata em seguida: de uma loira, de 26 anos, grávida de três meses e se eu não conseguir aqui emprego revelo o nome do pai da criança."

SE ASSIM FOR...BATEMOS MUITAS PALMAS!

Negociação com CDS

por RTP actualizado às 15:13 - 12 setembro '11

PSD quer criminalizar enriquecimento ilícito

publicado 09:30 12 setembro '11
PSD quer criminalizar enriquecimento ilícito
O PSD já tentou apresentar um projeto de lei sobre esta matéria por três vezes, mas sempre sem sucesso António Antunes, RTP

O PSD promete avançar com uma proposta para a criação do crime de enriquecimento ilícito. O projeto de lei está em negociação com o CDS-PP e pode ser apresentado a tempo do debate de dia 23, quando o Parlamento debater a proposta do Bloco de Esquerda. Ontem à noite, Francisco Louçã criticou o silêncio do líder socialista sobre o combate à corrupção, durante o congresso. Já o CDS, partido na coligação do Governo, tem levantado várias reservas sobre a criminalização do enriquecimento ilícito.

Esta proposta “consta dos propósitos do grupo parlamentar do PSD e, nessa medida, posso adiantar que estamos em articulação e coordenação com o grupo parlamentar do CDS-PP, como obriga o acordo que celebrámos, para podermos apresentar a nossa iniciativa legislativa nessa matéria", explicou o líder da bancada parlamentar do PSD.

Segundo Luís Montenegro, “faz todo o sentido” que a proposta de criação do crime de enriquecimento ilícito seja apresentada a tempo do debate de 23 deste mês, dia em que o Parlamento vai debater a proposta do Bloco de Esquerda.

O PSD já tentou apresentar um projeto de lei sobre esta matéria por três vezes, mas sempre sem sucesso. Logo após a tomada de posse, a ministra da Justiça abriu a porta para a criação deste crime.

O CDS-PP, partido na coligação do Governo, tem levantado várias reservas sobre a criminalização do enriquecimento ilícito, em particular por causa da inversão do ónus da prova.

Na semana passada, quando o projeto de lei do Bloco de Esquerda foi agendado, nenhum outro partido deu indicações de que pretendia agendar para a mesma data diplomas sobre essa matéria. 

Bloco aponta “dois silêncios” de Seguro

Na reação ao congresso socialista do fim de semana, o líder do Bloco de Esquerda notou o silêncio do secretário-geral do PS no que respeita ao combate à corrupção e à Constituição.

.
"O primeiro é o silêncio sobre a corrupção, é certo que António José Seguro interveio sobre a corrupção, mas não apresentou uma única medida concreta, sabendo ele que lidera hoje um partido que se recusou a votar junto com o CDS a criminalização do enriquecimento ilícito", disse Francisco

Louçã.

Em Coimbra, no encerramento do Fórum Novas Ideias para a Esquerda, o líder do BE disse esperar a "contribuição" do PS para o combate à corrupção, "que passa por responsabilizar quem tem a caneta que assina as decisões fundamentais na utilização dos dinheiros públicos”, declarou.
.
O segundo silêncio socialista foi sobre a Constituição e a "exigência" da chanceler alemã de que todos os países europeus têm de incluir no texto constitucional limites à sua divida "e portanto à sua política orçamental", disse.

“Introduzir na Constituição a ideia de que o país está proibido de usar recursos quando há uma recessão ou quando quer ter uma política de serviço nacional de saúde é o mesmo que pôr que está proibida definitivamente a neve na serra da Estrela ou as marés vivas em setembro. Não tem nenhum sentido", argumentou.

OH, OH RELVAS: "A GRANDE METRAGEM NA TELA EM SEIS DIMENSÕES"

O guarda do Zoo


EM EXIBIÇÃO

CARTA DE CATARINA AO SENHOR SILVA (RESIDENTE) DO PALÁCIO DE BELÉM


.
Carta aberta de presente crise de valores em Portugal
.
Cavaleiros da Ordem do Infante Dom Henrique...
.
Exmo. Sr. Presidente da República, Dr. Aníbal Cavaco Silva,
.
O meu nome é Catarina Patrício, sou licenciada em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, fiz Mestrado em Antropologia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, sou doutoranda em Ciências da Comunicação também pela FCSH-UNL, projecto de investigação "Dissuasão Visual: Arte, Cinema, Cronopolítica e Guerra em Directo" distinguido com uma bolsa de doutoramento individual da Fundação para a Ciência e Tecnologia. A convite do meu orientador, lecciono uma cadeira numa Universidade. Tenho 30 anos.

Não sinto qualquer orgulho na selecção de futebol nacional. Não fiquei tão pouco impressionada... O futebol é o actual opium do povo que a política subrepticiamente procura sempre exponenciar. A atribuição da condecoração de Cavaleiro da Ordem do Infante Dom Henrique a jogadores de futebol nada tem que ver com "a visão de mundo" (weltanschauung) que Aquele português tinha.
.
A conquista do povo português não é no relvado. Sinto orgulho no meu percurso, tenho trabalhado muito e só agora vejo alguns resultados. Como é que acha que me sinto quando vejo condecorado um jogador de futebol? Depois de tanto trabalho e investimento financeiro em estudos?!! Absolutamente indignada.
.
Sinto orgulho em muitos dos professores que tive, tanto no ensino secundário como no superior. Sinto orgulho em tantos pensadores e teóricos portugueses que Vossa Excelência deveria condecorar. Essas pessoas sim são brilhantes, são um bom exemplo para o país... fizeram-me e ainda fazem querer ser sempre melhor. Tenho orgulho nos meus jovens colegas de doutoramento pela sua persistência nos estudos, um caminho tortuoso cujos resultados jamais são imediatos, isto numa contemporaneidade que sublinha a imediaticidade. Tenho orgulho até em muitos dos meus alunos, que trabalham durante o dia e com afinco estudam à noite....
.
São tantos os portugueses a condecorar...

E o Senhor Presidente da República condecorou com a distinção de Cavaleiro da Ordem do Infante Dom Henrique jogadores de futebol... e que alcançaram o segundo lugar... que exemplo são para a nação? Carros de luxo, vidas repletas de vaidades... que exemplo são?!
Apresento-lhe os meus melhores cumprimentos,

Catarina

Documentário sobre Sião e Portugal com estreia mundial em Novembro


O documentário «500 anos de relações entre o Sião e Portugal», com estreia mundial marcada para o próximo mês de Novembro, no «World Film Festival of Bangkok 2011», foi filmado na Tailândia, mas também nas localidades portuguesas de Lisboa, de Lagos, de Sagres, de Sintra, de Coimbra e do Porto. Yuwadee Vatcharangkul, editora da Unidade de Documentário Cultural, da Nation Broadcasting Corporation (NBC), explicou a’O CLARIM as várias etapas deste ambicioso projecto. Do seu trabalho resultou também a publicação de dois livros.

O CLARIM – É investigadora, coordenadora, guionista, criadora de conteúdo, realizadora e produtora do documentário «500 anos de relações entre o Sião e Portugal», para a estação tailandesa de televisão NBC. Por que razão se interessou por um povo, à partida, tão distante?
YUWADEE VATCHARANGKUL – Em 2008, o renomado historiador tailandês Charnvit Kasetsiri disse-me que os próximos três anos seriam para comemorar o 500º aniversário das relações diplomáticas entre a Tailândia e Portugal. Fiz então uma viagem até ao antigo estabelecimento português de Ayutthaya. Senti-me inspirada. Tive a sensação de ter recebido uma chamada do destino, como que a dizer que eu tinha de fazer algo. Surgiu, assim, a ideia do documentário.
CL – Tem quantos episódios?
Y.W. – O documentário tem dez episódios, com 48 minutos cada. É narrado em tailandês, com subtítulos em inglês. Fiz ainda uma versão de 90 minutos, com o mesmo título, que vai estrear no «World Film Festival of Bangkok 2011», a realizar-se entre os próximos dias 4 e 13 de Novembro.
CL – O documentário vai ser transmitido em que canais de televisão?
Y.W. – Espera-se que partir do início do próximo ano possa ser difundido, em sinal aberto, numa estação de televisão tailandesa, após o qual irá ser transmitido no Nation Channel (da NBC) e na Asian TV ou na Mango TV. Estão também a ser encetados contactos para que passe no Discovery Channel International, no Discovery Channel e no History Channel. Vamos tentar ainda as estações de televisão, em Portugal.
CL – Pode descrever as diferentes etapas do seu trabalho?
Y.W. – Passei dois anos em pesquisa, mais um ano em filmagens. Em Janeiro do ano passado estive algum tempo em Banguecoque, onde recolhi depoimentos de tailandeses luso-descendentes, que residem nos bairros de Santa Cruz, da Imaculada Conceição e da Senhora do Rosário. No mês seguinte fui a Ayutthaya. Em Março desloquei-me à ilha de Phuket e à província de Phang Nga, ambas no sul da Tailândia.
CL – O que há em Phuket e em Phang Nga?
Y.W. – Em Phang Nga há alguma arquitectura sino-portuguesa, mais concretamente, nos distritos de Takua Pa e Takua Tung. Em Phuket recolhi depoimentos da miscenizada comunidade, de chineses com locais, designada por «BaBha».
CL – Quais foram os próximos destinos?
Y.W. – O período compreendido entre Abril e Maio de 2010 foi para as filmagens de oito cenas históricas de Ayutthaya, que estiveram a cargo da Prommitr Film Studio, na província de Kanchanaburi. Em Junho desse mesmo ano desloquei-me a Portugal, juntamente com mais oito pessoas tailandesas. A viagem durou 19 dias.
CL – Que contactos tinha em Portugal?
Y.W. – Os quatro meses que antecederam a viagem foram para organizar a deslocação da minha equipa. Pedimos assistência à Embaixada da Tailândia em Portugal para que nos providenciasse, por exemplo, o acesso ao Palácio Nacional da Ajuda, à Biblioteca Nacional de Portugal e ao Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Filmámos em Lisboa, em Lagos, em Sagres, em Sintra, em Coimbra e no Porto. Tivemos também a oportunidade de consultar documentos sobre o Sião na Biblioteca Nacional da Ajuda, na Torre do Tombo, na Biblioteca Joanina (Coimbra), etc.
CL – Quem a acompanhou nesta viagem?
Y.W. –  Entre outros, foram comigo três peritos de História. Ou seja, o doutor Charnvit Kasetsiri, o arqueólogo subaquático, Erbprem Vatcharangkul, e a arquivista do Departamento de Belas Artes da Tailândia, Korrapin Tahweeta. Foram também feitos alguns contactos com académicos portugueses.
CL – O que descobriu ao longo destes três anos?
Y.W. – Questionei-me, inicialmente, sobre qual teria sido a razão dos portugueses terem navegado até ao Extremo Oriente. Após alguma pesquisa, verifiquei que foi para terem acesso às especiarias. No entanto, descobri posteriormente que havia algo mais profundo do que isso, pois a razão principal resultou dos conflitos com os mouros. Naqueles tempos, as rotas comerciais terrestres eram governadas por muçulmanos. Porque os portugueses tinham que pagar elevadas taxas para poderem circular por terra ou, em alternativa, tinham de lutar contra os mouros, optaram, assim, por navegar pelos mares.
CL – A 11 de Maio último lançou dois livros...
Y.W. – «500 anos de relações entre o Sião e Portugal» é um livro documental, interdisciplinar e histórico, com dez capítulos que também são paralelos ao filme. Descreve a chegada dos portugueses ao Extremo Oriente e depois ao Sião, bem como a razão que esteve por detrás deste grande empreendimento. Faz também referência ao facto dos portugueses se terem instalado na sociedade siamesa e deixar profundas influências que ainda perduram. «Descobrindo Portugal» retrata, por sua vez, as experiências que fui tendo durante a minha viajem e as peripécias de bastidores, que passaram por saborear a comida e os vinhos, assim como vivenciar o estilo de vida em Portugal.
CL – As relações com o Sião foram sempre pacíficas. Trata-se de um marco digno de registo?
Y.W. – Foram estáveis porque houve benefícios mútuos. Se Portugal, como povo estrangeiro, chegou até esta parte do globo para conquistar e para governar terras, muito naturalmente precisou de fazer aliados. Os portugueses vieram até ao Sião por causa de Malaca, em virtude da influência que nos era atribuída sobre a península malaqueira. O Sião também beneficiou, por exemplo, com os conhecimentos que os portugueses tinham sobre armas e canhões.

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 12 de Setembro de 2011.

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

EUA: Caças escoltam avião
Beja: Despistes ferem motards
Castelo de Paiva: Quatro feridos
Carvalhos: Bate, atropela e foge
Jovem morre afogado em lagoa
Diogo Maia e Silva: Bronze em Biologia
Marcelo R. Sousa: Contra cortes na comparticipação da pílula

Capa do Público Público

Chave do Totobola (37/2011)
Sorteio do Joker (37/2011)
Passos Coelho considera que “não houve grandes propostas concretas” no congresso do PS
Samantha Stosur derrota Serena Williams na final do Open dos EUA
Caças escoltam avião nos EUA depois de passageiros se trancarem na casa de banho
Bloco de Esquerda avança com referendo à privatização das Águas de Portugal

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

A vitória, hábil e trabalhada, de Seguro
Seguro persiste no tabu sobre o limite do défice
Fim das 'Pandur' vai fazer 200 desempregados
Passos Coelho aplaude "arrumar da casa" socialista
BE quer referendo à privatização das Águas de Portugal
Francisco Louçã estranha "dois silêncios" de Seguro
Presidente dos bombeiros profissionais pede "celeridade" ao Governo

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Pelo menos 240 mortos em naufrágio em Zanzibar
Passos Coelho: "Não houve grandes propostas concretas"
O dia em que todo o mundo regressou ao Ground Zero
Portugal foi base da ETA durante dois anos
Casino de Espinho condenado a pagar 82 mil euros a viciado do jogo
Caças militares escoltam avião comercial com passageiros barricados
Conselho Nacional de Transição anuncia Governo dentro de dez dias

Capa do i i

Nova igreja de Câmara de Lobos custou mais de quatro milhões
Luxo. Portojóia junta 171 expositores em tempo de crise
Bombeiros. Governo assina contratos de 21 milhões de euros
Uma corrida de fundo a tentar evitar rasteiras internas
Judiciária considera Sónia Brazão culpada
Protecção Civil retira 16 pessoas de prédio em Lisboa que ameaça ruir
Congresso do PS. “Gostei mais de ver Soares aqui, que na Universidade de Verão do PSD”, disse Alegre

Capa do Diário Económico Diário Económico

FMI em alerta laranja com situação na Grécia
Como encontrar juros grandes para poupanças pequenas?
Privatização da EDP arranca este mês e estará concluída em Outubro
Dívida das cotadas soma 3,1 mil milhões
Mais de metade dos docentes do superior em risco de serem dispensados
Seguro diz sim à ‘troika’ mas com políticas de crescimento
Subida do IVA nas pontes pode render dez milhões ao Estado

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Société Générale procura sossegar investidores com plano de redução de custos
Euro toca mínimos face ao iene e ao dólar com receios em torno da Grécia
Ministro alemão da Economia não exclui insolvência da Grécia
Luis Reis: "Não entendo medidas de empobrecimento do País"
Seguro pressiona Governo a recuar na taxa máxima de IVA sobre a energia
As notícias em foco na edição de hoje, dia 12 de Setembro, no Negócios
Preços do petróleo pressionados por crise da dívida na Zona Euro

Capa do Oje Oje

Mercados já antecipam baixa dos juros
Procura de alimentos pela China coloca bancos centrais em aviso
Windfloat da EDP poderá criar 8 mil empregos
Samsung Galaxy banido da Alemanha
Líbia discute retoma da produção petrolífera
Redes sociais influenciam forma de ver televisão
Semana fecha em toada negativa

Capa do Destak Destak

Alheira de Mirandela eleita maravilha gastronómica
Buscas por pescador desaparecido no Douro vão ser retomadas na segunda-feira
Louçã critica “silêncios” de Seguro sobre corrupção e limite do défice na Constituição
Contenção orçamental "não impede" investimento na protecção civil
Papa apela a noivos para não "queimarem etapas" no amor
Alemanha interessada em “comprar sol grego” – Papandreou
Cavaco Silva envia mensagem a Obama manifestando "profunda solidariedade com o povo norte-americano"

Capa do A Bola A Bola

Beira-Mar testa fibra sadina
Há derby para Pedro Mendes?
Mata Real rendida a Michel
Nuno Gomes chega aos 150 golos no campeonato
Javi Garcia celebra jogo 100 em noite de gala
Direcção reúne-se em nome da justiça desportiva
Elias ligou ao pai a contar o golo

Capa do Record Record

Cardozo destrona o rei Artur
Baba: «Tem sido um bom início de campeonato»
Regresso ao passado
Solução estava em casa
Vinicius: «Fiquei para ser útil»
João Tomás: «Saber o que está mal»
Adriano: «Sp. Braga cresceu muito»

Capa do O Jogo O Jogo

Benfica: Cláudio Pedroso operado segunda-feira
Vaslui impõe primeira derrota ao Dínamo de Bucareste (3-1)
Juniores masculinos de Portugal conquistam bronze nos Campeonatos Ibero-americanos
Nacional de clubes: Tróia e Estela campeões
US Open: Stosur derrota Serena e conquista primeiro "major"
Ligue 1: Montpellier vence Nice por 1-0 e comanda isolado
Grupo G: Árbitro alemão Felix Brych no FC Porto - Shakthar Dontesk