Translator

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

As capas dos jornais e as principais notícias de Sábado, 26 de Novembro de 2011.

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Euromilhões dá 35 milhões em Portugal
D. Manuel Martins: Culpados da crise
C. Rainha: Jovem cai do 3.º andar
F. Foz: Tinha espumante furtado
Alicoop: Novo plano aprovado
EN125: Ferido em colisão
Passos Coelho: Esperança pelo fado

Capa do Público Público

Não perca a nova aplicação Ípsilon iPad - Edição de 25 Nov. GRÁTIS
Mais perto da informação. Mais perto de si. Assine o Público
É ao PS que compete apresentar alterações a cortes dos subsídios, diz Montenegro
Euromilhões: 35 milhões para totalista de Portugal
Ramalho Eanes avisa que militares vão viver “período extremamente difícil”
Mário Soares diz que mercados é que estão escolher os novos governos
Governo e Casa da Música chegam a acordo para corte de 20 % em 2012

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Portugal não tem cultura anarquista como a Grécia
Imagens-choque para vítimas deixarem os parceiros
133 mil comprimidos perigosos apreendidos
60 anarquistas radicais referenciados pela PSP
A rua e as responsabilidades
Brasil admite julgamento de Duarte Lima em Portugal
Crises e oportunidades (2)

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Construir o próprio caixão para poupar no enterro
Transplantação recupera em Novembro
Benfica-Sporting joga a liderança do campeonato
Nova Constituição não atraiu marroquinos
Praça Tahrir levanta-se agora contra o Exército
Jackpot do Euromilhões fica em Portugal
Beira-Mar vence em Coimbra por 1-0

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

Combinação vencedora do Euromilhões
UBS reforça para mais de 7% na Sonae Capital
Mota Engil estima mais 50 mil desempregados na construção em 2012
"Só quem revela algum desconhecimento" receia intervenção mais activa do BCE
Wall Street em queda pressionado pela Grécia
Teixeira Duarte tem prejuízo de 116 milhões com acções do BCP
S&P corta ‘rating’ da Bélgica

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Trocaram de mãos mais de 900 milhões de acções do BCP na semana
PSI-20 recua 4% e perde terreno pela sexta semana consecutiva
Sampaio: "Afinal de contas tinha razão quando disse que há mais vida além do Orçamento"
UBS reforça participação na Sonae Capital
Aumento de imposto sobre bebidas alcoólicas é "penalização muito grande"
Infografia: Correcções ao Orçamento com aprovação garantida
Schaeuble diz que Europa pode discutir exclusão de privados do fundo de resgate do euro

Capa do A Bola A Bola

Danilo vai ser o anti-Messi no Mundial de Clubes
Rubio e Insúa confiantes para o 'derby'
Casa cheia na Luz
Derby universal - 22 jogadores de dez países
Sapunaru volta a ser opção
«O que se passa ao lado não nos ajuda a crescer» - Vieira
Izmailov e Jeffrén aceleram recuperação

Capa do Record Record

Atração pelo Dragão é trunfo para Kléber
Otamendi mais forte depois do "castigo"
Dimas lança prognóstico para dérbi
Especialista das apostas lança dérbi
Capitão à caça de dragões
Prognóstico de Manuel Fernandes para o dérbi
João Pinto atento ao dérbi lisboeta

Capa do O Jogo O Jogo

Rui Bento: "Mesmo com esta vitória, o Beira-Mar está abaixo do que podia estar"
Domingos: "Ninguém é campeão vencendo este derby"
Insúa entras nas contas para a Luz
Carlos Brito espera "jogo complicado"
Masters: Djokovic perde mas ainda sonhas com as meias
Pedro Emanuel: "Ficou evidente que fizemos muito para conseguir chegar à vitória, mas não conseguimos"
Beira-Mar vence em Coimbra (0-1)

RUI MOREIRA - ÓSCAR DA IMPUNIDADE


 

Óscar da impunidade

JN - 2011-11-20
Otelo Saraiva de Carvalho (OSC) disse, em entrevista recente, que "ultrapassados os limites (os militares deveriam) fazer uma operação militar e derrubar o Governo". 
 .
Marques Júnior, outro capitão de Abril, tratou de rejeitar a ideia, garantindo não haver condições para os militares fazerem um golpe. O "establishment" político menosprezou a importância essa declaração e o assunto foi selado por Marcelo na sua homilia dominical.
 .
Será que ninguém leva a sério as bravatas de OSC? Ora, a sua história mostra que ele constitui uma ameaça. Foi ele o chefe do COPCON que, em 1975, procedeu a inúmeras detenções arbitrárias, assinando mandados de captura em branco, de tal forma que em finais de Março desse ano havia mais presos políticos, da extrema-esquerda à direita, do que no dia 24 de Abril de 1974. 
.
Presos esses que nunca foram acusados de nada e que foram sujeitos a tortura e sevícias, como consta de um relatório elaborado por pessoas acima de qualquer suspeita. No 25 de Novembro, esteve do lado dos derrotados, e foi detido por essa razão, para logo ser libertado. Depois, e apesar disso, pode concorrer às eleições presidenciais e, perdida a batalha, optou por se travestir de Óscar, e liderou uma organização terrorista, as FP 25 de Abril, que foi responsável pelo assassinato de dezassete pessoas inocentes. Por esse crime foi preso, julgado e condenado em tribunal, apesar de traído os seus camaradas, fingindo que nada tinha que ver com a organização. Mais uma vez, foi libertado, sem nunca se mostrar arrependido, por obra e graça de uma amnistia vergonhosa. 
Anos mais tarde, foi promovido retroactivamente, com uma indemnização de 49800 euros, muito superior à que receberam as famílias das vítimas das FP-25.
 .
Não acredito que haja 800 militares (os tais que, segundo ele, poderiam fazer um golpe de Estado) dispostos a seguir a sua sugestão, ou a marchar com ele. Os militares têm o direito de se manifestar ordeiramente mas, no mais, sabem que devem ficar pelos quartéis, porque Portugal é uma democracia. Ainda assim, OSC não pode ser descartado como se fosse um qualquer indigente mental, nem ter um estatuto de eterna impunidade por ter participado no 25 de Abril. 
 .
Também não se pode tomar a sua declaração à laia de um desabafo. OSC nunca foi um democrata, e odeia a liberdade. A sua participação no 25 de Abril teve, como móbil, razões corporativas. Mandou no COPCON porque queria submeter o país à sua ditadura. 

Envolveu-se num golpe de Estado contra a liberdade, e perdeu. Fez parte de um grupo terrorista e nem sequer teve coragem para o assumir. Foi libertado, e nunca pediu perdão. Vive tranquilo, com uma reforma maior do que a que recebem 95% dos reformados deste país.
.
Ora, em democracia, esse sistema que ele abomina, a lei deve ser cumprida por todos, e o seu acto pode configurar o crime de "instigação pública de um crime", previsto no artº 297º do CP. De facto, OSC poderá ter instigado o crime de "alteração violenta do Estado de Direito", previsto no artº 325º do CP, o qual no seu número 1 refere que "quem, por meio de violência ou ameaça de violência, tentar destruir, alterar ou subverter o Estado de direito constitucionalmente estabelecido, é punido com pena de três a doze anos".
.
Em memória das vítimas das FP-25 de Abril, do meu Pai, cuja história é narrada em pormenor no relatório das sevícias, e que foi um dos muitos que foram presos e seviciados sem que nunca tenha sido acusado de qualquer crime, em homenagem à instituição militar que não merece ser confundida com OSC e quejandos, a bem dos meus filhos que, espero, possam continuar a viver em liberdade, exijo que este assunto não fique esquecido. 
.
Não me conformo com o encolher de ombros do procurador-geral da República. Se Portugal tinha alguma dívida com OSC, já a pagou muitas vezes. Agora, devia ser a hora de esse senhor se sentar no banco dos réus para, por uma vez, perceber que não é mais do que os outros portugueses. É, aliás, e a meu ver, bastante menos do que qualquer cidadão comum.

O ABRIR O BAÚ DA TRISTE MEMÓRIA DE 37 ANOS QUE DEIXOU OS PORTUGUESES NUMA VIDA DE MERDA- OS PROBLEMAS DA ECONOMIA PORTUGUESA SEM SEREM RESOLVIDOS EM 37 ANOS!


AS CONCERTAÇÕES DO JORGE - MAIS VALE TARDE QUE NUNCA OH JORGE!


1974 - O Jorge como se pode analisar já segue na política há muitos anos. O Jorge foi longe para "caralhos", antes de ser Presidente da República (paizinho dos portugueses) foi Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. O Jorge desde que anda nos meandros da politiquice tem-se governado na maior! Obra ao Jorge não se lhe conhece e até o Jorge pouco se interessa disso. O que é preciso para o Jorge é que a vida lhe corra e às suas duas criancinhas muito bem arrumadinhas na vida. Mas o Jorge bem melhor estaria caladinho e não se meter em merdas de opiniões já que no tempo que foi o papá dos portugueses não concertou porrinha nenhuma! - José Martins

Jorge Sampaio defende reforço da concertação social

OS "CÁGADOS" DOS INCOMPETENTES VENDEM-NOS TUDO!


Ao Dr. António de Oliveira Salazar fica Moçambique a dever a liderança política do Plano de Desenvolvimento do Vale do Zambeze e a decisão de se construir a barragem hidroeléctrica de Cabora Bassa. Em defesa desses seus projectos - que davam seguimento a inúmeras obras de fomento que já havia lançado na província ultramarina do Índico-, o chefe do Estado Novo teve que lutar contra quase ´todo o mundo´na frente diplomática e ainda contra os críticos daqueles empreendimentos que havia em Portugal, na Oposição e também no seio do seu Governo.  A. Santos Martins na sua obra "Cabora Bassa a última epopeia" 2006 - Impressão: Gráficas Juvia - Guillarei - Tui - Espanha - D.L. 236507/05 - ISNB 972

Entrada da REN na barragem de Cahora Bassa será oficializada na próxima semana

publicado 21:09 25 novembro '11

A entrada da REN no capital da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, adquirindo metade dos 15 por cento que Portugal ainda detém, será concretizada na próxima semana durante I Cimeira Luso-Moçambicana, disse à Lusa uma fonte ligada ao processo.

A aquisição será confirmada durante a Cimeira que arranca na segunda-feira em Lisboa, e significa o fim da presença do Estado português numa das maiores barragens de África, construída em 1969.
.
Portugal que, em 2007, passou a maioria do capital da HCB para o Estado moçambicano, detém ainda 15 por cento na empresa mas comprometeu-se em vendê-lo, em partes iguais, a interesses portugueses e moçambicanos, neste caso, provavelmente, a Companhia Eléctrica do Zambeze (CEZ).

QUEM SERÁ QUEM QUE SE ACREDITA NESTE DURÃO BARROSO "PIROLITO"?





O ABRIR O BAÚ DA TRISTE MEMÓRIA DE 37 ANOS QUE DEIXOU OS PORTUGUESES NUMA VIDA DE MERDA- 1975 ENDIREITAR ISTO


ARRE PORRA  EM 36 ANOS NÃO CONSEGUIRAM ENDIREITAR ISTO!!!

Isto foi em 1975 e há 36 anos...!!!

Clique na imagem para a ver e ler em condições

ESTAMOS TRAMADOS E MAL PAGOS... DEIXARAM FALIR O MEU PAÍS!



por © 2011 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A. actualizado às 09:42 - 25 novembro '11

Portugal paga 34.400 milhões de euros em juros por empréstimos da "troika"

publicado 07:35 25 novembro '11

Portugal vai pagar um total de 34.400 milhões de euros em juros pelos empréstimos do programa de ajuda da "troika" (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), segundo dados do Governo.

Este valor foi apresentado pelo Ministério das Finanças em resposta a uma questão de Honório Novo, deputado do PCP.
O total do crédito oferecido a Portugal no âmbito do programa de assistência da "troika" é 78 mil milhões de euros.
.
Durante o debate parlamentar do Orçamento Retificativo para 2011, no final de outubro, o deputado comunista pelo Porto perguntou: "Quanto é que serão os juros globais desta ajuda? Quanto é que Portugal pagará só em juros para nos levarem pelo mesmo caminho que a Grécia, ao empobrecimento generalizado do país?".
.
A resposta do Ministério das Finanças, 34.400 milhões de euros, corresponde ao valor total a pagar ao longo do prazo dos empréstimos. Isto presumindo que Portugal recorre integralmente ao crédito disponível. Ou seja, que "é utilizado na totalidade" o montante destinado às empresas do setor financeiro - os 12 mil milhões de euros reservados para a recapitalização da banca.
.
Na resposta do Ministério das Finanças a Honório Novo nota-se ainda que as condições dos empréstimos concedidos por instituições europeias são bastante mais favoráveis que as dos créditos do FMI. Os empréstimos do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) ou do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) têm uma maturidade (duração) média de 12 anos, a uma taxa de juro média de 4 por cento.
.
Já os empréstimos do Fundo têm uma maturidade média de sete anos e três meses, e uma taxa de juro média de 5 por cento - mas neste caso "a taxa de juro é variável, à qual acresce um `spread` [diferencial] que depende do montante em dívida e pode chegar a perto de 400 [pontos base] depois dos três primeiros anos", lê-se no documento das Finanças.

IN NOTAS VERBAIS - SEM COMENTÁRIOS DESTE BLOGUE

.

Vaticano

Sempre respondo a VEXA. Na verdade, na Embaixada de Portugal junto da Santa Sé há tanto, tanto trabalho que os quatro últimos embaixadores acabaram os mandatos com profundos e irreversíveis cansaços cerebrais, reumatismo nos joelhos e nódoas no peito pelo bater do punho, não tanto por se encostarem ao cajado. O palácio é bonito mas a invalidez não compensa.
.
Anónimo disse...
Porquê tanta embirração contra a embaixada no Vaticano? Como se a maioria das embaixadas portuguesas trabalhasse mais e melhor...
Quinta-feira, 24 Novembro, 2011