Translator

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

COM QUE ENTÃO O "BOY", IRRIQUIETO, PEDRINHO A CONTAS COM A LEI...!!!

As capas dos jornais e as principais notícias de Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Deputados de férias até 3 de Janeiro
Manuela Veloso: Cientista distinguida
Sócrates: Juízes avaliam canudo
Faro: Detido por injuriar PSP
V. N. Gaia: Condutor armado
Barreiro: Fogo desaloja família
Monchique: Tolerância de ponto

Capa do Público Público

Tenha acesso a mais informação. Torne-se assinante Público.
Greve na CP mantém-se, sindicato não aceita nova proposta da empresa
Moody’s baixa “rating” da Eslovénia para A1
Operação Natal da GNR arranca às 24h desta sexta-feira com patrulhas nas estradas mais críticas
Domingos: "Terminamos 2011 com possibilidade de ganhar em todas as frentes"
Barcelona cilindrou o modesto Hospitalet e segue na Taça do Rei
Tottenham e Chelsea empatam e ficam mais longe do líder

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Asae dá lições de higiene alimentar a cantinas sociais
O problema estrutural
Procurador do caso Duarte Lima com processo disciplinar
Prendas de Natal: mais esperança, dinheiro e direitos
CGD: Suspeitas de escutas ilegais já prescreveram
Uma EDP no fundo do túnel
Caso George Wright: Supremo rejeita recurso dos EUA

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Funcionários do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro entram em greve
CP condena "posição irredutível" dos maquinistas
Piscinas do Beira-Mar à mercê do vandalismo
Mulher embriagada cai na linha de comboio
Igrejas fechadas e réplicas de santos "enganam" ladrões
Sporting bate Marítimo e garante meias-finais da Taça
Sporting de Braga assina protocolo com clube brasileiro

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

CP e maquinistas sem acordo, mantém-se a greve a partir de hoje
Accionistas aplaudem venda da EDP à China
“Obviamente que estou disponível para um projecto em que acredite”
“A Three Gorges acha que a EDP está bem gerida”
Uma aliança para liderar o negócio mundial das renováveis
EDP passará a ser uma das eléctricas menos endividadas da Europa
“Ganhou de longe a melhor proposta”

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

S&P volta a errar em anúncio de corte de "rating"
Greve na CP mantém-se
Wall Street fecha em alta com emprego a compensar desilusão no PIB
A decisão
Concurso de audiências no "outdoor" pronto para ser lançado em 2012
Moody?s corta notação soberana da Eslovénia
As reacções à escolha da Three Gorges

Capa do Oje Oje

Edição impressa do OJE regressa a 2 de Janeiro
PSI20 cresce 1%, BES lidera a valorizar mais de 4%
Acções da EDP fecham a subir 3,74% após decisão de venda aos chineses
Pedidos de subsídio de desemprego recua nos EUA
China Three Gorges vence corrida à compra da EDP
Chineses da Three Gorges são os novos accionistas da EDP
Banco Central brasileiro reduz novamente previsão de crescimento

Capa do Destak Destak

GANHE UM KIT SININHO
Criança para fazer de Michael Jackson já foi escolhida
GANHE UM KIT NIKE
Toneladas de bacalhau, grão, azeite e batatas vão alegrar consoada dos mais carenciados
GANHE UM KIT CARROS
GANHE UM PERFUME GISELE DENIS
Os Crentes

Capa do A Bola A Bola

Pereira Cristóvão terá sido identificado
Ladrões assaltam casa de Crouch e levam 120 mil euros em bens
Arsenal adia jogo devido à greve do metro
Enzo Pérez arrisca processo se não voltar dia 27
Sissoko pode sair em Janeiro
O melhor Lima de sempre
Armindo Araújo assegura WRC

Capa do Record Record

Carrillo cada vez mais importante
Confusão ao intervalo
André Almeida: «Seria um privilégio voltar ao Benfica»
Travessia de Soudani à procura de golos
Dudu recupera ambição elevada
Zé Luís: «Em janeiro já posso começar a trabalhar»
Pontaria de Roberto em estado de graça

Capa do O Jogo O Jogo

Pedro Martins: "Expulsões voltaram a condicionar-nos"
Domingos: "Estava difícil mas conseguimos"
Barcelona "esmaga" Hospitalet por 9-0
Chelsea volta a marcar passo
Sporting faz valer lei do mais forte e afasta Marítimo (2-1)
Daúto Faquirá: "Estamos muito frustrados"
Pedro Miguel: "Acreditamos que

HÁ CORVOS (ANOS SEGUIDOS) A PAIRAR NO CÉU DE OEIRAS...!!!



Clique a seguir e fique a saber porque o Tino (o Corvo de Oeira), fala com as costas quentes.

A CRISE CHEGA A TODOS... ATÉ A MISERICÓRDIA É VÍTIMA DA MALDITA

A crise nunca chegará ao Pedro!!!  
.

O Pedro, é um aditivo, político, sempre gostou da "bué" vida, um "toleirão" por gajas, famosas (mesmo de antes com uma dúzias namorados e "mamas postiças". 

Não queremos mal, nenhum, ao Pedro... e dizemos ao Pedro: "cada gajo que nasce só tem a porra de uma vida... Aproveita a tua Pedro!" 

  Pedro Miguel  S. 

Provedor

Crise chega aos Jogos da Santa Casa da Misericórdia

Crise chega aos Jogos da Santa Casa da Misericórdia
2011-12-22 14:00:06

POEMA IMORTAL, DO NOSSO LUIS DE CAMÕES, DEDICADO AO "PERDIGÃO" SILVA DE BOLIQUEME

Perdigão perdeu a pena
Perdigão perdeu a pena
Não há mal que lhe não venha.
 .
Perdigão que o pensamento
Subiu a um alto lugar,
Perde a pena do voar,
Ganha a pena do tormento.
.
Não tem no ar nem no vento
Asas com que se sustenha:
Não há mal que lhe não venha.
.
Quis voar a uma alta torre,
Mas achou-se desasado;
E, vendo-se depenado,
De puro penado morre.
.
Se a queixumes se socorre,
Lança no fogo mais lenha:
Não há mal que lhe não venha.
 
Luís de Camões

Cavaco Silva recusa comentar aumento das taxas na saúde, mas reconhece importância do setor para os cidadãos

2011-12-21 19:21:52
 
 

 

PAPAGAIOS POLÍTICOS DA NOSSA TERRA LUSA - PASSOS COELHO: "PAPAGAIO CINZENTO"


Passos afirma-se?
.
18 Dezembro 2011 | 23:30, Pedro Santos Guerreiro
O Governo reuniu-se para aprovar um novo ciclo de reformas estruturais, um novo discurso virado para o crescimento e o emprego, um nova agenda de mudança. Mais do que uma anunciação, este Conselho de Ministros foi uma confissão: o País está a ser esfalfado mas não está a ser mudado. O Governo está perto da desilusão.
A vida do primeiro-ministro deve ser um inferno. É compreensível que a obcecação com o cumprimento das metas da troika consuma todas as energias; que a indefinição na zona euro, a falta de expectativas de crescimento, as ameaças à estabilidade social e os receios de desvio orçamental já em Janeiro roam as unhas do cérebro. Mas isso apenas desculpa o falhanço: o que mudou verdadeiramente no País nos últimos cinco meses? O que, além de mais impostos e menos apoios sociais, iniciou um novo País - um país que não volte a falir depois de ser salvo?
Não é à toa que se diz que um Governo deve esvaziar a cartucheira das medidas impopulares logo no início. Esse início está a gastar-se. E neste início havia uma oportunidade única: a humilhação de termos o país intervencionado exige a sua mudança. A mudança da justiça. A mudança dos poderes locais. Mais concorrência, menos lóbis, um mercado de trabalho diferente. Basta ler os livros de Álvaro Santos Pereira e do próprio Pedro Passos Coelho, está lá quase tudo. Está feito quase nada.
Mesmo na Saúde, o mais independente dos Ministérios: como aceitar a vergonhosa nomeação em catadupa de "boys" sociais-democratas para cargos de chefia? Não há vergonha no PSD? Ou Passos Coelho não manda no seu partido? O país está quebrado mas anda tudo a tratar da vidinha.
O problema dos "boys", das mini-reformas estruturais, do reagrupamento dos lóbis que está a consumar-se, de um sistema político alapado na inércia que o protege é tudo isso ser uma provocação social. O Governo está a desperdiçar a paz social, confrontando-a. É uma asneira monumental fechar o ano com um défice orçamental abaixo de 4,5%, isso será sempre entendido pelos portugueses como uma afronta, pois nada os convencerá que não lhes tiraram meio Natal em vão.
Os portugueses estão a perder o emprego, os empregados estão a perder salário, os desempregados estão a perder subsídio, a única via apontada pelo próprio Governo para fugir à trituradora é fugir do país: emigrar. Desistir. Os sacrifícios não estão a ser repartidos por todos. E aquilo que nos trouxe até esta ruptura está a permanecer. Estamos a remediar esta crise mas não estamos a prevenir a próxima. O mesmo tipo de pessoas está a tomar o mesmo tipo de decisões, o que só pode levar ao mesmo tipo de resultados. Estaremos daqui a 15 anos na mesma?
As reformas estruturais nunca passaram de um chavão. É preciso uma coragem sem limites para fazer a mudança de regime e criar uma sociedade nova em Portugal, mais livre e independente, mais sujeita ao risco mas com mais oportunidades.
Talvez falte espessura intelectual no Governo. Talvez dois dos pilares da troika (finanças públicas e sistema financeiro) estejam a ensombrar o terceiro (as reformas). Mas se tudo isto, esta consumição, esta hiper-tributação, esta vergonha de sermos pedintes, esta pobreza crescente for apenas para manter o que sempre existiu, na política, na economia, na sociedade, então será como prenunciou Lampedusa, é preciso que algo mude para tudo fique na mesma.
Passos Coelho ainda precisa de provar que consegue fazer o que quis prometer. Tem a última chance agora. Porque se tudo isto for para ficar na mesma, então o primeiro-ministro tem razão: o melhor é emigrar.