Translator

domingo, 22 de julho de 2012

KAOS: Quanto vale um kwanza




De há uns tempos para cá que não há ministro ou secretário de Estado que não passe por Luanda. (Alguns mais valia tirarem o passe que devia ficar mais barato).
Portugal está à venda e ali há uma classe dirigente residente,  bem abastada e com a vontade de negócio. Energia, comunicação social, construção, banca, tudo se vende e tudo compram.
Sabendo-se que em Portugal cada vez mais governa o dinheiro que os interesses do país é natural que alguns fiquem preocupados por ser a filha de um governante que há mais de 30 anos governa com pulso de ferro, reprime manifestações e onde a corrupção é moeda de troca corrente, quem cada vez mais manda em sectores estratégicos para Portugal.
Longe vão os tempos em que a politica internacional acenava com os direitos humanos, com a liberdade e democracia. Agora, vende-se a EDP e a REN ao Partido Comunista Chinês e Angola é recebida de braços abertos, sem uma palavra, uma critica, sem uma pequena observação.
Com o fim da cortina de ferro já não há necessidade de pensar nos povos como forma de impedir o avanço "comunista". Os povos são agora só gado e é o dinheiro que fala cada vez mais alto.
Os mesmos que há algum tempo chamavam de ditador, corrupto, assassino e outras coisas do género ao José Eduardo dos Santos são os mesmos que hoje se curvam perante ele no beija mão submisso.