Translator

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

KAOS: Tempos díficeis



Desculpem-me os meus amigos que aqui costumam vir pela falta de ideias e de imaginação que me acompanha neste momento, mas não me sinto com vontade nenhuma de estar em frente a este computador. 
Queria fazer um boneco para falar da presença da Troika em Portugal para ajudar o traidor Passos Coelho a destruir o Estado Social mas a minha cabeça está num outro lugar muito longe disso. 
Como já devem ter percebido, de há uns tempos a esta parte, ando com alguns problemas pessoais que me andam a ocupar o espírito, toldar a razão e a envenenar o dia-a-dia, o que faz com que os problemas do país sejam um pouco esquecidos. Tenho uma companheira e dois filhos que são, mesmo quando me quero mostrar forte, a minha fraqueza e um pouco a razão pela qual não posso deixar de lutar. 
É por eles que não posso permitir que a escumalha que agora nos governa destrua um futuro que eles merecem e têm direito de viver. Portugal sempre foi um país pobre comparado com os ricos do norte da Europa mas, depois do fantástico dia que foi o 25 de Abril, construíram-se, com muito esforço e muitas lutas, um estado em que a saúde, a educação e alguma segurança social davam garantias de um mínimo de subsistência e de dignidade a todos. 
É isto que esta canalha com a ajuda dos mercados quer destruir criando mais um país em que os fortes sobrevivem e os fracos estão condenados à fome, miséria e até à morte. Mas, temos de fazer das nossas fraquezas forças, tentar esquecer as dores que nos dilaceram e ir em frente, 
Há aqueles que nunca deixarão de estar nos nossos corações e que sempre serão uma razão para lutarmos e é por esses que nunca poderemos desistir. Vivemos tempos de mentiras, enganos e traições por parte daqueles em quem cofiámos os nossos destinos. 
O egoismo e a  hipocrisia tornaram-se em banalidades. Vivemos tempos em que já nada é "sagrado", em que vale tudo num país a ser entregue nas mãos de gente sem escrúpulos nem moral. 
Para alguns só o lucro, a vil ganância parece valer. Não pode ser, não o podemos permitir porque somos gente. Todos com os defeitos de sermos humanos, alguns mais que os outros, mas todos sofremos, rimos e sonhamos. Só que os sonhos de alguns são a desgraça de muitos outros. Acordemos que é hora de mudar.