Translator

domingo, 1 de abril de 2012

BOM LEMBRAR AS NOSSAS ESPERANÇAS PERDIDAS!

USE E ABUSE DE MANDAR QUEM QUER QUE SEJA PRÓ CARALHO!




Quando estiverem zangados com as chefias... tenho uma sugestão com acolhimento do Tribunal da Relação!
.
 Aqui vai a versão resumida:

.
Quartel da GNR, 4 de Agosto de 2009: cabo da Guarda solicita troca de serviço. Superior hierárquico opõe-se. O militar argumenta: Vá pró caralho.·
.
Acusado do crime de insubordinação, o cabo escapa a julgamento por
decisão do juiz do Tribunal de Instrução Criminal. A hierarquia recorre. O Tribunal da Relação de Lisboa decide:
 .
«[...] A utilização da expressão não é ofensiva, mas sim um modo de
verbalizar estados de alma [...] pois tal resulta da experiência comum, que caralho é palavra usada por alguns (muitos) para expressar, definir, explicar ou enfatizar toda uma gama de sentimentos humanos e diversos estados de ânimo. 
.
Por exemplo pró caralho é usado para representar algo excessivo. Seja grande ou pequeno de mais. Serve para referenciar realidades numéricas indefinidas: chove pra caralho..., o Cristiano Ronaldo joga pra caralho... [...] não há nada a que não se possa juntar um caralho, funcionando este como verdadeira muleta oratória.»·
.
O juiz-desembargador Calheiros da Gama e o juiz militar major-general Norberto Bernardes corroboraram a decisão do juiz de instrução de não levar o cabo a julgamento. Virilidade verbal, dizem eles.
Finalmente, para os juristas que prefiram ler o douto Acórdão:
http://www.dgsi.pt/jtrl.nsf/e6e1f17fa82712ff80257583004e3ddc/85e3b7ab708fb737802577dd00582b94?OpenDocument

A FORÇA DAS "BOCAS" DE PAULO PORTAS

Nós somos contra a violência na Síria, mas não aprovamos as "bocas" do Portas que foi ´botar´ a Istambul de quando Portugal, nesta matéria, não pode com um gato pelo rabo...!!!
Clique a seguir para ir para o video

Paulo Portas exige que o regime sírio ponha imediatamente termo à violência


Paulo Portas diz que o tempo das palavras acabou e que chegou a altura do Presidente sírio cessar imediatamente com a violência. O ministro dos Negócios Estrangeiros é um dos representantes do chamado Grupo de Amigos da Síria que se reuniu durante o fim de semana em Istambul.

A FALÊNCIA DA INEXPERIÊNCIA DO PODER

A morte lenta de um poder

by Kaos
.
Este foi para o governo e, com um Primeiro Ministro como o Passos Coelho que tudo o que fazia era recitar receitas neo-liberais sem saber o que dizia, durante algum tempo parecia o dono daquilo tudo. 
.
Era ele quem puxava os cordelinhos, que distribuía os tachos e pagava com favores os favores da campanha. Tudo lhe corria bem não fosse a obrigação, devido ao acordo da Troika, de reduzir Municípios e Freguesias. 
.
Aí o problema era que aquilo está pejado de gente do partido e é uma força muito importante nas eleições internas. 
.
Meter-se com eles é mexer num ninho de víboras e interesses instalados, desde os cargos "eleitos", aos assessores, às empresas municipais e às negociatas. 
.
A solução foi, como fazem os mais cobardes, não mexer com os mais poderosos, os municípios, e atacar a arraia mais miúda, as freguesias. 
.
Esqueceu-se é que a união faz a força e todas as freguesias do país são milhares e com o poder de proximidade com as populações. 
.
Mais de 200 mil a desfilar por Lisboa são um aviso sério ao seu poder e às suas politicas e pode representar problemas locais a acontecerem simultaneamente por todo o país. 
.
Com a Troika a pressionar para que também os municípios sejam reduzidos e o Vitor Gaspar (uma espécie de novo Salazar) a assaltar tudo quanto são poderes no governo u um Passos os problemas começam a ser muitos. 
.
A perda de força no Partido e no governo começa a ser evidente e falta saber como vai reagir ou o que Conselho de administração vai exigir para, mais cedo ou mais tarde, se afastar. 
.
Do mais poderoso ministro deste governo já pouco parece restar e não me surpreenderia que na próxima remodelação do governo fosse fazer companhia ao Álavarinho da Economia. 
.
Quanto mais super são os ministros mais depressa parecem cair.

AS REVOLTAS DO KAOS

Abstenção violenta sobre quem trabalha

Quando da votação do orçamento para 2012 o António José Seguro informou-nos que iria aplicar um novo conceito de oposição, a “abstenção violenta”. 
Na altura estranhei a ideia e muito provavelmente entendi mal o que ele queria dizer. A abstenção do PS no caso da nova lei laboral que este governo nos quer impor esclareceu-me. 
A “abstenção violenta” refere-se não ao governo mas, neste caso, a quem trabalha. A abstenção do PS nesta lei que retira direitos, facilita os despedimentos sem justa causa e escraviza os trabalhadores é realmente uma violência sobre todos nós e uma vergonha para um Partido que insiste em ter o nome de Socialista. 
Necessário mesmo é que, quando nos pedirem de novo que votemos neles não nos esqueçamos de fazer uma violenta abstenção no voto a estes partidos que promoveram esta lei e aqueles que, hipocritamente, não a recusaram linearmente. Vamos todos abster-nos violentamente de votar nesta cambada de aldrabões vendidos aos interesses dos mercados e dos grandes grupos económicos.

Paulo Rangel na Ordem do Dia

Um dia destes ia a passar em frente da minha televisão e reparei que o WeHaveKaosInTheGarden ocupava todo o seu ecran. Rapidamente procurei o comando para ligar o som e o que passava na altura era o programa, Ordem do dia”, um programa de comentadores residentes, com a Joana Amaral Dias, uma outra Senhora que não sei quem era e o Paulo Rangel. Para surpresa minha quem se referia ao meu blog, sugerindo a sua visita, era o próprio Paulo Rangel que afirmou visita-lo regularmente para se rir um pouco. 
Agradeço a recomendação, mas aviso que para quem pertence aos partidos, que este blog é de esquerda e não só contesta as actuais politicas e práticas de todos aqueles que vivem a mamar no sistema (e que por isso o defendem uns  ou só fingem querer derrubar outros), como defende a apregoa a queda desta falsa democracia e a construção de uma mais verdadeira e participativa em que a palavra dos cidadãos seja respeitada e em que sejam as pessoas e não os mercados e os interesses económicos o centro e o objectivo da governação. 
O Sr. Rangel pode gostar dos bonecos mas certamente não gostará das ideias que os suportam sobretudo porque aquilo que aqui defendo é que acabe a farsa em que alguns continuem a viver acima das suas possibilidades à custa da miséria de muitos outros.PS: Já agora, Sr. Rangel, peça lá ao seu amigo da Administração Interna, o Miguel Macedo, que avise os policias que não me abram a cabeça à troilitada, como podia ter acontecido no dia da Greve Geral, ou não poderei vir criar os bonecos e publicar o blog.

GRUPO " ARTISTA" MÁFIOSO DA GENEROSA TERRA LUSA



Escândalo Brisa

Temos que nos Revoltar e Denunciar este ESCÂNDALO!  

Espalhem aos 4 ventos !!!


O grupo José de Mello e um qualquer fundo de investimento Inglês lançaram  uma OPA sobre a totalidade da Brisa.

Até aqui nada de novo, mas eis que afinal se descobre, que o vão fazer com o  dinheiro emprestado da CGD, do BES e do BCP.

Este grupo José de Mello é o mesmo que está envolvido em várias Parcerias  Publico Privadas, com rendas chorudas pagas com o suor dos mais humildes Portugueses.

Estes 3 bancos precisaram do aval do Estado Português para se capitalizarem  recentemente.

Estes 3 bancos estão a planear ir buscar dinheiro á Troika, mais uma vez com  o aval do Estado Português.

Esta operação não produz um cêntimo de beneficio para a economia Portuguesa.

Se é para comprarem a BRISA barata e com o dinheiro de todos nós, então que  seja o Estado Português a fazer a OPA e que fiquemos nós com ela, para mais tarde vender com lucro!

Isto não é possível de acontecer, isto é tudo menos honesto, isto é uma  vergonha e um abuso.

Como é que é possível pedirem mais e mais impostos e desbaratarem o dinheiro  dos contribuintes desta forma!

Isto é falta de vergonha de quem tem poder conferido por todos nós.

Revolta-te e Divulga!