Translator

sábado, 7 de abril de 2012

Lagarde advertiu que a Grécia ainda pode ir à bancarrota e colocada fora da União Europeia



Christine Lagarde
 
A crise do euro "
.
A directora do FMI advertiu que os cortes fiscais da Grécia, draconianas, podem não ser suficientes.
.
O receio de que as eleições tragam um governo que ameaça as condições do resgate
 .
Alemanha acusa a Grécia de estar a julgar-se como "bode expiatório"

Washington EP 7
ABR 2012 - 15:01 CET230

Christine Lagarde, em Washington, em 3 de abril. / J. Scott Applewhite (AP)
 A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, divulga os temores de que a Grécia ainda vai à falência, não está evitada completamente, apesar da austeridade e medidas adoptadas pelo Governo helénico. 
 .
Isto foi afirmado em uma entrevista à emissora CBS EUA que vai para ar este domingo, em que a Grécia não está excluida de falhar e, portanto, ser forçado a abandonar o euro e a União Europeia (UE .)
.
Estas declarações representam o mais recente alarme sobre a situação em que poderá mergulhar a Grécia, após as eleições antecipadas, a serem realizadas em 6 de Maio, já que uma mudança de forças políticas para integrar o novo governo poderia comprometer as condições de Atenas de aceitar o segundo  resgate.
.
Não demorou mais de uma semana desde a aprovação do segundo pacote de resgate que o comissário da Grécia dos Assuntos Econômicos, Olli Rehn, deu a entender que Atenas poderá ser forçado a aceitar um terceiro resgate devido ao estado das finanças públicas. 
.
Desde então, vários líderes europeus também comungaram essa atitude e até mesmo o primeiro-ministro, Lucas Papademos, não diminuiu essa oportunidade.
.
Muito mais crítico tem se mostrado o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, que, em entrevista à mesma cadeia, critica a Grécia de estar a fazer-se  "bode expiatório" da situação e culpa Berlim da doença que sofre.
.
"Quando nações vivem além de suas posses e são então forçados a adotar medidas de austeridade, é lógico culpar os outros", diz Schuble. "É normal que as pessoas que sofrem com os erros que eles próprios cometeram, tentar culpar os outros", acrescenta.
.
Na mesma linha, o Ministro das Finanças da Alemanha  disse:"ninguém acredita", aludindo à crítica mais fervorosa ouvido no Parlamento Helénica contra o Governo alemão.

AÍ VÃO COBRAS, LAGARTOS E SAPOS PARA O MIGUEL MACEDO...!!!

 
 Clique nos cinco dias e vá para o blog
 
  .
DIÁLOGO IMAGINÁRIO COM O MIGUEL MACEDO – “Biltre, cabotino, mentecapto, lorpa, palhaço, morcão, bronco, sabujo, tacanho, grunho, pilantra, lambão, pulha, bacoco, execrando, bruto, cabresto, pimpão, alarve, ranhoso, pacóvio, rafeiro, canalha, gingão, cretino, palerma, simplório, velhaco, energúmeno, calão, tinhoso, primitivo, leviano, grosso, pachola, cagão, moina, troglodita, calaceiro, besta, vadio, matulão, maroto, janota, parasita, tosco, galdério, maganão, crápula, facínora, pendura, marmanjo, sendeiro, parolão, reles, azeiteiro, salafrário, falso, rasteiro, parvalhão. Biltre, cabotino, mentecapto, Fascista! Fascista!” - “Estas manifestações são planeadas, são coordenadas e têm um objectivo.” Ora senhor Miguel Macedo, há algum problema em planear, coordenar e ter objectivos...

BAD GIRLS E O SUPER-MÁRIO A 199 À HORA

 Se, nos idos tempos da presidência, Mário Soares se fez transportar numa infeliz (mais precisamente tornada infeliz perante as circunstâncias) e centenária tartaruga algures nas Seychelles (se a memória não me falha, e eu acho que não falha, pois se há imagens que atormentaram a minha pré-adolescência uma delas foi a do político gordo em cima da tartaruga.
.
A outra foi, obviamente, a do José Cid, homem de pêlo farto, deitado no sofá em nu, enquanto tapava as partes com um disco de ouro), nos dias que correm Mário Soares não tem tempo a perder.
.
A idade não perdoa, e Mário Soares fez o seu motorista saber disso. Enquanto "montado" num carro que custa para cima de € 100.000 (para alívio de milhares de tartarugas por esse mundo fora), Mário Soares fez-se transportar à velocidade de 199 quilómetros/ hora.
.
E eu, pela primeira vez em 34 anos, concordo com o senhor. Então ter uma máquina daquelas, ainda por cima não sendo nossa (diz que pertence à Direcção-Geral do Tesouro e das Finanças, e eu gostava de compreender tal relação), e andar devagar?
.
A 120? Isso é para o povo, aquele que paga as multas. O Dr. Mário Soares não está para isso. O Dr. Mário Soares diz que o Estado é que paga a multa. E eu acho bem. Afinal não andamos nós a pagar, há anos, as merdas que os políticos vão fazendo (Dr. Mário Soares incluído)? O que é que são mais € 300,00?
.
Agora, claro que fazendo isso, não pode é depois aparecer a dizer coisas como: "É que as pessoas estão a ficar desesperadas, é que há pessoas a passarem fome. Isto não é literatura, é a verdade".
Não pode.
.
Parece mal. Porque, citando um ex-político (que pode alegar insanidade, pois pode, e um bocadinho de senilidade, mas que não pode gozar com a cara das pessoas nem ser incoerente): "porque é que aceitamos todas as roubalheiras e aceitamos tudo o que nos dizem? Bem, isso não pode ser". Afinal, parece que pode.
.
Mais um com a chancela de Bad Girl
link
| partilhar

KAOS:Portugal no reino dos piratas

.
Estou fora do meu ambiente natural, com uma net ainda a “válvulas ” e um PC que já viu melhores dias pelo que durante algum tempo este blog vai funcionar a meio gás. 
.
Vai ter bonecos que andavam guardados à espera da sua oportunidade para serem publicados e pouco mais. As minhas desculpas, mas a minha família, e eu,  também temos direito a aproveitar um pouco do tempo que temos para estar juntos.
.
Um abraço a todos e uma boa Páscoa dentro das possibilidades que ainda nos vão restando.

MEDEIROS FERREIRA: "...É CASO PARA DIZER QUE ESTE GOVERNO SEGUE UM CAMINHO ERRADO E AINDA TOMA PIORES ATALHOS."

 "Este governo usa e abusa de métodos de decisão nada transparentes. Por exemplo, a medida tomada secretamente, sem resolução anunciada pelo Conselho de Ministros, de trancar as portas às reformas antecipadas até 2014 – depois se verá se há "lapso", ou não, neste calendário! – e promulgada em cumplicidade com o PR nas vésperas do feriado de sexta-feira santa, dando uma utilidade insuspeitada ao manuseamento de feriados religiosos. Pelos vistos, o facto de o diploma nem ter permitido um breve período de transição significa que a meta do ‘emagrecimento’ do número de funcionários públicos se defronta com outras políticas contraditórias no seio do governo e da administração. Tudo ponderado, é caso para dizer que este governo segue um caminho errado e ainda toma piores atalhos."
Medeiros Ferreira, Correio da Manhã

AGRADECIMENTO E DESPEDIDA " HIPÓCRITA" DE UM DIPLOMATA QUE PASSOU FÉRIAS EM BANGUECOQUE POR MESES À CONTA DA CONTRIBUINTE PORTUGUÊS.


Jose Carlos Serafino 
jose.serafino.mne@gmail.com

Minhas caras e meus caros,

Regressado a Lisboa, ontem, venho renovar-vos os meus agradecimentos pela V/ amizade e endossar-vos os meus melhores votos de felicidades profissionais e pessoais, assim como a minha disponibilidade para o que de mim necessitarem em Lisboa e no Ministério dos Negócios Estrangeiros, no que me for possível.
Com os melhores cumprimentos,
José Carlos Serafino
.
À MARGEM: Depois de umas excelentes férias (por uns meses largos) na Embaixada de Portugal em Banguecoque, regressou a Lisboa, creio definitivamente, o Diplomata Engenheiro José Carlos Serafino enviando-me o simpático e-mail acima transcrito. Aproveito, por este meio, desejar  ao Senhor Engenheiro José Carlos Serafino a continuação de excelentes e bem gozadas férias quer sob os claustros do Palácio das Necessidades ou em outra missão no "estrangeiro". Estranho, porém, que bem perto de mim e da pouca comunidade portuguesa, residente em Banguecoque, que não tenha comunicado, em Banguecoque, a sua partida do posto para ser honrado com um almoço ou jantar.

TAILÂNDIA: SEXTA-FEIRA SANTA NO BAIRRO PORTUGUÊS DE SANTA CRUZ EM BANGUECOQUE

 Anos que ficam para trás visitava o Bairro Português, de Santa Cruz, várias vezes durante o ano. Deixei de o fazer, mas não vou aqui apontar o motivo. O bairro nasceu em 1767, 5 anos, antes da grande cidade que é hoje, Banguecoque, ser fundada. Mas não houve, desde há uns 20 anos, uma Sexta-Feira Santa, que eu não esteja no bairro e assitir ao auto do Calvário que tem lugar no adro da igreja.Estou preso, não de amores, mas sentimentalmente ao Bairro de Santa de Cruz. Aquele espaço que foi lusófono que agora só de nome está carregado de história. Já contei alguma e espero, ainda, contar o resto que me falta.
Os últmos residentes lusos/tailandeses na casa dos 90, de sangue português, já diluido. Nasceram no Bairro. Suas casas no bairro que ontem visitei, dentro há muito para contar que irei, brevemente, escrever em grande reportagem.
A imagem, secular na igreja de Santa Cruz, de Jesus Cristo, pregado na cruz
A Via-Sacra ao redor da igreja
A religião da Igreja Católica continua forte no Bairro de Santa Cruz
O prior da Igreja de Santa Cruz profere a homilia
Um dos ladrões que ladeiam a imagem de Cristo Pregado na Cruz
Uma figurante a representar a Maria Madalena
Maria e José entre a guarda pretoriana
A guarda pretoriana, Maria Madalena, Maria e José chegam junto ao calvário para assistir ao descer da cruz Cristo.
Cristo começa a ser despregado da cruz
José de Aritameia coloca os cravos retirados das mão e dos pés a Jesus Cristo aos pés da imagem da virgem Maria

Cristo descido da Cruz que depois será colocado num andor/cama juncado de flores de Jasmim.

PUBLICIDADE DE BORLA: "D.MARIA A EMPREGADA DE CAVACO"

 D. Maria, a empregada de Cavaco
Sinopse:

«Bem alertou o Senhor Presidente que o corte dos subsídios aos funcionários públicos e aos pensionistas não era justo. E o Senhor Presidente sabia do que falava, pois ele também é um desses pensionistas. Lá por não jogar à bisca lambida no jardim de Belém com os outros reformados, não andar a ler todos os jornais gratuitos que oferecem nos semáforos e ganhar uma pensão 33 vezes mais alta do que a de 300 euros que eles têm não quer dizer que o Senhor Presidente não sofra com os cortes nas pensões. (…).  Correu até o boato que o Senhor Presidente não ia assinar o Orçamento para 2012. Mas essas pessoas não conhecem o Senhor Professor Cavaco Silva como eu conheço. O seu dever é alertar. Não é vetar. (…) Felizmente durante os seus 48 anos de casado, o Senhor Presidente e a Primeira-dama foram sempre muito poupados. (…) Tivessem os outros reformados feito o mesmo e agora não andavam aí a protestar por tudo quanto é lado.  Ganhavam o salário mínimo e não punham nada de lado? E agora queixam-se?!  Como se diz na minha aldeia: no poupar é que está o ganho.» 
 .
Nascida em Horta da Vilariça, no final dos anos 40, Maria chegou a Lisboa ainda na flor da juventude. Nascida para trabalhar, rapariga de muita discrição, cedo ganhou a admiração nos corredores do Palácio de Belém. 
 .
Testemunha privilegiada do dia a dia do palácio, Maria traz-nos ao longo destas páginas o relato inédito e não censurado dos bastidores da presidência do Professor Aníbal Cavaco Silva. 
.
Dos pequenos episódios da vida doméstica às audiências com as grandes figuras da política internacional, tudo é aqui registado de forma simples e apaixonada pela empregada do Presidente da República. 
.
António Ribeiro regressa à escrita com pano de pó e espanador em punho, para nos abrir as portas do Palácio de Belém e narrar as peripécias de Maria, a empregada de Cavaco Silva. Testemunha única de casos que incendiaram a vida política nacional nos últimos 6 anos. 
.
Das alegadas escutas em Belém, às relações institucionais com José Sócrates e Passos Coelho, do estatuto dos Açores, ao Orçamento de Estado de 2012, das ações do BPN, às pensões do Senhor Presidente da República.

FILME EM EXIBIÇÃO POR TODO O PAÍS!

Portugal! Um Titanic em 3D


E VOS VAI, VELHOS REFORMADOS E FUNCIONÁRIO PÚBLICOS A DÍVIDA QUE TEREIS DE PAGAR COM A LÍNGUA DE TRÊS PALMOS!

O SUBSÍDIO EM 2015 VAI SER IGUAL " ao que a Luzia ganhou no meio da palha do centeio."



"Para já, não é aquilo que foi prometido. Segundo, se não é aquilo que nos foi prometido, ou seja que o corte seria absolutamente extraordinário e corresponderia ao período de intervenção da "troika", ou seja, em 2013 - não é em 2014. Em 2014 as pessoas já deviam ter direito a receber o seu subsídio conforme estava previsto". "Se se diz que as condições económicas não o permitem, também era possível saber isso há um ano. Mas se as condições económicas não o permitem, por que razão é que nos é feita uma oferta para 2015, em que nada indica que as condições económicas o vão permitir? Só pode ser por razões eleitorais."
Pacheco Pereira, em entrevista à Rádio Renascença

PRÓ-CARALHO... NÃO HÁ RAZÃO DE QUEIXA DO PASSOS COELHO...!!!


                     ESTA SEMANA TEMOS UM
... FERIADO!!!!