Translator

sábado, 15 de setembro de 2012

SILVIO BERLUSCONI E SEUS NEGÓCIOS SUJOS


front page of Italy’s Chi mag
A página frontal com revista Chi
Berlusconi
Sivio Berlusconi
Por James Mills - The Sun
.
O planeamento da
revista italiana Chi de publicar 26 páginas, com fotos de Kate Middleton, Duquesa de Cambridge, é propriedade de Silvio Berlusconi - que tem usado as leis de privacidade de si 
.

Acção  de Berlusconi
.
Em 2009,
  Silvio Berlusconi, patrão da revista Chi - um ex-primeiro-ministro - ameaçou com acção legal contra o jornal espanhol El País após a publicação de fotos de mulheres em topless e um homem nu em sua propriedade Sardenha.
. 

Advogados italianos tomaram as fotos e processaram o fotógrafo sob investigação de "violação de privacidade".
.
El País
argumentou que a publicação das fotos era do interesse público, assim como Berlusconi, de 75 anos, foi acusado da prática de sexo com uma jovem marroquina menor de idade.
.
Berlusconi,
retirado do cargo em Novembro passado depois de os mercados financeiros perderam a fé em sua capacidade de dirigir a Itália fora de problemas, está atualmente enfrentando julgamento em Milão sobre as acusações.
.
Ele também é
acusado de ter usado seu cargo para tentar encobrir o escândalo.
. 

Nega qualquer irregularidade, e tanto ele como a jovem dizem de não ter havido sexo.
.
Chi
é de propriedade de grupo editorial Mondadori de Berlusconi   e  dirigida por sua filha Marina, de 46 anos.


Kate Middleton, Duquesa de Cambridge e o Principe William herdeiro da coroa do Reino Unido



KAOS:Porco capitalista


"Como noutros países acontece, o que importa é que haja um Governo e uma maioria parlamentar que executem os programas e as medidas, e o ajustamento continue a ser feito", afirmou Vítor Constâncio.
"É claro que um maior consenso ajuda ao processo, mas o que é importante é que o processo prossiga", acrescentou.
Este incompetente que deixou que muito banqueiro roubasse milhares de milhões aos portugueses concorda com o "custe o que custar".
Mas é um custe o que custar a todos nós a não aos senhores do grande capital. Não lhe interessa que haja consenso, que isso lixe todo um povo que isso lixe o pais porque o importante é que o processo continue.
Um monte de estrume que não merece qualquer respeito. O perfeito exemplar daquilo a que o povo chama de um Porco Capitalista.

KAOS:Conselho de Ministros



Quando estou a escrever isto ainda não sei qual vai ser a treta que vai sair do encontro dos gajos do CDS mas certamente não me enganarei se disser que na semana seguinte lá estarão todos sentados no Conselho de Ministros a decidir como nos vão cortar mais uma fatia das nossas vidas. Resolvi imaginar como poderia ser o ambiente nessa sala nesse dia.  Mais uma parvoíce que me apeteceu fazer.

IMAGENS DA RTP CAPTADAS NO VIDRO DO TELEVISOR

Para o que der e vier, uniformizado e olhar de lince a rigor!
O Povão nos seus rostos a amargura do viver imposto 
Esta e mais quatro fotos que representam um rosto, de mulher, sofredor.... Algo tem ido mal na democracia portuguesa...Que se lixem os políticos digo eu!
Imagem número dois
Imagem número três apresenta um olhar de esperança...A última a morrer...!!!
Imagem número quatro da mulher sofredora.... Até quando ela encerrará a amargura de mau viver?
Há gente que nasceu malfeitor... e a distinção, do malfeitor, vai na farpela que cada um veste...!!!
Dou-lhe o nome de homem honesto mas sem poder para meter na cadeia os que metem a pata na poça de quando das derrapagens nas contas públicas.
Muda o disco e toca o mesmo... música de Passos Coelho!
A feia e horror de senhora.

Dia quente





"Centenas de milhares manifestaram-se por todo o país. Mostraram a sua indignação contra as políticas de austeridade do governo Passos-Portas. O CDS reuniu-se e mostrou a sua pouca categoria para ser um partido credível. O CDS pertence a uma coligação governamental e critica o governo resultante dessa coligação sem que tenha a dignidade de romper a união. O PSD veio manifestar a sua satisfação pela ordem e democracia registadas nas manifestações e anunciar que Passos Coelho irá governar como anunciou na entrevista concedida à RTP na quinta-feira passada. Louçã foi para o Porto misturar-se com os manifestantes e promover João Semedo à liderança do Bloco. Louçã acrescentou que este governo não tem futuro. António José Seguro salientou que o PS não está interessado numa crise política, de onde se pode depreender que nada fará para derrubar o governo de Passos Coelho. Nuno Melo do CDS confirmou-se como o Louçã da direita. A PSP ainda não jantou e está cheia de trabalho em frente da Assembleia da República."
João Severino - Jornalista - Blogue: Pau para toda a obra

DEVORISMO: "VERDADES NUAS E CRUAS"



Esta provado, que se não se ficar com o dinheiro não é crime....Crime é roubar um pão no Supermercado para matar a fome !!!
.
Esse é que é p conceito de crime dos nossos justiceiros !!
.
Alguém tem dúvidas que este dinheiro não são as luvas, provenientes do negócio dos submarinos?
.
Não!...Pois a Douta Excelência Cândida de Almeida (bem conhecida  do Freeport e doutras donde safou o filósofo) já veio proclamar que em Portugal não há corrupção!?  
.
Não lê o relatório do Forum de DAVOS!!!!
.
É o único sector de actividade onde a subida tem sido exponencial, nos últimos anos.

Alguém é capaz de saber e dizer o que é que esta fundação produziu para merecer um subsídio de tal valor?

F.A.
 
Meu Caro Senhor Dr Fernando Álvares Não nos podemos esquecer que, para além deste saque anual do OE, sustentado com os nossos impostos, este senhor levou 600.000 contos, "cedidos" pelo PM Guterres, para fazer este "poço sem Fundo", a que chamam Fundação.
 Todas as Fundações devem ser já privatizadas!
 Um abraço
 Vizela
,

O SOL e o Correio da Manhã avançam esta sexta-feira que a Fundação Mário Soares vai levar um corte de 30% nos apoios do Estado. Recorde-se que esta fundação recebeu 1.200 milhões de euros do Estado
entre 2008 e 2010.
.

As notícias surgem um dia depois de o Governo ter aprovado, em conselho de ministros, propostas para extinguir, mudar estatutos ou reduzir ou cessar apoios do Estado a 139 fundações, no âmbito de um censo às fundações pedido pelo Governo.
.

Segundo o comunicado do conselho de ministros, no total, 558 fundações responderam ao inquérito, tendo sido excluídas 154 fundações de origem canónica ou de outras confissões religiosas. Outras 174 são de solidariedade social, abrangidas pelo Estatuto das Instituições Particulares de Solidariedade Social, cujo processo de avaliação qualitativa estará brevemente terminado. Das 230 fundações avaliadas, apenas 91 mantiveram o actual estatuto. 
.
Quando às restantes (139), o Governo informou que serão alvo de processos de extinção, de redução ou cessação de apoios financeiros públicos ou de cancelamento do estatuto de utilidade pública, mas não revelou os nomes das fundações em que vai intervir. 
.
Os dois jornais adiantam que o Ministério das Finanças divulgará esta sexta-feira a lista de cortes, mas sem referir os nomes das fundações.

.
Governo fez Trabalhos de Casa durante as Férias....

FDP... - Cuidado com estes "Grandes Filhos do País"...
A SIC Notícias noticiou e fundamentou 4 decisões fantásticas que provam que o Governo, mesmo de férias, não parou de nos "fecundar", a bem da nação:
.
1.      O ministro "turbo licenciado" Miguel Relvas delegou no "ministro sombra" António Borges a resolução da privatização da RTP/RDP: Afinal não se privatiza: extingue-se a 2 e dá-se o negócio da 1 a privados. Leia-se o Expresso desta semana... Grandes filhos do país!
.
2.      O Presidente da Carris, que há um ano disse que seria uma catástrofe fundir a Carris com o Metro, foi nomeado pelo Governo para fazer exactamente isso mesmo, ou seja fundir a Carris com o Metro. Grandes filhos do país!
.
3.      O antigo director da Universidade Autónoma, de nome Almaça, demitido por passar o filho sem fazer exames, foi nomeado pelo Governo presidente do Instituto de Seguros de Portugal (Entidade Reguladora do Sector). Este prof. especialista de vulgaridades, acaba de ser catapultado para os Seguros...
 

Grandes filhos do país!
.
4.      O sub-director do SIED (vulgo serviços de espionagem) que havia sido acusado pela Procuradoria Geral da República de crime de abuso de poder foi nomeado para os serviços de apoio ao Conselho de Ministros!... Grandes
filhos do país!.
.
Não  restam dúvidas que estamos bem entregues... Viva estes grandes filhos do país! 

.
E o nosso Presidente também!

O "MARALHAL" DE AVENTALINHO EM FESTA

[image[35].png]

.
Encontro reúne mais de 600 maçons em Lisboa

Cerimónia de instalação do Grão-Mestre da Grande Loja Legal de Portugal traz a Lisboa representantes de várias Grandes Lojas de todo o mundo.

 José Ventura
Com a presença confirmada de mais de 600 maçons e a representação de mais de 40 lojas maçónicas de todo o mundo, decorre este fim de semana em Lisboa a cerimónia de instalação do Grão-Mestre da Grande Loja Legal de Portugal/GLRP, José Moreno.
.
Para a cerimónia foram convidadas várias Grandes Lojas de todo o mundo, com destaque para representações dos vários países da lusofonia. 
.
O Grão-Mestre da GLLP/GLRP, vai aproveitar a ocasião para apresentar a nova sede da maçonaria regular aos seus congénere

ESPANHA - PROTESTOS CONTRA OS CORTES




As marchas contra as políticas que estão sendo implementadas por Mariano Rajoy sairam, pontualmente, às dez e meia na Plaza de Colón e preparada para acomodar o protesto. 
.
A manifestação convocada pela Cúpula Social que num comunicado pretende alertar a sociedade contra a "fratura social sem precedentes" de cortes de natureza política, iniciadas pelo PSOE em 2010 e multiplicados pelo PP este ano.  
.
Os organizadores também alertam para uma "evolução, ideológica, conservadora" e "sintomas preocupantes de autoritarismo político" nos últimos meses.

O PAULINHO A FUGIR COM O TRASEIRO À SERINGA




Unir o partido e salvar a identidade do CDS


RTP
CDS-PP reúne Comissão Politica e Conselho Nacional para debater as mais recentes medidas de austeridade anunciadas pelo Governo, tendo Paulo Portas afirmado que não vai provocar nenhuma crise política irresponsável nem vai deixar o partido sem identidade.
.
À MARGEM: Que identidade o CDS possui na quota eleitoral deste país se é a ridicularia de cerca de 6%? O Paulinho parece-me que segue advinhar qualquer coisa... O pontapé nas nalgas! Este "sacaninha" quando vê as coisas mal paradas desvia o curso da corrente para outra banda...!!! Um pulha sem face perante os compromissos tomados. Não tenho simpatia nenhuma pelo executivo de Passos Coelho, mas mete-me nojo o Paulinho a dar uma no cravo e outra na ferradura.
José Martins

MÁRIO SOARES . SANIDADE POLÍTICA



Mário Soares afunda-se
Económico:

"Mário Soares defendeu hoje que "seria um desastre para todos" se a actual legislatura "fosse até ao fim". 

Compreende-se. Uma das medidas que se afigura urgente tomar é acabar com uma fundação chamada Mário Soares. Seria uma acto de sanidade política.

KAOS:Tão amigos que eles eram




EUGÉNIO ROSA - ANÁLISE ECONÓMICA



REENCAMINHO
Caro (a) amigo (a)

No estudo que envio faço uma análise detalhadas e quantificada das medidas anunciadas pelo 1º ministro para 2013, e também que classes da população são prejudicadas e que classes são beneficiadas  com elas, assim como os seus efeitos a nível da economia e da repartição dos sacrifícios .

Contrariamente à ideia que se pretendeu fazer passar junto da opinião publica de que a redução das contribuições patronais para a Segurança Social de 23,75% para 18% vai determinar o aumento da competitividade e a criação de emprego, tal  afirmação não tem qualquer sustentabilidade técnica, pois ela vai determinar apenas uma diminuição  média dos custos das empresas entre 1,5% e 2,46%, portanto com significado e impacto reduzido, que é fácil e rapidamente anulada por qualquer alteração na taxa de câmbio ou nos custos dos imputs (ex.: energia). Para além disso, as empresas não criam emprego se não existirem clientes com poder de compra que lhes comprem os produtos, e as medidas anunciadas por Passos Coelho vão reduzir ainda mais o poder de compra dos portugueses. Os próprios patrões dizem isso. E as exportações não compensam a quebra continuada na procura interna causada por estas medidas

Espero que este estudo possa ser útil

Com consideração

Eugénio Rosa - Economista

 
DESIGUALDADES E A RECESSÃO ECONÓMICA EM PORTUGAL: Trabalhadores e pensionistas sofrem um corte de 5.540 milhões € nos seus rendimentos, patrões recebem um bónus de 2.200 milhões €

RESUMO DESTE ESTUDO

Passos Coelho no discurso que fez perante a TV, em 7.9.2013, sobre as novas medidas de austeridade para 2013 afirmou o seguinte: “O que propomos é um contributo equitativo, um esforço de todos para o objetivo comum, como exige o Tribunal Constitucional … Foi com este propósito que o governo decidiu aumentar a contribuição (dos trabalhadores) para a Segurança Social (de 11%) para 18%, o que nos permitirá, em contrapartida descer a contribuição exigida às empresas (ou seja, aos patrões) também (de 23,75%) para 18% Isto significa que os trabalhadores do setor privado terão de contribuir para a Segurança Social com mais 2.700 milhões € (+63,6%), e os patrões de contribuir com menos 2.200 milhões € (-24,2%). E é precisamente a isto que Passos Coelho chama descaradamente “um contributo equitativo, um esforço de todos para o objetivo comum”. Constitui também uma grande mentira afirmar, como fazem Passos Coelho e os seus defensores, que a redução das contribuições patronais para a Segurança Social em 5,75 pontos percentuais vai aumentar a competitividade das empresas e criar emprego, pois tal redução nas contribuições pagas pelos patrões determina apenas uma redução nos custos das empresas que estimamos entre 1,5% e 2,46% com base num estudo que fizemos com dados de um relatório do próprio governo (ver nosso estudo 36 de 2011), portanto uma redução sem grande impacto facilmente anulada por uma variação na taxa de câmbio ou nos custos dos imputs (ex.:energia). E as empresas não criam emprego se não existir clientes com poder de compra a quem possam vender, e as medidas agora anunciadas vão reduzir ainda mais o poder de compra dos portugueses e as exportações serão insuficientes para compensar quebra.

Mas a estranha equidade de Passos Coelho não fica por aqui pois, no mesmo discurso, anunciou também as seguintes medidas: “A subida de 7 pontos percentuais será ainda aplicada aos funcionários públicos”, ou seja, eles terão de descontar nas remunerações que recebem mais 850 milhões € por ano para a CGA (portanto, os trabalhadores da Função Pública passarão, em 2013, a descontar 18% para a CGA mais 1,5% para a ADSE, o que soma 19,5%). E para além deste aumento de contribuições para a CGA, o “corte do segundo subsidio é mantido nos termos já definidos na lei do Orçamento do Estado para 2012, o que significa que, em 2013, os trabalhadores da Função Pública vão sofrer também um corte direto nas suas remunerações nominais que estimamos em 540 milhões € só por esta razão. E o aumento dos descontos para a Segurança Social e CGA, enquanto o PSD e CDS forem governo é para se manter. Segundo também Passos Coelho, “No caso dos pensionistas e reformados (reformados da Segurança Social e os aposentados da Função Publica), o corte dos dois subsídios permanecerá em vigor. A duração da suspensão dos subsídios, tanto no caso dos funcionários, como nos dos pensionistas e reformados, continuará a ser determinado pelo período de vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira”, ou seja, pelo menos até ao fim de 2014. Só em 2013, os reformados do setor privado sofrerão um corte nas suas pensões que estimamos em 750 milhões €, e os aposentados da Função Pública terão um corte nas suas pensões que calculamos em 700 milhões €; portanto, para empregar as palavras de Passo Coelho, governo e troika estão-se a “lixar” para as decisões do Tribunal Constitucional.

Em relação aos rendimentos da propriedade e do capital que, em 2011, segundo o INE atingiram mais de 51.961 milhões € (é igual a 78% dos ordenados e salários recebidos por todos os trabalhadores portugueses), e relativamente a 18.106 milhões € de rendimentos transferidos para o estrangeiro de aplicações feitas em Portugal por não residentes, que não pagam impostos, Passos Coelho não anunciou qualquer medida, porque se está também a “lixar” para o Tribunal.

Paul Krugman, Nobel da economia, para explicar este comportamento dos governantes atuais escreveu, num livro saído em 2012, estas palavras esclarecedoras que deviam merecer uma atenção especial por parte dos portugueses já que ajudam a compreender a situação atual: “Se alguns deles terminar o mandato usufruindo de grande estima por parte do grupo de Davos (fórum mundial anual constituído pelos representantes dos grandes grupos económicos internacionais e pelos governantes dos maiores países) há uma infinita série de postos na Comissão Europeia, no FMI ou em organismos afins para os quais poderá ser elegível mesmo que seja desprezado pelos seus próprios conterrâneos. Aliás, ser desprezado seria de certa forma uma mais-valia”. E é sabido que Vitor Gaspar é o aluno preferido do ministro alemão das Finanças. Para além disso Krugman também refere o fenómeno que designa por “porta giratória” entre o governo e cargos bem pagos nos grupos económicos nos seguintes termos: “Esta porta já existe há muito tempo, mas o salário que se consegue obter se a indústria gostar deles é imensamente maior do que aquilo que costumava ser, e daí a necessidade de acomodar as pessoas que estão do outro lado da porta, de adotar posições que os torne num contrato atrativo após a carreira politica”(pág. 100).
O quadro seguinte, construído já com base em dados oficiais e os mais recentes (por ex., o das contribuições já incorpora as quebras que se estão a verificar este ano nestas receitas devido ao desemprego, que são ignoradas nos cálculos que têm sido divulgados nos media), dá já uma ideia mais clara e mais rigorosa das consequências nefastas das medidas anunciadas por Passos Coelho, combinadas entre o governo e a “troika”, que vão agravar ainda mais a situação dos portugueses e do país, significando mais sacrifícios inúteis que não farão sair o país da crise.

Quadro 1 – Medidas anunciadas por Passos Coelho para serem aplicadas em 2013
 Quem é atingido por elas, e quem é beneficiado com elas?
MEDIDAS E IMPACTO
Milhões €
I - MEDIDAS QUE PREJUDICAM TRABALHADORES E PENSIONISTAS

Redução dos rendimentos dos trabalhadores do sector privado causada pelo aumento da taxa de contribuições para a Segurança Social de 11% para 18% (aumento de 63,6% nas contribuições pagas pelos trabalhadores para a Segurança Social)
2.700
Confisco de um subsidio ou de dois subsídios aos reformados do sector privado à semelhança do verificado em 2012 (pensões entre 650€ e 1100€ corte em média de um subsidio; pensões superiores a 1100€ corte de dois subsídios)
750
Aumento das contribuições dos trabalhadores da Função Pública inscritos na CGA de 11% para 18% (aumento de 63,6% nas contribuições pagas para a CGA pelos trabalhadores; passam a descontar 18% para a CGA mais 1,5% para a ADSE = 19,5%)
850
Confisco de um subsídio aos trabalhadores da Função Pública
540
Confisco de um ou dois subsídios aos aposentados da Função Publica à semelhança do verificado em 2012 (pensões entre 650€ a 1100€ corte em média de um subsidio; pensões superiores a 1100€ corte de dois subsídios)
700
TOTAL- Redução dos rendimentos dos trabalhadores e dos pensionistas em 2013 causada pelas medidas anunciadas por Passos Coelho
5.540
II- MEDIDAS QUE BENEFICIAM OS PATRÕES

TOTAL- Redução da taxa de contribuições pagas pelos patrões para a Segurança Social de 23,75% para 18%, o que significa um bónus dado a todas as empresas, incluindo EDP, GALP, Jerónimo Martins, Sonae, etc. de  5,75 pontos percentuais = redução de 24,2% nas contribuições patronais pagas à Segurança Social
2.200
FONTE: Síntese da execução orçamental mensal - Agosto 2012, DGO; Conta da Segurança e da CGA; DGAEP do Ministério das Finanças e da Administração Pública.

O leitor leia, pf,  com cuidado e atenção o quadro 1, pois os dados dele são tão claros e que tornam inútil qualquer explicação. Os comentários vamos deixá-los para mais à frente.

PASSOS COELHO MENTIU QUANDO AFIRMOU QUE AS MEDIDAS QUE APRESENTOU PARA 2013 ERA UM CONTRIBUTO EQUITATIVO

Comecemos por transcrever as próprias palavras de Passos Coelho pois elas mostram, por um lado, que a mentira se tornou o discurso habitual deste governo e, por outro lado, que este mesmo governo e a “troika” transformaram os trabalhadores e os pensionistas, quer da Segurança Social quer da CGA, em seus inimigos principais a sacrificar, e os patrões em aliados que interessa ajudar à custa dos sacrifícios impostos aos primeiros

Passos Coelho afirmou textualmente o seguinte: “ O que propomos é um contributo equitativo, um esforço de todos para o objetivo comum, como exige o Tribunal Constitucional … Foi com este propósito que o governo decidiu aumentar a contribuição (dos trabalhadores) para a Segurança Social (de 11%) para 18%, o que nos permitirá, em contrapartida descer a contribuição exigida às empresas (ou seja, aos patrões) também (de 23,75%) para 18%. Isto significa que, em 2013, os trabalhadores do setor privado terão de contribuir para a Segurança Social com mais 2.700 milhões € (+63,6%), e os patrões de contribuir com menos 2.200 milhões € (-24,2%). Mas será possível que Passos Coelho não consiga entender que isto não tem nada de equidade, e que está a mentir descaradamente aos portugueses? Será que a cegueira ideológica chegou a tal ponto? 

Mas a estranha equidade de Passos Coelho não fica por aqui, pois ele ainda acrescenta as seguintes medidas: “A subida de 7 pontos percentuais será ainda aplicada aos funcionários públicos”, ou seja, elas terão de descontar nas remunerações que recebem mais 850 milhões € para a CGA (portanto, os trabalhadores da Função Pública passarão, em 2013, a descontar 18% para a CGA mais 1,5% para a ADSE, o que soma 19,5%). E para além deste aumento de contribuições para a CGA, o “corte do segundo subsídio é mantido (o 1º é devolvido através da sua divisão em parcelas iguais sendo cada uma dela adicionada à remuneração mensal) nos termos já definidos na lei do Orçamento do Estado para 2012 (em média menos de um subsidio para as remunerações entre 650€ e 1100€, e um subsidio completo para remunerações superiores a 1100€), o que significa que, em 2013, os trabalhadores da Função Pública vão sofrer também um corte direto nas suas remunerações nominais que estimamos em 540 milhões € só por esta razão.

E, segundo também Passos Coelho, “No caso dos pensionistas e reformados (reformados da Segurança Social e os aposentados da Função Publica), o corte dos dois subsídios permanecerá em vigor. A duração da suspensão dos subsídios, tanto no caso dos funcionários, como nos dos pensionistas e reformados, continuará a ser determinado pelo período de vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira”, ou seja, pelo menos até 2015. Só em 2013, os reformados do setor privado sofrerão um corte nas suas pensões que estimamos em 750 milhões €, e os aposentados da Função terão um corte nas suas pensões que calculamos em 700 milhões €. Portanto, para empregar as palavras que Passos Coelho já habitou os portugueses, o governo e a “troika” estão a se “lixar” também para o Tribunal Constitucional que declarou o corte de dois subsídios inconstitucional.

OS RENDIMENTOS DO CAPITAL IMPLÍCITOS NA DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL FORAM POUPADOS A QUAISQUER SACRIFÍCIOS

Apesar de estar claramente implícita na declaração do Tribunal Constitucional que, para haver um mínimo de equidade, era necessários que os rendimentos de capital (lucros, rendas, juros, mais-valias, etc.) também contribuíssem, e por isso fossem mais fortemente taxados, a cegueira de classe deste governo e da “troika” levou-os a poupar os rendimentos do capital a qualquer sacrifício, pois Passos Coelho não anunciou nem uma medida em relação aos rendimentos do capital e da propriedade. Apenas refere no seu discurso que o Orçamento do Estado de 2013, “incluirá medidas que afetam os rendimentos da riqueza e do capital e que tributam os lucros das grandes empresas”, mas como tais medidas serão certamente ridículas e de reduzido impacto prefere ocultá-las esperando naturalmente que mais tarde ninguém se lembre da dimensão destas contra os trabalhadores e pensionistas. E a situação de escândalo nacional que resulta de tal politica iniqua ainda se torna maior quando se conhecem dados oficiais relativos à dimensão dos rendimentos do capital e da propriedade mesmo com país mergulhados numa crise grave.

Quadro 2 – Rendimentos de capital e da propriedade poupados a sacrifícios por Passos Coelho
ANOS
RENDIMENTOS DO CAPITAL E DA PROPRIEDADE- Milhões €
TOTAL
Juros
Rendimentos Distribuídos das Sociedades
Rendimentos de Propriedade atribuídos aos detentores de apólices de seguro
Rendas
2010
44.084
23.331
17.958
2.189
606
2011
51.961
32.581
16.657
2.198
526
FONTE: Contas económicas anuais para o total economia - INE - 2012

Segundo o INE, em 2011, os rendimentos (não todos) do capital e da propriedade somaram 51.962 milhões €, quase o valor dos ordenados e salários pagos aos mais de 3,6 milhões de trabalhadores por conta de outrem nesse mesmo ano, que devem ter rondado apenas 66.478 milhões €. Os rendimentos de capital constantes do quadro 2 correspondem já a 78% do total de “Ordenados e salários” recebidos, em 2011, por 3.668.000 trabalhadores. E os dados do quadro 2  ainda não incluem a totalidade dos rendimentos do capital e da propriedade. Por ex., em 2011, segundo o Banco de Portugal, os rendimentos transferidos para o exterior, de aplicações feitas em Portugal por residentes no estrangeiro, somaram 18.106 milhões € (em 2012, só até Junho foram transferidos para o estrangeiro rendimentos no valor de 7.369,6 milhões €), sendo 7.724 milhões € de investimentos em carteira, e 4.062 milhões de “outros investimentos”, portanto, muitos são mais-valias não incluídos nos dados do quadro 2. Em relação a todos os rendimentos do quadro 2 assim como também relativamente aos rendimentos transferidos para o estrangeiro, resultantes de investimentos diretos em Portugal no montante de 5.892 milhões €, Passos Coelho não anunciou qualquer medida, apesar da maioria destes rendimentos não pagar qualquer imposto em Portugal. E ainda tem o descaramento de falar em “equidade”. Mais uma vez, utilizando palavras que já habitou os portugueses, o governo e a troika, porque é da troika, estão-se a “lixar” para o Tribunal Constitucional


A CRISE ATUAL É CAUSADA PELA QUEBRA DA PROCURA AGREGADA E OS CORTES NOS RENDIMENTOS DOS TRABALHADORES E PENSIONISTAS VÃO DETERMINAR NOVA REDUÇÃO NA PROCURA E, CONSEQUENTEMENTE, O AGRAVAMENTO DA RECESSÃO E DO DESEMPREGO

O problema grave que o nosso país e mais países enfrentam atualmente, é a quebra significativa e continuada da chamada procura agregada. Quando uma pessoa, ou um conjunto pequeno de pessoas reduzem a sua procura de bens, isso poderá não ter efeitos muito grandes. Mas quando é quase toda a população que a reduz por quebra nos rendimentos; quando as empresas, porque não vendem, reduzem os investimentos; e quando o próprio Estado reduz os seus gastos, e tudo isto é feito simultaneamente não há economia nem sociedade que resista a tal situação. E quando isto também acontece simultaneamente com outros países para onde Portugal exporta, e realizado de uma forma violenta e num curto período como acontece na U.E., então com maioria de razão não há economia e sociedade que possa suportar tal politica, tornando o desastre económico e social inevitável. É isto que está a acontecer em Portugal e na União Europeia. Paul Krugman, prémio Nobel da economia, num livro já escrito este ano, com o titulo “Acabem com esta crise já”, chama precisamente a atenção para esta verdade elementar que ensina a ciência económica. “A altura certa para austeridade é em tempo de fartura e não de recessão …. agora é a altura certa do governo para gastar mais, e não menos, até que o sector privado esteja pronto para voltar a fazer singrar a economia”. O governo e “troika” ou por incompetência, ou por cegueira ideológica, ou intencionalmente têm feito é tomar medidas que, ao reduzir ainda mais os rendimentos dos trabalhadores e pensionistas, provocam novas reduções da procura agregada e, consequentemente, o agravamento da recessão económica, o aumento das falências e o aumento do desemprego. Esta quebra não é compensada pelo aumento da competitividade das empresas devido à redução dos custos das empresas entre 1,5% e 2,46% determinada por uma diminuição em 5,7 pontos percentuais da TSU paga pelos patrões como afirmam os seus defensores pois, por um lado, o impacto da redução é praticamente nulo e, por outro lado, não há aumento de vendas se não há quem compre por falta de rendimento. E as exportações não compensam. Empresas como a EDP, a GALP, a PT, a Jerónimo Martins, a Sonae, etc., verão os seus lucros elevados aumentar ainda mais à custa dos trabalhadores e da Segurança Social. E tal como sucedeu em relação ao agravamento da recessão, ao disparar do desemprego, e à quebra significativa das receitas fiscais, é de prever que estes “srs.” venham daqui a alguns meses confessar que ficaram surpreendidos com os resultados desastrosos. Portugal, com um governo totalmente submisso à “troika” estrangeira, e dominado pela ideologia ultraliberal, transformou-se num laboratório para a troika experimentar as suas teorias de “desvalorização fiscal”, de “reformas estruturais”, etc..

GOVERNANTES DEPOIS DE DESTRUÍREM A ECONOMIA E O TECIDO SOCIAL SÃO PREMIADOS
COM BONS LUGARES EM GRANDES EMPRESAS OU EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS

Paul Krugman, Nobel da economia, para explicar todas estas medidas contrárias aos ensinamentos básicos da ciência económica escreveu, no seu livro “Acabem com esta crise” publicado em 2012, o seguinte que deverá merecer uma reflexão por todos os portugueses: “Atente-se, por ex., no fenómeno, da porta giratória, pelo qual políticos e outros dirigentes acabam por ir trabalhar para a indústria que supostamente deveriam estar a supervisionar. Esta porta já existe há muito tempo, mas o salário que se consegue obter se a indústria gostar deles é imensamente maior do que aquilo que costumava ser, e daí a necessidade de acomodar as pessoas que estão do outro lado da porta, de adotar posições que os tornem num contrato atrativo após a carreira politica”. Não se podia ser mais claro. E relativamente a governantes de pequenos países como Portugal, Paul Krugman acrescentou ainda o seguinte. “Se alguns deles terminar o mandato usufruindo de grande estima por parte do grupo de Davos (fórum mundial anual onde participam principalmente os representantes dos grandes grupos económicos internacionais e os governantes dos maiores países) há uma infinita série de postos na Comissão Europeia, no FMI ou em organismos afins para os quais poderá ser elegível mesmo que seja desprezado pelos seus próprios conterrâneos. Aliás, ser desprezado seria de certa forma uma mais-valia” (Acabem com a crise, 2012, pág. 100). Por ex., Vitor Gaspar é o pupilo preferido do ministro alemão das Finanças. Estas palavras escritas e publicadas por Paul Krugman já este ano, ajudarão certamente muitos portugueses a compreender o que se está a passar neste momento em Portugal, e a razão destas medidas, e desta politica de austeridade tão iníqua, foi por isso as transcrevemos.

A RESPONSABILIDADE SOCIAL DOS ECONOMISTAS EM PORTUGAL

Apesar de ser economista de formação e de profissão não posso deixar de dizer, à semelhança do que aconteceu em relação a crise atual, também em Portugal a maioria dos economistas que têm fácil acesso fácil aos media são também responsáveis pela atual politica, pois esquecendo e mesmo renegando o que aprenderam e os ensinamentos básicos da ciência económica, têm dado cobertura ideológica com o nome da sua profissão a esta politica pró-cíclica recessiva, que está a destruir a economia e a sociedade portuguesa para agradar e obter os favores do poder politico e económico, contribuindo assim para enganar a opinião pública e desacreditando, infelizmente, a profissão de economista aos olhos dos portugueses. Como escreveu também Paul Krugman: “É preocupante ver até que ponto os economistas têm sido parte do problema e não parte da solução” (2012: 104). Espero agora que perante este novo corte na procura agregada interna, determinado por mais cortes nos rendimentos dos trabalhadores e dos pensionistas, que vai agravar a recessão e o desemprego, e com a transformação de Portugal e dos portugueses em laboratório de experimentação para as politicas ultraliberais do FMI e da troika, a maioria tenha a coragem de dizer que prosseguir em tal caminho só poderá conduzir a uma maior destruição da economia e da sociedade e a hipotecar o futuro de Portugal durante muitos anos.

       Eugénio Rosa, Economista, Edr2@netcabo.pt, 8.9.2012

HOJE O DIA DE JUIZO


PASSOS COELHO: "UM GOVERNO FALHADO"


As capas dos jornais e as principais notícias de Sábado, 15 de Setembro de 2012.


Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Ponte de Lima: Queimado em explosão
Mulheres atropeladas no Minho
Almada: Idoso atacado em casa
Concurso nacional visa consciencializar jovens sobre a corrupção (COM VÍDEO)
Obama diz que EUA vão manter-se "firmes contra violência"
Djaló estreia-se na derrota do Toulouse em Paris
Um prémio de 193 mil euros para Portugal

Capa do Público Público

Tenha acesso a mais informação. Torne-se assinante Público.
Jardim no Conselho de Estado porque Madeira “tem razões de queixa”
Seguro afirma não desejar nenhuma crise política em Portugal
Portugueses nos EUA a recorrerem a redes sociais para protestar
Euromilhões: Único totalista, fora de Portugal, vai receber 26,5 milhões
Isolamento durante os primeiros tempos de vida muda células do cérebro
Menezes espera que Conselho de Estado “seja marcado por bom senso e serenidade”

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Um homem só
Um Papa da frente
A medida
"Cruzar informação,ponderar a relevânciae avançar sem hesitar"
"Se faz tem inimigos, se não faz ninguém o incomoda"
F.H.C. critica austeridade de "sangue, suor e lágrimas"
Populares manifestam-se à chegada de Passos

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Príncipe Harry escapa ileso a ataque no Afeganistão
Embaixadas ocidentais em alerta devido à fúria muçulmana
Nomeações chumbadas por unanimidade
As respostas do painel
Portugal e Espanha disputam título europeu de hóquei em patins
Freguesia vota mudança para escapar à extinção
Bispo do Porto quer seniores a aconselhar governos

Capa do i i

Secretário de Estado da Economia diz que Conselho de Estado "é positivo para o debate"
Menezes espera que Conselho de Estado "seja marcado por bom senso e serenidade”
Norte-americano paga multa de trânsito com 137 origamis - vídeo
Revista francesa publica fotos de Kate Middleton em topless
Convocação do Conselho de Estado é "absolutamente normal e constitucional", diz Portas
Cavaco. É preciso redescobrir o humanismo e a solidariedade nestes tempos adversos
Merkel e Monti. "Boa semana para a Europa e o euro"

Capa do Diário Económico Diário Económico

Combinação vencedora do Euromilhões
Wall Street sobe animada com sinais de estímulo do Fed
Número de desempregados inscritos bate novo recorde em Agosto
Governo mantém prazos no corte das compensações por despedimento
"Quero ouvir os meus conselheiros"
Governo poupa 151,5 milhões com a extinção de 139 fundações
Sá Carneiro eleito o melhor líder da história do PSD

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Passos, Álvaro e a fúria popular em Vila do Conde
Nova ronda de estímulos à economia dos EUA puxa S&P 500 para máximos de 2007
Desempregados inscritos nos centros de emprego aumentam 140 mil num ano
Almeida Santos: Se somos "bons alunos da troika, eles são capazes de ser maus mestres"
BPI e BCP avançam mais de 10% na semana
Cavaco: "Quero ouvir os meus conselheiros"
Cardeal Patriarca de Lisboa: Quem disse que os bispos vão ficar em silêncio?

Capa do A Bola A Bola

Karen, a nova imperatriz de Adriano (com fotos)
David Viana no Real Salt Lake City
«Temos equipa para ganhar à Espanha e sermos campeões europeus» - Rui Neto
«Sou da favela; às vezes esqueço-me daquilo em que me tornei» - Neymar
Riquelme disse adeus ao Boca Juniors
Portugal vence Alemanha e se empatar com Espanha é campeão europeu
Irmão de Kaká, ex-Penafiel, assina pelo New York Red Bulls

Capa do Record Record

Mantorras: «Fechou-se uma porta mas abriu-se outra»
Novo estatuto de Maicon à prova na Champions
Marcos Rojo volta à zona de conforto
Pedro Martins: «Deste lado também há uma boa equipa»
Éder para os milhões
Emanuel pondera nova fórmula para o ataque
Jogo com o Nacional é no Estádio Algarve

Capa do O Jogo O Jogo

Portugal goleia antes de grande final
Espanha aguarda por Portugal
Em jogo mas sob protesto
Cluj vence (1-0) Dínamo de Bucareste
Aprígio Santos reconduzido na liderança
Estádio em Cabo Verde que ninguém conhece
PSG vence Toulouse de Djaló