Translator

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

DO COLEGA "CANTIGUEIRO"


O cerco de feras

Está há muito montado o cerco. Não há sinais de folga. Antes pelo contrário! A somar ao fanatismo criminoso da obsessão “austeritária” do Governo de Passos & Portas, são constantes os recados da múmia de Belém, no sentido de continuar e agravar este rumo, no sentido do “respeitinho” aos mercados. A reforçar... o coro das vozes do dono que rebentam (antes rebentassem!) como cogumelos em tudo o que é jornal, redes sociais, televisões, armados em analistas e politólogos.
Não vá dar-se o caso de os terroristas domésticos não serem suficientemente aterrorizadores para o milhão de desempregados, coagidos a aceitar qualquer pagamento por um trabalho – qualquer trabalho – pelo qual, antes, recebiam o dobro e sob a ameaça de deixarem (como milhares já deixaram) de receber qualquer apoio social, não vão os pré-reformados não ficarem suficientemente aterrorizados com a perspectiva de adiamento da reforma, se não for mesmo o esfumar de tudo por que toda a vida lutaram , não vão os jovens recusar o não-futuro que esta política lhes reserva... para falar apenas destes, não vá dar-se o caso… todos os dias os carrascos recebem ajudas do estrangeiro.
Ora é o cagão barroso a ameaçar o TC com a culpa do que suceder se as fatias de austeridade que, para além de tudo, ofendem a Constituição, forem reprovadas.
Ora é troika a ameaçar o TC com a culpa do que suceder se as fatias de austeridade que, para além de tudo, ofendem a Constituição, forem reprovadas.
Ora são agências de notação, como a Fitch, a ameaçar o TC com a culpa do que suceder se as fatias austeridade que, para além de tudo, ofendem a Constituição, forem reprovadas.
Poderia dar mais exemplos, só que o resultado seria o mesmo: mais uma mão cheia de parágrafos copiados uns dos outros, mudando apenas os nomes das feras.
Tanto insistem... que até parece que acreditam que são mesmo a Constituição da República e o Tribunal que tem por obrigação fazer respeitá-la, os culpados pela crise do capitalismo, estertor que tem tido como resultado o recrudescimento da ferocidade dos ladrões que o comandam.
Razões pelas quais termino pedindo desculpas aos “Xutos e Pontapés” por ter avacalhado o seu “O Circo de Feras” e por pedir desculpas aos habituais leitores que estariam, quem sabe, à espera de uma das minhas tiradas adjectivantes e catárticas... mas a verdade é que não quero dar nas vistas como mais um daqueles que contestam a austeridade, passando a ser mais um dos que causam repulsa à grande escritora de hipermercados Margarida Rebelo Pinto, pelo menos a fazer fé neste vídeo em que ela se “confessa”... e que aqui vos deixo, facto, aliás, que também justifica um sentido pedido de desculpas a todos vós!


Sem comentários:

Enviar um comentário