Translator

terça-feira, 26 de novembro de 2013

DURA LEX SED LEX - AGUENTAR E PIO CALADO.


Parte dos meritíssimos juizes assim o entenderem. Temos sido um país com "bardamerdas" em sucessivos governos e este  que agora dirige os destinos de um Portugal nas lonas, logo de início, para impressionar o "pagode" que lhes é afeto, eliminou feriados que outros, anteriores governos, respeitaram. São gente, oportunista, habilidosa que não vale a ponta de um "chavelho". Uns autênticos "bandalhos" apoiados por um palhaço de circo que tem vivido à nossa conta há décadas.


Carlos Santos Neves, RTP
Por sete votos contra seis, o Tribunal Constitucional avalizou o alargamento do horário de trabalho na Função Pública para 40 horas semanais, uma decisão que surpreendeu as organizações sindicais. A “estupefação” perante o acórdão publicado na última noite é partilhada pela Frente Comum, pelo STE e pela Fesap, que continuam a questionar a constitucionalidade de uma efetiva “redução remuneratória”. Entre a oposição, as reações vão do sublinhado socialista da “divisão” entre os juízes do Palácio Ratton à promessa comunista de uma iniciativa, no Parlamento, para repor as 35 horas.

Sem comentários:

Enviar um comentário