Translator

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Os obscenos Soares e Alegre


portadaloja12@gmail.com

Quinta-feira, 14 de Novembro de 2013

Jornal i:
Os históricos socialistas Mário Soares e Manuel Alegre marcaram hoje presença numa cerimónia em Lisboa, tendo convergido nas críticas ao Governo e com o segundo a criticar "gente que esteve no Governo e se governou". 

Numa homenagem a Manuel Tito de Morais, que decorreu na Fundação Mário Soares, Manuel Alegre elogiou aqueles, como o socialista hoje relembrado, que "serviram a causa pública, a República, o PS, a democracia e o país" e "nunca nada quiseram para si".   
"[São] Pessoas que viveram e morreram de mãos limpas, enquanto sabemos que nos últimos tempos têm havido casos, alguns deles ainda impunes, que são um verdadeiro escândalo. 
Gente que esteve no Governo e se governou", declarou Manuel Alegre, que questionado pelos jornalistas sobre a quem se referia respondeu: "Estou a pensar nas mesmas pessoas em que vocês estão a pensar".

 
Estes dois indivíduos perderam a vergonha ou quê?  

Um, o mais triste, nada mais fez na vida, depois de escrever uns versos,  do que deputar, sem brilho ou relevância, durante mais de trinta anos.   
O outro, vindo de Paris, onde estava a expensas de não se sabe bem de quem, arribou e tornou-se uma espécie de símbolo da pátria democrática, nascida com o 25 de Abril. Segundo alguns que por aí andam no sistema mediático, não houve democrata maior nem lutador maior contra o comunismo do PREC. 
Se não fosse tal personagem, segundo os próceres,  Portugal ter-se-ia afundado nas garras da cortina de ferro...
Governou Portugal vários anos, sempre em falha de tesouraria pública, conduzindo o país a duas bancarrotas iminentes; emperrou durante vários anos a recuperação económica do país, em nome de uma ideologia que não pratica mas professa para ganhar votos e alcançou o lugar da suprema magistratura, com o voto daqueles que combateu, por terem sido obrigados a escolher o mal menor e votarem nele tapando o nariz...  
Uma vez no poleiro supremo, passou-lhe debaixo do nariz a corrupção de Macau e não a cheirou  nem alguém lhe perguntou tal coisa, mesmo depois de um seu próximo o denunciar por escrito como corrupto e da laia dos que agora acusa.
Começou com um Austin Mini e acabou com um BMW 523, uma escolta policial permanente, uma subvenção permanente e uma Fundação paga por todos nós que começou por receber milhares e milhares de euros, dados pelos governos, por condescendência de sua pardacência. Já são vários milhões. 
Mais que aqueles que agora acusa receberam alguma vez. Entre 2008 e 2010 ( Sócrates)  a dita Fundação recebeu do Estado cerca de um milhão e duzentos mil euros. 
Pois este amigo de Carlucci que durante o caso Casa Pia, em 2003 e 2004, esteve calado e quieto que nem um rato, sempre, sem dar qualquer sinal de vida, sem que se saiba a razão,  fala agora pelos cotovelos e esportula disparates e palermices diariamente.  
O que resta dizer desta... ( fica ao critério de quem ler...)?

1 comentário: Hiperligações para esta mensagem

Sem comentários:

Enviar um comentário