Translator

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

DO COLEGA "PORTUGAL GLORIOSO"

Portugal a saque?

Todos nós Portugueses, temos estado a passar momentos muito difíceis com este governo de Pedro Passos Coelho. Os cortes que temos sofrido são brutais e até em alguns casos inconstitucionais mas, como sabem estamos sobre o protectorado da troika e os nossos credores é que mandam. Ponto final parágrafo.

Perguntemos o motivo ou a origem desta situação calamitosa na nossa economia que será o mínimo que podemos e devemos fazer: 

PORQUÊ!?

41 mil milhões muito mal explicados. 

Se nós achávamos que o buraco do BPN de cerca de 10 mil milhões, era suficiente para abalar a estabilidade de Portugal... Então que dizer de um buraco de 41 mil milhões para somar a todos que já conhecemos? (BPN, PPP, etc )

O Tribunal de Contas (TC) detectou 41 mil milhões de euros irregulares na execução orçamental de 2010, quando ainda estavam no governo José Sócrates e Teixeira dos Santos. Entre as irregularidades mais graves são:

1 - abertura de créditos especiais sem autorização do Parlamento, 

2 - operações extraorçamentais não registadas nas contas de serviço rodoviário, 

3 - despesas fiscais de IRC e não contabilização do montante de acordos de regularização de dívidas na lista dos vários encargos assumidos e não pagos na Região Autónoma da Madeira.

4 - pelo elevado valor envolvido, “a autorização, pelo governo, da abertura de créditos especiais com contrapartida em  passivos financeiros que, por constituírem receita não efectiva, careciam de autorização da Assembleia da República”.

Os cerca de 41 mil milhões de euros de irregularidades correspondem a mais de metade do total da despesa orçamentada em 2011, que se fixou em 79,9 mil milhões de euros. Isto significa que, se as irregularidades  não forem corrigidas ao longo do ano, quase metade do orçamentado foi esbanjado sem justificação plausível ou legítima. 

Apesar de o TC recusar 85 vistos que não respeitavam a lei, e travando a despesa pública no montante de 318,6 milhões de euros, pois não tinham cabimento orçamental ou ultrapassavam os limites legais do endividamento, muitos milhões voaram sem serem travados. 
O TC não conseguiu impedir que os 41 mil milhões, saíssem dos cofres, sem justificação legal.
PS- Façam o favor de ponderar nestes números, talvez tragam algum esclarecimento do porquê desta crise tão profunda vivida por todos nós, e de quem nos trama

Sem comentários:

Enviar um comentário