Translator

domingo, 3 de março de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 4 de Março de 2013.

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Idosa morta em casa há dois meses
Marcelo R. Sousa: Mais tempo a Portugal
Miguel Cadilhe: Programa da troika
Cavaco Silva: Felicita atleta
Cascais: Assaltam duas bombas
Portimão: Ameaça com pistola
Porto: Agressões no Bessa

Capa do Público Público

Bordéus, adversário do Benfica na Liga Europa, perde com o Lille na Liga francesa
Jesus garante que dois pontos de vantagem são positivos mas está tudo em aberto.
Congresso das Alternativas exige saída do Governo e união de toda a esquerda
Triunfo em Aveiro entrega a liderança isolada do campeonato ao Benfica
Notícia do número de manifestantes gera protestos, organização não comenta
Polícia brasileira ocupa 13 favelas
Estoril vence o Rio Ave e aproxima-se dos lugares europeus

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

O banqueiro indignado
"Ouvia as nossas angústias existenciais"
Mau tempo na Madeira não fez danos pessoais
Governo faz "tudo para não ouvir" mas pressões resultam
Mau tempo provoca pequenas derrocadas e inundações
Homem morre atropelado quando atravessava a pé a A3
Mau tempo nos Açores até amanhã

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Primeiro caso de cura de bebé infetado com VIH/sida apresentado nos EUA
Alabama Shakes em Paredes de Coura
Aumenta mobilização para proteger o que resta do Muro de Berlim
Candidato a liderança do PS desafia Seguro a apresentar moção de censura
Incêndio em garagem destruiu carro
Paulo Futre recebe mimos da namorada em dia de festa
Povo farto de obras e sem alternativa constrói ponte

Capa do i i

Presidente da República congratula Sara Moreira por "honrar o nome de Portugal"
Primeiro-ministro palestiniano aceita demissão do ministro das Finanças
EUA promete ao Egipto ajuda imediata de 250 milhões de dólares
André Villas-Boas alcança 100.º triunfo da carreira
PS. Título europeu de Sara Moreira é "inspirador para os portugueses"
Egipto e FMI podem chegar a acordo para empréstimo antes das legislativas
Ataque bombista no Paquistão matou 23 pessoas e feriu 50

Capa do Diário Económico Diário Económico

O que nos sucederia se nos lixássemos para a troika?
O futuro da City
A manifestação, o Governo e os portugueses
Governo aproxima-se do PS para atingir consenso à 'Troika'
“Passos herdou uma situação cuja culpa é de outros governos”
Chineses e Catroga querem alterar modelo de governação da EDP
Sapatos Versage, Louis Vuitton e Hugo Boss têm selo ‘made in Portugal’

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Do Marquês do Pombal até ao Terreiro do Paço
Carta aberta ao director do "Jornal de Angola"
Ousar escolher, saber rodar
Imprensa: Como criar valor na era Digital?
O segredo da Portugal Telecom
Acordo será um pequeno passo num caminho longo
Eurogrupo discute hoje melhoria do programa português

Capa do Oje Oje

Vendas de ligeiros sobem 8,6% em fevereiro
GM, Ford e Chrysler melhoram vendas em fevereiro
Madeira reivindica reposição de apoio para aumentar frota
Fundos de pensões portugueses com ganho de 1,7% até fevereiro
PSI20 desvaloriza pela quarta sessão consecutiva
Seguradoras querem restringir acesso a PPR para pagar casa
Lucros da Magna dispararam 40,7%

Capa do Destak Destak

Pelo menos 11 crianças morreram em acidente de autocarro no noroeste da Índia
Política de Defesa da China não visa "ameaçar outros países", diz vice-MNE chinês
Mais de 1.200 voos cancelados na segunda semana de greve da Iberia
Mais de 40 empresas e 38 pessoas alvo de sanções do BAD em 2012 devido a más práticas
Sete mortos devido a derrame de ácido sulfúrico no noroeste da China
Comissão de Avaliação do Comité Olímpico Internacional em Tóquio para avaliar candidatura japonesa
Reformas políticas na China não copiarão "modelo de outros países" - Vice-MNE chinês

Capa do A Bola A Bola

Mau tempo «adia» Museu
Málaga: «Tenho enorme vontade de eliminar o FC Porto» - Antunes
Bruma na linha dos extremos irrreverentes
Equipas angolanas fazem o pleno nas Afrotaças
Jackson Martínez falhou recorde em Alvalade
Paulo Fonseca «liga-se» a Jorge Mendes
«O Costa do Sol vai descobrir o caminho do sucesso» - Augusto Fernando

Capa do Record Record

Feyenoord de Koeman ganha e ambiciona título
Resposta aos críticos
Berço a chamar por Soudani
Ronaldo: "Made in" Manchester
William ajuda Cercle a chegar à final da Taça belga
Vermelhos de raiva
Perigo de exclusão já tem dois nomes

Capa do O Jogo O Jogo

Boavista-Fafe: "guerra" continua nos sites
Sporting: mais um jogo, mais uma vitória
Real Sociedad e Bétis empatam 3-3
"Não foi pelo árbitro que o Beira-Mar não pontuou"
Totti, o segundo melhor marcador de sempre no "Calcio"
Bendtner detido por guiar alcoolizado
III Divisão: Resultados e classificações

A fraca memória alemã.


Entre 1933 e 1945 também esqueceram as boas maneiras de um povo civilizado, e deram largas na Europa à maior barbárie assassina que o Mundo já  presenciou !
É bom que comecemos a facultar-lhe alguns auxiliares de memória ;  por exemplo, através das redes sociais...
Vale a pena ler os anexos.

É bom lembrar: 23 de Fevereiro de 1953...


"Levar o rebanho atrás"

(Não peças a quem pediu e não sirvas a quem serviu...!!!)
.
Como hoje não se estuda português nem história, para podermos criar gerações de mentes receptivas a dogmas e a outros processos de levar o
"rebanho" atrás, estas coisas vão passando ao lado.A comunicação social disse "0", porque o importante é anunciar a "manif" !!!!
.
Para que a memória não se apague … Fez agora 60 anos!
Faz hoje 60 anos - Acordo de Londres sobre as Dívidas Alemãs |
.
Entre os países que perdoaram 50% da dívida alemã estão a Espanha, Grécia e Irlanda.
.
O Acordo de Londres de 1953 sobre a divida alemã foi assinado em 27 de
Fevereiro, depois de duras negociações com representantes de 26 países, com especial relevância para os EUA, Holanda, Reino Unido e Suíça, onde estava concentrada a parte essêncial da dívida.
.
A dívida total foi avaliada em 32 biliões de marcos, repartindo-se em partes iguais em dívida originada antes e após a II Guerra.Os EUA começaram por propor o perdão da dívida contraída após a II Guerra.
.
Mas, perante a recusa dos outros credores, chegou-se a um compromisso. Foi perdoada cerca de 50% (Entre os paises que perdoaram a dívida estão a Espanha, Grécia e Irlanda) da dívida e feito o reescalonamento da dívida restante para um período de 30 anos. Para uma parte da dívida este período foi ainda mais alongado. E só em Outubro de 1990, dois dias depois da reunificação, o Governo emitiu obrigações para pagar a dívida contraída nos anos 1920.
.
O acordo de pagamento visou, não o curto prazo, mas antes procurou assegurar o crescimento económico do devedor e a sua capacidade efectiva de pagamento.
O acordo adoptou três princípios fundamentais:
1. Perdão/redução substantial da dívida;
2. Reescalonamento do prazo da divída para um prazo longo;
3. Condicionamento das prestações à capacidade de pagamento do devedor.
.
O pagamento devido em cada ano não pode exceder a capacidade da economia. Em caso de dificuldades, foi prevista a possibilidade de suspensão e de renegociação dos pagamentos. O valor dos montantes afectos ao serviço da dívida nao poderia ser superior a 5% do valor das exportações. As taxas de juro foram moderadas, variando entre 0 e 5 %.
.
A grande preocupação foi gerar excedentes para possibilitar os pagamentos sem reduzir o consumo. Como ponto de partida, foi considerado inaceitável reduzir o consumo para pagar a dívida.
.
O pagamento foi escalonado entre 1953 e 1983. Entre 1953 e 1958 foi concedida a situacao de carência durante a qual só se pagaram juros. Outra característica especial do acordo de Londres de 1953, que não encontramos nos acordos de hoje, é que no acordo de Londres eram impostas também condições aos credores - e não só aos paises endividados. Os países credores, obrigavam-se, na época, a garantir de forma duradoura, a capacidade negociadora e a fluidez económica da Alemanha.
.
Uma parte fundamental deste acordo foi que o pagamento da dívida deveria ser feito somente com o superavit da balança comercial. 0 que, "trocando por miúdos", significava que a RFA só era obrigada a pagar o
serviço da dívida quando conseguisse um saldo de dívisas através de um excedente na exportação, pelo que o Governo alemão não precisava de utilizar as suas reservas cambiais.
.
EM CONTRAPARTIDA, os credores obrigavam-se também a permitir um superavit na balança comercial com a RFA - concedendo à Alemanha o direito de, segundo as suas necessidades, levantar barreiras unilaterais às importações que a prejudicassem.
.
Hoje, pelo contrário, os países do Sul são obrigados a pagar o serviço da dívida sem que seja levado em conta o défice crónico das suas balanças comerciais Marcos Romão, jornalista e sociólogo. 27 de Fevereiro de 2013.

A herança de Socrates



Porque a tendência é para esquecer...há que ter em mente  a principal razão pela qual estamos hoje todos a penar!
.
Convém estarmos conhecedores da verdade para amanhã podermos receber  este glorioso PM a caminho de Belém, ou doutra tachada qualquer !!! 
.
LEIAM  E PONHAM  NA  MESA  DE CABECEIRA ! ( JÁ AGORA DIVULGUEM SFF)
.
A HERANÇA DE JOSÉ SÓCRATES: se somar tudo dá 140.997 milhões de euros
.
Vamos pensar que soma apenas 1.409?, é chato quem é que ficou a arder ?
Vamos pensar que soma apenas 140.997?, é muito grave e os tribunais vão no seu encalce! Vamos pensar que são mesmo 140.997.000.000?, é a pior calamidade de sempre e nenhum organismo actuou, nenhum político atacou e o autor, continua a sua vida de ilustre estudante de filosofia em Paris, vem cá de vez em quando, evita expor-se, e dentro de 2 anos fará vida quase normal com os 350 milhões de euros da família, em offshores (até agora apurado)
 
Pagamos ? Ou não pagamos ? Claro que pagamos, para evitar maior sofrimento ao Povo Português.
 .
MAS EXIGIMOS QUE SEJAM CONFISCADOS E NACIONALIZADOS TODOS OS BENS RESULTANTES DE TODAS AS OPERAÇÕES IRREGULARES E QUE SEJAM ANULADOS TODOS OS COMPROMISSOS QUE DAS MESMAS RESULTARAM E QUE SEJA CRIADO O ?MINISTÉRIO DA RECUPERAÇÃO DE ILÍCITOS?, SOB A TUTELA DE UMA TROICA TECNOCRATA NACIONAL
 .
Divulgue este email, acorde e actue antes que a fome bata á porta dos seus filhos, que não lhe perdoarão!
 .
- Dívida Pública aumentou 90.000 milhões de euros entre 2005 e 2010.
- Nacionalizou o BPN, com o contribuinte a pagar, aumentando o seu buraco em 4.300 milhões em 2 anos, e fornecendo ainda mais 4.000 milhões em avales da CGD que irão provavelmente aumentar a conta final para perto de 8.000 milhões, depois de ter garantido que não nos ia custar um euro.
- Derrapagem de 695 milhões nas PPPs só em 2011.
- Aumentou custo do Campus da Justiça de 52 para 235 milhões.
- A CGD emprestou 300 milhões a um amigo do partido para comprar ações de um banco privado rival, que agora valem pouco mais que zero.
- Injectou 450 milhões no BPP para pagar salários dos administradores.
- Desbaratou 587 milhões do OE de 2011 em atrasos e erros de projeto nas SCUTs Norte.
- Desapareceram 200 milhões de euros entre a proposta e o contrato da Autoestrada do Douro Interior.
- Anulou e deixou prescrever 5.800 milhões em impostos.
- Perdeu 7.200 milhões de fundos europeus pela incapacidade do governo de programar o seu uso.
- Enterrou 360 milhões em empresas que prometeu extinguir.
- Contratou 60.000 milhões em PPPs até 2040.
- Usou Reformas para financiar a dívida de SCUTs e PPPs.
- Deu de mão beijada 14.000 milhões aos concessionários das SCUTs na última renegociação.
- Deixou agravar o passivo da Estradas de Portugal em 400 milhõesem 2009.
- Deu 270 milhões às Fundações em apenas dois anos.
- Pagou à EDP, em rendas excessivas, 3.900 milhões tirados à força da vossa fatura da eletricidade.
- Deixou os sindicatos afundar as EPs em 30.000 milhões de passivo para os camaradas sindicalizados com salários chorudos e mordomias, pagos pelo contribuinte.
- Aprovou um TGV que já nos custou 300 milhões só em papelada, e vai custar outro tanto em indemnizações
- Mais todos os milhões enterrados no Aeroporto fantasma de Beja, totalmente inoperacional, inaugurado à pressa antes das eleições para fechar logo de seguida.
.
...Mas a memória colectiva é a de um país "envelhecido", de gente nova, que não retém os factos do passado mais recente ...! ... e é pena! ... porque assim, todos os que construíram a realidade acima transcrita, para sempre ficarão impunes a usufruir dos proventos que por ventura lhes couberam...

Ser carteirista na China não é profissão saudável...!!!

Comentário cá de casa: "Gramava o Miguel Relvas apanhar uma surra igual à que enfardou o carteirista, algures, na China."
.
Tudo leva a crer que carteiristas e praticantes de "carjacking" não vão ter futuro na China!!
Pena não haver este hábito em Portugal, particularmente para "tentar" reabilitar alguns dos nossos políticos que (sem haver explicação para isso) têm ganho fortunas a irem ao bolso do contribuinte!
 
ALGO QUE EXISTE POUCO EM PORTUGAL . . . UNIÃO ! !
video

LÍBIA: "ORGiA FÚNEBRE"

Cimetière de guerre Anglais en Lybie ; c'est édifiant !
.
Esta é a gente que aprendeu a ler só num livro, que lhe impõe uma visão tacanha do seu mundo e não  deixa que se aperceba:
- Do que é obra do Criador (da Natureza e do Cosmos onde ela encaixa!) e o que foi feito pelo Homem ( designadamente as Religiões)!
- Do que é tolerância!
- De que o Mundo não considerado nesse livro, não é erége, nem pagão, nem infiel,e por isso não deve ser destruído porque há gente doutras crenças e culturas que nele vive e acredita e por isso devem merecer o mesmo respeito que eles  vão tendo.
.
É esta a gente a quem os demagogos da Europa vêm abrindo as
portas, dando-lhes alojamento em "explosivos" guetos, onde já
reinvindicam o seu controlo e onde já começam a impor a "charie" e outros "métodos" de justiça islãmica.
.
Há que dar a esta genta uma Escola que lhes abra a mente e
compreenda estes aspectos básicose iberdade e de tolerância.A não ser assim, há que lamentar, mas serámelhor enviá-los para a civilização do deserto!
Um abraço
Vizela Cardozo
.
Cimetière de guerre Anglais; c'est édifiant !On nous demande d'être tolérants !
Une blague ou un dessin ou un film sur le coran et le monde se retourne , on nous traite de raciste,mais là, personne ne dit rien, les médias restent silencieux. Regardez ce film tant qu'il est encore visible
António
     
Clique em baixo para a orgia fúnebre

Kilamba, a cidade fantasma de Angola

 
 Os apartamentos estão a ser vendidos entre os 120 mil e os 200 mil dólares. Angola pagou esta cidade à empresa chinesa com petróleo.

A fase de elevada intensidade na construção em Angola não é novidade há muitos anos. Por vezes até se pode falar em megalomania tendo em conta o estado geral do país e da sua população. Desta feita a megalomania foi ultrapassada e a Cidade de Kilamba, construída do zero pelos chineses, está deserta. Isso mesmo, a China International Trust and Investment Corporation (CITIC) gastou 3500 milhões de dólares nesta urbanização que, uma vez completa, ocupará 5000 hectares, e essa cidade é já apelidada de a cidade fantasma.
Esta cidade faz parte de um conjunto de cidades "satélite" que os chineses estão a construir em Angola desde que iniciaram o seu forte investimento nesse país. A ideia do governo angolano era conseguir que a classe média de Luanda fosse para esta nova cidade, que se situa a apenas 30 Km de distância. No entanto a classe média angolana parece não ter o poder de compra que o governo angolano julgava, e neste momento a cidade está vazia.

KAOS: Um Assos Coelho a afogar-se num país a ir ao fundo

Ontem foram muitos os milhares que saíram à rua  para mostrar que não querem mais este governo. Perante essa maré de gente pode-se dizer que o Passos Coelho já se afogou nas suas politicas e na sua austeridade. 
.
A questão a que falta responder é se é só ele que se está a afogar ou somos todos nós. Se este governo cair tudo leva a crer, pelo menos é o que dizem as sondagens, o PS ganhará de novo as eleições, já faz olhinhos ao Paulo Portas e tudo ficará na mesma. 
.
A Troika a mandar, os mercados e os grandes especuladores a enriquecerem à custa do nosso trabalho e esforço, e todos nós a perdermos direitos, a ver crescer o desemprego, a precariedade, a pobreza e a miséria. É para isso que tantos milhares saem à rua? 
.
Não é correr com um governo para que tudo fique na mesma que é urgente. Urgente é uma nova forma de democracia, mais directa, mais participada por todos, para que sejamos todos a definir, dia a dia o que queremos para o nosso futuro.