Translator

domingo, 7 de abril de 2013

AINDA TÊM PACIÊNCIA PARA O OUVIR?


O "Marcelinho" dá para todos os lados...!!!

Marcelo Rebelo de Sousa elogia discurso de Passos e aponta dois cenários



Professor de Direito considera que a decisão do Tribunal Constitucional não foi "suficientemente fundamentada".

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 8 de Abril de 2013.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

GNR: seis detidos por tráfico
Vilamoura: Jürgen Stenfert vence
Leiria: três feridos em despistes
Supremo: freguesias agregam-se
V.N. Gaia: jovem em estado grave
Jeffrén: Everton revela interesse
Almeirim: GNR apreende droga

Capa do Público Público

Marcelo Rebelo de Sousa elogia discurso de Passos e aponta dois cenários
Sorteio do Joker (14/2013)
CGTP: Governo está a preparar “brutal corte” nos serviços públicos
Jorge Jesus: "O FC Porto vai entrar pressionado"
Sócrates ficou “desolado” com “ataques” de Passos ao TC
Nem com “dois autocarros” o Olhanense parou o Benfica
"Os Verdes" acusam primeiro-ministro de tentar “iludir a realidade”

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Tudo é tarde para Passos Coelho
Futebolista de 1.ª liga e aluno de Medicina
Idosa morre vítima de monóxido de carbono
15 mil pintaram-se para experiência inédita em Portugal
Miguel Macedo diz que segurança permanece prioridade
Gulbenkian cria mais duas equipas de cuidados paliativos
Esperar pelo fim da vida com a ajuda dos "anjos"

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Um milhão de desempregados nos últimos seis meses na Europa
Dourogás investe 4,8 milhões de euros em Mirandela
Pintora Graça Morais salva escola onde andou
Visitas a doentes acamados são "aulas" para estudantes
Sócrates de volta para taco-a-taco com Marcelo
Já não compensa ir às compras a Espanha
Namorada de Neymar em poses sensuais na Net

Capa do i i

Médicos portugueses podem ir trabalhar para a Arábia Saudita
Papa toma formalmente posse da catedral de Roma
Pedro Emanuel deixa comando técnico da Académica
Miguel Oliveira sétimo no Qatar a abrir Mundial de motociclismo
Estoril goleia Nacional e ascende a quinto na I Liga
Mau tempo. Prejuízos nos arrozais do Alentejo podem ultrapassar três milhões de euros
MetaDança 2013 alia-se aos escritores que marcaram Leiria

Capa do Diário Económico Diário Económico

Juízes do TC ‘ajudam’ Governo a reformar Estado
O inevitável abrandamento da economia chinesa
Um desgoverno constitucional
Passos responde ao Constitucional com novos cortes no Estado
“TC lançou pistas para reestruturar a Função Pública”
“Este é o momento da remodelação do Governo”
Excedentários do Estado vão ser obrigados a procurar trabalho

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Desemprego nos EUA não ata nem desata e Obama aponta o dedo aos republicanos
O significado de Chipre
"Não se refugie em slogans, em marketing político"
O 'confisco' de Chipre: e porque não?
O Quatar e o poder no futebol europeu
Uma proposta para o salário mínimo
Lidar com a adversidade

Capa do Oje Oje

Brisa sai da Bolsa na quinta-feira
Conselho de Ministros extraordinário convocado para sábado
Pedro Passos Coelho faz declaração ao país neste domingo, às 18H30
TC chumbou artigos no OE de 2013 no valor de 1350 milhões de euros
Anglo-australiana BHP Billiton abandona projeto de extração de manganés no Gabão
Parceiros da Guiné-Bissau apoiam nova missão internacional com condições
Baía do Tejo investe 15,7 milhões em Almada, Barreiro, Seixal e Estarreja

Capa do Destak Destak

Credores da Cerâmica de Valadares discutem hoje novo plano de insolvência
13 empresas sul-coreanas paradas no complexo conjunto entre as duas Coreias em Kaesong
Venezuela pode ser motor de arranque para economia portuguesa -- responsável do BCP
Ministro da Saúde entrega hoje medalhas a personalidades que se destacaram na área
Aeroporto de Hong Kong investiga queda de ponte de embarque em avião da Cathay Pacific
Não há provas de transmissão do vírus H7N9 entre humanos, diz representante da OMS
Quatro feridos em incêndio na Cova da Moura com criança em estado grave

Capa do A Bola A Bola

At. Madrid vê Patrício e Marselha olha para Capel
Maicon ao lado de Otamendi frente ao SC Braga
«Faltam quatro vitórias, vamos conseguir» - Ola John
Resultados dos campeonatos distritais
Levantada suspensão, provisória, a Urbano e Diamantino Miranda
Libolo recebido no Sudão com pedras e gás lacrimógeneo
«Importante é vencer campeonato e chegar ao Jamor; renovação é secundária» - Jorge Jesus

Capa do Record Record

Superar marca de Sá Pinto
Vítor Pereira esteve em Vila do Conde
Andorra: Lusitanos sagra-se bicampeão
Alex Ferguson: «Desafio para o City»
Argentina: Boca Juniors dá "ajuda" ao River Plate
Brittney Griner disponível
Sevilha quer Hugo Almeida

Capa do O Jogo O Jogo

FC Lusitanos campeão em Andorra
Messi empata com robot
Tiago Monteiro desiste após despite
Carlos Sá oitavo na Maratona das Areias
Serena: 49º título da carreira
Valência vence Valladolid com João Pereira no onze
Show de Rossi, vitória de Lorenzo

ARÁBIA SAUDITA E NEGÓCIOS DE PORTUGAL

Custa muito pagar viagens turísticas a este "marmelo" e outros demagogos que nos custam o coiro e o cabelo

Rui Alves Veloso/Carlos Matias
Empresários portugueses assinaram contratos de parceria com empresas da Arábia Saudita. É o resultado da da visita de dois dias, liderada pelo Ministro da Saúde, como contam os enviados da RTP. 
.
À MARGEM: Este Governo acaba descobrir negócios da Arábia Saudita que não é mais do que um "loby" e juntar a outras viagens turística do "demagogo", meia-tigela, Paulo Portas. 
.
Eu descobri a Arábia Saudita no ano de 1977 ( há 36 anos) e de quando fui contratado pela empresa americana Texas Instrumentos para trabalhar na área da prospecção de petróleo. Não seríamos, na altura, mais de que uns 8 portugueses, a trabalharmos na mesma empresa e todos "fugidos" da ferocidade da cor preta à branca de Angola e eu da Rodésia de Iam Smith e hoje o "desgraçado" Zimbabwé.
.
Nessa altura  é quando se dá o "boom" da exploração do petróleo cujo o preço das ramas atingiram, o barril, 30 e mais dólares, milhares de trabalhadores chegavam de países da Ásia e Oriente aos milhares onde se contavam: coreanos,filipinos, paquistaneses, sri lanka, indianos, nepaleses para servirem em grandes empresas sauditas em parceria com coreanas e outras. Estes trabalhadores auferiam  um salário ridiculo sob, normalmente, um ano de contrato sem sair do país. 
.
Havia, também, milhares de expatriados americanos e europeus, com contratos de dois anos e em cada seis semanas de trabalho duas de descanso (com viagens de avião pagas) no país de suas naturalidade. As viagens, de avião, tinham que ser marcadas com um mês ou mais com antecedência, porque as aeronaves voavam abarrotadas de passageiros, enquanto os nossos Boings 747 estavam estacionados, apodrecer, no aeroporto da Portela que mais tarde foram vendidos, ao desbarato, à Paskistan Airlines.
.
Ao acaso fui encontrar junto à margem da estrada de Amam para o Kwait um estaleiro da empresa de construção de estradas Azevedo Campos de Braga (tinha também fugido de Moçambique) associada a uma empresa grega que  pouco   ou nada teria feito, porque nunca cheguei a ver obra nenhuma ou máquinas de terraplanagem a construir estradas.
.
Portugal, depois de 25 de Abril de 1974, por anos seguidos, foi um país em bolandas em que os políticos, como hoje, se arranhavam uns aos outros em procura do que conseguia mais poder o "amarfanhar" mais interesses.  
.
Quem representava Portugal na Arábia Saudita era a nossa vizinha Espanha, até gente porreira na embaixada de quando precisei de me assinarem um documento de bens para enviar para Portugal o fizera prontamente. Assim fui espanhol na Arábia Saudita!  
.
Em 1982 depois da companhia me transferir para Dubai e quando me mandou regressar, novamente a Dharhan (capital do petróleo saudita) ainda não havia embaixada saudita em Lisboa para obter, novo permite de residência, mandou-me a empresa a Madrid obter o documento.
.
Portugal enquanto eu me quedei (1977-1983) na Arábia Saudita era um país desconhecido e o nome Portugal é laranja em língua árabe. 
.
Pouco vendíamos para este ou outro país árabe, ao menos que fosse exportado o azeite, as azeitonas, as sardinhas e outros peixes enlatados, vegetais, porque naquele país tudo que lá se come  é importado.  
.
Mas Portugal, de quando lá estive, já exportava umas pedras mármores para decorar palácios de príncipes... Numa das várias viagens que haja feito encontrei um artífice de Gondomar que em Riade e num palácio de um príncipe encrostava ouro nas casas de banho do palácio daquela realeza.
.
Hoje Portugal pouco ou quase nada tem para exportar para a Arábia Saudita, porque o país importa tudo do bom e do melhor que há de outros países da Ásia, Oriente, Europa e Estados Unidos.
.
Não tenhamos ilusões ou nos acreditarmos daquilo que a missão  anunciada pela RTP e as parcerias é apenas propaganda demagógica deste Governo que é o mesmo que tapar o sol com uma peneira que nos custa os olhos da cara estar a pagar viagens e hospedagens em hoteis de 5 estrelas, a membros do Governo e a jornalistas, nada baratos.
.
Para vendermos o pouco que temos (ou a presença de treinadores de futebol) não é necessário missões comerciais e diplomáticas a Riade  idas de Portugal, porque lá está um representante de Portugal que muito bem trata destes assuntos. 
.
Tempo será de se deixar de populismo à Paulo Portas e de outros que "pastam" à nossa conta em executivos de governos deste pobre país o nosso Portugal. 
.
Essa gente vendeu a alma ao diabo e são capazes de tudo menos o de fazer sacrificios... A tralha olha para si e o povo que vá colher urtigas.
José Martins 

KAOS:A guerra dos Titãs


jose socrates marcelo rebelo de sousa combate
A palhaçada continua com a luta dos comentadores. Hoje é o dia dos pesos pesados e à mesma hora vão estar o dito Engenheiro Sócrates e o Professor Marcelo, mas o mais certo é que sejam ambos derrotados porque o Benfica também joga a essa hora.
Podemos perguntar-nos porque começou este circo de comentadores. A resposta mais directa passa pela lutas das audiências, mas se fosse só isso seria triste mas inócuo.
O pior é que isto é a forma que o sistema encontrou para uma vez mais tentar controlar a pensamento público, fazer entretenimento e criar opinião. Quando parece evidente que  aquilo que faz falta é informação correcta e independente, que seja dada a voz a alternativas que possam mostrar uma saída para o estado em que o país se encontra, cria-se mais ruído, mais espectáculo e mais condicionamento.
Senão veja-se que alternativas nos apresentam. Fica este governo moribundo com Ministros contrariados e estamos lixados, o Sr. Silva nomeia um governo de Salvação Nacional que nem sequer foi sufragado em eleições que daqui a uns meses está pior que este ou convocam-se eleições que não vão trazer nenhuma solução.
O PS ganha sem maioria absoluta e continua a confusão mesmo que consiga convencer o Portas a coligar-se, os partidos mais à esquerda ganham mais um ou outro deputado mas acabam por ficar uma vez mais a berrar sozinhos contra o governo .
Na realidade a Troika e a Merkle continuam a governar e  criar pobreza todos os dias. É que a realidade é muito diferente daquilo que se vê e se ouve nas televisões. Quem realmente governa são os grandes grupos económicos e a banca, esse poder obscuro e oculto que vai impondo as suas leis.
Continuamos escravizados a uma dívida que inventaram e através da qual nos dominam. Era necessário que toda a verdades fosse revelada pois só conhecendo-a se poderiam encontrar soluções. Continuamos a combater ilusões e a realidade a fazer a sua obra de enriquecer ainda mais alguns à custa da miséria de milhões.

O PESO PESADO (DO FARDO) NO FUTURO À CABEÇA

.

Portugal: PASSOS ANUNCIA CORTES MAS NÃO DESVENDA MEDIDAS (ao minuto)



Passos Coelho falou ao país durante quase 20 minutos e anunciou mais austeridade. A seguir apresentamos a seleção ao minuto extraída do jornal Expresso. Ficou mais que evidente que Passos empurrou para o Tribunal Constitucional as responsabilidades do enorme fracasso da sua governação e que assim vai ter de implementar mais cortes e mais medidas austéras contra os portugueses. (PG)

Expresso

18h50 - "Nós portugueses não desistimos", diz Passos Coelho 
.
18h50 - Passos garante que o Governo está comprometido com o cumprimento do programa de assistência. 
.
18h49 - "Mais do que nunca a situação não se compadece com demagogias" 
.
18h48 - "Nas próximas semanas teremos de proceder ao estudo de novas medidas. E o governo está receptível a todas as medidas que possam ser apresentadas e fundamentadas" 
.
18h48 - Passos diz que reduzir a despesa pública não "vai ser um exercício fácil". 
.
18h47 - "Para compensar o desequilíbrio teremos de pôr em prática medidas de contenção na despesa pública como na saúde e segurança social" 
.
18h46 - "O Governo não aceita aumentar mais os impostos que seria a solução do Tribunal Constitucional" 
.
18h45 - O primeiro-ministro diz que vai evitar um segundo resgate.
.
18h44 - Passos diz que é a vida do país que fica mais difícil depois da decisão do TC 
.
18h43 - "O Governo enfrentará lado a lado com os portugueses todas as dificuldades." 
.
18h42 - Passos acusa TC de não permitir terminar a sétima avalização da troika 
.
18h41 - "Torna problemática a consolidação orçamental para os próximos anos", diz Passos sobre o TC 
.
18h41 - Passos diz que a decisão do TC coloca problemas sérios à execução de 2013 
.
18h40 - O primeiro-ministro diz que acórdão do Tribunal Constitucional traz instabilidade 
.
18h39 - Passos diz que a decisão do Tribunal Constitucional foi tornada pública antes de um momento decisivo de negociação com os parceiros europeus. 
.
18h38 - "O Governo discorda do entendimento do Tribunal Constitucional e o Governo não está sozinho. Muitos constitucionalistas concordam connosco" 
.
18h38 - Depois do primeiro chumbo do Tribunal Constitucional, em 2012, Passos diz que o Governo teve de seguir um caminho que não queria. 
.
18h37 - O primeiro-ministro diz que nunca negou que o caminho era estreito. "Tivemos de fazer escolhas que nenhum governo gosta de fazer". 
.
18h36 - Passos diz, que ao longo do último ano, Portugal foi recuperando a credibilidade perdida 
.
18h35 - "Só podíamos ser ajudados no exterior se nos ajudássemos no interior" 
.
18h34 - O primeiro-ministro diz que o Governo sempre teve a consciência que tinha de agir no plano interno, para garantir o sucesso no plano externo. 
.
18h33 - Passos diz que só ultrapassamos a crise se recuperarmos a credibilidade. "Foi isso que fizemos nestes últimos 22 meses" 
.
18h32 - "Hoje ainda não ultrapassamos a emergência financeira que nos trouxe a dolorosa crise" 
.
18h31 - Passos Coelho prepara-se para falar

O TURISTA AFIA A DENTUÇA!


O "gajinho" de momento na bué na Arábia Saudita...

ISTO É A TAILÂNDIA!

 Senhoras, senhores, meus meninos e cãezinhos está aqui o circo canino!

 
Seguem os artistas

Salazar, a pobreza, o pó e o ouro


.

NEGÓCIOS


OPINIÃO


Os portugueses iludiram-se culturalmente: julgaram que o dinheiro fácil que chegou durante três décadas comprava a solidez da educação e o espírito da invenção e inovação. E do risco. É uma tónica portuguesa: prefere-se a renda ao risco. O resultado está à vista.


Em 1962, António Oliveira Salazar sintetizou de forma clara a visão que tinha do seu Portugal: "Um país, um povo que tiverem a coragem de ser pobres são invencíveis". Este mundo pobre, ou remediado, acabou após a entrada na União Europeia.
Em cima da nossa pobreza caíram toneladas de dinheiro. O país ficou sulcado por auto-estradas e rotundas. As mercearias de bairro fecharam e nasceram hipermercados. Os portugueses passaram a preferir ir passear para os centros comerciais do que para os jardins. A democracia de consumo chegou como se fosse um milagre redentor. 

Todos acharam que faziam parte da classe média, alimentada pelo crédito fácil. O paraíso tinha também construído na sombra o purgatório, feito de cumplicidades: do BPNà Parque Escolar foi um mundo de oportunidades de "negócio" para muitos. Deixando de ter a coragem de ser remediado o povo português tornou-se uma presa fácil de uma crise que não percebesse.

Destruída a base industrial, agrícola e piscatória do país,com fundos comunitários para abater tudo isso e trazer a "modernidade", Portugal ficou indefeso quando chegou a grande crise de 2008. Já antes era visível mas todos se recusavam a ver: o Estado continuava a ser a mãe de todas as batalhas e de todas as rendas. A própria sociedade civil e iniciativa privada viviam de bem com o Estado, fosse ele guiado pelo PS ou pelo PSD. A mais breve nota de suicídio da história portuguesa foi escrita por José Sócrates, o último da linhagem de destruidores de um país que poderia ser remediado mas inteligente.


Tudo se desvaneceu no ar. O crédito fácil foi substituído pela amarga austeridade. António de Oliveira Salazar, em 1963, dizia: "Quero este país pobre, se for necessário, mas independente - e não o quero colonizado pelo capital americano". A colonização é hoje exercida pela Comissão Europeiae pela troika, numa Europa que parece cada vez mais dividida cultural e moralmente, entre um norte protestante e um sul católico. A moral calvinista é uma forma demolidora de salvação (salvamo-nos pelo trabalho), face à forma como se perdoam os pecados, no confessionário, a sul. 

Tudo nos divide. A forma como os protestantes criaram o capitalismo moderno enquanto nós víamos as naus carregadas de pimenta e ouro irem directas para Amesterdão e Londres para pagar os nossos prazeres ao sol diz muito do que são formas diferentes de olhar para a civilização. 

Mas, ainda assim, os portugueses iludiram-se culturalmente: julgaram que o dinheiro fácil que chegou durante três décadas comprava a solidez da educação e o espírito da invenção e inovação. E do risco. É uma tónica portuguesa: prefere-se a renda ao risco. O regime atolou-se e o BPN representa-o perfeitamente nas suas ligações pouco transparentes a tudo e a todos. Se quisermos estudar este regime estudemos o BPN. Antes e depois da nacionalização. Está lá tudo o que se andou a fazer desde a entrada na União Europeia.

Maquilhou-se a pobreza com um falso riquismo que só encheu os bolsos e a estima de alguns. Que hoje vivem acima dos dramas dos comuns portugueses que só acreditaram no cartão de crédito, na casa acima das suas possibilidades, nas férias nos "resorts" mais aprazíveis, no carro do último modelo e no telemóvel 3G. Esse mundo ruiu para a maioria. Mas na sombra da crise há quem continue a viver de rendas, escudado nos invencíveis contratos com que o Estado prometeu dar tudo sem receber nada. Voltamos assim aos anos de 1960, como se tudo não tivesse passado de uma ilusão.
 Com uma diferença:
 Em Agosto de 1968, Oliveira Salazar dizia:"No dia em que eu abandonar o poder, quem voltar os meus bolsos do avesso, só encontrará pó". Hoje, nos bolsos dealguns que nasceram, cresceram e singraram com este regime, só se encontrará ouro.

KAOS:A meretriz que pariu este governo



cavaco silva passos coelho mae protetora
«O Presidente da República reitera o entendimento de que o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido», pode ler-se num breve comunicado divulgado apenas no site da Presidência da República.
Este foi um governo inventado pela Múmia Silva e por isso as consequências só podiam ser as que são; uma bosta. Não lhe interessavam quem nem a idoneidade, nem a competência, só a vingança. Estas são as consequências e agora a única solução que lhe resta é avançar mesmo sabendo que à frente só existe o vazio e a desgraça. É tarde para tentar um governo de salvação nacional  e eleições só vão deixar o país nas mãos de um incompetente Seguro sem maioria absoluta.
Parece evidente que foi o próprio governo que cavou a sua sepultura ao basear o orçamento em normas que todos e até ele sabia serem inconstitucionais e o Presidente, que se viu forçado a pedir a sua constitucionalidade, não sabe agora o que fazer. O Cavaco tem sido um cancro para este país e é grande a sua culpa ao estado a que este país chegou económica e politicamente. Se tivesse alguma réstia de dignidade demitia-se. Tenho vergonha de ver aquele Palácio em Belém ocupado por tal personagem.

A BESTA QUADRADA (DIZEM-ME) ESTAR EM TIMOR-LESTE




Aviso aos meus ex-colegas da embaixada e consulado de Portugal em Timor-Leste: "O cavalheiro da imagem é completamente doido e de quando em quando é acometido de crise de loucura. Terão de ter cuidado com o  ´doido´, porém a paciência tem limites.... É um incompetente, não sabe fazer nada de nada. Nunca entendemos como foi possível, um louco, ter sido inserido na diplomacia portuguesa. Eu e mais outros funcionários na embaixada de Portugal em Banguecoque fomos ofendidos pelo "doido", apoiado por dois chefes de missão (não eram doidos) mas uns verbos de encher daqueles que só conseguem  estar na vida "chulando" o dinheiro do contribuinte.
José Martins

A VAMPIRAGEM ESTÁ NA IMAGEM

 

OS PORTUGUESES JÁ ROUBAM PARA COMER



Carolina Reis – Expresso, opinião

Disseram-nos que íamos ter de empobrecer. E eis que está aí mais uma prova do "necessário empobrecimento" da população: os alimentos subiram para segundo lugar na lista dos bens mais roubados em supermercados.

Quando li estes dados revelados pela PSP lembrei-me de uma cena que vi no Brasil em 2007. Uma criança descalça mendigava à porta de um supermercado, numa zona de edifícios com porteiro e segurança, que lhe comprassem uma lata de leite para poder dar à irmã mais nova.

A maior parte das pessoas passava sem parar. Outras diziam que "ele" não tinha nada que pedir, que só queria a lata de leite para ir vender e "ganhar" dinheiro para comprar rebuçados.

Comprei-lhe a lata e mais algumas coisas. Pensei nunca me ia ter de deparar com uma cena destas em Portugal. Igual ainda não me aconteceu, mas já tive outras muito próximas.

É Portugal a aproximar-se da meta dos países menos desenvolvidos. 

LEMBRETE DE 7.4.2013


Não esquecer, hoje, de ligar para a RTP...Este "gajo" vai vomitar merda.

NÃO FOI O PAULINHO À ARÁBIA SAUDITA FOI O MACEDO....


.
À MARGEM: A "gajada" continua nos passeios e nos lobies que até levam, com eles, jornalista e operador de camara da RTP que nos custa os olhos da cara.... Pouco mais a Arábia Saudita nos compra do que umas cortiças, granitos e mármores, para construção de palácios. Quando a Arábia Saudita nos poderia comprar imenso foi na década setenta e oitenta do século passado. Porém os nossos políticos preocupavam-se com outros assuntos do que alicerçarem a economia portuguesa. Nessa altura nós estavamos lá a trabalhar e no duro e quem nos representava, diplomaticamente, eram os nossos vizinhos espanhois. Esta gajada continua a usar propaganda, de gabinete, para fazer turismo. - José Martins
Ministro da Saúde, Paulo Macedo, substitui Paulo Portas em missão empresarial à Arábia Saudita

No lugar de Paulo Portas

Macedo lidera missão empresarial à Arábia Saudita

por LusaOntem13 comentários
Ministro da Saúde, Paulo Macedo, substitui Paulo Portas em missão empresarial à Arábia Saudita Fotografia © Leonardo Negrão -Global Imagens

As exportações portuguesas de bens para a Arábia Saudita subiram 42,8% no ano passado face a 2011, para 132,7 milhões de euros, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em igual período, as importações de bens sauditas recuaram 2,6% para 890,2 milhões de euros, com um saldo da balança comercial negativo em 757,5 milhões de euros.

Uma comitiva de 53 empresários, liderada pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo, que substitui Paulo Portas, que cancelou a visita devido à decisão do Tribunal Constitucional, e incluindo o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Pedro Reis, inicia hoje uma visita de dois dias à Arábia Saudita.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, que tutela a diplomacia económica, cancelou a sua presença na visita à Arábia Saudita "face à perspetiva de uma decisão do Tribunal Constitucional" sobre o Orçamento do Estado, disse à Lusa o porta-voz do ministério.

No ano passado, a Arábia Saudita ocupava o 34.º lugar como cliente de Portugal e o 13.º como fornecedor do mercado português.

Em 2011, Portugal tinha 273 empresas a exportar para a Arábia Saudita, mais 40 que no ano anterior, enquanto os operadores económicos a importar ascendiam a 53, mais 11 que em 2010.

As capas dos jornais e as principais notícias de Domingo, 7 de Abril de 2013.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Almada: despiste faz ferido grave
Messines: incêndio em canavial
M. Corvo: pescador desaparece
M. Canaveses: carro cai ao rio
V. Conde: fuga de gás em depósito
S. Cacém: roubam ouro em casa
Moçambique: novo ataque mortal

Capa do Público Público

Barcelona imita o Real Madrid
Seguro insiste que “a saída é com novas eleições”
Sorteio do Totoloto (28º/2013)
Sindicatos espanhóis citam Portugal para exigir devolução de subsídios
O Sporting está a especializar-se em finais impróprios para cardíacos
Passos Coelho deve remodelar Governo e renegociar com a troika, diz Marques Mendes
Passos faz declaração ao país no domingo, às 18h30

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Habemus governum
Não sabemos o que fazer? Alargamos
Jovens turistas irlandeses identificados pela PSP
Mergulhadores procuram homem no rio Ceira
Quatro bombeiros feridos em formação
GNR ferido com gravidade em despiste na A1
Mais de 30 estradas cortadas devido ao mau rempo

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

NASA planeia rebocar asteroide para a órbita da Lua
Meia hora para tirar alguns bens essenciais das casas
Se ligar para o tribunal atendem na salsicharia
Dificuldades acrescidas para Gaspar
Passos chama Cavaco à responsabilidade
O som das letras e a escrita (I)
Conheça a chave do Totoloto

Capa do i i

Bruno de Carvalho anuncia passagem da barreira dos 100 mil sócios do Sporting
OE2013. "Quem está em estado de choque são os portugueses”, diz Seguro
Federação aguarda "com serenidade" deliberações da AG da Liga sobre alargamento
Jorge Jesus diz que Benfica está no melhor momento da época
Exposição de Joana Vasconcelos recebeu 20 mil visitantes em duas semanas
OE 2013. Decisão do Tribunal Constitucional é "boa ajuda" à economia, diz Vasco Cordeiro
"Perdeu-se um romântico da RTP" com a morte de Luís Andrade, afirma Júlio Isidro

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Seguro: "Quem está em estado de choque são os portugueses"
Braga de Macedo diz que decisão do TC "foi uma surpresa", mas Governo deve manter-se
PCP disponível para participar num novo governo de esquerda
Sindicatos espanhóis citam Portugal para exigir devolução de subsídio
Ministério Público brasileiro investiga denúncias que implicam Lula da Silva e a Portugal Telecom
Itália paga 40 mil milhões de euros aos seus fornecedores para relançar a economia
Cavaco diz que Governo "dispõe de condições para cumprir o mandato" após reunião com Passos e Gaspar

Capa do A Bola A Bola

Saiba o que Jesualdo Ferreira pensa sobre o alargamento do campeonato
«É-me indiferente que o presidente esteja no banco» - Schaars
Kardec só será negociado no final da época, afirma empresário
«Nota-se que Viola é um grande jogador mas...» - Jesualdo Ferreira
«Benfica é uma equipa muito forte mas vamos discutir o resultado» - Schaars
«Mais importante do que os três pontos, foi a recuperação de Abidal» - Jordi Roura
Veja como Kiki Vidis, atriz pornográfica, festejou o título do Bayern Munique

Capa do Record Record

NHL: Ribeiro e Ovechkin recolocam Caps na rota do playoff
João Moutinho reforça a Gestifute
Domínio estrangeiro em Quarteira
Baldé rende 900 mil
Tottenham sem Bale procura nova vitória
Seleção discute promoção
Castigo estratégico

Capa do O Jogo O Jogo

Nice sobe lugares na Ligue 1
A 52ª pole do campeão Lorenzo
João Vieira e a russa Elena Lashmanova vencem em Rio Maior
"Existe um estímulo de raiva"
Ouro e prata para Miguel Nascimento
Ney e Pedro Queirós convocados
"O meu futuro não é importante"