Translator

domingo, 14 de abril de 2013

UMA DE 5 ESTRELAS DO COLEGA "O CANTIGUEIRO"


Segunda-feira, 15 de Abril de 2013

Matam-se já estes...


Matam-se já estes... que são os que se mexem menos e não podem ir a lado nenhum! - parecem dizer os “governantes” que o capitalismo selvagem encarregou de cuidar dos seus negócios em Portugal.
Pode até ser que, ao de leve, muito ao de leve, eventualmente... os interesses dos multimilionários, dos especuladores, dos lavadores de dinheiro, dos que fogem com milhões para paraísos fiscais, sejam tocados, simbolicamente, um dia destes... vamos a ver...
Pode ser... mas o facto de, para além das malfeitorias que por aí vêm para “contornar” (termo mais acanalhado!) o chumbo do TC, a primeira medida que saiu das cabeças de “Gaspar, Passos & Cia. Lda.” ser o roubo de (mais) uma parte dos magros subsídios devidos aos trabalhadores desempregados e aos doentes, mostra bem o calibre de canalhas com que temos que nos bater.
Como se não bastasse, depois ainda tenho que dar “explicações” a uns maduros que ficam chocados e com dói-dói se eu aqui chamar filhos da outra... a estes grandecíssimos e alternadíssimos filhos da dita!

PRONTO O PAULINHO DAS FEIRAS A ROER A CORDA...!!!


Nunca se sabe para onde este "gaginho" está virado.... O Coelho que se cuide!

Política - Portas garante que explicou a Passos Coelho os porquês da ausência 14 Abr, 2013Portas garante que explicou a Passos Coelho os porquês da ausência


KAOS:Abrir os portões do inferno




Temos de ser capazes de responder com maior celeridade. Quem investe não tem tempo a perder”, disse o ministro Paulo Portas, depois de lembrar que o projecto turístico Comporta Dunes começou a ser pensado em 2005 e que só agora, em 2013, vai iniciar a fase de construção. 
Paulo Portas falava na cerimónia de assinatura do contrato de investimento entre a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e a RioForte, do grupo Espírito Santo, para a construção do empreendimento turístico Comporta Dunes, no concelho de Grândola.

Todos sabemos que a lentidão da burocracia trava muitos investimentos e faz desesperar muita gente. Agilizar é importante, mas há que ter muito cuidado. é que agilizar não pode ser sinónimo de desregulamentar. 
Custa a acreditar que os Santinhos do Espírito Santo tenham demorado todos estes anos a conseguir a autorização se não houvesse muita lei que tivesse de ser furada, ultrapassada. É que estamos a falar de uma zona protegida e os Espíritos são tudo menos anjinhos. 
Quem ouviu o Paulo Portas falar em voz bem alta como se estivesse num comício em frente àqueles engravatados todos não pode ter ficado com dúvidas. 
O que ele ali defendia é que é necessário desregulamentar, abrir as pernas ao dinheiro, simplificar a vida aos poderosos à custa das regras e dos processos de defesa do ambiente e da natureza. 
Lucro é a palavra chave e tudo o resto é paisagem. Foi a desregulamentação no sistema bancário que criou a crise económica e é a desregulamentação na defesa do ambiente que vai permitir a sua destruição em nome do lucro de alguns. 
Já se conhece bem o respeito que o Sr. Portas tem pela legalidade e pelo ambiente quando foi ministro noutros governos como aconteceu no caso dos Sobreiros em que só por acaso o parceiro envolvido também era o Espírito Santo.

A CULTURA DO RABO




KAOS:Gente sem vergonha


vitor gaspar the unfair gaspar
Os doentes e os desempregados vão ser os primeiros a sofrer pelas más contas do Governo, que previa 1300 milhões de euros em receitas inconstitucionais. Na reunião do Ecofin, o ministro das Finanças terá apresentado aos congéneres europeus uma solução que passa, em primeira instância, por cortes nos cerca de 419.360 beneficiários de subsídios de desemprego e dos 94.840 beneficiários de subsídios de doença.
Vivemos numa sociedade onde é considerado bom ser-se bem educado. Em principio concordo que não devemos andar por aí a chamar nomes aos outros, mas há momentos em que a indignação se torna tão grande, que o nojo por certas pessoas se torna tão enjoativo que ser bem educado é mandá-los à merda. É que ser-se um filho-da-puta tem limites.
Fazem merda, lixam tudo, pior sabem que estão  a fazer merda, sabem que estão a lixar tudo e no fim ainda se vingam e descarregam sobre os mais fracos e os que já vivem em desespero.
Estes bandalhos apresentam um orçamento carregado de inconstitucionalidades, acabam a culpar o Tribunal por chumbar essas normas e como retaliação vão bater nos mais fracos, nos que estão mais desprotegidos e com menor capacidade de retaliar, os que vivem na agonia do desemprego ou na doença.
Em nenhum momento mostraram a mínima vontade de encontrar receitas ou cortar despesas com bancos, PPP's, assessores, auditorias ou pareceres. Em nenhum momento se lembraram de olhar para onde o dinheiro não falta.
Não, é com os que já vivem no limite da vida, nos que mais necessitam do apoio. É nesses que cortam. Filhos-da puta