Translator

domingo, 21 de abril de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 22 de Abril de 2013.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Renovação à vista
Silves: sem sinal de desaparecido
Tempo: frio regressa no sábado
Matosinhos: barricado no quarto
Felgueiras: resgatam cavalo
Gaia: noivos retirados do mar
M. Velho: macaco foge de zoo

Capa do Público Público

Polícia de Boston acredita que irmãos planeavam outros ataques
Elogios de Jorge Jesus ao Sporting e críticas de Jesualdo Ferreira à arbitragem
Menina de cinco anos violada na Índia está a recuperar
Uma final a menos
Nápoles ganha, AS Roma empata em casa com o “lanterna vermelha”
Financiamento de risco na Metro do Porto provocou remodelação governamental
Direito vence no Restelo e garante presença na final

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Homem de 73 anos barricado dentro de quarto
O Silva seria um grande candidato
"Pai de Álvaro Cunhal foi o professor que me marcou"
Portugal e Espanha fazem 1º simulacro de incêndio florestal
Portugal tem 446 desfibrilhadores automáticos externos
CDU reivindicou barreiras acústicas na Prelada
GNR deteve 73 condutores no sábado

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Dzhokar Tsarnaev responde por escrito às questões dos investigadores
Hospital de portas e janelas fechadas por causa das abelhas
Mágico do Porto triunfa em Hollywood
Fotos de casamento quase dão em tragédia
Suportou anos de violência e viveu na rua mas aprendeu a ler e quer escrever um livro
Isabel Figueira radiante com bebé Francisco Maria
Jesualdo Ferreira: "Houve alguma falta de coerência" do árbitro

Capa do i i

Frederico Morais e Teresa Bonvalot vencem Sumol Porto Pro
UGT. BE vê com “muito bons olhos” discurso de “unidade sindical”
Bebé chinês recebe o nome de “Nascida no dia do terramoto”
CDS-PP afirma “identificação clara” com ideias da UGT
Seguro elogia discurso “cheio de convicções” de Carlos Silva
Militares recebem com surpresa e preocupação nomeação de Berta Cabral
O cluster informal de cooperação portuguesa em Pemba – à mesa do Carlos Gomes

Capa do Diário Económico Diário Económico

Economia, levanta-te e anda
Como os bancos centrais venceram a deflação
Um presente envenenado do Eurogrupo
“Swaps” das empresas públicas provocam baixas no Governo
“Nunca, na minha vida, assisti a um momento tão preocupante do país”
PS diz que abertura do Eurogrupo retira margem ao Governo
Zon e Optimus pede à Concorrência rapidez na decisão

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Proprietários acusam Fisco de cobrar duas vezes o mesmo imposto
Só na Grécia o número de desencorajados aumentou mais que em Portugal
Retrato do crédito às PME
Crise do mercado de carbono ameaça receitas do Fundo
Fundo de Carbono corta em todos os gastos menos na comissão de gestão
Inter-Risco toma capital da Mecwide e constrói fábrica em Moçambique
Lisboa e Loures são os concelhos com mais professores 'dispensáveis'

Capa do Oje Oje

Kimberly-Clark revê em alta estimativa para 2013
Guilherme d'Oliveira Martins defende imposto imediato sobre as PPP
Estaleiros de Viana devolvem 180 milhões ou fecham, avisa Aguiar-Branco
Execução do PRODER ultrapassa pela 1.ª vez média europeia, diz Governo
Fitch baixa rating do Reino Unido
Preço dos combustíveis deverá continuar a descer
Grécia aprova plano do Piraeus para comprar banco do BCP

Capa do Destak Destak

Ministro sul-coreano cancela visita ao Japão devido a disputa histórica
Sentença de anestesista conhecida hoje em Mirandela
Nove pessoas sequestradas após aterragem de emergência de helicóptero turco no Afeganistão
Mais de 2.000 réplicas em dois dias
Mário Lino fica hoje a saber se vai a julgamento por falsas declarações
Dezoito mortos e 12 feridos em explosão em mina no nordeste da China
Grupo de socialistas quer eleição do líder do PS aberta a simpatizantes

Capa do A Bola A Bola

Bessa prestou tributo a Petit
Clube leva quatro à escola
Chaves-Ribeirão: Luta pela subida vai ser emotiva
Helton e James para analisar
Luisão agradece apoio dos adeptos
Eric Dier sem fratura
«É cedo para começar a falar no título» - Bento Kangamba

Capa do Record Record

Empate entre leões e águias
Mais dois "carrascos" na lista de Rui Patrício
Espiões inundam bancada da Luz
Ambiente de festa na Luz
Pepe pede mais sorte frente ao B. Dortmund
A classe de Gaitán mesmo a "dormir"
Rafael Benítez não esquece Hillsborough

Capa do O Jogo O Jogo

Suárez pede desculpa a Ivanovic
Benfica vence e fica mais perto do título
Um dos lances que o Sporting reclama
Nem o Milan consegue travar a Juventus
Falcao marca a Beto e Atlético vence
Cheira a título em Paris
"Errar é humano, mas sempre para o mesmo lado..."

QUE CARALHO DE MERDA DE PAÍS É ESTE?



ANGOLA

Tenho muita pena dos portugeses que para a merda de país seguem para governar a bastarda da vida....
Que raio de paz é essa?

FOTO DO DIA: "ABRAÇO E NARIZES"


Na hora da despedida
Tiago Petinga/ Lusa
O ministro da Economia cumprimenta com um efusivo abraço o secretário-geral da UGT, no dia em que João Proença se prepara para deixar a liderança da central. Álvaro Santos Pereira (à direita) esteve na abertura do XII Congresso da UGT, em Lisboa, onde deixou fortes elogios ao sindicalista.

PARABÉNS À BERTA CABRAL



A ex-líder do PSD Açores,derrotada nas últimas eleições do arquipélago, era atualmente deputada regional.

A Frase - O reverso da medalha do Paulinho


O Paulinho pode com isto (o descrito abaixo) considerar-se o político "buraco". O Paulinho que se vá encher de moscas porque agora, já na merda, não há mais velhos/as para enganar e beijar!!!...


"Passos Coelho sabe que Portas sabe que está amarrado ao Governo e está a fazê-lo pagar o episódio da TSU, desconsiderações passadas e outras mais recentes. Portas teve a oportunidade de sair do Governo (e ele sabia, e sabe, que o caminho estava errado) e conservar capital político, agora é tarde. Vai ser humilhado até ao fim por Passos Coelho e depois vai sofrer uma hecatombe eleitoral. Há horas infelizes."
Pedro Marques Lopes, Diário de Notícias

Maçonaria, politica e banca, uma história sem fim e sem limites.


Miguel Sousa Tavares, desvenda alguns esquemas entre a banca, a maçonaria e a politica. O descaramento é característica mais marcante dos intervenientes. Na falta de justiça, Miguel Sousa Tavares, propõe que pelo, menos através do conhecimento público, esta passe a ser uma história julgada, por todos, pela falta de vergonha. O artigo é de 2007, mas a falta de vergonha, o compadrio, o abuso, a maçonaria, etc... continuam por esse país fora, devastadores e bem actuais. E infelizmente, ainda desconhecidos por milhões de portugueses.
.
"Em países onde o capitalismo, as leis da concorrência e a seriedade do negócio bancário são levados sério a inacreditável história do BCP já teria levado a prisões e a um escândalo público de todo o tamanho. Em Portugal, como tudo, vai acabar sem responsáveis e sem responsabilidades, convém recordar os principais momentos deste "case study", para que ao menos a falta de vergonha não passe impune.
.
1-Até ao 25 de Abril, o negócio bancário em Portugal obedecia a regras simples: cada grande família, intimamente ligada ao regime, tinha o seu banco. Os bancos tinham um só dono ou uma só família como dono e sustentavam os demais negócios do respectivo grupo.  Jardim Gonçalves veio revolucionar isso, com a criação do BCP e, mais tarde, da Nova Rede, onde as pessoas passaram a ser tratadas como clientes e recebidas por profissionais do ofício. (...)
 .
2 - (...)o BCP foi crescendo, crescendo, até se tornar o maior banco privado português, apenas atrás do único banco público, a Caixa Geral de Depósitos. E, de cada vez que crescia, era necessário um aumento de capital. E, em cada aumento de capital, era necessário evitar que algum accionista individual ganhasse tanta dimensão que pudesse passar a interferir na gestão do banco. Para tal, o BCP começou a fazer coisas pouco recomendáveis: aos pequenos depositantes, que lhe tinham confiado as suas poupanças para gestão, o BCP tratava de lhes comprar, sem os consultar, acções do próprio banco nos aumentos de capital, deixando-os depois desamparados perante as perdas em bolsa; aos grandes depositantes e amigos dos gestores, abria-lhes créditos de milhões em "off-shores" para comprarem acções do banco, cobrindo-lhes, em caso de necessidade, os prejuízos do investimento.
Desta forma exemplar, o banco financiou o seu crescimento com o pêlo do próprio cão - aliás, com o dinheiro dos depositantes - e subtraiu ao Estado uma fortuna em lucros não declarados para impostos. Ano após ano, também o próprio BCP declarava lucros astronómicos, pelos quais pagava menos de impostos do que os porteiros do banco pagavam de IRS em percentagem. E, enquanto isso, aqueles que lhe tinham confiado as suas pequenas ou médias poupanças viam-nas sistematicamente estagnadas ou até diminuídas e, de seis em seis meses, recebiam uma carta-circular do engenheiro a explicar que os mercados estavam muito mal.
.
3 - Depois, e seguindo a velha profecia marxista, o BCP quis crescer ainda mais e engolir o BPI. Não conseguiu, mas, no processo, o engenheiro trucidou o sucessor que ele próprio havia escolhido, mostrando que a tímida "renovação" anunciada não passava de uma farsa. E descobriu-se ainda uma outra coisa extraordinária e que se diria impossível: que o BCP e o BPI tinham participações cruzadas, ao ponto de hoje o BPI deter 8% do capital do BCP e, como maior accionista individual, ter-se tornado determinante no processo de escolha da nova administração... do concorrente! Como se fosse a coisa mais natural do mundo, o presidente do BPI dá uma conferência de imprensa a explicar quem deve integrar a nova administração do banco que o quis opar e com o qual é suposto concorrer no mercado, todos os dias...
 .
4 - Instalada entretanto a guerra interna, entra em cena o notável comendador Berardo - o homem que mais riqueza acumula e menos produz no país - protegido de Sócrates, que lhe deu um museu do Estado para ele armazenar a sua colecção de arte privada. Mas, verdade se diga, as brasas espalhadas por Berardo tiveram o mérito de revelar segredos ocultos e inconfessáveis daquela casa. E assim ficámos a saber que o filho do engenheiro fora financiado em milhões para um negócio de vão de escada, e perdoado em milhões quando o negócio inevitavelmente foi por água abaixo. E que havia também amigos do engenheiro e da administração, gente que se prestara ao esquema das "off-shores", que igualmente viam os seus créditos malparados serem perdoados e esquecidos por acto de favor pessoal.
 .
5- E foi quando, lá do fundo do sono dos justos onde dormia tranquilo, acorda inesperadamente o governador do Banco de Portugal e resolve dizer que já bastava: aquela gente não podia continuar a dirigir o banco, sob pena de acontecer alguma coisa de mais grave - como, por exemplo, a própria falência, a prazo.
 .
6- Reúnem-se, então, as seguintes personalidades de eleição: o comendador Berardo, o presidente de uma empresa pública com participação no BCP e ele próprio ex-ministro de um governo PSD e da confiança pessoal de Sócrates, mais, ao que consta, alguém em representação do doutor "honoris causa" Stanley Ho - a quem tantos socialistas tanto devem e vice-versa. E, entre todos, congeminam um "take over" sobre a administração do BCP, com o "agréement" do dr. Fernando Ulrich, do BPI. E olhando para o panorama perturbante a que se tinha chegado, a juntar ao súbito despertar do dr. Vítor Constâncio, acharam todos avisado entregar o BCP ao PS. Para que não restassem dúvidas das suas boas intenções, até concordaram em que a vice-presidência fosse entregue ao sr. Armando Vara (que também usa 'dr.') - esse expoente político e bancário que o país inteiro conhece e respeita.
.
7- E eis como um banco, que era tão independente que fazia tremer os governos, desagua nos braços cândidos de um partido político - e logo o do Governo. E eis como um banco, que era tão cristão, tão "opus dei", tão boas famílias, acaba na esfera dessa curiosa seita do avental, a que chamam maçonaria.
opus dei maçonaria politica .
8- E, revelada a trama em todo o seu esplendor, que faz o líder da oposição?Pede em troca, para o seu partido, a Caixa Geral de Depósitos, o banco público.Pede e vai receber, porque há 'matérias de regime' que mesmo um governo com maioria absoluta no parlamento não se atreve a pôr em causa.Um governo inteligente, em Portugal, sabe que nunca pode abocanhar o bolo todo. Sob pena de os escândalos começarem a rolar na praça pública, não pode haver durante muito tempo um pequeno exército de desempregados da Grande Família do Bloco Central.
.
Se alguém me tivesse contado esta história, eu não teria acreditado. Mas vemos, ouvimos e lemos. E foi tal e qual." fonte

KAOS:O Feiticeiro de Gzpar




PERIGOSO - VITOR GASPAR


Clique em baixo para ler a totalidade da peça

PORTUGAL É A SÉTIMA ECONOMIA MAIS LENTA DO MUNDO – com opinião PG



João Silvestre - Expresso

Austeridade e recessão na zona euro no vermelho são mistura explosiva para o desempenho económico português nos próximos anos.

PAX - Mia Couto - PAX


Partilhas de Camarada amigos, ex-combatentes para quem queira apreciar....
A b r a ço
Sempre p'ra frente!
Adalino Cabral, U.S.A.
 .

 Me m o r a n d u m
João-Luís de Medeiros
Breve comentário sobre o conto
“A FOGUEIRA”
(da autoria de Mia Couto)
 
. 

Na sua síntese contista, o autor de “A Fogueira”
alerta-nos outra vez para o estafado desafio do envelhecimento humano. No caso vertente, os personagens do conto são manifestamente restos de
gente: saldo humano para liquidação no mercado da servidão; vítimas do desgaste  “dos caminhos idosos e dos tempos caminhados”
.
O país moçambicano é aqui retratado como uma terra riquíssima de pobres; e a  africanidade é um doer ancestral que continua a latejar sob a pele seca da alma  adiada da “negritude” politicamente correcta. Claro que a opacidade psicológica das várias etnias não deve ser apressadamente confundida com a indigência espiritual  patente nalgumas das exterioridades folclóricas de um povo oprimido pelo  cruzados do “branqueamento” colonial…
.
No decorrer do lancinante diálogo entre o casal de idosos recriado pelo imparável  talento de Mia Couto, o leitor pode precogitar os ecos da fala dos espíritos e escutar  os queixumes da ancestralidade que brota do húmus da floresta; e pode ainda entender  (imagino o leitor prevenido e sensível) a convivência serena entre os diferentes “falares” da natureza tropical canonizada pelo zelo apostólico euro-cêntrico.
.
No tempo em que a pujança da juventude ainda fazia parte do ar que respirava, com os filhos ligados ao cordão umbilical da sobrevivência, o chefe da familia pastorava o  gado; ela cuidava da “machamba”, da panela do arroz, e da mandioca nas brasas. Curiosamente, Mia Couto não se esquece de dar notícias indirectas da fase dionísica  da existência daqueles velhos que nunca ficam antigos!
.
O escritor prossegue viagem pela ladeira semântica duma linguagem  vivíssima, saltando de palmeira em palmeira da palavra: coexistência da “fala” mucéquica com o delírio narrativo. Constata-se, assim, nesta colectânea de contos,  um clima verbal afoito, porventura solidário na sua complementaridade semântica  entre o discurso narrativo e o linguajar “crioulo” dos personage, como por  exemplo: “ … todo o silêncio ficou calado para ela  escutar…” ou, mais adiante, quando o escritor coloca nos lábios da velha uma  expressão do coloquialismo indígena, que só o ouvido atento do artista sensível é  capaz de registar: “ somos pobres, não temos nadas”...
.
Repare-se na inocente rebeldia do velho, no dia em que as chuvas chegaram,  dizendo: “as nuvens e os céus são amaldiçoados”... Mais: o autor do conto não  mastiga a estafada temática da felicidade; nem faz referências psico-turísticas ao hedonismo exótico, tipo chocolate tropical para gáudio do saudosismo eurocêntrico.  Mia Couto quase se esfuma no seu discurso: “neste deserto solitário, a morte é um simples deslizar, um recolher de asas.”
.
Um último pormenor àcerca do significado da “pá” e da “fogueira”, ambas como  peças do realismo simbólico desenhado pelo contista: a “pá” talvez seja a chave misteriosa da cancela do céu; a “fogueira”, pode ser a silhueta mágica que nos  traz notícias da proximidade do sol “amigos dos heróis” – sim, o Sol eterno capaz  de dissipar a mais espessa escuridade que paira por sobre a curva terrenha da transmigrante cruzada da humanidade...
University of Massachusetts, Dartmouth, MA
(Dept. of Humanities & Social Sciences)
May, 1995

P.S. – Quando em Dezembro/1963 desembarcámos em Moçambique, o futuro escritor, Mia Couto, contava apenas
8 anos de idade...//...
  http://www.youtube.com/watch?v=ufL85FJAgZQ

 
O PAÍS DO QUEIXA-ANDAR

A Porta 

Era uma vez uma porta que, em Moçambique, abria para Moçambique. Junto da  porta havia um porteiro. Chegou um indiano moçambicano e pediu para passar.  O porteiro escutou vozes dizendo:
Não abras! 
Essa gente tem mania que passa à frente!
E a porta não foi aberta. Chegou um mulato moçambicano, querendo entrar. De  novo, se escutaram protestos:
- Não deixa entrar, esses não são a maioria.
Apareceu um moçambicano branco e o porteiro foi assaltado por protestos:
-Não abre! Esses não são originais!
E a porta não se abriu. 
Apareceu um negro moçambicano solicitando passagem.
E logo surgiram protestos:
- Esse aí é do Sul! 
Estamos cansados dessas preferências...
E o porteiro negou passagem. Apareceu outro moçambicano de raça negra,  reclamando passagem:
- Se você deixar passar esse aí, nós vamos-te acusar de tribalismo!
O porteiro voltou a guardar a chave, negando aceder o pedido.
Foi então que surgiu um estrangeiro, mandando em inglês, com a carteira
cheia de dinheiro. 
Comprou a porta, comprou o porteiro e meteu a chave no  bolso.
Depois, nunca mais nenhum moçambicano passou por aquela porta que, em  tempos, se abria de Moçambique para Moçambique.
Mia Couto


http://www.youtube.com/watch?v=ddrb40sdea8

KAOS:O Monstro




antonio jose seguro passos coelho paulo portas o monstro
 Porque será que só me apetece fazer bonecos parvos?

As capas dos jornais e as principais notícias de Domingo, 21 de Abril de 2013.


Capa do Correio da Manhã

Correio da Manhã


















Capa do Público Público

Sorteio do Totoloto (032/2013)
Polícia de Boston acredita que os dois irmãos agiram sozinhos
Saint-Étienne conquista Taça da Liga francesa
Professores de matemática avançam com providência cautelar contra Ministério
O rookie que ofuscou a concorrência no circuito estreante
CDUL é o primeiro finalista do campeonato
Vítor Pereira: “No fim fazemos as contas”


Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Não sou finlandês
Jornalismo de aproximação
8 banhistas e 3 canoístas socorridos na costa algarvia
Líder do Eurogrupo admite mais tempo para Portugal
Português detido por tráfico de droga na Rússia
Fisco já está a notificar utentes para pagarem taxas
Livreiro despejado de zona histórica de Lisboa


Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Auditoria eleitoral na Venezuela "não colocará em causa" vitória da Maduro
Suicídio subiu 54% no norte do país
Criança de quatro anos morreu num acidente com trator manobrado pelo pai
Glória Pires vítima de roubo por piratas informáticos
Clérigos em festa perseguem data misteriosa do fim da obra
Médicos começam a ser avaliados já este ano
A evolução do português: os antepassados


Capa do i i

FMI apela à consolidação da recuperação e adverte para “novos riscos"
Transportadoras deixam por ano em Espanha 200 milhões de euros de impostos sobre combustível
FMI exorta EUA e Europa a ratificarem “sem demora” sistema de quotas
Sumol Porto Pro. Carina Duarte mostra que quer dobradinha em dia de show de quatro patas
Autarcas da ANAFRE desfilam em Coimbra, obrigando ao corte do trânsito
Jerónimo de Sousa. Governo e FMI preparam novo programa de extorsão
Autárquicas. Menezes diz que Abreu Amorim é o seu “único herdeiro que Gaia terá”


Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Presidente do Eurogrupo rejeita austeridade em excesso na União Europeia
Presidente do Eurogrupo admite mais tempo para Portugal cumprir programa
EUA querem Alemanha a consumir mais para compensar contracção nos países periféricos
Fisco já está a notificar utentes para pagarem taxas moderadoras em falta
Via do Infante perdeu 44,4% do tráfego diário no último trimestre de 2012
Deputados do PS admitem perdão de dívida e reestruturação com perdas para os credores
Schäuble: Resgate ao Chipre deve ser modelo para o futuro


Capa do A Bola A Bola

Abdoulaye na equipa B
Juan Carlos vai dar retorno à SAD
Tottenham: Villas Boas tem Fábio Coentrão e Alvaro Pereira debaixo de olho
Arsenal: Wilshere arrisca operação no final da época
Casillas já cumprimenta Diego Lopez (vídeo)
Tara Reid namorou com... quatro jogadores da NFL mas é adepta do Chelsea
Drogba, Eboué e os festejos peculiares de um golo (com vídeo)


Capa do Record Record

Maxi Pereira continua à beira exclusão
Rosberg surpreende
Artur conhece o poder de fogo de Wolfswinkel
Van Basten espera contar com Djuricic
Jessica Augusto entre a elite em Londres
Karanka: «Más notícias são as lesões»
Rodrigo pede apoio aos benfiquistas


Capa do O Jogo O Jogo

Emídio Guerreiro apela à união dos agentes desportivos
Ricardo Pessoa sofreu fratura na face
Valência goleia Málaga
Di Natale leva Udinese ao quinto lugar
Saint-Étienne regressou aos títulos mais de 30 anos depois
FC Porto perde em Reus
Dragões vencem e pressionam Benfica