Translator

quinta-feira, 2 de maio de 2013

PORTUGUESES: "OS ESTICAS"


As capas dos jornais e as principais notícias de Sexta-feira, 3 de Maio de 2013.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Porto: Colisão fere três GNR
Costa Pina: Informação a tempo
Paulo Morais: Corrupção gerou crise
Ferreira de Oliveira: Galp fora do leilão
Automóveis: Parque envelhecido
Coimbra: Furtam 500 torneiras
Braga: Atingido por pedra de obra

Capa do Público Público

Deco: Adesão ao leilão é "um cartão vermelho ao sector eléctrico"
Na Feira Internacional do Livro de Bogotá venderam-se mais de 10 mil livros de autores portugueses
Ferreira Leite diz que “andamos a fazer sacrifícios em nome de nada”
ERC propõe “clarificação” da lei para viabilizar debates eleitorais na TV
Jesus: "É um marco desportivo chegar a uma final europeia"
A delícia de um banho turco
Outra final para o ainda campeão europeu

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Portas: eu é outro
Acidente grave com ambulância na Av. Almirante Reis
Parque automóvel está cada vez mais envelhecido
Guardas prisionais admitem desconvocar greve
Pena de 1.050 euros por atirar garrafas a PSP
Falso padre fica em prisão preventiva
SATA propôs aos sindicatos medidas que levariam a aumento de 1 ME nos salários pagos em 2013

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Windows 8 tem 3,84% de quota de mercado
Portugal ultrapassa França e é quinto do "ranking" da UEFA
Tratamento de esgotos em três novas estações
Rio apela à defesa do Porto contra "boicote" do IHRU
Artes vão sair da Caixa para serem um negócio
Professores vão votar greve aos exames
Canadiano tem história idêntica a um dos suspeitos de Boston

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

Reforma do Estado fica a meio caminho
A estratégia errada para a reforma do Estado
O Governo e a reforma do Estado
O padrão de Gaspar
Funcionários com limite de 18 meses na mobilidade e corte de 67% no salário
Passos Coelho anuncia medidas e apela ao consenso
Estado conta diminuir em mil milhões perdas potenciais com ‘swaps’

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Portal anda pelos "cazaquistões" a vender Porto
Crédito bancário: poucos progressos no horizonte
Baixar o juro é como abrir a janela de um descapotável
Eléctricas deixam "às escuras" o leilão da Deco para baixar a factura
Finanças locais: PSD vai mudar "praticamente toda a lei"
Os NEETS dos PIGS
Protecção de Dados não quer gestores expostos nos motores de busca

Capa do Oje Oje

Pedro Reis: "Há que capacitar os líderes empresariais para vencer no exterior"
Passos Coelho apresenta medidas ao País às 20h de amanhã
Portugal deve consolidar contas sem perder de vista crescimento e emprego, declara Rompuy
Barclays mantém preço-alvo da Galp Energia nos 17 euros
Euro desvaloriza face ao dólar após corte do BCE
Falhanço da austeridade obriga Europa a apostar no crescimento, diz Horta Osório
Consórcio franco-japonês constrói central nuclear na Turquia

Capa do Destak Destak

EDP lidera mercado livre de eletricidade com quota de 83% - ERSE
Jafumega voltam aos palcos após 30 anos como "um cometa FMI"
Número de mortos na sequência de colapso de edifício no Bangladesh ultrapassa os 500
O maior teste de Gastão Elias e a final antecipada das senhoras
Detidas duas pessoas na China em caso de morte por envenenamento em jardim-de-infância
Mais de 3.500 crianças abandonaram grupos armados da Colômbia na última década -- oficial
Líder da oposição venezuelana acusa Presidente equatoriano de defender Maduro por interesse

Capa do A Bola A Bola

Barcelona: Derrota na Champions pode antecipar chegada de Neymar
«Um dia teremos de aceitar que Suarez queira ir embora» - Gerrard
Cajuda explica saída
Yazalde no radar do Steaua
Schaars à espreita da titularidade
Niki Gudex, a ciclista com quem vai querer dar uma volta
Chelsea: «Benfica é uma equipa muito perigosa» - Benítez

Capa do Record Record

Campeonato com peso reduzido
Pierre van Hooijdonk: «Um rolo compressor»
Saudades de Angola emocionam Valdir
Wilson e Cleyton voltam às contas
Bock: «Sinto-me bem e vou continuar a jogar»
Moreirense sob suspeita de corrupção desportiva
Seleção inicia preparação

Capa do O Jogo O Jogo

A alegria no balneário partilhada por Rodrigo
Ciclista belga morre após queda
Cardozo coloca o Benfica em Amesterdão
Romeu assinou por três épocas
Cardozo passou a somar 32 golos nas taças europeias
Portugal garante quinto lugar
"Final? 50 por cento de hipóteses"




A Frase





A Gaspar falta um pouco de tudo. Carece de credibilidade intelectual e evidência empírica (como ele diz) para mostrar resultados. Os números são-lhe quase todos fatais. Carece de força política e firmeza na coligação. Já nem lhe sobram amigos influentes que o mantenham de pé. Há algum empresário ou banqueiro ou gestor relevante que subscreva este trilho suicida? Gaspar queimou quase todas as pontes, deu cabo da confiança, rebentou com o Governo.
André Macedo, Diário de Notícias
.
A grafia é da responsabilidade deste blogue. Gostaríamos de ser decentes na linguagem da prosa, mas torna-se impossível... Sou, também, um dos milhões cilindrados pela cambada de "cabrões" que têm governado os portugueses" 

Conferência Vencer a Crise com o Estado Social e com a Democracia, dia 11 de Maio


 
Caro(a) amigo(a),
Realiza-se já em 11 de Maio (sábado), durante todo o dia, a Conferência Vencer a Crise com o Estado Social e com a Democracia, no Fórum Lisboa, na Avenida de Roma, em Lisboa, organizada pelo Congresso Democrático das Alternativas (CDA).

Para que a Conferência seja uma iniciativa participada, plural e bem sucedida é essencial o empenho e o envolvimento ativo na sua preparação de todos aqueles que se revêm nos seus propósitos. Vimos, assim, apelar a que dê o seu contributo para a dinamização da Conferência, o que pode ser feito de diferentes formas:
  • Inscrevendo-se na Conferência, caso ainda não o tenha feito. A lotação do Fórum Lisboa é limitada, é necessária inscrição prévia no site do CDA (aqui) para garantir lugar;
  • Participando nos seus trabalhos no dia 11 de Maio;
  • Divulgando a Conferência junto dos seus contactos e redes (via email, blogs, redes sociais, etc.);
  • Apelando à inscrição na Conferência de todos os potenciais interessados;
  • Elaborando e enviando textos que contribuam para o debate preparatório (que poderá submeter aqui).
Na página do CDA na Internet está disponível documentação e estudos sobre o Estado Social e outras informações sobre a preparação da Conferência. A partir da próxima segunda-feira, dia 6 de Maio, será também disponibilizado no site o projeto de Resolução a debater na Conferência e mais informações sobre o seu programa e funcionamento.
No momento em que o Governo se prepara para lançar um ataque sem precedentes aos serviços públicos e aos direitos sociais, esta iniciativa revela-se da maior oportunidade afirmando o Estado Social como instrumento indispensável no combate à crise (flyer da iniciativa). Não nos resignamos à destruição do Estado Social, a mais profunda das transformações da sociedade portuguesa das últimas décadas, em nome das cedências à troika, aos credores e aos mercados financeiros.
.
Afirmamos que o futuro de Portugal como país desenvolvido só é verdadeiramente sustentável com um Estado Social robusto que garanta padrões sólidos de saúde, de qualificações elevadas, de condições para manter a dignidade das pessoas quando já não trabalham ou não podem trabalhar. No fundo, um Estado Social de bem-estar e de direito, tal como o temos vindo a construir desde a revolução de Abril. Afirmamos que um Estado Social redistributivo, que regule a economia e que promova o relançamento económico, é o músculo imprescindível da coesão social, do desenvolvimento e da nossa democracia.
Contamos consigo! 
Saudações democráticas, 

A Comissão Organizadora do Congresso Democrático das Alternativas  
Facebook: https://www.facebook.com/Congresso.Democratico.das.Alternativas 

O RIR NÃO PAGA IMPOSTOS E SUJEITO A CORTES



Numa altura em que os portugueses, baralhados e massacrados com cortes e recortes de toda a ordem o rir faz descomprimir e enquanto riem, os portugueses, esqueceram as misérias de vida, impostas, pela "cambada" asquerosa que os têem governando.

 E para algum riso e descomprimir a alma clique em baixo



DO NORTE CÁUSTICO, COM A DEVIDA VÉNIA


" E porque dentro de mim há um pouco do Porto aí vão duas peças escritas à tripeiro"

Quinta-feira, 2 de Maio de 2013

OS PROBLEMAS DE PORTUGAL CONSISTEM NUMA SÓ QUESTÃO, FALTA DE BRIO PROFISSIONAL!

E o problema agrava-se porque é no topo que se registam as maiores discrepâncias.
.
Vulgarizando a coisa, referiria chefes de serviços (nomeados politicamente) que sabem menos que os subordinados, chegando ao ponto de serem razão de chacota, e (como se diz na gíria) comidos à má fila.
.

Há depois aqueles que enveredaram por carreiras que exigem espírito de missão (refiro-me a médicos e enfermeiros) com um único objetivo, ganhar dinheiro! Como em tudo há honrosas exceções, e no que diz respeito à saúde eu considero-me um beneficiado, Machado Gomes é o meu médico de família e só posso dizer bem dele.
.

Já a minha (querida) falecida mãe, caiu num antro de facínoras que em vez de tentarem que vivesse mais tempo a deixaram morrer, além de me terem torturado psicologicamente.
Resumindo, como pode Aníbal Cavaco Silva desempenhar, bem, o papel de Presidente da República de Portugal se passou o tempo a vincar que não era político?

Terça-feira, 30 de Abril de 2013

O “HOMEM DO BUSSACO” EXERCE EM MIM UMA MÁ INFLUÊNCIA!

Antes de assistir aos episódios da “Aleixo TV”, e de ver o “Homem do Bussaco” , eu não pronunciava um palavrão, nem “merda” dizia, agora…
.
Hoje tive de me deslocar a um hipermercado, estacionei, e dadas umas passadas vejo uma senhora estacionar (um Jipão) num lugar destinado a deficientes, pensei, “coitada, tem pasta, até nem é mal encabeçada, mas é deficiente, calha a todos…”.
.
Eis senão quando, da bomba sai uma galdéria toda gingona a meter nas trombas uns óculos de sol daqueles cheios de brilhantes, dos que os chineses não conseguem imitar. pensei, “ai a gaija”, e fui-me a ela.
.
“A senhora desculpe, viu onde estacionou?”, com olhar de desdém a madama retorquiu, “porquê? O senhor é polícia?”.

Foi aí que eu senti a má influência do “Homem do Bussaco”, não me controlei e retorqui, “não, não sou, mas a senhora é puta”. Tenho reparado que são as mulheres quem mais abusa na ocupação indevida, elas não são burras, de certeza na via publica não o fazem.
.
Há uns meses, no hipermercado próximo de minha casa, outra “lady” parqueou no local amarelado com o símbolo dos deficientes, fui lá dentro (ao híper) pedi uma folha A3 e um marcador grosso, pespeguei-lhe no para-brisas um cartaz onde se podia ler, “DEFICIENTE MENTAL”.
.
Escusam de estar praí a pensar, “se fosses um gaijo baixavas a bola”… Pois fiquem sabendo que não vai há muito tempo, um artista (também) arrumou o carro indevidamente, saiu, e dirigi-me a ele, “o senhor é um homem cheio de sorte”, “porquê?” respondeu-me ele, “porque é deficiente e não se nota”, calou-se e foi-se embora. Se não houvesse câmaras de vigilância eu sabia o que lhe fazia aos pneus!
http://www.aleixo.tv/bussaco-08/

O Estado a que chegámos


por Sérgio Lavos
Pacheco Pereira, na Quadratura do Círculo, referiu um episódio que passou despercebido a quase toda a gente: Álvaro Santos Pereira, numa entrevista dada a seguir ao anúncio do programa de revitalização da economia, diz que quando um seu secretário de Estado saiu, houve gente que abriu garrafas de champanhe. 


A quem estava ele a referir-se? A Henrique Gomes, o homem que ousou enfrentar os lobbies da energia em Portugal e que pretendia fazer baixar as rendas excessivas da EDP. Extraordinário país, este, em que um ministro admite em público que um dos seus secretários de Estado foi demitido por tentar defender o Estado (que somos todos nós) dos interesses privados que o parasitam. E por quem foi ele demitido? Pelo primeiro-ministro, claro. A história é simples, e contada pelo próprio Henrique Gomes: duas horas após ter sido entregue ao primeiro-ministro o relatório onde se defendia uma taxa sobre as rendas da EDP, já António Mexia, um dos homens mais poderosos do país, conhecia o seu conteúdo. Henrique Gomes tinha o apoio do seu superior directo, o ministro, mas deparou-se rapidamente com as dificuldades inerentes ao estado corporativo em que vivemos. Passos Coelho (ou alguém por ele), assim que vislumbrou algo que de facto poderia fazer poupar muito dinheiro ao Estado, apressou-se a contactar quem na realidade ele serve, o poder económico e financeiro. É claro que Mexia não poderia tolerar tal afronta, e rapidamente o secretário de estado foi exonerado, e apresentada uma pífia razão para o seu afastamento.


Numa democracia avançada, este caso por si só seria razão para a queda do Governo. Imaginemos por exemplo o escândalo que não seria Obama afastar um membro da sua equipa por influência de um dos poderosíssimos lobbies de Washington. Pois. Mas não vivemos. Este é o pais que, de ano para ano, vai caindo mais no ranking internacional sobre a percepção da corrupção. Este é o país em que a direita sobe ao poder no meio de uma gravíssima crise de sobreendividamento e consegue ir buscar 21 000 milhões de euros à classe média e aos mais desfavorecidos, deixando os intocáveis e inimputáveis do país continuarem a prosperar e a fazer os seus negócios. Esta direita que nos governa é a direita do BPN, e é a direita que privatiza a EDP colocando no conselho de administração vários dos seus homens de mão - Catroga, Arnaut, etc. É a direita que renegoceia as parcerias público-privadas aumentando os encargos do Estado - o que antes era responsabilidade das concessionárias, a manutenção das vias rodoviárias, passou a ser obrigação do estado, em troca de míseras poupanças. É a direita que nunca irá tocar nas rendas energéticas que beneficiam a EDP e outras empresas privadas, porque os seus aliados naturais são a banca e as corporações que vampirizam o país.


Poderemos continuar a empobrecer e a regredir, que continuaremos a ter dos combustíveis mais caros do mundo, assim como a electricidade, a água, o gás e as telecomunicações a preços incomportáveis para o nosso nível de rendimentos. Bem pode a troika, pela voz de Abebe Selassie, surpreender-se por não baixarem os preços nestes serviços: isso não irá acontecer porque não existe verdadeira concorrência nestes sectores da economia, o capitalismo em Portugal é uma brincadeira - as leis do mercado, na realidade, não funcionam. Estas corporações são e serão protegidas enquanto esta direita se mantiver no poder. Haveremos de estar a pão e água, que a EDP, a Galp, as empresas de telecomunicações e os bancos continuarão a manter as suas rendas, benesses e lucros intocados. Nada é mais certo do que isto, custe o que nos custar.

A verdade escondida por trás do escândalo do BPN


A ser verdade, consegue-se, finalmente, perceber que o PARTIDO SOCIALISTA é altamente responsável por tudo o que aconteceu: em 1999, o governo era do PS, a gestão da Caixa tinha sido nomeada pelo PS e a Segurança Social estava na dependência do governo socialista. Por outro lado, o fulano que ficou à frente da SLN, dona do BPN, e que mudou o nome para Galilei, é um maçon do GOL, loja maçónica dominada pelo PS, a que pertencem, por exemplo, Mário Soares e Manuel Alegre. 



Ora aqui está uma razão...muito forte e justificativa de tanto procedimento estranho!

Octopus- Tradução:  Polvo






Versão: 2012.0.2240 / Base de dados de Vírus: 2641/5725 - Data de Lançamento: 04/04/13

KAOS:Fiando o desemprego



pedro mota soares fiar o futuro
Parece que o nosso governo pensa despedir 20 mil trabalhadores do estado e aumentar a idade da reforma para os 67 anos como medidas para tapara os buracos que as suas politicas suicidas estão a criar todos os dias. Não vejo muito bem é como isto se coaduna com a agora tão apregoada politica para o emprego a não ser que a ideia seja despedir todos os portugueses e assim quando chegarmos aos 99% de desemprego, (salvam-se os deles os das suas famílias, amantes e amigos do peito), já não poderá subir mais. Nessa altura os seus planos de criação de emprego poderão começar a dar frutos. Quanto ao aumento da idade da reforma também deve ser para contribuir para o emprego jovem, terão é que antes de se sentarem na secretária retirar o cadáver do funcionário que lá morreu de velhice.

RECADO PARA O PAULINHO PORTAS


                                                             
 
Número de Documento
: 16047336

 Lisboa, Portugal 01/05/2013 08:16 (LUSA)
 Temas: Sindicatos, Sociedade, emigrantes
 
 
Falta de funcionários compromete resposta consular a nova vaga de emigração - sindicato
Lisboa, 01 mai (Lusa) - A aposentação e as sucessivas reestruturações administrativas têm vindo a retirar funcionários dos consulados, comprometendo a capacidade de resposta às comunidades numa altura em que os portugueses voltaram em força à emigração.
O alerta é do sindicato dos trabalhadores consulares que traça um cenário problemático em matéria de apoio aos portugueses no estrangeiro, problemas que o Governo reconhece pontualmente e que garante estar a resolver.
"As saídas dos trabalhadores, nomeadamente por aposentação, são superiores às entradas necessárias para corresponder à procura em diversos serviços" e "há um progressivo desaparecimento de trabalhadores de chefia intermédia e de apoio sociocultural às comunidades", disse à agência Lusa Jorge Veludo, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Portuguesas (STCDE).
Acresce, segundo o sindicato, o regresso a Portugal de algumas dezenas de funcionários destacados fruto de "três séries de encerramentos de consulados" ocorridas na última década.
"Com os últimos encerramentos de postos, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) mandou regressar algumas dezenas de funcionários destacados, normalmente em funções administrativas nas chancelarias das embaixadas, substituídos nas suas funções por colegas [do serviço consular] e não pelo recrutamento de mais trabalhadores, fazendo alastrar as deficiências", sublinhou.
Jorge Veludo lembra que, há 15 anos, quando entrou em vigor o estatuto profissional dos trabalhadores externos do MNE, havia um quadro de pessoal de 2.100 lugares, dos quais apenas 1.800 se encontravam ocupados. Atualmente, o número de trabalhadores em funções "é inferior a 1.500".
Destes, apenas cerca de metade presta serviço consular, segundo Jorge Veludo, que explica que, como o serviço consular muitas vezes é prestado nas secções consulares das embaixadas, "os trabalhadores podem sempre ser retirados do apoio às comunidades para apoiar o serviço diplomático".
Inglaterra, Luxemburgo, França, Alemanha, Suíça, Angola e Brasil são, segundo o STCDE, locais onde a falta de pessoal nos consulados é mais sentida e, nem a introdução do atendimento por marcação, parece estar a resolver o problema.
"Uma certa generalização das marcações e o recurso ao envio de documentação pelo correio é uma forma de escamotear a falta de recursos humanos com o efeito perverso de atrasar ainda mais o serviço", disse.
Para Veludo, não faz sentido agendar emissões de cartões de cidadão, passaporte, vistos, pensões ou apoio social.
"De um modo geral todos os postos estão a perder pessoal, devido à aposentação de uma geração de trabalhadores admitidos aquando da anterior grande vaga de emigração, precisamente quando se estão a confrontar com a atual hemorragia de portugueses para o estrangeiro", sublinhou Veludo.
A agência Lusa enviou há várias semanas ao Ministério dos Negócios Estrangeiros um pedido de informações sobre a situação do atual quadro de funcionários, mas até ao momento não obteve resposta.
Questionado sobre o assunto, o secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, admitiu situações pontuais de falta de funcionários, mas garantiu que desde que o atual Governo está em funções promoveu já a entrada de mais de meia centena de funcionários para prestar serviços nos consulados.
"Já colocámos 64 novos funcionários e temos previsto a colocação de mais oito. Neste momento, há um caso ou outro em que há carência de funcionários, mas na maioria não temos", disse José Cesário.
Cesário admite faltas de pessoal nos consulados do Rio de Janeiro, Luanda e no Luxemburgo, posto já reforçado com dois funcionários e que deverá ainda receber outros dois, mas recusa a ideia de que os consulados estejam a falhar na resposta à nova vaga da emigração.
"Não temos problemas de atendimento em França, nem na generalidade dos postos na Suíça, nem na Alemanha, temos em Londres... mas os casos mais complicados estão em Luanda, no Rio de Janeiro ou em Dacar", disse.
Cesário defendeu ainda as vantagens dos atendimentos por marcação, considerando "inacreditável para a imagem do Estado português" e "desumano" para as pessoas, "obrigá-las a fazer uma fila na rua às quatro ou cinco da manhã".
 
CFF // VM
Lusa/Fim

KAOS:Abelhas, unam-se e piquem essa gaja



assunção cristas abelhas
Assunção Cristas protegeu pesticidas que estão a matar as abelhas na Europa. O colapso das populações de abelhas na Europa nos últimos anos está associado à utilização de três pesticidas produzidos pela Bayer e Syngenta. A proposta de suspender a sua utilização foi aprovada esta semana, mas o Governo português alinhou com os argumentos da indústria agroquímica e votou contra a protecção das abelhas.
"Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana." disse Albert Einstein.
Mas a nossa Ministra é muito mais inteligente que o Einstein e nem o estar grávida a parece preocupar. Os lóbis e o dinheiro falam mais alto para gente como ela que o seu filho tenha um mundo onde possa viver. Se calhar até pensa que é melhor que acabem para não aborrecerem nos piqueniques ou incomodarem os turistas.

Como os deputados justificam faltas por doença.


Sim, são os mesmos que legislaram sobre a suspensão do vencimento nos 3 primeiros dias de um atestado médico! 
Para bom entendedor, basta ler o ponto 7..
A "palavra de deputado" é a última coisa em que os Portugueses poderiam acreditar !!!!!

TRABALHAR ATÉ AO ÚLTIMO BERRO!!!...


A subida da idade da reforma dos atuais 65 para 67 anos poderá ser uma das medidas que o Governo está a preparar

.

Aumento da idade da reforma terá impacto na subida do desemprego

Novos reformados arroscam futuros cortes
Vítor Gaspar
Global Imagens
12/04/2013 | 00:00 | Dinheiro Vivo
O Governo poderá aumentar a idade da reforma de 65 para 67 anos já este ano, como parte das medidas de redução da despesa que terá de tomar para compensar a inconstitucionalidade de quatro normas do Orçamento do Estado, que retiraram aos cofres públicos uma receita no valor total de 1,3 mil milhões de euros.
 .
A notícia, divulgada ontem pelos órgãos de comunicação social, provocou reações imediatas de desaprovação. O antigo ministro do Trabalho Vieira da Silva considera que é uma má opção e avisa para o impacte da medida no aumento do desemprego, sobretudo dos mais novos.
.
Também o presidente da CIP, António Saraiva, igualmente citado pela TSF, prevê que a medida venha a constituir mais um obstáculo à entrada dos jovens no mercado de trabalho.
.
A mesma opinião têm as centrais sindicais, que nem querem ouvir falar no assunto. Para o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, a medida é mesmo “inadmissível”. 
.
Já o líder da UGT, João Proença, ameaçou romper o diálogo social com o Governo caso sejam anunciadas alterações nas reformas sem negociação com os parceiros sociais. E lembrou que já tinha avisado o Governo, em novembro do ano passado, que mexer no regime contributivo da Segurança Social sem negociar pode ser um motivo de rutura.
.
No final do Conselho de Ministros, o secretário de Estado Luís Marques Guedes confirmou que o Governo está a trabalhar em cortes na despesa para compensar a inconstitucionalidade de normas orçamentais, mas garantiu que o assunto não foi tratado na reunião de ontem. 
.
E interrogado pelos jornalistas sobre o aumento da idade da reforma, o membro do Governo respondeu que tem havido muitas “especulações”, não confirmando nenhuma informação.