Translator

quarta-feira, 24 de julho de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Quinta-feira, 25 de Julho de 2013.


Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Mação: Fogo com quatro frentes
Faro: Macário regressa ao poder
Viseu: Jovem agride deficiente
Gastão Neves: Desiste de Leiria
Honório Novo: Despedida de deputado
Zeinal Bava: Anima mercado
Faro: Carro colide com carroça

Capa do Público Público

Prova que Crato propôs para avaliar professores foi considerada injusta em 2008 pelo PSD
Acção de protesto pede boicote a loja Minipreço no Porto
Sorteio do Totoloto
Faria Costa eleito provedor de Justiça
Rui Patrício não sai do Sporting por menos de 15 milhões
Partizan, Legia, Maribor e Ludogorets seguem em frente na Liga dos Campeões
Benfica empata com Peñarol na estreia da digressão algarvia

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

O campião era 'gay'
Homem morto em assalto a carrinha de valores
Euromilhões já saiu 50 vezes em Portugal
Câmara aprova moção para reabilitação do Liceu Camões
Vimeca diz que os passes acabam a partir de 1 de agosto
PSP deteve mais de mil pessoas num mês
Trabalhador morre soterrado numa obra em Viana

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Mais de 70 mortos num descarrilamento em Santiago de Compostela
É o terceiro acidente ferroviário mais grave de Espanha
Raparigas alugam pernas para anúncios
Bebé real "lança" novo vírus na Net
Cristiano Ronaldo recompensa miúdo a quem partiu o braço
Markovic mostra classe no empate do Benfica frente ao Peñarol
Marco Matias decide e garante justo prémio

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

A cadeira do poder está onde se senta Passos Coelho
Atenas e a saída da zona euro
As duas faces da execução orçamental
Comissão Europeia impõe cortes suaves aos bancos portugueses
Governo aproveita ‘silly season’ e prepara regresso duro em Setembro
Paulo Portas escreve carta às empresas exportadoras
Pedidos de reforma da Função Pública caíram 20%

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Galp confirma petróleo de boa qualidade em poço da área de Iara no Brasil
Inquérito sobre swaps: "Eu não minto", diz Maria Luís Albuquerque
Maria Luís Albuquerque: "Não vemos qualquer necessidade de alterar a meta" do défice
CDS ou PP?
Um momento de viragem
[521.] Instituto Português do Sangue e da Transplantação
Analistas vêem a "nova dinâmica" com bons olhos mas querem resultados

Capa do Oje Oje

Investidores do Médio Oriente fazem nascer a Sólyom Hungarian Airways
Lucro da Sonaecom cresce 4,5% para 39,9 milhões no 1.º semestre
“Estabilidade política é o sinal mais importante para a economia”, considera novo ministro da Economia
Concessão de crédito a PME “menos restritiva” no 2.º trimestre, revela BdP
Receitas de IRS e IRC crescem no semestre, avança DGO
Resultados animam Eli Lilly a rever em alta previsões
Vivo perde 15,6% no primeiro semestre

Capa do Destak Destak

Retomadas operações de busca por imigrantes após naufrágio ao largo da Indonésia
Fundador do WikiLeaks cria partido para concorrer ao Senado australiano em 2014
Acampamento Liberdade do BE arranca hoje para a sua décima edição
Expofacic abre hoje em Cantanhede para 11 dias de festa
Excesso de velocidade poderá ter sido causa do acidente ferroviário
Austrália doa 15 ME em ajuda humanitária à Síria
Atlético Mineiro conquista primeira Taça dos Libertadores nos penáltis

Capa do A Bola A Bola

Nader e Cardoso à experiência
SDUQ debatida em assembleia
Filipe Oliveira assina até 2018
Dragões goleiam Millionarios (4-0)
SC Braga cede Bittencourt
Middlesbrough desiste de Vítor
Alemanha vence Suécia e vai à final do Europeu

Capa do Record Record

Nélson Oliveira por horas
Lucho: «Ainda posso melhorar»
Horta na montra europeia
João Pinto: «É um sonho que se realiza»
Jesualdo: «Esta equipa vai ser difícil de controlar»
Negociações por Vítor abortadas
Portugueses com boas perspetivas na 2.ª mão

Capa do O Jogo O Jogo

Atlético Mineiro vence nos penáltis
Os belos golos da vitória portista
Saviola assina pelo Olympiacos
"Jackson não sai e renovará"
Cristiano Ronaldo solidário com vítimas do acidente ferroviário
Alegado autor de roubo ao Sevilha preso
Chaves apresenta-se com 12 reforços

COMO A REUTERS ANALISA A POLÍTICA PORTUGUESA




Crise política em Portugal um catálogo de erros
.
 
Por Andrei Khalip

 LISBOA (Reuters) - A crise política em Portugal pode ter sido encoberta, mas os jogos de poder, inoportuna, pouco fizeram para ajudar a credibilidade do país no exterior.

.
Apresentando várias inversões de marcha, incluindo um pedido de demissão "irrevogável" por um parceiro, junior, de coaligação que o levou à sua promoção, a crise perdeu umas preciosas três semanas e deixaram seus protagonistas debilitados e enfrentando o mesmo amontoado de problemas econômicos para resolver quanto antes.
.
A economia ainda está em sua pior recessão desde os anos 1970, aprofundou por termos de austeridade associadas aos empréstimos de resgate do FMI UE /, e de Lisboa ainda tem de reduzir seu déficit fiscal para garantir que os fundos continuem fluindo.
.
"Infelizmente a crise política portuguesa enfrenta um certo desdém igual a país do terceiro mundo" disse Adelino Maltez, um cientista político em Lisboa. "Até o nosso presidente disse que é um país imprevisível, os investidores que vêem muito e não gostam ouvir isso."
.
O presidente, Anibal Cavaco Silva, mostrou a sua própria falta de previsibilidade, rejeitando uma solução de governo proposto a um racha interna. Ele, então, passou dois dias de viagem a  observar os pássaros nas Ilhas Selvagens, remotas, no meio do Atlântico.
.
Sua intenção foi  deixar os principais partidos, apenas, para negociar a "salvação nacional" pacto que ele tinha pedido, mas em seguida, ele fez comentários, sobre a crise, a um exército de jornalistas que o acompanhavam. Em última análise, ele também, um presidente com 74 anos fora do alcance, dos problemas, de sua vista.

"Foi uma noite calma e não houve nenhuma notícia desagradável de Lisboa", disse ele, na ilha selvagem, na sexta-feira de manhã, poucas horas antes de os socialistas da oposição romperem as negociações com os dois partidos da coaligação governamental informando o secretário-geral que nenhum acordo foi possível.

Propostas dos socialistas mostraram que eles simplesmente queriam acabar com toda a austeridade, o que teria derrotado o propósito de um acordo.

Cavaco Silva queria um pacto suprapartidário para apoiar o pacote de resgate da UE / FMI, que exige a continuidade das políticas de redução de dívida até que o programa de resgate deve terminar em meados de 2014, apesar de um retorno ao financiamento de mercado agora está em dúvida.

Analistas dizem que não há escolha a não ser manter o rumo de austeridade geral, pedindo a questão de saber por que isso chama crise política em primeiro lugar.

RENÚNCIA que não foi



As últimas três semanas tem apresentado um catálogo de ferimentos auto-infligidos pela classe dominante em Portugal. A crise começou em 1 º de julho, com a renúncia do ministro das Finanças, Vitor Gaspar - o arquiteto da unidade de austeridade - que citou o apoio minguante para a sua estratégia.
.
O jornal "i", disse em um relatório amplamente citado que a gota d'água para Gaspar tinha sido um cliente irritado cuspir-lhe, num supermercado, quando seguia acomapnhado de sua esposa.
.
No dia seguinte, a crise entrou em espiral quando Paulo Portas, líder do CDS-PP partido de coaligação de direita que garantiu a maioria parlamentar do governo de centro-direita, renunciou ao cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros.

Ele disse que se opusera à promoção do colega próximo de Gaspar por Maria Luis Albuquerque para substituir o ministro renunciante.

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho recusou-se a aceitar a renúncia de Portas; os dois acertaram suas diferenças e concordaram em manter a coligação com a condição de que Portas se tornou vice-primeiro-ministro gerenciar conversações com os credores.

Albuquerque, cuja nomeação foi saudada por Bruxelas como um sinal de continuidade, manteve-se o ministro das Finanças, embora  desclassificada por Portas.

A maioria das Portas "partido alto escalão tinha sido pego de surpresa pela sua renúncia e alguns criticaram abertamente o movimento, levando a rumores de sua substituição como líder do partido.

"O principal problema é a hipocrisia da nossa política - não há direito liberal, enquanto o chamado direito está feliz em defender o Estado social para obter votos", Maltez disse, acrescentando que todos os principais líderes mostraram que eles têm pouco controle sobre seus partidos.

    ALIMENTO PARA SÁTIRA



Com a crise aparentemente resolvida e os prémios de risco de Portugal cair de volta depois de um grande salto, o presidente deixou cair a bomba, rejeitando a solução da coligação, e chamando para o amplo acordo político.

Para atrair os socialistas, que lideram nas pesquisas de opinião, ele lhes prometeu uma eleição antecipada, em 2014, se tal acordo foi selado.

Os eventos proporcionaram muito combustível para alimentar a sátira, que não poupou nenhuma das figuras políticas, enquanto os comentaristas qualificaram a situação de uma novela ruim de um teatro do absurdo.
"O país merecia outra classe política, mais adulta, menos dado a brigas e pronto para colocar os interesses de Portugal acima dos seus próprios" negócios Diário Económico, disse em um editorial recente.
.
Com os socialistas efetivamente exigindo o acordo de resgate ser rasgado, nenhum acordo foi possível depois de seis dias de conversações com muitos analistas culpam líder António José Seguro por ceder à pressão dentro do seu partido.
.
O presidente tardiamente aprovou a promoção de Portas e a continuação da coligação existente.

Nicholas Spiro, diretor da Spiro Sovereign Strategy, em Londres, disse que a intervenção do presidente só tinha agravado as divisões entre o governo ea oposição.
.
"As políticas de reforma econômica em Portugal tornaram-se ainda mais traiçoeiro", disse ele, alertando que o apoio político para as reformas exigidas pelos credores erodiu fortemente.
.
P.S. Tradução livre com erros técnicos de ortografia. Dá para perceber.

"QUANTO MAIS A GENTE SE BAIXA...MAIS SE LHE VÊ O RABO!"


Moral: "Mais valeu ao Passos Coelho se baixar às exigências do Paulinho, do que perder (mesmo assim) o posto de primeiro-ministro e ir para o desemprego com a dissolução da AR. Não só perderia o "tacho" o Coelho como o resto da "gangada" que compõe o seu executivo. O Paulinho é um, artista, estratega!!!... Este "caramelo" sabe o que deseja e agora, acaganeirado, com mais poder. Não nos devemos enganar que o "caramelo" não tarda estar, politicamente, atolado na merda até ao gargalo"

RUI MACHETE: "MAIS VALE TARDE DO QUE NUNCA!"



"Depois de ter sido vice-primeiro-ministro por apenas dez dias em 1985, o ex-líder do PSD Rui Machete regressa agora ao Governo como ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, tendo ocupado, neste interregno, o cargo de presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) durante 22 anos". José Carlos Carvalho

Ler mais: http://visao.sapo.pt/o-percurso-e-as-polemicas-de-rui-machete=f742397#ixzz2ZzsRgYmi

RUI MACHETE: "MUITO BEM SE ACOMODOU COM A SLN E O BPN...AGORA CHAMA-LHE PODRIDÃO POLÍTICA!"



Rui Machete reage às críticas: são reflexo da “podridão dos hábitos políticos”

Lusa e PÚBLICO
(actualizado às )
Depois de ter tomado posse como ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, o novo elemento do Governo reagiu aos que criticam a sua entrada para o Governo devido às ligações que teve aos bancos BPN e BPP.
Rui Machete e o seu antecessor, Paulo Portas, na tomada de posse
Miguel Manso

Rui Machete tomou posse nesta quarta-feira como ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e considerou que as críticas de que é alvo por ter exercido funções na Sociedade Lusa de Negócios (SLN), dona do BPN, são reflexo da “podridão dos hábitos políticos”.
.
Rui Machete, antigo presidente da comissão política do PSD e ex-vice-primeiro-ministro do Governo do Bloco Central (PS-PSD-CDS), falava aos jornalistas depois de ter tomado posse, num acto que decorreu no Palácio de Belém e ao qual faltou o ex-ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, que foi sibstituído nesta remodelação pelo centrista António Pires de Lima.
.
Interrogado sobre a polémica em torno da sua passagem pela SLN, a holding do Banco Português de Negócios (BPN), Rui Machete respondeu: “Isso denota uma certa podridão dos hábitos políticos, porque deviam saber em que condições eu passei, em vez de darem notícias bombásticas.”
.
Como o PÚBLICO noticiou, o novo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, foi presidente ao longo de vários anos do conselho superior da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), a proprietária do Banco Português de Negócios (BPN), onde o Estado português injectou a fundo perdido cerca de 4 mil milhões de euros. A biografia oficial omite a ligação de Machete ao BPN, facto que o Governo justifica com o argumento de que nela só constam as funções públicas.
.
Na sua qualidade de ex-presidente da Fundação Luso-Americana, Rui Machete esteve ligado ao Banco Privado Português (BPP), onde foi membro também do conselho consultivo, e onde adquiriu cerca de 3% das acções, investimento que a FLAD perdeu quando o banco declarou falência.
.
Questionado sobre se a exploração do caso da sua passagem pela SLN o poderá fragilizar em termos políticos, o novo ministro deu uma resposta seca: “Não.” E acrescentou que está de consciência tranquila “há muitos anos”.
.
Nas declarações que fez aos jornalistas, Rui Machete referiu que apenas na terça-feira foi convidado pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, para o cargo de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, sucedendo nestas pastas ao presidente do CDS, Paulo Portas.
.
“Foi uma decisão rápida de ontem [terça-feira]. Fui convidado ontem, pedi um tempo e tive três horas para reflectir”, referiu.
.
Rui Machete foi também questionado sobre a forma como encara o regresso a um governo 28 anos depois da sua última experiência governativa. “Não tinha pensado voltar ao governo, mas aceitei pela situação do país”, justificou.
.
Além de Machete, neste acto foram empossados Paulo Portas, que deixa os Negócios Estrangeiros e passa a vice-primeiro-ministro – com a coordenação na área económica e as negociações com a troika –, Pires de Lima (Economia), Jorge Moreira da Silva (Ambiente, Energia e Ordenamento do Território). 
.
Mota Soares e Assunção Cristas mantêm-se à frente dos ministérios da Segurança Social e Agricultura e Mar, respectivamente. Mota Soares assumiu agora a pasta do Emprego, ao passo que Cristas deixou o Ambiente e Ordenamento do Território.

RUI MACHETE: "CONCÓRDIA E DISCÓRDIA"


 O regresso de Rui Machete
Share24 de Julho, 2013por Pedro D'Anunciação

Confesso uma simpatia já antiga por Rui Machete. Foi meu professor em Direito, ainda antes do 25 de Abril, e mostrava-se firma em não deixar entrar nas suas aulas, por razões nenhumas, os famigerados ‘gorilas’ (Policia interna das Faculdades no anterior Regime). 
.
Depois entrou no PSD, onde sempre me lembro de o ver na ala mais social-democrata. Esteve em vários governos, e foi vice-primeiro-ministro e líder do PSD pós-Mota Pinto, no Bloco Central.
.
Não era dos que precisava de sucumbir ao fascínio de entrar num Governo (como parece ter acontecido com figuras como Pires de Lima, Poiares Maduro ou Pedro Lomba – todos críticos do Executivo de Passos Coelho, mas que lá se acomodaram na primeira oportunidade).
.
Machete pode realmente significar uma tentativa de reorientação deste Governo (embora, pela experiência de Poiares Maduro e Pedro Lomba, podamos concluir que essas tentativas nunca passam disso mesmo: tentativas não concretizadas).
.
Custa-me ver o nome de Machete embrulhado nas trapalhadas vigaristas do BPN e do BPP, que tanto custaram aos contribuintes. Mas continuo a acreditar nele. A acreditar nele, e a não acreditar no Governo de Passos, mesmo com o instável Portas agora a ter um poder determinante na área económica.
.
Sem esquecer que Mª Luís Albuquerque continua a ser um elo demasiado fraco, entre o seu comprometimento com as ‘swaps’ e os atropelamentos à verdade no Parlamento. Do ponto de vista ético (ou de falta de ética), fica a desempenhar o papel que já foi de Relvas, mais do que o de Economista obstinado e fora da realidade, à Gaspar.

MÁS LÍNGUAS POR AÍ....

Quarta-feira, 24 de Julho de 2013
por Pedro Vieira
 rabiscos vieira

por Pedro Vieira
link do post | comentar | partilhar

A Frase


Enquanto esfregávamos os olhos, perplexos com a crise política, o CDS ficou a mandar nisto. Passos Coelho é o primeiro primeiro-ministro a ficar para segundo. (...) E assim o CDS não tomou posse, tomou conta. Portas titubeou, torpedeou e tripudiou, mas tem cara de pau para hastear a bandeira de aço: "Eu fico. Eu ganho". Esperemos daqui a nada poder ao menos dizer: ainda bem.
Pedro Santos Guerreiro, Jornal de Negócios

PASSOS COELHO E TENDÊNCIAS DE DAR TIROS NOS PÉS




"REQUIEN PARA PORTUGAL"




AO QUE PORTUGAL CHEGOU!


"Só perde quem tem... estes dois "manguelas" (nunca trabalharam) não perdem nada porque nada têm! Ingénuo tem sido o POVO português que acredita em tudo e, incrivelmente, em garotada oportunista!

As capas dos jornais e as principais notícias de Quarta-feira, 24 de Julho de 2013.


Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Carros valem 60 milhões em leilão
Euromilhões: Prémio em Portugal
Loulé: Incêndio em mato e pasto
Belas: Acidente com ferido grave
Guarda: Burlão detido pelo SEF
Alvaiázere: Despiste fere quatro
Bivalves: Apanha proibida

Capa do Público Público

Lucro da Zon sobe 21,6% no primeiro semestre
Jorge Moreira da Silva: chegar ao Governo após duas falsas partidas
Português é o único totalista do Euromilhões
CGD distribui pelouros da nova comissão executiva
A equipa em que ninguém acreditava está a 90 minutos do título na Libertadores
Professores só podem dar aulas se tiverem 14 no exame
Sorteio do Euromilhões

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Média de exames a Física e Química continuou negativa
Média de Matemática no 9º passou a positiva, com 54,4%
O cadáver que estrebucha
Álvaro, ou a vingança é o prazer dos deuses
Primeiro prémio do Euromilhões volta a sair em Portugal
Ministério envia aos sindicatos diplomas sobre avaliação
David Justino quer avaliar Lei de Bases da Educação

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Embarcação de imigrantes naufragou na Indonésia
Homem no Paquistão matou a filha que fugiu para casar por amor
Mick Jagger celebra 70 anos na sexta-feira
Polícia brasileira é acusada de uso excessivo de força
Portas é a chave do "novo ciclo"
Início da Jornada Mundial da Juventude
Miley Cyrus diz que Bieber é "estúpido" se não parar

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

Habemus Governo?
Fia-te na dívida e não corras
Um ministro que passou ao lado do País
Pires de Lima chega finalmente ao seu Ministério
CDS recebe economia a dar sinais de crescimento
Rui Machete, o ministro que diz que o FMI não é um papão
Autoeuropa vai prolongar actividade em Portugal até 2030

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Portugal não tinha um vice-primeiro-ministro desde Rui Machete em 1985
Economia real está mais jovem e menos falida em 2013
Número de casas entregues à banca encolhe para menos de metade
O Marreta e a dívida
Subtilezas e impotência
Imprensa estrangeira: Crise política chega ao fim. Portas é o novo "homem forte" do Governo
Luís Lima: "Flexibilidade da banca tarda a estender-se aos promotores e construtores"

Capa do Oje Oje

Confiança dos consumidores impulsiona euro
Consórcio anglo-norueguês abandona pesquisa de gás em Moçambique
Novos microchips imitam funcionamento do cérebro em tempo real
Japão precisa subir imposto sobre vendas em 2014, diz ministro das Finanças
Ryanair preparada para vender participação na Aer Lingus
Investimento em comboios na China pode absorver excesso de aço
FC Porto "campeão" português nos prémios monetários UEFA, Sporting na cauda

Capa do Destak Destak

Mais de meio milhão de jovens na abertura da Jornada Mundial da Juventude
Portuguesa apresenta hoje biossensor portátil para detetar certos tipos de cancro
Inundações na Coreia do Norte deixam oito mortos e milhares sem casa
Série de ataques no oeste do México deixa 22 mortos -- oficial
Vice-presidente chinês em Pyongyang para aniversário do fim da Guerra da Coreia
Descontaminação na zona de Fukushima vai custar quatro vezes mais do que estimado
EUA e México firmam acordo de troca de informações para reforçar segurança fronteiriça

Capa do A Bola A Bola

Dragões terão oferecido Kléber ao Saint-Etienne
Rooney não fecha a porta ao Arsenal
Fredy Montero é o sócio número 101.870
Blues pretendem renovar com Mata até 2018
Kikin Fonseca revoltado com simulação de Marquez
Mulher de Totti diz que é traída todos os dias e brilha sozinha na praia
Gunners insistem em Suarez

Capa do Record Record

Comandante em todo o lado
Renúncia surpreende selecionador nacional
"Linda surpresa" para Messi
Loja oficial em breve
Soldado é a prioridade para o ataque de AVB
Maazou falha a Supertaça
Filipe Lima: «Estou a bater à porta»

Capa do O Jogo O Jogo

Isinbayeva anuncia abandono
No Brasil apontam Saviola à Grécia
Deulofeu ou Deufoleu?
Tonel reforça Feirense
Treinador peruano perde a cabeça
Equipas apuradas para a terceira pré-eliminatória
Michelle de Brito perde nos Estados Unidos