Translator

terça-feira, 6 de agosto de 2013

DIA MUNDIAL DOS LEÕES


As capas dos jornais e as principais notícias de Quarta-feira, 7 de Agosto de 2013



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Ladrão do BES custou 100 mil euros ao Estado
Trânsito: Acidentes matam três
Amarante: Morto numa pensão
Armação de Pera: Rutura causou mosquitos
Euromilhões: Jackpot de 51 M €
Redução ‘irrelevante’
Projeto acaba

Capa do Público Público

Idade da reforma sobe para os 66 anos já em Janeiro
Governo diz que documento que envolve Pais Jorge nos swaps foi manipulado
Conheça as novas regras para as pensões do Estado
Jackpot de 51 milhões de euros no próximo sorteio
Sp. Braga continua sem perder na pré-temporada
Há “racionamento” no acesso a cuidados para idosos e dependentes
Golfinhos reconhecem-se após 20 anos de separação

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Acidente na A4 faz dois mortos e um ferido ligeiro
A embrulhada dos "swaps"
Pitão precisa de psicólogo
"Remake" beirão da sociedade dos poetas mortos
"Jackpot" de 51 milhões de euros no próximo sorteio
Assaltante do BES expulso para o Brasil
Protestos marcados frente às casas de férias de políticos

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Colisão violenta na A4 fez dois mortos
Ministério das Finanças alega que documento sobre "swaps" foi forjado
Explosão em prédio na Argentina fez pelo menos oito mortos
Atentados matam 47 pessoas em Bagdad
"Jackpot" de 51 milhões no próximo sorteio do Euromilhões
Golfinhos reconhecem-se após vinte anos de separação
Desemprego recua pela primeira vez desde 2011

Capa do i i

FMI. Alemanha deve mudar políticas se as perspectivas económicas se degradarem
Pedófilo espanhol indultado em Marrocos fica em prisão preventiva em Espanha
Frente Comum diz que corte nas pensões "é um roubo" e promete impedir medida
Parlamento russo pede apoio a Snowden em investigação sobre recolha ilegal de dados
Maduro: jornalista venezuelana despedida de TV privada por ser “chavista”
Boston. Co-autor de ataque era adepto do antissemitismo e teorias da conspiração
BE questiona Governo sobre recusa de medicamentos nos IPO

Capa do Diário Económico Diário Económico

Uma dose de Memofante para a equipa das Finanças
Uma reforma dura para os pensionistas
Juízes e diplomatas escapam a cortes de 10% nas pensões do Estado
“Os sacrifícios não foram em vão, mas houve um falhanço claro”
Swaps propostos por Pais Jorge cortavam 370 milhões ao défice
Mais de 130 famílias não conseguem pagar créditos abaixo de mil euros
Saiba tudo o que muda nas reformas da Função Pública

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

A inconsistência problemática das pensões
Your Office e Conceito Classic unem-se para reforçar liderança
Novo Governo, fantasmas antigos
Cadernos da Firmo chegam às escolas da Letónia e Lituânia
Fim do "chip" obrigatório gera pedidos de compensação
'Resgate' aos franceses com a troika à porta e um "clique emocional"
Democracia árabe

Capa do Oje Oje

Governo espera que Bruxelas antecipe para outubro apoio de 320 milhões a agricultores
Estradas de Portugal lança concurso de 8 milhões para requalificações em Leiria
Reeleito presidente do Turismo do Algarve quer unir setor na região
Lucro ajustado da Merck cresce no 2.º trimestre
Produtora de borracha Lanxess revê crescimento em baixa
Coreia do Sul baixa lucro do StanChart no 1.º semestre
Centro empresarial na Maia cria incentivos para setor primário

Capa do Destak Destak

Todo o leite em pó contaminado da Fonterra foi retirado do mercado - presidente
Pelo menos 11 mortos em atentado à saída de jogo de futebol no Paquistão
Incêndio grave deflagra no aeroporto internacional de Nairobi -- Governo
Pelo menos 12 mortos e 63 feridos devido a explosão na Argentina
Bombeiros combatem fogo em mato no concelho de Carrazeda de Ansiães
Ator norte-americano Dustin Hoffman tratado com sucesso contra cancro
Quase 90 % dos brasileiros quer reforma política - sondagem

Capa do A Bola A Bola

Jonas é reforço para a baliza
Nuno Piloto treina-se com o plantel
Anderson Grafite assinou por uma época
Leão rescinde com Dominguez
Paulo Fonseca aposta em sete repetentes de há um ano
Águias recusam pagar €2 milhões por Funes Mori
Slimani já fez testes médicos

Capa do Record Record

Último duelo com Jardim foi na Grécia
Atsu e Quiñones são casos ainda por solucionar
Markovic: «Deixo o dinheiro para os meus pais»
Montijo lidera convites para integrar iniciativa
Estonteante Miami-Chicago abre a temporada
Funes Mori: «Quero ficar tranquilo»
Etxeberria ao leme da nau alcantarense

Capa do O Jogo O Jogo

Fez dois jogos e ganhou um milhão
"Já estou melhor"
"Falei com Pepe e fui muito claro"
Miami começa com Chicago
"O Cristiano Ronaldo vai renovar, de certeza"
Presidente do Anzhi coloca todos à venda
Os três favoritos do diretor da Volta

Governo acelera para corte nas pensões do Estado em 2014




legenda da imagem
"A realidade, futura, deste pobre país... Voltam, mais uma vez, os postos de fornecimento, gratuíto, de "Sopa dos Pobre" para pessoas e crianças esfomeadas, em busca de uma lata de sopa e uma fatia de pão". Triste sina a minha... Bem me lembro, no Porto, depois de ter acabado a II Guerra Mundial, ver gente de cara de fome, com uma lata na mão na bicha da sopa dos pobres no posto da Fernandes Tomaz:

Está em fase de finalização o diploma que enquadra cortes de dez a 15 por cento nas pensões da Caixa Geral de Aposentações, uma medida de efeito retroativo que deverá ser implementada a partir de janeiro do próximo ano. A notícia é destacada na imprensa desta terça-feira. Dia em que o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, e as estruturas sindicais retomam a discussão da nova Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas.

As equipas recompostas do Fundo Monetário Internacional e da União Europeia regressam a Lisboa em setembro. E as negociações com os sindicatos dos trabalhadores da Função Pública vão estar paradas durante o mês de agosto. Pontos-chave do calendário governativo que poderão levar o secretário de Estado da Administração Pública a colocar já esta terça-feira sobre a mesa das derradeiras reuniões com as estruturas sindicais uma das medidas mais significativas da cartografia de cortes permanentes no Estado.Além do corte nas pensões, o memorando da troika para 2014 propugna o “aumento efetivo de um ano na idade da reforma para 66 anos, a implementar “por via do fator de sustentabilidade”.

Passos Coelho afirmou em maio que “a idade legal da reforma se mantém nos 65 anos, mas que só aos 66 não haverá penalização”. No memorando, aponta o Negócios, a troika assume que “ninguém se pode reformar antes dos 66 anos”. Com a exceção do “desemprego prolongado”.

Público, Jornal de Negócios e Diário de Notícias dão destaque aos planos do governo para os pensionistas da Caixa Geral de Aposentações.
Está a ser ultimado, de acordo com os dois primeiros diários, o diploma que oficializa um corte geral de aproximadamente dez por cento nas pensões dos funcionários públicos, excluindo-se os rendimentos abaixo dos 600 euros. Ou de até 15 por cento, segundo o Diário de Notícias, que sublinha o facto de a pensão média dos antigos profissionais do Estado rondar hoje os 1200 euros.

No memorando da troika para o próximo ano, decorrente do sétimo exame do Programa de Assistência Económica e Financeira, está prevista uma poupança de 672 milhões de euros com esta medida. Com as salvaguardas já propaladas pelo governo, porém, o encaixe poderá ser menor.

O Sol havia já noticiado no final da semana passada, com base em “três fontes do executivo”, que os cortes nas pensões da Caixa Geral de Aposentações ocuparam boa parte da última reunião do Conselho de Ministros antes das férias. Com o governo a procurar equilibrar os fatores “orçamental, constitucional e da coesão política e social”. Foram quatro, escrevia então o semanário, as propostas de trabalho produzidas após a sétima avaliação do resgate financeiro; a escolha “recaiu sobre uma que tenta graduar os cortes previstos sobre as pensões que estão hoje a ser pagas”.

Para o cálculo das pensões dos trabalhadores do Estado, explica o Público, valem os salários auferidos até ao termo de 2005, ao qual é deduzido o desconto de 11 por cento para a Caixa Geral de Aposentações, com o limite de 5030 euros, e a média dos vencimentos a partir de 2006. Para os funcionários mais antigos, a pensão representa perto de 90 por cento do último salário. A meta do governo é a de um rácio de 80 por cento. A medida destina-se sobretudo aos profissionais que chegaram aos quadros do Estado até 31 de agosto de 1993.

O corte, salienta o mesmo jornal, é para aplicar a futuros e atuais pensionistas, o que suscita não apenas “fortes reservas” por parte dos sindicatos mas também de alguns constitucionalistas. O certo é que os credores internacionais encaram a convergência entre os regimes da Caixa Geral de Aposentações e da Segurança Social como uma “meta estrutural”, que não será passível de ser substituída.
“Requalificação” e rescisões

Na agenda oficial da última ronda de negociações entre governo e sindicatos, antes da pausa de agosto, está a discussão da nova Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, cuja entrada em vigor está prevista para janeiro de 2014.

As alterações que o executivo quer introduzir passam pela redução do número de dias de férias, pelo alargamento do horário de trabalho de 35 para 40 horas semanais, pelo aumento dos descontos para a ADSE, pela substituição do regime de mobilidade por um modelo de “requalificação” – encarado pelo sindicatos como porta aberta para despedimentos – e pelo programa de rescisões voluntárias. A que se soma a redução do número de dias de férias de 25 para 22.

Ao abrigo do modelo desenhado para substituir a atual mobilidade especial, os trabalhadores encaminhados para “requalificação” podem, ao fim de 12 meses, optar por permanecer em lista de espera para colocação, sem auferirem salário, ou pela cessação do contrato, podendo aceder ao subsídio de desemprego.

Relativamente ao programa de rescisões amigáveis incluído no anteprojeto da Lei Geral do Trabalho, prólogo de um futuro Código do Trabalho da Função Pública, estão previstas compensações de mês e meio de salário por ano de trabalho para os trabalhadores até aos 50 anos de idade, de 1,25 meses entre os 50 e os 54 anos e de um mês entre os 55 e os 59 anos.

GUERRA E PAZ

Carregadores de G-3 oferecidos a Luanda

As autoridades angolanas solicitaram a Portugal, a cedência de 5.000 carregadores para espingarda automática G3. Segundo despacho do ministro da Defesa, Aguiar-Branco, essa cedência foi autorizada a título gratuito, às autoridades angolanas. Será que, desta vez, o Jornal de Angola não vê nisso uma prepotência dos colonizadores?

SWAPS: "TOXINAS QUE NOS LEVARAM À MISÉRIA SEM CAUSA"



O primeiro-ministro deu-me a garantia absoluta que sobre a Dra. Maria Luís Albuquerque não pesa qualquer coisa menos correcta. Esta foi uma garantia absoluta que recebi do senhor primeiro-ministro.” Cavaco Silva 2 de Julho de 2103

Quinta-feira, Agosto 01, 2013

O mundo é muito pequeno



Portugal não utilizou os instrumentos a que a Grécia recorreu para maquilhar as contas públicas. Mas houve quem tentasse levar o Estado português a fazê-lo.

Logo em 2005, mal o Governo de José Sócrates tomou posse, o Citigroup tentou oferecer uma “solução para melhorar o ratio dívida/PIB em cerca de 370 Milhões de euros em 2005 e 450 M de euros em 2006”. Essa solução passaria pela aquisição, pelo Estado português, de três contratos de swap fornecidos pelo Citigroup. O documento, entregue pelo banco ao IGCP, ao Ministério das Finanças, e ao gabinete do primeiro-ministro, explicava, no final, as vantagens: “Os Estados geralmente não providenciam [ao Eurostat] informação sobre o uso de derivados. (...) Os swap serão, efetivamente, mantidos fora do balanço”.

Sócrates recusou a proposta apresentada por Paulo Dray, director-executivo para Portugal do Citi, e por Joaquim Pais Jorge, director do Citibank Coverage Portugal.

Talvez estes dois nomes não digam muito ao leitor. Refresque-se a memória:
    • Paulo Dray é o responsável da consultora Stormharbour, que foi agora contratada por Maria Luís Albuquerque para analisar… os contratos de swap das empresas públicas;
    Joaquim Pais Jorge, depois de ter sido convidado pelo actual governo para dirigir a Parpública, empresa que gere as participações do Estado, com um papel fundamental nas privatizações em curso (na da EGREP, o Citigroup é escolhido para prestar assessoria financeira), foi nomeado secretário de Estado do Tesouro, ocupando o cargo de Maria Luís Albuquerque, quando a Miss Swaps foi alçada a ministra das Finanças.

O Citigroup é uma instituição com pergaminhos na política portuguesa. Foi esta instituição financeira, era Manuela Ferreira Leite ministra das Finanças no governo Barroso/Portas, que comprou créditos fiscais (para reduzir artificialmente o défice orçamental) que os governos de Sócrates andaram a pagar durante anos, negócio (sem qualquer risco) que bem caro saiu ao Estado. Tinha então como responsável em Portugal Vítor Martins, antigo secretário de Estado de Cavaco que hoje desempenha as funções de consultor do Presidente da República. O mundo é muito pequeno.

".....a pobreza violadora da dignidade humana"......

A Frase


Infelizmente o credo do mercado parece não reparar no efeito colateral que é o capitalismo de catástrofe, que implica a fadiga tributária, o desemprego, a quebra de produtividade, a pobreza violadora da dignidade humana, uma situação que alguns países, que não servem nem de exemplo nem sequer de lembrança, dominaram com total esquecimento do Estado de direito.
Adriano Moreira, Diário de Notícias

NOTÍCIA FÚNEBRE - MORREU O JOAQUIM



Prezadas associadas, prezados associados

Vimos por esta forma dar-vos a triste notícia da morte do Joaquim, cujo funeral se realiza pelas 15 horas desta quinta-feira partindo da Igreja de Fanhais/Nazaré, homem que muitos conheceram, quer como associado interveniente em assembleias-gerais e depois como membro da Comissão Executiva, quer em acções de formação ou como membro dos gabinetes dos Secretários de Estado José Cesário e Carlos Gonçalves.

Começando por ser um perseverante defensor dos colegas da "província francesa" - vulgo frança 2 -, ainda hoje objecto de discriminação salarial, correspondeu ao desafio que lhe lancei para "falar menos e trabalhar mais", tendo integrado a Comissão Executiva eleita em 1999. E correspondeu inteiramente ao desafio: visitou muitos dos postos desta vasta área, os colegas filiaram-se quase a 100% e tornaram-se mais participativos.

Participou activamente num período profícuo da acção sindical, com a ponta final da luta pelo êxito que foi a execução do nosso Estatuto Profissional, tendo vindo a apresentar a sua demissão em 2003 para responder ao apelo da política. Mas esta opção, trouxe-nos a vantagem de um sócio no executivo governamental e, sediados em Lisboa, aproximou-nos pessoalmente, permitindo a consolidação de uma amizade.

Pude assim usufruir da lealdade e da disponibilidade do Joaquim, sempre manifestadas com assinaláveis boa disposição, capacidade de convivência e cordialidade.

Estas características eram a expressão da força com que lutou pela vida contra a adversidade - e viveu a lutar: pela alegria, mesmo como sportinguista, pelo sindicato.

Sim, o Joaquim viveu lutando e sabia lutar.
Deixa muitas saudades.
Obrigado e Adeus

Jorge Veludo
(secretário-geral da Comissão Executiva)

VÊEM AÍ, OUTRA VEZ, OS CHICOS FININHOS DO RUI VELOSO





O corte retroativo das pensões da Caixa Geral de Aposentações está a levar muitos reformados da Função Pública a fazerem ainda mais contas.

A FATALIDADE QUE NÃO LARGA OS PORTUGUESES!!!...