Translator

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Depois do chumbo do TC, Passos fala em segundo resgate



 Pedro Passos Coelho disse que o Governo irá «estudar» as objeções levantadas pelo Constitucional, mas também abordou a eventual necessidade de um segundo financiamento.

«Se não formos capazes nos próximos meses de sinalizar aos nossos credores esta reforma estrutural do Estado que garanta que a despesa baixa de uma forma sustentada, o que acontecerá é que não estaremos em condições de prosseguir o nosso caminho sem mais financiamento, sem um segundo programa que garante ao país os meios que ele precisa», declarou Passos Coelho. 
 
O chefe do Governo tamb+em disse que «É preciso estudar e ver exatamente quais são as objeções que o Tribunal Constitucional tem e de que forma é que nós poderemos ultrapassar essas objeções e corrigir os fundamentos de inconstitucionalidade do diploma», à margem da sessão solene de inauguração dos Edifícios-Sede do Município e do Centro de Memória do Forte S. João de Deus.  

Passos Coelho reagia ao chumbo do Tribunal Constitucional à Lei da Mobilidade dos funcionários públicos, afirmando que se o Governo não poder baixar os salários, nem as pensões, nem reduzir o emprego, o caminho será um segundo resgate. 
 
«Há sempre outras medidas que se podem encontrar, o que podem é não ser medidas tão justas, tão eficazes e que de alguma maneira possam produzir no longo prazo os resultados que nós esperávamos», comentou. . A alternativa seria o aumento de impostos, mas o chefe do executivo disse não acreditar «que o país consiga suportar mais aumentos de impostos para resolver o problema do Estado».  

Passos Coelho espera que o Tribunal Constitucional não tenha uma visão «demasiado restritiva» que o país não consiga evitar o que classificou do «calvário, que seria para Portugal ter de negociar um segundo programa de apoio em que as contrapartidas que os financiadores oficias exigiriam seriam ainda mais difíceis» do que as atuais. 
 
«Esperamos que não haja um leitura demasiado restritiva desse princípios constitucionais a propósito desses diplomas porque no seu conjunto eles são essenciais para as reformas que o país precisa de fazer», insistiu. 
 
O primeiro Ministro reiterou que «é preciso comprimir ainda mais a despesa sob pena de as pessoas ficarem no país uns a pagarem o preço do ajustamento porque estão desempregados, outros porque perderam os seus negócios e ainda a ter de pagar impostos para que o Estado se mantenha para além daquilo que é razoável». 
 
Os juízes do Tribunal Constitucional (TC) chumbaram na quinta-feira o regime jurídico da «requalificação de trabalhadores em funções públicas», cuja «fiscalização abstrata preventiva» tinha sido pedida pelo Presidente da República. 
  .  
O juiz presidente do tribunal, Joaquim Sousa Ribeiro, esclareceu na quinta-feira que alguns artigos foram declarados inconstitucionais por violarem a «garantia da segurança no emprego» e o «princípio de proporcionalidade constantes dos artigos 53 e 18 número dois da Constituição da República Portuguesa».

"AS CINZAS DO BORGES NAS TECLAS DE PULIDO VALENTE"


A Frase

Se pensarmos no ascendente que a profissão de economista tomou em Portugal, é logo claro que António Borges era uma personagem importantíssima de um pequeno grupo que se julga destinado a governar Portugal e que atribui a desgraça para que o país pouco a pouco resvalou ao simples facto de os políticos há 30 anos se recusarem a seguir as suas receitas. De um lado, a ignorância triunfante dos partidos. Do outro, a infalível sabedoria de uns tantos privilegiados, que se educaram em Princeton ou em Harvard, em Stanford ou em Yale.
Vasco Pulido Valente, Público

KAOS:Lágrimas de crocodilo

Não, estas lágrimas que o Passos Coelho verte não são pela morte de mais um jovem bombeiro na luta desigual contra o fogo criminoso e a falta de prevenção nas nossas matas e florestas. 
 
Estas lágrimas são de crocodilo pelo chumbo do tribunal Constitucional à lei que permitia os despedimentos na função pública. 
 
São de crocodilo porque há que dramatizar e usar este chumbo para justificar os maus resultados que inevitavelmente virão à tona quando se fizerem as contas do descalabro destas politicas. São de crocodilo porque servirá de justificação para outras medidas ainda mais gravosas e duras para todos nós. 
 
Já aqui o disse e repito. esta gente que nos governa não presta, não em termos técnicos que para ladrões são bons, mas em termos de dignidade e respeito pelos cidadãos que não sejam ou ricos ou amigos. 
 
Esta gente não se importa que a pobreza suba, que cada vez haja mais gente sem dinheiro para comer e que veja a esperança no futuro a desaparecer de dia para dia. Esta gente é má, mesquinha, mentirosa, hipócrita e uma cambada de filhos da puta.

TURBULÊNCIA NUM AVIÃO DA THAI AIRWAYS CAUSA FERIMENTOS LIGEIROS.

Imagem onde se observa o tecto da aeronave furado devido ao arremesso dos tripulantes contra o tecto .
.
Hong Kong (China) - Um avião da Thai Airways foi abalado por turbulência violenta em vôo com destino a Hong Kong (China) Houve pequenos danos na cabine de passageiros e vinte feridos.  
.
O avião, Airbus A380, matrícula HS-TUA TG600, voava do aeroporto internacional de Suvarnabhumi (Banguecoque-Tailândia) a caminho do Aeroporto Internacional Chek Lap Kok, em Hong Kong , com 500 passageiros e 26 membros da tripulação a bordo, decolou por volta de 08:15 hora local, e dentro de uma hora de vôo estaria no seu destino, quando  turbulência severa balançou o corpo da aeronave. 
.
Vinte pessoas que não estavam com o cinto de segurança  foram projectadas ao tecto batendo com a cabeça nos compartimentos de bagagem ou no forro do teto. Os pilotos ficaram ilesos e sem necessidade de cuidados médicos. 

 Puncharee do Vale, a primeira a contar do lado esquerdo, foi hospitalizada em Hong Kong com ligeiros ferimentos na cabeça.
.
Entre a tripulação seguia a senhora Puncharee do Vale, hospedeira da linha Nacional Tailandesa, esposa de Marcos do Vale, funcionário da Embaixada de Portugal em Banguecoque, sendo hospitalizada, com ligeiros ferimentos, na cabeça. Telefonamos há momentos a Marcos do Vale e informou-nos que a esposa se encontra bem.
José Martins 
Fonte: AQUI