Translator

domingo, 29 de setembro de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 30 de Setembro de 2013.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Débora namorou com jogadores do plantel do Sporting
Fogo no alfa causa pânico
Acidente violento na ponte 25 de abril
Cáritas: "Permece por resolver pobreza envergonhada"
‘Espião’ iraniano preso
Almirante suspenso nos EUA
Como vai estar o tempo no regresso ao trabalho

Capa do Público Público

Divulgação de resultados suspensa por falta de comunicação com juntas e câmaras
PS ganha ANMP e o PSD tem um dos piores resultados de sempre
Apoiantes de Paulo Vistas celebram vitória junto da prisão da Carregueira
Contagem até ao último voto dá triunfo aos socialistas em Coimbra
Basílio Horta (PS) destaca vitória "muito saborosa" em Sintra
Marco Almeida perde Sintra mas promete que movimento independente “é para continuar”
PS conquista maioria das câmaras do Algarve mas PSD resiste em Faro

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

E os vencedores são: nós, o PS e o PSD!
Seguro vence o primeiro teste eleitoral
Atrasos na linha do Norte devido a incêndio em Alfa
Época crítica termina com 120 mil hectares ardidos e 9 mortos
PSP deteve 15 pessoas por condução sob efeito de álcool
Apelo ao voto
O que é reflexão num país tão baço?

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Vitória histórica empurra PS para mudança do ciclo político
Apoiantes de Paulo Vistas celebram vitória junto da prisão da Carregueira
Votos nulos em Gondomar atingiram quase 11% do total
Os 17 municípios da Junta Metropolitana do Porto
Imprensa estrangeira destaca "pesada derrota" para PSD de Passos Coelho
Tribunal vai recontar votos de freguesia de Celorico de Basto após empate
Pensionistas perderam 20% do poder de compra

Capa do i i

Marques Mendes defende antecipação do congresso do PSD
PSD. Moita Flores assume derrota em Oeiras
Alegre. PS é o vencedor e PSD teve um "desastre claríssimo"
João Semedo assume derrota do BE para PS de Salvaterra de Magos
PSD. Pedro Pinto assume "derrota pessoal" em Sintra
Troika anuncia 'pausa' nas negociações com a Grécia
PSP recebeu duas queixas de irregularidades em Matosinhos

Capa do Diário Económico Diário Económico

Sobe & Desce autárquico
Novas regras de indemnizações por despedimento em vigor amanhã
Passos perde eleições mas mantém austeridade
PS ganha eleições e fica com o maior número de câmaras
Moreira quer fazer do Porto um exemplo para o País
António Costa segue com nova maioria absoluta
Seguro garante que reforça liderança com vitória do PS

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Basílio Horta vence Sintra numa luta até ao fim
A vergonha da reestruturação da dívida
Jardinar de manhã não deu sorte a Pizarro
As imagens da noite eleitoral em Lisboa
Primeira derrota "acaba" com o político Menezes
As imagens da noite eleitoral no Porto
A campanha "privada" acabou numa noite quase privada de Seara

Capa do Oje Oje

TAAG faz 2º voo regular Luanda-Pequim
Economia de custos leva Siemens a cortar 15 mil postos de trabalho
Governo antecipa poupar mais na alteração do horário na função pública
Troika faz "pausa" nas negociações gregas
BCE deverá manter taxa de juro inalterada na 4ª feira
CE nega estar a trabalhar para 2ª resgate a Portugal
PSI 20 fecha semana a perder 0,64%

Capa do Destak Destak

Autoridades chinesas revelam, pelo menos, 74 desaparecidos em três naufrágios no sul do país
Antiga dirigente de banco chinês condenada a 3 anos de cadeia pior falsificação de documentos para compra de casas
Três mortos em ataque com drone norte-americano no noroeste do Paquistão
"Grandes" conhecem adversários para estreia na Taça de Portugal
Mais de 53 mil processos de proteção de crianças e jovens no primeiro semestre
Número de mortos do ataque em Peshawar sobe para 42
Protestos em Kuala Lumpur contra lei que permite prisão sem julgamento

Capa do A Bola A Bola

Defour e Varela devem ser titulares na Champions
Capel trata-se e é reavaliado
Cruzeiro reforça liderança
Ranieri elogia exibição de Moutinho
Pedro convocado mas em dúvida para Glasgow
Adivinhem quem voltou? (com fotos)
Pellegrini não deita a toalha ao chão

Capa do Record Record

Lucho num duelo de históricos
Milhões ainda sem retorno
Comitiva parte amanhã
V. Setúbal-Gil Vicente: Galo de Barcelos para terminar jejum
Guardiões não esquecem o passado
Igualado o pior registo defensivo
Diakité todo-o-terreno

Capa do O Jogo O Jogo

James Rodriguez pede fim da violência no futebol
As imagens de um herói
João Costa vence Taça da Europa em França
Atenção Vitória: Bétis faz o que ninguém tinha feito
O que fizeram ao tornozelo de Tévez
Quique Flores novo treinador do Al Ain
Mancini muito perto de treinar Bruma

Os impostos são só para os outros?

 por José Vítor Malheiros

O objectivo das empresas com morada na Holanda é a dupla não-taxação: não pagar nem cá nem lá.
 
O relatório tem como título “Avoiding Tax in Times of Austerity” e como pós-título “Energias de Portugal (EDP) and the Role of the Netherlands in Tax Avoidance in Europe”, foi publicado há dias e já deu origem a várias notícias de jornal. O seu autor é a SOMO, uma organização holandesa sem fins lucrativos, dedicada ao estudo do desenvolvimento sustentável e que há quarenta anos monitoriza o funcionamento das multinacionais e o impacto da sua acção no desenvolvimento económico, no ambiente e nos direitos humanos.

O que diz o relatório? Explica como é que as grandes empresas portuguesas fogem aos impostos em Portugal criando empresas-fantasma na Holanda (mailbox companies, assim chamadas por terem pouco mais do que uma caixa de correio), fazendo passar por elas os seus fluxos financeiros, beneficiando não só das condições fiscais vantajosas que a Holanda oferece às empresas estrangeiras como conseguindo por vezes, como fez a EDP, acordos especiais com o fisco holandês que lhes garantem uma “dupla não-taxação”.

“Dupla não taxação”? Sim. Estas empresas não pagam ou quase não pagam impostos nem cá nem lá, graças a uma hábil utilização das leis fiscais, à conivência das autoridades fiscais holandesas que ganham com o negócio das empresas-fantasmas cerca de mil milhões de euros por ano e, claro, à benevolência generalizada, em Portugal e na UE, relativamente aos abusos do grande capital.

A expressão “double non-taxation” aparece 15 vezes nas 30 páginas do relatório e é o Santo Graal do “planeamento fiscal agressivo” - o eufemismo utilizado para descrever a fuga, legal ou ilegal, aos impostos.

O relatório da SOMO não tem nenhuma novidade de fundo. Os advogados que aconselham as empresas sobre as melhores maneiras de fugir aos impostos, os activistas que combatem a mesma fuga aos impostos, os políticos e os jornalistas da área conhecem bem esta situação, que é objecto de discussão em organizações internacionais há anos. Por isso, o relatório foi objecto de algumas notícias mas não suscitou a indignação generalizada que teria sido justa. 
E, no entanto, esta é uma das razões principais da crise que vivemos, da desigualdade crescente das nossas sociedades, da erosão da democracia que todos sentimos. Graças aos buracos nas leis nacionais e às lacunas nas leis internacionais, as grandes empresas conseguem fugir às suas obrigações fiscais e defraudar o Estado enquanto usam as infraestruturas que os cidadãos pagam com o seu trabalho. A fuga aos impostos é o roubo por alguns do património de todos.

É por isso que é chocante a mentira que Passos Coelho gosta de repetir segundo a qual “não há dinheiro”. Não há dinheiro para a saúde ou para a educação. Não há dinheiro para pensionistas ou para desempregados. Não há dinheiro para as universidades ou para as pequenas empresas. Mas há dinheiro para compensar a fuga aos impostos das grandes empresas. Mais: os mesmos políticos que repetem que não há dinheiro são os que nunca levantam um dedo nos fóruns internacionais para combater a evasão fiscal. E os empresários que mais falam de patriotismo e que pregam que temos de trabalhar mais são os mesmos que vivem à conta dos impostos que nos roubam.  
Dezanove das empresas do PSI 2 têm empresas de fachada na Holanda. E o Governo adula as grandes empresas que fogem aos impostos enquanto esmifra os trabalhadores por conta de outrem. Como a famosa milionária americana Leona Helmsley (que foi presa por fuga ao fisco) o Governo acha que só os pobres é que devem pagar impostos.

A Comissão Europeia estima que o total perdido devido à fuga aos impostos é de um milhão de milhões de euros por ano. Quando se olha para o que as empresas roubam à comunidade através dos seus advogados pagos a peso de ouro e dos políticos corruptos que metem no bolso percebe-se deonde vem a dívida pública. Quando nos roubam é natural que fiquemos com um défice. Só a parte legal dessa fuga aos impostos é estimada em 150.000 milhões de euros. Mais do que o orçamento total da União Europeia.

Não há dinheiro para pagar pensões quando as grandes empresas dão o golpe do baú todos os anos, perante o sorriso seráfico de Maria Swap Albuquerque. A SOMO diz aliás a certa altura que “apenas podemos especular sobre as razões por que as autoridades fiscais portuguesas não levantam junto das autoridades fiscais holandesas” a questão da fuga aos impostos das empresas portuguesas.

Imagine por um momento que tínhamos um Governo honesto, empenhado em fazer cumprir a lei, em combater este regime de crime social tolerado. Qual seria a importância da nossa dívida? Seria possível continuar a destruir o Estado Social com o argumento da falta de dinheiro? Seria possível continuar a vender ao desbarato o património público? Não. 


É por isso que podemos ter a certeza de que, com este governo, a actual situação de saque legal e fuga das empresas para paraísos fiscais como a Holanda irá continuar.

O LUIS MERECE SER AJUDADO!!!....

Serviço público - Este "As cuecas" .


 
"As Cuecas" é o título dum livro editado pelo próprio autor – Luís Duarte. A narrativa gira à volta duma história de amor e desamor divertida, com muita crítica social e política à mistura.
.
Para obter mais informações consulte o estendal das cuecas: www.literaturadecordel.pt

JESUS: "O TERRÍVEL!"








 

KAOS: O palhaço de serviço



antonio jose seguro the clown eleitoral
"Esta campanha eleitoral superou as minhas expectativas, porque sinto que há uma relação de confiança que se estabeleceu entre os portugueses e o PS", sustentou António José Seguro em declarações à agência Lusa. "Já fiz imensas campanhas e, nesta, em vez de ser eu a dizer às pessoas que conto com elas, são as pessoas que me dizem força, precisamos de si, não desista, isto só lá vai quando o senhor for primeiro-ministro"
Só me vem à cabeça um nome para isto para além de trampolineiro; Palhaço.  Mas há alguém neste país que acredite que alguém neste país acredite que este aldrabão é solução seja lá para o que for? Haverá alguém que acredite e lhe diga  "precisamos de si", que isto lá vai quando ele for Primeiro-ministro. Ele não passa de mais um Boy saído das juventudes, mais um que não sabe o que é a vida real, mais um que nunca fez nada mais na vida que a baixa politiquice. É mais um para quem o mundo é o que se passa em gabinetes, em acordos de corredores, em promessas de tachos e oferta de favores. O futuro deste país passa por uma mudança real de politicas  e não por substituir simplesmente o palhaço do circo. E este nem piada tem.

PORTO:PARABÉNS AO RUI MOREIRA

O de baixo foi colher urtigas... de tanga e salvou os sapatos!
O caramelo a seguir: coitadito perdeu tudo na vida.... A Judite de Sousa e o Miguel Relvas o que disse: Fernando Seara para a câmara de Lisboa são favas contadas! O Fernando vai continuar a trabalhar como comentador de futebol na TVI... Está safo!!!


KAOS:Os vampiros eleitorais


cavaco silva vampiro dracula
Cavaco Silva começou por dizer que e na campanha eleitoral destas autárquicas “o esclarecimento dos eleitores foi prejudicado pela falta de clareza da legislação aplicável à apresentação das candidaturas e à cobertura da campanha eleitoral por parte da comunicação social”.
Sendo assim, continua, a campanha foi “limitada por condicionantes consideradas anacrónicas no contexto da sociedade da informação contemporânea”.
Nestas eleições vi finalmente a Comissão Nacional de Eleições tomar uma posição correcta quando obrigou que todas as campanhas de todos os candidatos tivessem coberturas televisivas idênticas.  Se são todos candidatos aos mesmo cargos é justo que todos possam defender as suas ideias com as mesmas armas. 

Claro que as televisões protestaram e resolveram não cobrir a campanha, o que diga-se de passagem foi óptimo. Mentira, porque os grandes, para além de já terem todo o poderio de máquinas eleitorais, milhões para gastar em outdoors, cartazes, panfletos, sacos, bonés, canetas e sei lá que mais, ainda tiveram os lideres partidários a fazer campanha com as televisões atrás por todo o país, mas foi melhor que antes.
 

Ora, quem é que havia de sair da tumba para, em vez de se vir congratular por uma maior igualdade de oportunidade para todos, veio apelar a uma mudança da lei que crie essa mesma desigualdade. Esse é um dever de qualquer Presidente da Republica que o fosse não só de nome mas na realidade,  "A campanha foi “limitada por condicionantes consideradas anacrónicas no contexto da sociedade da informação contemporânea". 

Desde quando é que a igualdade é anacrónica. E porque só o consideram nestas eleições? É por terem surgido um número muito maior de candidaturas fora dos partidos? É porque temem que os cidadãos se organizem e possam em muitos casos vence-las.
Mas, eu também quero que a lei eleitoral mude, mas que mude para facilitar a cidadania, a presença de mais gente com possibilidade de se candidatar, uma maior igualdade de todos apresentarem os seus programas e ideias em igualdade de oportunidades. 

Que a democracia se torne mais directa e transparente com os cidadãos a serem chamados a participar mais e a serem voz activa nas decisões mais importantes que mexem com a sua vida. Porque se esta lei eleitoral é anacrónica ainda mais o é a forma da democracia representativa que temos. Vivemos na era da informação. 

É possível conhecer a vontade de cada um de nós quase instantaneamente, é possível perguntar a cada português que decida a cada instante. Se o todo sagrado dinheiro pode circular na rede em segurança, também as nossas escolhas o poderiam fazer. 

Eu queria poder aprovar ou não o próximo orçamento, a lei laboral, os cortes na saúde e educação, os resgates, os tratados, tudo. Democracia mais directa e verdadeira é o caminho.

As capas dos jornais e as principais notícias de Domingo, 29 de Setembro de 2013.


Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Vieira fala em "faixas encomendadas"
Autárquicas com 174 mil candidatos
Detido com 50 quilos de canábis
Telhado cai e fere três na Madeira
Lima Coelho critica assistência médica
Mundial: Portugal fica em terceiro com goleada de 10-3
Dilma regressa ao Twitter

Capa do Público Público

Processos penais contra os cinco deputados neonazis detidos na Grécia
Depois da campanha minimalista, noite eleitoral da TV termina no cabo
Espanha pentacampeã mundial de hóquei em patins
Totoloto: Chave do Concurso 78/2013
Atlético ganha no Bernabéu e deixa Real a cinco pontos
Bebé nasce a bordo de helicóptero da Força Aérea nos Açores
Pinto da Costa cumpre promessa e sonho com inauguração do Museu do FC Porto

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

SEF deteve duas estrangeiras em Mirandela
Apelo ao voto
O que é reflexão num país tão baço?
"Cheque-ensino poderá fazer escola de pobres e ricos"
António Arnaut indignado com desmentido da Saúde
Quercus alerta que chuva pode contaminar água
Aumento das horas de trabalho prejudica doentes

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Dragões de ouro a brilhar para a eternidade
Museu é um admirável mundo novo no Dragão
Economia social ampara 600 mil necessitados
Jennifer Lopez magra... e sem curvas
Remou até à margem com amigo morto no barco
A vírgula
Rui Machete disponível para esclarecer Parlamento

Capa do i i

Aquecimento global vai afectar produção agrícola de estuários e rias portugueses
Mortalidade por cancro é menor nos países europeus que gastam mais em saúde
Enfermeiros advertem que aumento do horário do trabalho penaliza doentes
Síria: conferência sobre a paz prevista para meados de novembro em Genebra
Pelo menos 22 mortos, 33 desaparecidos e 25 sobreviventes em naufrágio na Indonésia
Espanha quer passar a ter hora portuguesa
Presidente do Santander e director da Stormharbour explicam swaps na próxima semana

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

"Dinossauros" e boicote televisivo são ingredientes nunca antes vistos em autárquicas
Governo duplica a poupança que espera em 2013 com as 40 horas na função pública
PT acredita que centro de dados da Covilhã é 34% mais competitivo
Ministro admite "atraso" na divulgação de resultados eleitorais
PwC: IRS chega a levar mais de 13% do valor das indemnizações a quem rescindir com o Estado
Funcionários públicos trabalham mais uma hora por dia a partir de hoje
SPD aceita discutir com Merkel com vista a "grande coligação" para o Governo

Capa do A Bola A Bola

João Eusébio contestado mas firme
Costinha concede folga extra ao plantel
Almeida Antunes reeleito
«João Moutinho é tão portista como nós» - Pinto da Costa
Kelvin eleito atleta jovem do ano
«Benfica está melhor que o PSG» - Ricardo Carvalho
Messi arrisca três semanas de paragem

Capa do Record Record

Prenda para o museu
Só o Tacuara não chega
Luís Cirilo: «Bons árbitros só precisam de um erro para decidir»
Marcados pela mudança
Paulo Vinicius com lesão na coxa
À conquista de Florença
Villas-Boas: «Paulo Fonseca vai dar a volta»

Capa do O Jogo O Jogo

"A culpa é dos jogadores"
"Jackson é o homem do ano"
Espanha conquista quinto título consecutivo
O resumo do Braga-Sporting
Sporting passa o Águas Santas
Benfica e Sporting em jornada vitoriosa
França: resultados da 8ª jornada