Translator

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Terça-feira, 15 de Outubro de 2013.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Pedro Santana Lopes: Adversários em comum
Rogério Alves: Pista errada
Paula Teixeira da Cruz: Ministra vaiada
Cabo Verde: Rixa em barco luso
Lagoa: Incêndio em cozinha
Banqueiro julgado por burla no BPP
Lisboa: Duas farmácias roubadas

Capa do Público Público

Maioria do sumo de laranja consumido na Europa produzido por trabalhadores explorados
Louboutin consegue impedir campanha da extrema-direita belga
Mais sete lugares no Mundial do Brasil vão passar a ter dono
Entre o regresso aos mercados e o fim da troika, Portugal tenta nova troca de dívida
Banif angaria mais 71 milhões de euros junto do mercado
Ministra da Justiça vaiada em Gaia
Polícia britânica acredita que rapto de Maddie foi planeado

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Como este Governo ajuda os desvalidos
Metro mantém serviços mínimos face a pré-aviso de greve
Funcionária e alunos esfaqueados em Massamá não inspiram cuidados
Cruz Vermelha nega relação de favor com Estado a propósito da auditoria do TContas
Aluno suspeito de esfaquear 3 colegas e uma funcionária
Aluno suspeito de esfaquear 4 colegas e uma funcionária
Cruz Vermelha faturou um milhão de euros ao SNS

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Ministra diz que exceção para TAP e CGD "não será bem assim"
Trabalhadores explorados produzem sumo de laranja para a Europa
Polícia egípcia usou balas reais sobre manifestantes
Demitido por proteger sapatos de luxo de inundação
Moura Guedes "pelos cabelos" com gravações de concurso
Superavó salva amiga de morrer queimada
Cortes para quem ganha mais de 600 euros na Função Pública

Capa do i i

Jovens da Casa do Gaiato de Penafiel aceitam pedir desculpa para ser reintegrados
Três homens baleados na Cova da Moura em possível “ajuste de contas”
PCP diz que reforma do IRC é “dádiva de 70 milhões de euros ao grande capital”
Salto de Baumgartner faz hoje um ano
Schwarzenegger diz que Cristiano Ronaldo tem "corpo fantástico"
Veja onde estão os novos radares de controlo de velocidade da PSP
Apenas um terço dos associados da APED pagou a taxa de segurança alimentar

Capa do Diário Económico Diário Económico

O que nos espera
Os partidos em circuito fechado
Governo corta 12% nos salários do Estado acima de 2.000 €
Carros de serviço com taxa de 20% em IRS e de 35% em IRC
Redução da pensão de viuvez é diferente no público e no privado
Governo quer imposto de selo em terrenos de mais de um milhão
Saiba o que muda no IRC em 2014

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Merkel admite concessões aos sociais-democratas na política laboral
Zona Euro analisa em Dezembro défice de financiamento na assistência à Grécia
OE2014: Excepção para TAP e CGD "não será bem assim", diz ministra da Justiça
Equilíbrio e dignidade
Ver de dentro e ver de fora
Nobel Biocare quer pôr mais dentes no sorriso dos portugueses
António Moutinho sobre as intervenções dentárias: "Neste momento o preço não é o mesmo"

Capa do Oje Oje

Produto do Estado eleva fasquia na remuneração dos DP
CMVM reforça supervisão presencial
Indicador de poupança fez máximos até julho e voltou a cair
Preferência dos gestores vai para obrigações de empresas de elevado retorno
Peugeot reitera venda de participação
Porsche prepara entrada em 15 mercados até 2020
Vendas da Ikea sobem 3,1% no ano

Capa do Destak Destak

Pelo menos 5 mortos na passagem do tufão "Nari" pelo Vietname
Atentador na província afegã de Logar matou governador
Bale custou 91 ME e Cristiano Ronaldo continua a ser jogador mais caro de sempre
Pelo menos 20 pessoas morreram em sismo nas Filipinas - oficial
Polícia birmanesa investiga explosão que feriu norte-americana em hotel de luxo
13 médicos e enfermeiras sancionados na China por promoverem leite em pó da Danone
GNR registou carjacking em Albufeira

Capa do A Bola A Bola

Sem diálogo antes do julgamento
Anderson só volta em 2014
Sinan Bolat a suplente de Fabiano
Inácio espia em Marrocos
Rodrigo tenta recuperação para ganhar espaço na equipa
Hayden Panettiere, de «cheerleader» a... WAG
Colchoneros tentam renovar com Godín

Capa do Record Record

O segundo maior jejum da história
Fabiano defende estatuto de Taça
Coentrão para embalar jogo ofensivo da equipa
Órfãos de Hugo Viana
Pedro Martins vai igualar recorde de Nelo Vingada
Oliveirense a abrir calendário apertado
Lugano recusa duelo "de vida ou morte"

Capa do O Jogo O Jogo

Danny treina no Zenit
"Todos querem ver sangue"
O que não fazer num livre de sete metros
Prémios maiores da Lotaria Clássica
O namoro vai bem, obrigado
FC Porto-Sporting com data e hora
"Foi uma situação de treino"

KAOS:Não há holocaustos sem fascistas…nós temos


passos coelho paulo portas holocausto das viuvas
Imagem feita através da ideia original do amigo https://www.facebook.com/silvino.ferreira.90.

HISTÓRIA DE UM PORTUGUÊS NO NORDESTE DA TAILÂNDIA


Para mais clique em baixo

PORTUGUESES NA TAILÂNDIA – “MONTEIRO DO ISARN”

PAULO BENTO - MAIS UM ARTISTA


Segundo ouvimos na RTPi, esta manhã, o artista, chapado acima na imagem ganha anualmente um milhão e meio de euros o que dividido por doze dá a módica quantia de 125 mil euros por mês. E tirando a coisa mais por miúdo quando o Paulo (artista) se levanta da cama, quer faça chuva bom ou mau tempo já ganhou 10.416  euros!!!... E se a equipa portuguesa não for ao Brasil (oxalá que não!) o Paulo está-se nas tintas porque o "cacau" já lhe canta nos bolsos. A máfia futebolística e está tudo dito!

OS NOSSOS MAIS ILUSTRES "MANGUELAS"

11 de Outubro de 2013

SUBVENÇÕES VITALÍCIAS

Pensões dos políticos custam 80 milhões de euros em 10 anos

Último relatório da CGA mostra que Estado gastou mais 3,5 milhões de euros com 383 deputados do que com os 22 311 pensionistas que ganham até 217 euros. Gastos com este "privilégio" têm aumentado todos os anos. Em 2011, regista-se valor mais elevado de sempre com este tipo de reformas: 9,1 milhões de euros.

Enquanto um funcionário público trabalha em média 30 anos para ter acesso à reforma, os políticos que até 2005 estiveram oito ou doze anos no cargo ganharam  direito a uma pensão para toda a vida. 


São precisamente essas subvenções vitalícias que vão custar quase 80 milhões de euros numa década, contando já com o valor recorde de 9,1 milhões de euros que sairão este ano dos cofres do Estado. Apesar de este regime ter sido revogado há seis anos, o número não pára de aumentar e relativamente a 2010 os gastos com este tipo de pensões vai subir 4,2%.

Na última década, a despesa subiu todos anos, gastando-se já mais 33% com pensões vitalícias do que há dez anos. A tendência é para que o número continue a disparar, pois os políticos que em 2005 já tinham conquistado o direito de beneficiar de tal regime (ou seja, já exerciam funções há doze anos ou mais) podem ainda solicitar este "privilégio". 

Ainda no último mês, o deputado e dirigente do PS José Lello viu ser-lhe atribuída uma pensão na ordem dos 2 234 euros por mês.

No rol de políticos que podem usufruir de pensões vitalícias estão não só deputados, mas também os chamados "dinossauros autárquicos". Quando as subvenções acabaram, havia mais de 117 presidentes de câmara com direito a esta subvenção, sendo que muitos ainda não a pediram.

A curva crescente dos beneficiários deste regime é comprovada pelos números: em 2002 eram 315 e agora rondam os 400 (397, em 2010).
Fazendo as contas, constata-se que o custo com as pensões dos políticos é superior ao total dos beneficiários das pensões mínimas. Em 2009, com as reformas de 383 deputados foram gastos mais 3,5 milhões de euros (um total de 8,5 milhões de euros) do que com os 22 311 pensionistas que ocupavam o então escalão mais baixo de reforma (até 227, 39 euros). Os dados constam do último relatório da Caixa Geral de Aposentações, aprovado em Maio de 2010.

A lista de pensões vitalícias inclui personalidades como o presidente do PS, Almeida Santos, e os ex-presidentes do PSD Manuela Ferreira Leite e Pedro Santana Lopes. Os candidatos presidenciais Cavaco Silva e Manuel Alegre também constam da lista, embora o actual Presidente tenha abdicado de receber a subvenção enquanto ocupa o cargo máximo da Nação.

Mais do que as subvenções vitalícias (cuja média da subvenção anda entre os dois mil e os três mil euros) são outros cargos públicos que fazem, por exemplo, alguns ex-ministros surgirem no topo das maiores reformas. O ex-ministro das Finanças Eduardo Catroga recebe da CGA 9693 euros mensais por ter sido professor universitário, mais do que as também generosas subvenções do ex-ministro da Saúde de José Sócrates, Correia de Campos (5524 euros), e de Luís Filipe Pereira (5 663 euros), que comandou a pasta da Saúde nos executivos de  Durão Barroso e Santana Lopes. Também do Governo Santana foi Daniel Sanches que se reformou da Procuradoria-Geral da República com uma pensão mensal de 7316 euros.

Muitas vezes as reformas dos políticos apresentam valores mais elevados pois estes acumulam as subvenções vitalícias com outras pensões que recebem de organismos públicos e privados.

As subvenções vitalícias foram estabelecidas por uma lei de 1985, que permitia aos deputados com oito anos de serviço político obterem uma subvenção mensal para toda a vida. Mais tarde, em 1995, o tempo foi aumentado para 12 anos. De qualquer forma, tanto o primeiro-ministro, José Sócrates como o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, têm direito a este privilégio. O socialista nunca a pediu e o social-democrata disse mesmo publicamente que recusava a subvenção. Ou seja: nunca a irá solicitar.
Em Outubro de 2005, a lei foi definitivamente revogada, embora tenha ficado salvaguardado que - os que até ali tinham direito à subvenção - ainda a podem solicitar. Daí que os encargos do Estado com este tipo de reformas não pare de aumentar de ano para ano, não se sabendo ao certo em que valor irá parar
por Rui Pedro Antunes

Como esta afronta ao povo português, que tem sofrido na pele os efeitos do "FARTAR VILANAGEM"de toda a classe política do pós 25 de Abril, não tardaram a fazer uma LEI para esconder do povo este escândalo! 
( reparem na lata destes bandalhos...!
Fique-se a saber que todos os restantes salários pagos pelo Estado, são de conhecimento público via Diário da República, só estas benesses são «sensíveis por relativas à vida privada»
É preciso não ter pudor nenhum! 
Privilégios a políticos, subvenções vitalícias e outras regalias passam a ser sigilosas

Na altura a Assembleia da República baseou-se num parecer da Comissão Nacional de Protecção de Dados que determinava que por “motivos de segurança do estado, defesa, e outros interesses públicos”, estes eram “dados pessoais (até sensíveis, por relativos à vida privada), não públicos, constantes de documentos normativos”.


PS- Estes valores são referentes ao ano 2011
No comments :

RELIGIÃO - FÁTIMA

A MENTIRA DE FÁTIMA - PADRE PORTUGUÊS CONTA TUDO!!!...


A História não esquece e não perdoa


Opinião

Por Alberto Pinto Nogueira
27/09/2013 - 09:32
Filipe II de Espanha foi I de Portugal. Mau vizinho, assaltou o extremo da Ibéria. Para acabar com dúvidas, decretou que o reino de cá lhe pertencia, que o herdara e conquistara. Comprara! Era o ano de 1580.

Teve o colaboracionismo dos traidores domésticos. O costume. Miguel de Vasconcelos foi expoente. Povo oprimido, escravizado. Impostos e mais impostos.

Em 1640, o Povo revoltou-se, farto de rei e exploração estrangeiros. Sitiado de impostos. Miguel de Vasconcelos defenestrado. O jugo durou 60 anos. A Casa de Bragança legitimou o novo poder político. Regressou a gerência doméstica.

Mais duzentos anos de História se passaram.

Portugal titubeava entre a “velha aliada” (?!), a Inglaterra, e o império francês. Em 1801, Carlos IV de Espanha e a França tramam em Madrid a sua invasão. Napoleão, insaciável de império, cozinhava a conquista de Portugal. Em Outubro de 1807, a corte portuguesa, com centenas de embarcações e navios de guerra, fez-se ao Atlântico. Assentou praça no Brasil.

Junot, general gaulês, desceu de França no dia seguinte, assaltou o reino até Lisboa. A bota cardada da França dominou uns quatro anos. Assassinatos, massacres, saques, roubos, pilhagens, violações. Um festim. Impostos. A mando do Imperador, Junot assina um decreto: 100 milhões de francos a cobrar. No regresso, o poder imperial leva tudo, santos das igrejas, seus olhos de pedras preciosas. Um sacrilégio.

A Inglaterra, “velha aliada”, como tal, mandou Wellington afrontar os galos. Foi conde, marquês e duque. Tem direito a uma estátua, na entrada do Hospital de Santo António, no Porto. Sucedeu-lhe um facínora, o marechal-general William Beresford. Estiveram cá dez anos. Mais execuções sumárias, massacres, roubos, pilhagens. Impostos. Como aliados (?), não largavam o poder de Lisboa e arredores. A Ilha tomou o lugar da Gália na opressão. D. João VI, I do Brasil, regressa. Instaura-se um regime de monarquia constitucional.

Duzentos anos depois, a História repete-se. É fado.

O país é colónia da Europa que impõe leis, regras, procedimentos, previsões orçamentais. O Ministério das Finanças é de Berlim. O orgulho de ser português definha. Emigra-se a conselho do Governo. O Povo é tratado sem honra e dignidade. Como caloteiro relapso.

O Terreiro do Paço faz de oficial de diligências. Assina de cruz a sentença condenatória do tribunal criminal de Berlim. Uma fatalidade a que é alheio. O anterior e os anteriores do anterior também. A responsabilidade criminal é do Povo. Cumpre a pena de austeridade. O Orçamento do Estado é um código penal de penas parcelares. Renega a irretroactividade da lei penal, consagra o cúmulo material das penas. Há sempre mais um corte no salário, pensão, emprego (pena), a adicionar a outro corte (mais pena). O plenário da troika decide, o Governo executa. Se fala ou espirra, sai imposto, corte, desemprego.

Cumpre ordens do invasor. Faz de Miguel de Vasconcelos.

Não fica sempre o traidor. A História não esquece. E não perdoa!

“Felizmente há luar”

Procurador-Geral-Adjunto

VOLTAMOS

Depois de ausência de quatro dias, no nordeste da Tailândia e conhecer a história de vida, fantástica, de um português, este blogue voltará, amanhã (15.10.2013) à normalidade.
Mukdahan - Fronteira entre a Tailândia e o Laos, com a Ponte de Amizade que liga os dois países.
Foto: Retirada da internet