Translator

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

NOTÍCIAS CONSULARES DA VENEZUELA

_______________________________
_________________________________

  Número de Documento: 17262539

  Caracas, Venezuela 04/02/2014 21:13 (LUSA)
  Temas: Parlamento, emigrantes
   



 Saída de pessoal pode prejudicar serviços consulares na Venezuela – deputado   


Caracas, 4 fev (Lusa) - O deputado social-democrata Carlos Páscoa alertou hoje que a recente saída de dois funcionários do Consulado Geral de Portugal em Caracas pode comprometer a qualidade dos serviços, face a um inusitado crescimento de atos.


"Portugal tem que olhar para este consulado com muito carinho, porque, apesar do crescimento que está a ter, acaba de perder dois funcionários, o que poderá vir a comprometer a qualidade dos serviços no futuro. 

Acho que há um esforço de redução de funcionários públicos em Portugal, mas eles têm que ser reduzidos onde não são necessários, onde são necessários quando saem têm que ser repostos", afirmou.


Eleito pelo círculo de emigração fora da Europa, Carlos Páscoa falava à Agência Lusa no âmbito de uma visita à Venezuela, onde já manteve contatos com autarcas locais e portugueses dos estados de Miranda, Anzoátegui e Nueva Esparta e espera fazê-lo ainda em Arágua e Carabobo.


"Uma questão importante que temos que analisar e tentar perceber é o crescimento importante no número de atos, em particular a emissão de bilhetes de identidade, de cartões de cidadão e de passaportes. É um número crescente, acho que o consulado está a fazer um trabalho excecional", declarou.


Carlos Páscoa sublinhou ainda que, com a recente saída de dois funcionários, "os que ficam vão ter que se esforçar mais e os que saíram têm que rapidamente ser repostos, para que se possa manter a qualidade e para que Portugal possa atender à demanda dos seus cidadãos".


"Se olharmos as estatísticas deste consulado, vemos que o crescimento é mensal e batem-se todos os recordes. Isto demonstra também a preocupação que a comunidade está a ter em relação ao momento que se passa na Venezuela", disse.


Segundo Carlos Páscoa, há da parte dos portugueses a "preocupação de ficar com os seus documentos prontos e das suas famílias para que, numa situação de emergência, possam estar aptos a movimentar-se", sendo "fundamental que Portugal e o Ministério dos Negócios Estrangeiros tenham uma atenção especial com os consulados da Venezuela".


Fontes consulares avançaram à Agência Lusa que o Consulado Geral de Portugal em Caracas bateu o recorde de 57.000 atos consulares realizados em 2013, mais 11,6% que no ano anterior.


Segundo o cônsul Paulo Santos, os pedidos que mais aumentaram foram os documentos de identificação, com mais 24,7% de passaportes emitidos em relação ao ano anterior.


Paulo Santos indicou que a partir na segunda metade do ano houve um “crescimento muito forte". Em dezembro, houve uma inusitada afluência ao consulado, por onde passaram cerca de 6.000 utentes.

FPG // HB  
Lusa/Fim

Sem comentários:

Enviar um comentário