Translator

segunda-feira, 31 de março de 2014

" ASAS DOS AVIÕES DA TAP VOLTAM AOS CÉUS DA ÁSIA"

.
IUSA- Esperado no aeroporto internacional de Banguecoque pelo Embaixador de Portugal Luis Barreira de Sousa chegou há cerca de uma hora à capital tailandesa o Vice-Primeiro Ministro Paulo Portas, acompanhado do Ministro dos Estrangeiros Rui Machete onde farão,na capital tailandesa, uma paragem de 3 dias, a fim de se avistarem, as duas personalidades do Governo Português, com autoridades do Governo da Tailândia cuja finalidade será a reabertura da  carreira da TAP-Air Portugal: Lisboa, Banguecoque e Macau,  encerrada em meados do ano de 1999 do século passado.  
.
Além da reabertura da carreira aérea,Vice-Primeiro Ministro Paulo Portas terá encontros com o ministro do Comércio e Turismo do Reino da Tailândia, agendado para depois de amanhã um workshop na sede da "Thai Chamber of Commerce", no qual Paulo Portas  apresenta a vantagen do investimento tailandês em Portugal, da concessão do "Gold Vistos".  O turismo será, igualmente, um dos temas a tratar e com isto canalisar mais cidadãos tailandeses visitar Portugal e vice-versa de Portugal. 
.
Com Vice-Primeiro Ministro Paulo Portas e dos Estrangeiros Rui Machete viajou, uma delegação de 20 empresários portugueses (entre os quais, integrados, Américo Amorim e Fernando Pinto presidente da TAP), de vários distritos de Portugal, ligados ao comércio de cortiça, vinhos, pecuária, agricultura e pescas.  
.
Além de empresários lusos e com o objectivo de incrementar a divulgação da cultura e língua de camões no Sudeste Asiático incluída na delegação a Prof.ª Ana Paulo Laborinho, Presidente do Instituto Camões. Hoje, ao fim da tarde, haverá uma recepção para cerca de 200 convidados (incluída a comunidade lusa residente na Tailândia) no Restaurante Caldo Verde, aberto ao público hoje. (Ver notícia a seguir)
.
Com data a designar a delegação ministerial fará uma visita relâmpago ao Ban Portuguet, na velha capital de Ayuthaya (aldeia onde os portugueses se fixaram há 500 anos) e aos três bairros, de raízes portuguesas, em Banguecoque. Portugal foi o primeiro país, ocidental, a encetar relações diplomáticas com a Tailândia cujo estas remontam do principio do século XVI. 
.
Vice-Primeiro Ministro Paulo Portas depois de permanecer 3 dias em Banguecoque parte, acompanhado da delegação, para os países vizinhos: Cambodja, Laos, Vietname e Myanmar (Birmânia). Previsto o regresso, da missão diplomática e comercial, a Lisboa dia 8 do corrente mês.

iusa/Banguecoque/1.4.2014 
.
INAUGURAÇÃO DO RESTAURANTE "O CALDO VERDE"
Abre hoje ao público, em Banguecoque, o restaurante "O CALDO VERDE", na Silom Road, em frente à popular "Travessa do Paptong", famosa pelos numerosos bares de entretenimento, mercado nocturno e um dos pontos preferidos pelos turistas que visitam a capital tailandesa também conhecida pela "Cidade dos Anjos". 
.
"O CALDO VERDE", vai servir, unicamente, tijelas de caldo verde, adubado com um golpe de azeite e a rodela de chouriço, transmontano (conhecida por "tora"). 
.
Para o acompanhamento, da deliciosa e bem portuguesa sopa, uma fatia de boroa de Avintes, que chegará duas vezes por semana a Banguecoque por via aérea. 
.
Entres os vários vinhos que serão servidos com o caldo verde distinguem-se os de Alenquer, Arruda, Bucelas, Douro, Bairrada,Dão e os da Ilha do Pico dos Açores. Para a sobremesa será oferecido, gratuitamente, um cálice de Porto "Três Velhotes". (Para este nectar recomenda-se moderação já que será servido ao sabor e do apetite do cliente). 
.
Os vinhos serão tirados através, do "espicho", de pequenas torneiras de madeira de "bucho", cujo os barris, como decoração de fundo, foram embutidos na parede. Digestivo, para os clientes, que apreciem mais de uma tijela de caldo verde, há a aguardente de medronho. 
.
A realização do projecto é uma conjuntura, em regime "franchise", entre um conhecido industrial de hotelaria. Meireles da rua de Cimo de Vila do Porto e a empresa tailandesa "Portuguese Green Soup Enterprises Group", proprietária de uma cadeia de estabelecimentos de venda (biológica) de "fast food" que se estende desde o sul ao norte da Tailândia.

A preparação do terreno e a plantação da couve galega

O campo com a couve, galega, viçosa
.
A fim de treinar o pessoal, local, de cozinha, e para que a portuguesíssima sopa mantenha o paladar característico, propositadamente chegou do Porto um especialista que durante um mês permaneceu em Banguecoque para treinamento do pessoal de cozinha. 
.
A primeira horta que irá abastecer, no futuro, de folhas frescas de couve galega "O CALDO VERDE" foi plantada há seis meses num campo agrícola, adjacente ao "Bangue Portuguete" (Ayuthaya) a 90 quilómetros da capital da Tailândia. 
.
Ayuthaya tem todas as características para a produção desta afamada hortaliça e já os portugueses e luso/tailandeses ali a plantavam, nos quintais de suas casas de quando ali viveram, cerca de três mil almas, por cerca de 250 anos, naquele rincão, histórico, luso. 
.
O proprietário do terreno André o único residente de raizes lusas no antigo aldeamento, Ban Portuguete, plantou 10 hectares de couve galega e tem quase finalizado a construção de dois armazéns com uma área coberta de 400 metros quadrados, para no futuro as folhas de couve galega sejam secas à sombra (técnica avançada de liofilização) sem contudo perderem as propriedades alimentares e sua cor natural
.

Finos produtos, genuinamente portugueses, em exposição e venda permanente no restaurante "O CALDO VERDE".


Produto para ser embalado em pacotes de 75 gramas (dose para duas pessoas). Porém o restaurante "O CALDO VERDE" a sopa será confeccionada com folhas frescas. Segundo fomos informados por Meireles da Cunha, está prevista a abertura, a curto prazo, de outros restaurantes "O CALDO VERDE" em vários locais da cidade (shopping centers) de Banguecoque com mais de 12 milhões de almas, podendo assim competir com os numerosos restaurantes italianos de esparguete que nestes últimos anos têm enxameado o território tailandês e países vizinhos. 
.
Meireles da Cunha acrescentou ainda: "em vista de abrir um restaurante "O CALDO VERDE" no Bairro de São Pedro, em Malaca, onde reside uma significativa comunidade lusa/malaia". 
.
A abertura do restaurante "O CALDO VERDE" está prevista para as 8 horas da noite de hoje, com a presença do Vice-Ministro Paulo Portas e ministro dos Estrangeiros Rui Machete, de individualidades locais e estrangeiras residentes, onde se incluem figuras públicas, ligadas à moda, ao meio académico, da comunicação social. 
.
Aos convidados à inauguração será servido um caldo verde acompanhado com vinho de excelente cepa. A inauguração será abrilhantada pela popular fadista Carminho acompanhada pelo famoso António Chainho e mestre da guitarra portuguesa.
José Martins
P.S. Agradecemos o convite com que fomos lisonjeados e lá estaremos para reportar o importante evento e colocarmos no lugar que merece a internacionalização da sopa de caldo verde portuguesa

Sem comentários:

Enviar um comentário