Translator

domingo, 30 de março de 2014

BRASILINO GODINHO TECLOU



A revelação/bomba do Prof. Marcelo
feita hoje no Jornal das 8, da TVI
Comentário de Brasilino Godinho
Pasmem os leitores!
O Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou-se hoje no Jornal das 8, da TVI, mais frenético e excitado do que lhe é habitual.
Talvez por isso, no decurso do serviço de notícias e no espaço em que é entrevistado por D. Judite de Sousa, o Prof. Marcelo resvalou para as confidências e fez uma revelação bombástica referente a uma ocorrência que protagonizou na segunda semana de Abril de 1974; a qual poderia ter sido um dos seus conhecidos factos políticos suficientemente grave para provocar o fracasso da Revolução de 25 de Abril de 1974.
Que disse Marcelo?
Que num determinado dia do mês de Abril de 1974 teria dito ao pai, Dr. Baltasar Rebelo de Sousa, que a revolução iria ocorrer nesse mesmo mês - como realmente viria a suceder!
Por sua vez, o pai de Marcelo, logo transmitiu a informação ao Prof. Doutor Marcelo Alves Caetano, chefe do Governo.
Porém, aconteceu que o chefe do Governo, conhecendo bem a personalidade do jovem Marcelo, seu afilhado, não deu credibilidade à notícia.
Claro que se Marcelo Caetano tivesse levado a sério a inconfidência do afilhado, outro poderia ter sido o desfecho dos desenvolvimentos revolucionários das semanas seguintes de Abril de 1974.
Para melhor ajuizarmos do grande risco de ser abortada a revolta dos militares importa dizer que Baltasar Rebelo de Sousa era uma pessoa da inteira confiança e amizade de Marcelo Caetano. Uma relação que se cimentou nos anos 1940-1944, em que Marcelo Caetano foi Comissário Nacional da Mocidade Portuguesa e Baltasar Rebelo de Sousa o seu braço-direito naquela organização juvenil do Estado Novo. A tal ponto amigos que Marcelo Caetano foi padrinho de baptismo de Marcelo Rebelo de Sousa.
A referida atitude do jovem Marcelo demonstra que ele se encontrava naquela esquisita posição de ter o pé direito na situação e o outro (pé esquerdo) na oposição. Para além de ser um cómodo posicionamento de equilíbrio psíquico/físico, assegurava a vantagem de, em quaisquer circunstâncias, o jovem Marcelo Rebelo de Sousa estar sempre cavalgando o PODER... 
Um jeito que lhe ficou desse tempo e se vai mantendo nos tempos actuais. Estes, caracterizados por persisentes rejeições e violações de princípios elementares de cidadania e de ética política.
No comments :

Sem comentários:

Enviar um comentário