Translator

sábado, 22 de março de 2014

MAIS UM APONTAMENTO SOBRE O CASO



Claro que Portugal vai entregar (para não ferir interesses), o investidor, cidadão chinês, suspeito de ter praticado burlas na sua pátria e "cavou" para Portugal com o produto que supostamente teria sonegado; obteve um visto gold e investiu, parte, na zona de Cascais. Porém falso ou verdadeiro burlão, na China, quando ali chegar, certamente, não tardará que uma bala ponha termo a sua vida. Portugal foi o segundo país da Europa abolir a pena de morte em 1867. Seria bom que o Governo de Portugal, antes de conceder vistos gold, que obtivesse, pelos seus meios diplomáticos, a idoneidade das pessoas às quais lhes é concedido tal privilégio. José Martins


A Polícia Judiciária deteve um cidadão chinês autorizado a residir em Portugal, ao abrigo do programa de vistos dourados, os chamados vistos gold. O homem foi detido por crimes de burla, depois de um mandado de captura internacional emitido pela Interpol, a pedido das autoridades chinesas. O suspeito, com cerca de 40 anos, terá comprado uma casa de luxo, na zona de Cascais, com dinheiro ilícito resultante de crimes cometidos na China. Estava em Portugal desde o final do ano passado.

Sem comentários:

Enviar um comentário