Translator

quinta-feira, 20 de março de 2014

"MILAGRE; APREGOADO, ECONÓMICO É ESTE!"



A MISÉRIA PORTUGUESA

As cifras negras de Portugal, quase 40 anos após o "25 de Abril de 1974".
.
Pobres em Portugal: 3 milhões de pessoas.
Desempregados: 1.500.000 indivíduos.
População ativa em
Portugal: 5.587.300 indivíduos.
População Prisional: 12.681 reclusos
Emigrantes Portugueses (até à 3.ª geração): 31,2 milhões pelo mundo fora.
Crianças portuguesas com fome assinalados nas escolas: 12 mil.
Portugueses com fome: 300 mil.
Idosos na solidão: 23 mil idosos a viverem sozinhos ou na solidão (Censo da GNR).
Portugueses sem Médico de família: 700 mil pessoas.
Pessoas sem-abrigo: 3.500.
Pessoas sem água canalizada ou esgotos ao domicílio: 700 mil.


Número de Abortos em 2012: 18.924 em 2012, 2.214 abortos em menores de 19 anos, e 70 por raparigas com menos de 15 anos, 52 abortos por dia. 90 milhões de euros gastos com os cuidados médicos com os abortos e os subsídios pós-aborto.
.
Preços Combustíveis: dos mais altos da Europa e do mundo, Gasolina €1,43, Gasóleo € 1,29.
.
Remunerações dos conselhos de administração das 20 empresas portuguesas cotadas na Bolsa quintuplicaram entre 2000 e 2012. Paralelamente, os gestores das empresas portuguesas ganham, em média, cerca de 30 vezes mais do que os trabalhadores das empresas que administram.
.
As 100 maiores fortunas de Portugal valem 32 mil milhões de euros, o que corresponde a 20% da riqueza total nacional.
.
PIB Portugal em 2012: 165 mil milhões de euros (contração de 3,2% em relação a 2011)
Crescimento do PIB de
2000 a 2012: (segundo estudos do FMI) o PIB de Portugal cresceu apenas 1,97%. 25,4% (3.7 milhões) dos habitantes em Portugal vivem com menos de 414 euros por mês, ou sejam são os considerados oficialmente (!) como pobres. 41% dos portugueses vivem em privação material, (dificuldade, por exemplo, em pagar as rendas sem atraso, manter a casa aquecida ou fazer uma refeição de carne ou de peixe pelo menos de dois em dois dias).
.
14,5% por cento dos portugueses vivem em casas sobrelotadas.


Os nossos leitores gostaram igualmente de

Sem comentários:

Enviar um comentário